As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 25-05-2011. Acessado 897 vezes.
Título da Postagem:FIM DO DESMATAMENTO AMAZÔNICO: ADOTANDO UM NOVO PARADIGMA – CHIPS DEDICADOS
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 25-05-2011 @ 04:17 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

FIM DO DESMATAMENTO AMAZÔNICO: ADOTANDO UM NOVO PARADIGMA – DE SATÉLITES PARA CHIPS ...

COM A APROXIMAÇÃO DO LIMITE DE SUPORTABILIDADE DAS FLORESTAS, ANTES DO COLAPSO DEFINITIVO, A TENDÊNCIA SERÁ A DE HAVER A “VALORAÇÃO” DO FERRAMENTAL E DOS EQUIPAMENTOS MAIS “LEGITIMADOS TECNOLOGICAMENTE” PARA OPERAR EM FLORESTAS E EM RESERVAS PATRIMONIAIS, SOB LEIS MAIS RIGOROSAS, SUAS MULTAS EM EXORBITÂNCIAS E PUNIÇÕES SEM REGATEIOS.

VER LINK: HTTP://WWW.ADMINISTRADORES.COM.BR/INFORME-SE/PRODUCAO-ACADEMICA/FIM-DO-DESMATAMENTO-AMAZONICO-ADOTANDO-UM-NOVO-PARADIGMA-DE-SATELITES-PARA-CHIPS/4114/

PODEMOS APRECIAR UMA AMPLA MODALIDADE DE RECURSOS TECNOLÓGICOS PARA SEREM USADOS NO CONTROLE, RASTREAMENTO E NO BLOQUEIO DE MOTOSSERRAS, FERRAMENTAIS E VEÍCULOS UTILIZADOS NAS ÁREAS DE DESMATAMENTO ABSOLUTO CONFIRMADO, E QUE SERÁ CAPAZ DE MINIMIZAR SUA PROGRESSÃO.

O ARTIGO TEM “SUGESTÕES” RELEVANTES PARA O CONTROLE DO “PATRIMÔNIO FLORESTAL”, TAIS COMO:

1.       MINIMIZAR O RISCO DO DESMATAMENTO PREDADOR;

2.       TECNOLOGIA CAPAZ DE PROPICIAR OS ALARMES DE TRANSGRESSÕES;

3.       USO DE MONITORAMENTO VIA SATÉLITE SOBRE VEÍCULOS E MOTOSSERRAS USADOS NO DESMATAMENTO NUMA LOCALIDADE;

4.       MONITORAMENTOS DE ALTA TECNOLOGIA QUE CONTROLAM AS AÇÕES DE DESMATAMENTO, SUAS VELOCIDADES E TEMPO DE FUNCIONAMENTO, DELIMITAM ÁREA, MARCAM PONTOS DE REFERÊNCIA, ACESSAM MAPA VIA NET/CELULAR E PERMITEM ESCUTA VEICULAR;

5.       FAZEM RELATÓRIOS DO HISTÓRICO DE UTILIZAÇÃO, DE PERCURSO E AINDA POSSUEM ALERTAS ANTIFURTO, ACIONAM O BLOQUEIO FUNCIONAL DOS VEÍCULOS E DAS MOTOSSERRAS, EM OPERAÇÃO NAS ÁREAS RESTRITAS OU REALIZANDO OPERAÇÕES EM EXCESSO, NAS ÁREAS PERMITIDAS, ALÉM DO LIMITE AUTORIZADO;

6.       EQUIPAMENTOS RASTREADORES E BLOQUEADORES QUE CUSTAM EM MÉDIA DE R$ 600,00 E MENSALIDADES POR VOLTA DE R$ 50,00;

7.       MONITORAMENTO À DISTÂNCIA PARA VERIFICAR A CONDUTA DOS VEÍCULOS, DOS SEUS CONDUTORES E DAS MOTOSSERRAS;

8.       MONITORAR EXTENSAS ÁREAS DE PERMISSÃO E DE EXCEÇÃO;

9.       EFETIVAR LINKS ENTRE VEÍCULOS E MOTOSSERRAS COM A REDE DE CONTROLE, RASTREAMENTO E BLOQUEIO;

10.    COM A SEMELHANÇA OPERACIONAL EM RELAÇÃO ÀS MOTOCICLETAS AS MOTOSSERRAS JÁ SERIAM FABRICADAS COM OS EQUIPAMENTOS E CHIPS DE CONTROLE, RASTREAMENTO E BLOQUEIO.

NAS ÁREAS DE DESMATAMENTO NÃO CONFIRMADO E NAS ÁREAS DE DESMATAMENTO ABSOLUTO LEVE, COM SEU MAPEAMENTO GEO-ECO-BIO, NAS ÁREAS RESTRITAS, E NAS EM QUE CERTO GRAU DE DESMATAMENTO É PERMITIDO, A SEVERIDADE DE CONTROLE PODERÁ SER MAIS COMPLEXA.

A VANTAGEM EXTREMA DO “AGREGADO TECNOLÓGICO DE CONTROLE, RASTREAMENTO E BLOQUEIO” SERÁ A IMEDIATA SUPRESSÃO DA AÇÃO DE DESMATAMENTO, POR “BLOQUEIO INSTANTÂNEO” DAS OPERATRIZES - MOTOSSERRAS, FERRAMENTAIS E VEÍCULOS UTILIZADOS – QUANTO AO ABATE DE ÁRVORES E PROCESSAMENTO DA MADEIRA EM ÁREA NÃO AUTORIZADA OU NÃO PERMITIDA. E QUE FORAM “DETECTADOS” PELOS SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO E PROCESSAMENTO DE DADOS, VIA TELEFONIA, RADAR OU SATÉLITE (OU UMA REDE CONJUGADA COM ESSES 3 RECURSOS).

OS DISPOSITIVOS DE RASTREIO E BLOQUEIO – CHIPS, MICROPROCESSADORES E SENSORES – ESTÃO NUM STATUS TECNOLÓGICO CHEGANDO A UMA ESCALA DE MINIATURIZAÇÃO TAL, E COM BAIXOS CUSTOS, QUE PODERÃO SER COLOCADOS NAS OPERATRIZES, EM USO, E NAS QUE SERÃO FABRICADAS NO FUTURO.

OS ÓRGÃO DE CONTROLE E DEFESA DO MEIO AMBIENTE TERÃO, PREVIAMENTE, O PEDIDO ELETRÔNICO DOS OPERADORES DAS OPERATRIZES, COM A INFORMAÇÃO DO VOLUME DE ÁRVORES A SEREM ABATIDAS, O TEMPO DE EXPEDIENTE OPERACIONAL NO LOCAL – TUDO DEFINIDO EM PERÍMETRO – POR COORDENADAS DE GPS OU OUTRO POSICIONADOR GEOGRÁFICO.

COMO OS DISPOSITIVOS DE RASTREIO E BLOQUEIO – CHIPS, MICROPROCESSADORES E SENSORES – POSSUEM UM CÓDIGO CARACTERÍSTICO DEFINIDO POR UM PADRÃO INTERNACIONAL DE NUMERAÇÃO, IRÃO “LIBERAR” O FUNCIONAMENTO DAS OPERATRIZES, PARA CUMPRIREM O EXPEDIENTE PREVIAMENTE ESTABELECIDO E AUTORIZADO, POR TAIS ÓRGÃO, NO PERÍMETRO PERMITIDO PARA O ABATE DE ÁRVORES.

O CÓDIGO COM O PADRÃO INTERNACIONAL DE NUMERAÇÃO TERÁ CADASTRO DE PROPRIEDADE, OPERADOR E TODO O SEU HISTÓRICO DE FUNCIONAMENTO, OPERAÇÕES E EXPEDIENTES.

MESMO SEM ESTAREM EM FUNCIONAMENTO, OS DISPOSITIVOS DE RASTREIO E BLOQUEIO, IRÃO EMITIR OS SINAIS DE SEU POSICIONAMENTO GEOGRÁFICO, CONFRONTADOS AUTOMATICAMENTE POR UM ESCANEADOR DE ÁREA, O QUAL MANTERÁ A INFORMAÇÃO DAS OPERATRIZES, MESMO DESLIGADAS – EM “OFF OU STAND BY”.

UMA LEI ESPECÍFICA DEVERÁ SER DECRETADA PARA A ADOÇÃO DOS “AGREGADOS TECNOLÓGICOS DE CONTROLE, RASTREAMENTO E BLOQUEIO”, UM INCENTIVO E PRAZO DE CONVERSÃO DAS ATUAIS OPERATRIZES E A IMEDIATA ADOÇÃO NOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO DAS NOVAS MOTOSSERRAS, FERRAMENTAIS E VEÍCULOS UTILIZADOS NAS ÁREAS AMAZÔNICAS E NAS DE RESERVAS FLORESTAIS.

SECUNDANDO A LEI ESPECÍFICA UM INSTRUMENTAL DE DETECÇÃO DOS “AGREGADOS TECNOLÓGICOS DE CONTROLE, RASTREAMENTO E BLOQUEIO”, COMO POR EXEMPLO, UM PORTÁTIL “LOCALIZADOR” DE CHIPS, DEVERÁ SER CONSTRUÍDO. E QUE JÁ EXISTEM MODELOS DESSE TIPO PARA RASTREAR CHIPS EM ANIMAIS DE COMPETIÇÃO E DE CRIAÇÃO (CAVALOS, BOIS, CARNEIROS E ETC).

UMA NOVA FORMA DE ATUAÇÃO DOS AGENTES DOS ÓRGÃOS DE PROTEÇÃO E DEFESA DO MEIO AMBIENTE PODERÁ SER ESTRUTURADA, PARA QUE ELES VENHAM A FAZER FISCALIZAÇÕES MAIS TECNICAMENTE E DE MODO CIENTÍFICO, COM O USO DO “DETECTOR PORTÁTIL DE CHIPS”.

O “DETECTOR PORTÁTIL DE CHIPS” PODERÁ SER LEVADO AOS LOCAIS DE DESMATAMENTO PARA SE “CERTIFICAR” DE QUE AS OPERATRIZES ESTÃO DEVIDAMENTE “CHIPADAS”, CONSTATAR IRREGULARIDADES E VIOLAÇÕES NO SISTEMA DE CONTROLE, RASTREIO E BLOQUEIO, AGORA NUMA “CERTEZA” MAIOR FRENTE ÀS PROBABILIDADES DE FRAUDES.

TODAS AS OPERATRIZES QUE ESTIVEREM NOS LOCAIS, AUTORIZADOS OU NÃO, SEM SEU AGREGADO TECNOLÓGICO, PODERÃO SER APREENDIDAS E SEUS PORTADORES IMEDIATAMENTE PRESOS, E COM PRISÃO DE ACORDO COM A LEI AMBIENTAL E A LEI ESPECÍFICA, QUE FOI DECRETADA PARA A ADOÇÃO DOS “AGREGADOS TECNOLÓGICOS” NESSAS OPERATRIZES, DE COLHEITA FLORESTAL OU DESMATAMENTOS AUTORIZADOS OU CRIMINAIS.

A MAIOR PRECARIEDADE DOS ATUAIS RECURSOS DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO, FEITA PELO INPE, É A “IMPRECISÃO” POR SE BASEAR EM “VISUALIZAÇÃO ÓTICA”, QUE É AFETADA PELO CONTEÚDO E A EXTENSÃO DE NUVENS SOBRE AS ÁREAS CONTROLADAS.

TODOS OS ALERTAS SOBRE O DESMATAMENTO COMO HOJE SÃO PRONUNCIADOS, NÃO CRIAM A CONDIÇÃO DE URGÊNCIA E REPRESSÃO AO CRIME DO DESMATAMENTO. AS POLÍCIAS NÃO CHEGAM AOS LOCAIS NA DEVIDA “VELOCIDADE” PARA REPRIMIR O CRIME.

MAS, COM O SISTEMA DE LINK, OCORRIDO PELOS DISPOSITIVOS DE RASTREIO E BLOQUEIO – CHIPS, MICROPROCESSADORES E SENSORES – SERÃO ACUSADOS OS PROPRIETÁRIOS, OPERADORES E “INTERDITADAS” AS OPERATRIZES, NO MOMENTO DO DELITO AMBIENTAL.

ASSIM, COMO SE TEM O CONTROLE DE ARMAS, COM NUMERAÇÃO E PORTE LICENCIADOS, AS OPERATRIZES DE DESMATAMENTOS POSSUEM, TAMBÉM, MAS SÃO UTILIZADAS LONGE DAS “FRONTEIRAS CIVILIZATÓRIAS”, DE ACESSO DIFÍCIL, POR CRIMINOSOS E MERCANTES DA MADEIRA, NÃO HAVENDO EFETIVO POLICIAL E FISCALIZADOR SUFICIENTES E NEM POSSIBILIDADES DE LOCOMOÇÕES ORDENADAS, E COORDENADAS, COM VIATURAS, AERONAVES E VEÍCULOS “OFF-ROAD”, PARA A REPRESSÃO AO DESMATAMENTO.

O SISTEMA DE LINK, OCORRIDO PELOS DISPOSITIVOS DE RASTREIO E BLOQUEIO – CHIPS, MICROPROCESSADORES E SENSORES – NAS OPERATRIZES, IRÁ PERMITIR UMA MAIOR PRECISÃO DE CONTROLE E DE INDICAÇÃO DE RESPONSÁVEIS, LOCALIDADES E VOLUMES REAIS DEVASTADOS. IMPEDIRÁ QUE VAGABUNDOS E MALANDROS, COMO GOVERNADORES E POLÍTICOS DOS ESTADOS, DO DESMATAMENTO CRÔNICO, CONTINUEM A COMPROMETER AS INFELIZES GERAÇÕES DAS FAMÍLIAS DELE BEM COMO DAS FAMÍLIAS DOS CIDADÃOS DOS QUAIS ELE ROUBA O FUTURO SUSTENTÁVEL.

O SISTEMA PROPOSTO VISARÁ “MINIMIZAR” O DESMATAMENTO ATÉ A META FINAL DE “DESMATAMENTO ZERO E DO REFLORESTAMENTO CEM”. E SUA TECNOLOGIA JÁ É UMA REALIDADE ...

COMO TODO HOMEM DE BEM DEVE PLANTAR UMA ÁRVORE (AGORA PELOS MENOS UMAS MIL), ESCREVER UM LIVRO (AGORA PELO MENOS LER UNS 10 LIVROS SOBRE MEIO AMBIENTE) E TER FILHOS (AGORA NO MÁXIMO UM, POR CAUSA DA INSUSTENTABILIDADE QUE SURGE NA NATUREZA), ESSE HOMEM DE BEM DEVE PASSAR A SER CO-GESTOR DE TUDO QUE SE REFERIR AO MEIO AMBIENTE.

HOJE NA URGÊNCIA DAS CALAMIDADES, DA PERDA DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E NO COLAPSO DA CAPACIDADE REGENERATIVA, DE VÁRIOS CICLOS NATURAIS, AS FLORESTAS DEVEM SER PRESERVADAS E MANTIDAS A TODO “CUSTO DE PREVENÇÃO”.

E BAIXANDO OS CUSTOS DE CORREÇÃO DE EVENTOS NOCIVOS E DE ATENUAÇÃO DE CATÁSTROFES, OS QUAIS FRAGILIZAM A SOBREVIVÊNCIA HUMANA, POR LONGAS DÉCADAS, À CUSTA DE INFINITAS PERDAS E PREJUÍZOS – HUMANOS, ANIMAIS, VEGETAIS, HÍDRICOS, MINERAIS, PATRIMONIAIS E ECO-BIO-GEO-DIVERSOS. APLICANDO-SE US$ 1,00 NA PREVENÇÃO, VAMOS POUPAR DE US$ 8,00 A US$ 40,00 COM CORREÇÕES.

ENGº LEWTON BURITY VERRI

CREA 74-1-01852-8 UFF – RJ

COPYRIGHT © 2010 - ENGº LEWTON BURITY VERRI

PROPOSITOR DO BLOQUEIO DE MOTOSSERRAS E EQUIPAMENTOS COMPLEMENTARES POR CHIPS DEDICADOS

 




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!