As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 25-06-2010. Acessado 618 vezes.
Título da Postagem:AS REINAÇÕES DE MARTA SUPLICY – A ONGUEIRA MOR DO LULISMO
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 25-06-2010 @ 12:44 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
AS REINAÇÕES DE MARTA SUPLICY – A ONGUEIRA MOR DO LULISMO

 

A PREFEITURA DA CAPITAL DE SÃO PAULO FOI O PILOTO DA PROLIFERAÇÃO DE ONGS, COMO PRÁTICA PADRÃO DO QUE HOJE TEMOS INFORMAÇÕES, EM RELAÇÃO ÀS NOTÍCIAS SOBRE AS ONGS, SUA RELAÇÃO TENEBROSA E ESPÚRIA COM O PODER EXECUTIVO PÚBLICO, QUE PRODUZIU O ESCÂNDALO DA CPI DAS ONGS. DONA MARTA SUPLICY FOI A “COORDENADORA” DESSE EPISÓDIO IRRESPONSÁVEL, CRIANDO O MODELO GERAL E QUE FOI REPLICADO ONDE O PT GOVERNA, JUNTO COM SUA BASE ALIADA.

 

O QUE FAZ AGORA O PT “DOAR E DISTRIBUIR DINHEIRO PÚBLICO” A PILANTRAGEM DE ONGUEIROS E ONGUEIRAS – POLÍTICOS “DONOS” DE ONGS - SEM RECIPROCIDADE DE PRODUÇÃO, RESULTADOS E QUALIDADE? VIMOS A LAMA DE PERTO, NO LABORATÓRIO DOS EXPERIMENTOS DO DIABO.

 

SANTO ANDRÉ (MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DO ABC) SEGUNDO SUSPEITAS, E CONFORME AS INVESTIGAÇÕES DO SEQÜESTRO E ASSASSINATO DE CELSO DANIEL, FOI OUTRO LABORATÓRIO DOS EXPERIMENTOS MACABROS DO PT, QUE MODELARAM AS RAÍZES DOS MENSALÕES, E DO DITO CAIXA2, EXTRAPOLADAS PARA AS ENTRANHAS DA NAÇÃO BRASILEIRA. E OPERACIONALIZADA NO CONGRESSO, BRASÍLIA/DF – CASA MÁXIMA DOS VENDILHÕES DO BRASIL.

 

ESSE NOSSO RELATO, FUNDAMENTADO EM TESTEMUNHOS E DOCUMENTAÇÕES FARTAS, INCLUSIVE POR JUIZ DE DIREITO QUE NOS AUXILIOU, EM ESTUDOS DE ANOMALIAS, OU DISFUNÇÕES, SOBRE A INCAPACIDADE DE “AVENTUREIROS ADMINISTRAREM ATIVIDADES PÚBLICAS”, MAIS UMA VEZ “APROVEITADORES DA COISA PÚBLICA”, VISA DAR CONHECIMENTO AO ÚLTIMO BASTIÃO, DE ALGUMA OPOSIÇÃO CAPACITADA, A QUAL IRÁ ENFRENTAR SÉRIOS PROBLEMAS, SE VENCER ELEIÇÕES, DORAVANTE, COM A PREMENTE NECESSIDADE DE SE REVER O PROCESSO DE EMANCIPAÇÃO DA CIDADANIA EXCLUÍDA E A REDISTRIBUIÇÃO DE RENDA, DOS PROGRAMAS SOCIAIS DO PT.

 

DONA MARTA SUPLICY, A MEU VER, FOI A CHEFE DAQUELE LABORATÓRIO E O SEU LULA FICOU-LHE DEVENDO ESSA. A PROMOVEU PARA MINISTRA DO TURISMO – SEU TIPO FOI ESTEREOTIPADO, QUANDO DISSE RELAXA E GOZA – NO APAGÃO AÉREO – COMO NUM OUTDOOR DA INSANIDADE PÚBLICA - O QUE SÓ FEZ TRANSFERIR O TAL KNOW-HOW DE ONGUEIRA MOR DO LULISMO, PARA OUTRAS ATIVIDADES PÚBLICAS DO PAÍS. GANHOU “RECOMPENSA” PELO MÉRITO DE SEU CRIME TEMERÁRIO. CHEGOU A SER DENOMINADA DE MARTAXA, PELO AFÃ, TAMBÉM, PADRÃO DE VAGABUNDOS METIDOS A ADMINISTRADORES PÚBLICOS, EM AUMENTAR TAXAS E IMPOSTOS, “TIRANDO” DOS REMEDIADOS PARA “DAR” AOS MISERÁVEIS.

 

DESSA PARTE, EM DIANTE, SEGUIREMOS COM O TEXTO ORIGINAL QUE ENVIAMOS A VÁRIAS AUTORIDADES NACIONAIS, MAS SEM EFEITO NENHUM. INCLUSIVE PARA A UNESCO, À QUAL PRESTAMOS SERVIÇOS NA OCASIÃO.

 

=============================

 

ANOMALIAS INSTITUCIONAIS RELACIONADAS À INCAPACIDADE ADMINISTRATIVA DO PODER PÚBLICO COMPROMETERAM A EFICIÊNCIA DA APLICAÇÃO DOS PROGRAMAS SOCIAIS DA PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. EM 09 DE MAIO DE 2004, A FOLHA DE SÃO PAULO, EM REPORTAGEM LOCAL PROCEDIDA POR SÍLVIA CORRÊA – MARTA CUMPRE 54% DE SUA META SOCIAL, DIVULGA A LAMENTAÇÃO E AS EXPLICAÇÕES SOBRE O INSUCESSO DOS PROGRAMAS SOCIAIS DO PT – PARTIDO DOS TRABALHADORES. DIVERSOS INCIDENTES OCORRERAM E QUE PREJUDICARAM O DESENVOLVIMENTO CORRETO DO PROGRAMA PROCAP - MÓDULO BÁSICO – PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO - PMSP.

 

A CONFISSÃO DO FRACASSO FOI DEBITADA NA “CONTA DA ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO PAÍS”.

 

SOB O PONTO DE VISTA DA ABRACOOP – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O DESENVOLVIMENTO DO COOPERATIVISMO E SEUS COLABORADORES, A SDTS - SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE, SOB O COMANDO DO PROFº MÁRCIO POCHMANN, PENALIZOU-NOS COMO PARCEIROS MELHORES HABILITADOS EM FAVOR DE UM CLIENTELISMO POLÍTICO-ELEITORAL, NA OCASIÃO – INÍCIO EM ABRIL DE 2002.

 

SITUAÇÃO DOS PROGRAMAS SOCIAIS DA PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO (1) (2) – VER TABELA ABAIXO:

 

PROGRAMAS SOCIAIS DE TRANSFERÊNCIA DE RENDA DO PT:

 

  1. INCÓGNITA APÓS TÉRMINO DO PERÍODO DE BOLSA – SEM ACOMPANHAMENTO DO PODER PÚBLICO.
  2. PAÍSES DESENVOLVIDOS – 10 A 30% DA POPULAÇÃO DEPENDE DESSES PROGRAMAS.
  3. FRUSTRAÇÃO DOS BENEFICIADOS COM A INTERRUPÇÃO DAS BOLSAS.
  4. ÚLTIMOS TRÊS ANOS MAIS DE MEIO BILHÃO DE REAIS FOI INVESTIDO – DE JUNHO DE 2001ATÉ MAIO DE 2004.
  5. DESDE DE JUNHO DE 2001, CERCA DE 316.801 PESSOAS RECEBERAM PELO MENOS UMA VEZ A BOLSA DOS PROGRAMAS.
  6. RETIRA O CIDADÃO DO LIMITE DE SOBREVIVÊNCIA FAVORECENDO SUA BUSCA POR OPORTUNIDADES DE TRABALHO E RENDA.
  7. CRIAR DEPENDÊNCIA COM RELAÇÃO AO SUPORTE DAS BOLSAS E DEIXANDO O CIDADÃO ACOMODADO.
  8. QUEM PERDEU A RENDA DEPOIS QUE AS INSCRIÇÕES TERMINARAM NÃO TEVE A SEGUNDA CHANCE.
  9. ERROS DE ENDEREÇO INVIABILIZARAM POSSÍVEIS CANDIDATOS POTENCIAIS.
  10. PROGRAMAS PALIATIVOS SEM CAPACIDADE DE INVERTER A SITUAÇÃO DOS BOLSISTAS.
  11. NA CONDIÇÃO EMANCIPATÓRIA ATÉ AGORA NÃO SE CHEGOU A 12 MIL BENEFICIADOS.
  12. NÃO IDENTIFICOU A VOCAÇÃO ECONÔMICA DO BAIRRO E A CAPACIDADE EMPREENDEDORA DOS CANDIDATOS A ABRIR NEGÓCIOS.
  13. POCHMANN: ESTAMOS EVITANDO O APROFUNDAMENTO DA EXCLUSÃO, O MANIQUEÍSMO, O ASSISTENCIALISMO E O CLIENTELISMO POLÍTICO-PARTIDÁRIO.
  14. ATÉ O FINAL DE 2004, 589.057 FAMÍLIAS CUJOS CHEFES TINHAM RENDA INFERIOR A UM SALÁRIO MÍNIMO E MEIO SERIAM BENEFICIADAS O QUE NÃO SE CONFIRMOU. ALCANÇOU CERCA DE 316.801 FAMÍLIAS.
  15. INJETAM A CADA MÊS R$ 13 MILHÕES EM FAMÍLIAS POBRES, O SUFICIENTE PARA CONSTRUIR 12 ESCOLÕES AO ANO.
  16. DE 96 DISTRITOS DA CIDADE 40 CHEGARAM A SER INCLUÍDOS ATINGINDO 80.000 PESSOAS.
  17. PROGRESSÃO DE INCLUSÃO: 

EM 2001 – DISTRITOS: 13 E PESSOAS:   97.118;

EM 2002 – DISTRITOS: 37 E PESSOAS: 186.484;

EM 2003 – DISTRITOS:   6 E PESSOAS:   14.959;

EM 2004 – DISTRITOS: 40 E PESSOAS:   80.000;

 

EMPREENDIMENTOS INCUBADOS PELA PREFEITURA – PMSP - SDTS.

 

  1. DE CADA 4 INCUBADOS UM NÃO CONSEGUIU SOBREVIVER.
  2. DE 400 NEGÓCIOS INCUBADOS CERCA DE 299 FUNCIONAM.
  3. DAS COOPERATIVAS QUE FUNCIONAM A PREFEITURA AFIRMA QUE MUITAS NÃO TÊM DEMANDA ESTÁVEL. E AS PESSOAS SOBREVIVEM POSSIVELMENTE MUITO MAL.
  4. NUMA COOPERATIVA DE ALIMENTAÇÃO – RESTAURANTE – O PESSOAL RETIRA CERCA DE R$ 130,00 POR MÊS.
  5. AS COOPERATIVAS FUNCIONAM PRECARIAMENTE E COM MUITOS DESENTENDIMENTOS ENTRE OS SÓCIOS.   

TEMOS OUTRA VERSÃO PARA O FRACASSO DA SDTS.

 

NUMA ESPÉCIE DE PARCERIA – PÚBLICO -PRIVADA – PPP SOCIAL – SEM ESCRÚPULOS, PESSOAS DE MÁ ÍNDOLE A SERVIÇO DA SDTS, PRODUZIRAM DEMANDAS QUE AFETARAM A OPERACIONALIDADE DOS PROGRAMAS E SUA CREDIBILIDADE. UMA VERSÃO DANOSA, DOS INCIDENTES, COMEÇOU A SER RELATADA UNILATERALMENTE E DE MODO TENDENCIOSO, CONTRA A ABRACOOP.

 

A PRINCÍPIO A ABRACOOP SE APRESENTOU COMO A MELHOR QUALIFICADA PARA IMPLEMENTAÇÃO DOS PROGRAMAS, CAPAZ DE COORDENAR UM CONTINGENTE DE 100 A 120 MIL PESSOAS A SEREM BENEFICIADAS. NOSSA ESTRUTURA DE EXECUÇÃO DAS TAREFAS, DO PROGRAMA, FOI DE ELEVADO GRAU PROFISSIONAL, COM DOUTORES, MESTRES E PÓS-GRADUADOS.

FOI POR ESSA RAZÃO ACIMA QUE, A SDTS, CONSEGUIU VIABILIZAR O PROJETO COM QUASE 50 ONGS, TOMANDO COMO BASE O CONTEÚDO METODOLÓGICO E EDUCATIVO GERADO PELA ABRACOOP, BEM COMO OS PROCEDIMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS, FISCALIZAÇÃO E CONTROLE.

 

A ENTÃO “PPP SOCIAL” TINHA TRÊS PARCEIROS;

 

1.      UNESCO FINANCIANDO O PROGRAMA, SEGUNDO SUAS DIRETRIZES PEDAGÓGICAS,

2.      SDTS GERANDO A DEMANDA COMUNITÁRIA, ADMINISTRANDO A APLICAÇÃO DO PROGRAMA E A

3.      ABRACOOP PROPONDO E IMPLEMENTANDO O PROJETO DE CAPACITAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DO “DESENVOLVIMENTO LOCAL”, EM TERMOS DE ECONOMIA DE BAIRRO, SEGUNDO SUA PRÓPRIA PROPOSIÇÃO.

 

A CONTRAPARTE DA UNESCO, PRESENTE NA SDTS, REPASSOU ÀS ONGS, EM MINÚCIAS, À REVELIA DE NOSSA ASSOCIAÇÃO, ALÉM DO MATERIAL DIDÁTICO QUE DESENVOLVEMOS, AS NOSSAS CUSTAS, OS PROCEDIMENTOS QUE FORMULAMOS PARA PRESTAR CONTAS À SUA INSTITUIÇÃO. UMA CONDENÁVEL ATITUDE ANTIÉTICA, UMA VEZ QUE SOMENTE A ABRACOOP PODERIA REPASSAR KNOW-HOW PARA PARCEIROS DESPREPARADOS. NISSO A GRANDE MAIORIA DAS ONGS, QUE SE BENEFICIARAM DESSA SITUAÇÃO, NÃO APRESENTAVAM CAPACITAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA PARA A EXECUÇÃO DO PROJETO E QUE COPIARAM O NOSSO, INTERMEDIADOS E FACILITADOS PELO PODER PÚBLICO.

 

FIZEMOS INVESTIMENTOS DE NOSSOS RECURSOS E DÍVIDAS COM GRÁFICAS E FORNECEDORES, NA CERTEZA DE UMA RECIPROCIDADE DO PESSOAL DE CONTATO DA SECRETARIA - SDTS COM A UNESCO, SITUAÇÃO FINANCEIRA QUE SE DEMOROU A SER REGULARIZADA, EM FACE DE NÃO TERMOS RECEBIDO, EM TEMPO, AS PARCELAS DE PAGAMENTO DA UNESCO, INTERROMPIDAS EM PRIMEIRO POR UMA DENÚNCIA VAZIA DE CARÁTER POLÍTICO E DEPOIS PELA DESCONFIANÇA, EM RELAÇÃO A NÓS, DO PROCESSO BUROCRÁTICO DA UNESCO E DA SDTS, DIANTE DO INCIDENTE.

 

MAS, COMO O PROJETO ERA UMA “PPP SOCIAL”, O NOSSO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO JULGOU QUE TAL CONTRIBUIÇÃO DA ABRACOOP PUDESSE SER RECONHECIDA. O QUE NÃO OCORREU, PELO FATO DE TERMOS NA OCASIÃO APRESENTADO OS PROJETOS PARA OS MÓDULOS ESPECÍFICOS E NÃO FOMOS CONVOCADOS PARA PRESTAR SERVIÇOS. E QUE A CONTRAPARTE DA UNESCO, NA SDTS, ALEGAVA QUE NÃO HAVÍAMOS ENTREGADO NOSSAS PROPOSTAS, A TEMPO.

 

EM NOSSO ENTENDER A SITUAÇÃO SUGERIA UMA MANOBRA POLÍTICA DE INTERESSADOS EM AFASTAR A NOSSA ASSOCIAÇÃO DO PROCAP, E DA CONTINUIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JUNTO AOS MÓDULOS ESPECÍFICOS - CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL. CORRERAM AOS OUVIDOS COLETIVOS, MANIFESTOS DE CALÚNIA E DIFAMAÇÃO, CONTRA NOSSA ASSOCIAÇÃO, PROPALADOS POR AGENTES QUE NÃO QUERIAM A ABRACOOP EM NOVOS PROJETOS, PELO FATO DE NÃO REPRESENTAR POLÍTICOS – VEREADORES E DEPUTADOS ESTADUAIS /FEDERAIS – JUNTO ÀS COMUNIDADES ENVOLVIDAS NOS PROJETOS.

 

TIVEMOS DENÚNCIAS SOBRE AS ONGS, QUE NÃO SOUBEMOS SEREM VAZIAS OU NÃO, QUE PARTICIPARAM JUNTO COM À ABRACOOP NO PROCAP, E QUE NÃO NOS INTERESSAVA CONSOLIDAR QUEIXAS JUNTO ÀS AUTORIDADES COMPETENTES, POIS CARECIAM DE CONFIRMAÇÃO. O QUE NOS INTERESSAVA ERA AJUDAR O “CIDADÃO EXCLUÍDO” - A ABRACOOP É UMA INSTITUIÇÃO FORMADA POR MAIS DE UMA CENTENA DE COOPERATIVAS E PESSOAS FÍSICAS, COM MISSÃO SOLIDÁRIA E HUMANISTA E TEM IMAGEM IDÔNEA, ONDE PRESTOU SERVIÇO, SITE: WWW.ABRACOOP.COM.BR .

 

DETECTAMOS OS SEGUINTES INCIDENTES RELACIONADOS AOS PROGRAMAS SOCIAIS DO PT, OCORRIDOS NA OCASIÃO:

 

1. VÁRIAS ONGS USARAM A NOSSA APOSTILA DE CONTEÚDO, FERINDO SERIAMENTE A LEI DE DIREITOS AUTORAIS, O QUE IRÁ NOS FORÇAR A EMITIR UMA DECLARATÓRIA DE IMPEDIMENTO DE USO DA MESMA, POR PARTES DAS ONGS QUE ASSIM O FAZEM, E SUJEITANDO OS INFRATORES ÀS PENALIDADES DA LEI APLICÁVEL.

 

2. ALGUMAS ONGS TEM POLÍTICOS: VEREADORES E ASSESSORES, COMO "DONOS" OU COMO "LARANJAS" DOS MESMOS, PARA FORMAR CURRAL ELEITORAL E SE UTILIZAR DO PROCAP PARA SUAS PRELEÇÕES IDEOLÓGICAS (PROIBIDO PELA UNESCO) E POR ISTO MESMO PODEM ESTAR QUERENDO “REMOVER” A ABRACOOP, NEUTRALIZANDO A CONCORRÊNCIA DE INSTITUIÇÃO MAIS BEM PREPARADA E SEM MISSÃO POLÍTICA.

 

3. PESSOAS DA SDTS TRANSFORMARAM O PROJETO EM BALCÃO DE INTERESSES PARTICULARES CEDENDO COTAS NÃO POR CAPACIDADE TÉCNICA E CIENTÍFICA POR PARTE DAS ONGS, MAS PARA ATINGIR O “ELEITORADO” NUM ANO DE CAMPANHA POLÍTICA – ANO DE 2002 - E QUE PODERIA RENDER BONS “DIVIDENDOS” NESTE CAMPO DE INTERESSE.

 

4. AUTORIDADES DA PREFEITURA, NAS REGIONAIS ADMINISTRATIVAS, MANOBRAVAM À NOSSA REVELIA OS FACILITADORES QUE TREINAMOS – GRATUITAMENTE, NÃO CUSTEADO PELA UNESCO – INTERFERINDO NOS ATOS DE SUPERVISÃO E CONTROLE DOS NOSSOS INSPETORES, INCORRENDO COM ISTO EM TURMAS “PULVERIZADAS” ONERANDO O CUSTO GLOBAL – ORÇADO E PLANEJADO – REFLETINDO EM RECLAMAÇÕES DE PESSOAS QUE ALEGAM TER TRABALHADO E QUE AINDA REIVINDICAM REMUNERAÇÃO DE HORAS CORRESPONDENTES, MESMO APÓS TEREM SIDO PAGAS COM O VALOR DAS HORAS ESPECIFICADO NO CONTRATO DE 152 HORAS.

 

5. TRANSFORMAÇÃO DA OPORTUNIDADE DE UM TRABALHO SOLIDÁRIO EM “EMPREGO TEMPORÁRIO” EM QUE ALGUMAS PESSOAS TIVERAM A BENESSE DE AUTORIDADES DA PREFEITURA E QUE TERMINOU REPERCUTINDO EM CONFLITOS ENTRE INDICADOS E NÃO INDICADOS, ACARRETANDO “DENÚNCIAS” CONTRA A ABRACOOP PARA ATINGIR PESSOAS E GRUPOS OPOSTOS. CUIDAMOS DE CERCA DE 4.000 PESSOAS.

 

6. DESDE FINAL DE NOVEMBRO DE 2002 VÍNHAMOS APRESENTANDO SUCESSIVAMENTE NOSSA PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAL, PARA O RECEBIMENTO DA ÚLTIMA PARCELA DO CONTRATO VIGENTE, E SOFREMOS A PROTELAÇÃO DA CONTRAPARTE DA UNESCO QUE TRABALHAVA NA SDTS, NOS PREJUDICANDO SERIAMENTE, PARA ATRASAR O PAGAMENTO. JÁ TEM CERCA DE 2 A 3 ANOS QUE PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS FOI SUSPENSA E AINDA NÃO RECEBEMOS A PARCELA FINAL.

 

7. MUITAS ONGS NÃO FIRMARAM CONTRATOS E NEM COBERTURA, COM SEUS FORMADORES, DEIXANDO UMA "QUEBRA NA ESTRUTURA JURÍDICA" DETERMINADA NO CONTRATO-MOR DA UNESCO.

 

8. O PROGRAMA “OPORTUNIDADE SOLIDÁRIA” USOU O NOSSO TRABALHO COM OUTRAS COOPERATIVAS, E POR COINCIDÊNCIA COMEÇOU PELOS BAIRROS QUE NÓS FIZEMOS O PROJETO - COOPERATIVAS COMUNITARIAS. É MUITA FALTA DE ÉTICA ENXOVALHANDO O PODER PÚBLICO E USURPANDO CONTEÚDO TÉCNICO DE EX-PARCEIROS COM MELHOR QUALIFICAÇÃO. 

 

9. A UNESCO NÃO DEVERIA SE DEIXAR FICAR EM MÃOS DE PESSOAS, QUE VENHAM A REPRESENTAR, E QUE NÃO POSSUEM CAPACITAÇÃO TÉCNICA, EMOCIONAL E DE RELAÇÕES INTERPESSOAIS PRODUTIVAS, DENTRO DE ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS, GUARDANDO-SE INSTITUCIONALMENTE DE INJUNÇÕES POLÍTICAS QUE PODEM LHE AFETAR COMO INSTITUIÇÃO DE RENOME E RECONHECIMENTO MUNDIAL.

 

10.  A NÃO MANIFESTAÇÃO DO SR. SECRETÁRIO DO TRABALHO – MÁRCIO POCHMANN QUANTO A ESTA SITUAÇÃO MESMO QUE COM CARTA PROTOCOLADA, NOS PARECENDO HAVER, EM TORNO DO SECRETÁRIO, UM GRUPELHO QUE SE ENTRINCHEIRA PARA PRODUZIR DISFUNCIONALIDADE, SEM QUE ELE SAIBA DA CONDUTA DOS SEUS COLABORADORES.

 

ACREDITAMOS QUE EXISTIRAM AINDA MUITAS IRREGULARIDADES REPRIMIDAS DENTRO DESTAS ONGS, PELO MOTIVO DO BAIXO GRAU DE PROFISSIONALISMO QUE OBSERVAMOS E QUE OUVIMOS DE PESSOAL ENVOLVIDO EM NOSSOS TREINAMENTOS, O QUE DE FATO ACARRETAVA COMPLEXIDADE E DISFUNÇÕES OPERACIONAIS. ALGUMAS ONGS LIGAVAM PARA A ABRACOOP PEDINDO QUE SE ENSINASSE ISSO E AQUILO - EX: RELATÓRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS E OUTROS. E, ESSES CASOS CONTRIBUÍRAM COM A PERDA DE EFICIÊNCIA DOS INVESTIMENTOS DA PREFEITURA, E DA UNESCO, PELO BAIXO APROVEITAMENTO FEITO PELOS BENEFICIÁRIOS, COLOCANDO AS VERBAS, DESSA ÚLTIMA, NUM “RALO SEM FIM”, O QUE DEVERIA TER CONVOCADO A SDTS A UMA REFLEXÃO PRÓ-ATIVA:

 

1)     QUAIS SERÃO OS RESULTADOS EM MAXIMIZAÇÃO DE CAPITAL INVESTIDO E O NÚMERO DE CIDADÃOS QUE REVELARAM “BOM APROVEITAMENTO”?

2)     ESTARÃO COM A AUTO-ESTIMA CONSOLIDADA E ENCONTRARÃO UM EMPREGO AO MENOS DE R$ 400,00 DENTRO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO?

3)     O RESULTADO FINAL DO PROJETO - MESMO QUE A FUNDO PERDIDO - FOI PROVEITOSO?

4)     HÁ MUITA PROPAGANDA POLÍTICA COM NÚMEROS, MAS SEM UM INDICADOR DA QUALIDADE DO RESULTADO? 

 

A ABRACOOP REALMENTE TINHA A MELHOR CONDIÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA PARA O DESENVOLVIMENTO DE TODAS AS FASES DO PROCAP. E FOI PREJUDICADA POR ALGUMA PRÁTICA IMPRÓPRIA - QUE ONEROU A ATUAÇÃO DA MESMA JUNTO AOS PROJETOS EM QUESTÃO. ACOSTUMADOS A PRESTAR SERVIÇOS PARA PREFEITURAS, TIVEMOS A PERCEPÇÃO DE QUE HOUVE UMA INTENÇÃO DOLOSA EM PRODUZIR UM GRANDE DESGASTE ENTRE NOSSA ASSOCIAÇÃO E NOSSOS COLABORADORES, FORNECEDORES E AS AUTORIDADES PÚBLICAS.

 

CREMOS QUE O PROCEDIMENTO BUROCRÁTICO DA UNESCO NÃO DEVE PRODUZIR PREJUÍZOS AOS SEUS PARCEIROS, COMO O QUE OCORREU CONOSCO, DADO AO FATO DE SER UMA INSTITUIÇÃO INTERNACIONAL, QUE DEVE ZELAR POR SEU NOME E IMAGEM. SENDO ASSIM OS OPOSITORES DA ABRACOOP VENCERAM – CONSEGUIRAM NOS DEMOVER DA CONTINUIDADE DO PROCAP. E NOS AFETARAM MORAL E ECONOMICAMENTE. ESSES EVENTOS DENEGRIRAM NOSSA IMAGEM JUNTO A UNESCO, OS QUAIS PRODUZIRAM LESÃO AO NOSSO PATRIMÔNIO E DANOS MORAIS AO NOSSO PESSOAL. O SR. JORGE WERTHEIN NUNCA SE PRONUNCIOU – QUEM PRESIDIA NA OCASIÃO A UNESCO – BRASIL, APESAR DE NOSSAS CARTAS E E-MAILS.

 

HOUVE MUITO DE PREJUÍZO NESTA ODISSÉIA EM QUE ENTRAMOS E QUE A COORDENAÇÃO DA SDTS COM A UNESCO, CONTOU COM UM SUPORTE INTERNO INCOMPETENTE, VACILANTE E PREJUDICIAL À IMPLEMENTAÇÃO DESSES PROGRAMAS. A VISÃO GERAL QUE TIVEMOS SOBRE O PROJETO, PARA APLICAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS, EM BENEFÍCIO DO CIDADÃO MAIS SIMPLES EM TODO O BRASIL, FOI DE MUITA IRRESPONSABILIDADE E DEMAGOGIA ELEITOREIRA. EM NOVEMBRO DE 2004, FICAMOS REFLETINDO PORQUE A PREFEITA MARTA SUPLICY PERDEU A SUA REELEIÇÃO PARA A PREFEITURA. 

 

A ABRACOOP, NA GÍRIA DOS NEGÓCIOS, FOI USADA COMO "BOI DE PIRANHA”. SACRIFICOU-SE PARA O REBANHO ATRAVESSAR O RIO. E, DEPOIS FOI IGNORADA E CALUNIADA! MAS, O REBANHO QUE ATRAVESSOU O RIO ERA DE MÁ QUALIDADE – PARTE DAS 50 ONGS DO CLIENTELISMO - POIS O FRACASSO DE POCHMANN NOS RESSARCIU MORALMENTE, EMBORA SEM COMPENSAÇÃO FINANCEIRA. A CONFISSÃO DE POCHMANN CONFIRMA A SUA INCAPACIDADE ADMINISTRATIVA. E A APARENTE MORTE DE PROGRAMAS SOCIAIS SEM BASE CIENTÍFICA E PROFISSIONAL.

 

===================================

 

AQUI ESTÁ A CAUSA VERDADEIRA DO FRACASSO DOS PROGRAMAS SOCIAIS DO PT NA CAPITAL DE SÃO PAULO. E AGORA EM ESCALA NACIONAL.

 

FAÇAMOS AGORA OS CÁLCULOS PARA DIMENSIONAR A EXORBITÂNCIA DISFUNCIONAL DOS ATUAIS PROGRAMAS SOCIAIS DO PT, EM ESCALA NACIONAL, PARTINDO DOS PARÂMETROS DO FRACASSO DE MARTA SUPLICY NA CAPITAL DE SÃO PAULO! 

 

E MAIS UMA VEZ: TODAS AS COOPERATIVAS CRIADAS PELO PODER EXECUTIVO PÚBLICO FUNCIONAM PRECARIAMENTE, EM QUALQUER LUGAR DO BRASIL, PELA PRESUNÇÃO DO MESMO EM JULGAR-SE CAPAZ DE DESENVOLVER COOPERATIVAS E PROMOVER A INCUBAÇÃO DELAS, QUANDO MAL CONSEGUE ADMINISTRAR TECNICAMENTE SUAS OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES SOCIAIS, MORAIS E ECONÔMICAS.

 

ENGº LEWTON BURITY VERRI

DIRETOR CIENTÍFICO DO IEAQ

ESCRITOR E PROFESSOR

CREA 74-1-01852-8 RJ – UFF

Copyright © 2009 – Lewton Burity Verri

 




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!