As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 09-09-2011. Acessado 786 vezes.
Título da Postagem:As UPP’s de Cabral sempre foram medidas paliativas
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 09-09-2011 @ 10:20 am
[ Avise alguém sobre este texto ]

As UPP’s de Cabral sempre foram medidas paliativas

Tags: Upp, unidade, policial, pacificadora, Cabral, lula, demagogia, segurança, pública, administração, conceito, violência, criminalidade, paz, pacificação, criminosos, traficantes, ong’s, morros, cariocas, rio de janeiro, socialização, comunidades, bairros, associações, milícias, petismo, inflação, copa 2014, olimpíadas 2016, Brasil, brasileira, corrupção, policial, bo, boletim, ocorrência, serviços, prisionais, depoimentos, jovens, juventude, trabalhadores, repressão  
 
Mas, os crimes prosseguem - Uma luz no morro nos aponta muitos crimes.

Fomos procurados em 2009 para redigir um relato sobre a crença de que as UPP’s – Unidades de Polícia Pacificadora, no Rio de Janeiro, estavam sendo tidas como “a solução definitiva” do governo sobre a criminalidade nos morros cariocas.
 
Mas, quem a polícia irá “pacificar”? Então, alguns jovens nos procuraram para fazerem um breve relato, e ser colocado na Internet, por alguém que possa redigir um texto, pelo menos de médio padrão na norma culta ...
 
A questão é que mesmo com as UPP’s a vida continua a mesma, para quase todos os moradores do morro. Além do que os traficantes e criminosos amenizaram suas atividades, e muitos só migraram para cidades adjacentes ou bairros menos policiados. São vistos com frequência nos morros, e que aproveitam para manter seus afetos com os amigos e parentelas, mas que se servem para “vigiar as UPP e tomar informações” sobre desguarnecimento e invigilância policial ...
 
Quase todos os meliantes têm parentelas e amizades de infância nos locais das UPP’s, e fica difícil um distensionamento, quando as raízes dos criminosos estão onde as UPP’s estão. Existem muitas tensões residuais.
 
Daí a “eterna vigilância” que os “pacificadores” têm que se submeter nas comunidades.
 
Antes, os jovens ficaram desconfiados na “nova” ação do Estado, com base na “repressão civilizada” ao crime e ao tráfico, e aguardaram mais algum tempo para fazerem críticas ao modelo. Afinal de contas foi a primeira vez que o Estado se atreveu a “subir o morro”.
 
E a pacificação? De qual pacificação se fala? A comunidade é pacífica, no sentido social de mães, filhos, trabalhadores, escolas, micro-empreendedores e de outras células sociais, tais como: igrejas evangélicas, associações, Ong’s (que não pertençam ao sistema político) e de outras modalidades de filantropia.
 
Porém ninguém vai “pacificar” criminosos, predadores e traficantes, os quais são subprodutos dos efeitos colaterais dos desvios de condutas, da ausência de assistência efetiva em educação, saúde, infraestrutura e saneamento.
 
A “pacificação do crime” não existe ... O crime vem sob a ação de muitos fatores, não providenciados pelos interventores, através das UPP’s. E há muita propaganda sobre a atuação das UPP’s, para dar cartaz ao governador e a outras autoridades públicas e policiais ... Se fosse possível “pacificar” criminosos e traficantes os egressos das atividades prisionais estariam “socializados e pacificados” – o que só seria possível com a volta da “lobotomia” em criminosos contumazes ...  
 
Então, um dos jovens fez seu lamento: - Estou no ponto psicológico de colocar minha vida a perder. Sou homem, mas já choro todo dia. Lá em casa de 8 somos 7 inúteis. Meu avô sustenta todo mundo. Meu avô é um otário aposentado, que acredita nas 3 refeições diárias que Lula prometeu para ganhar nossos votos. Ele está tentando, mas já disse que não sabe como.

Outro dia apareceu um grupo com pranchetas fazendo perguntas sobre o governo. Sinceramente todas não são “respondíveis”, principalmente aquela sobre: o que você acha do governo Lula? Ninguém acha nada. Uns acham que não fede nem cheira. Outros, que sem boa escolaridade, acreditam que pode ser bom, e não conseguem fazer uma carrocinha de pipocas progredir. O que dizer disso, uma alienação cultural sem comparação. Lula é até pior do que eles e cuida de uma grande carrocinha de pipocas – o Brasil.

Há raros empregos de R$ 545,00 (o novo salário mínimo), todos sem carteira assinada e humilhantes, meu cérebro não agüenta. Meus amigos são uns estúpidos que idolatram os marginais do morro e não sabem nem falar: - Aí meu... É aí meu.. Vamo nessa ....
 
Sobre os meus irmãos mais novos acho que se auto-recrutaram nessas quadrilhas que violentam o Rio de Janeiro. É duro viver mais de 15 anos numa vida assim. É melhor morrer cedo.... E tome bala e tome assalto e tome ferro de policial.

É muita maldade em contrapartida a muita corrupção e incompetência. O diretor da Tropa de Elite, nos mostrou como realmente é a polícia ...
 
Já falaram até em barbáries, aquelas da idade média. Esses políticos continuam sendo o que sempre foram. Não há um mecanismo legal para incutir neles um aprendizado por sofrimento contínuo.
 
Meu tio dizia que político, para assumir cargos, deveria ficar uma semana sem comer e ficar vários dias sentado, nas portas dos hospitais, para ganhar seus diplomas vazios. E a sociedade pagando apenas R$ 545,00 de salário mínimo, para eles, como nos ganhamos quando temos empregos humilhantes e precários. Afinal para ser político, no futuro de agora, o cara terá que ser abnegado e altruísta.  

Sinceramente por que certos bandidos não arrastam os filhos e netos deles presos em cintos de segurança dos carros que usam em seus crimes? Isso não dói neles, quando são nossos parentes que são supliciados assim. É a velha empatia.

A idade média vai recomeçar, chegará o dia em que eles serão perseguidos, não terão paz, nem saúde. Seus parentes e familiares serão eliminados, objetivamente, como eles eliminam nossos parentes e familiares com sua corrupção desenfreada.

Movimentos pró-extermínio de políticos e gestores públicos, irão se incendiar.
 
Será uma ação simétrica já que eles nos exterminam sob a luz, o corpo e o saber da lei. É os 3 poderes estão casados e satisfeitos com  papel que mostram representar à sociedade. Ninguém quer ter a honra de salvar ou corrigir nada.

A indignação se torna irracional, os açoitarão, queimarão seus corpos e pendurarão em postes, na praça pública, como se fazia na idade média. Depredarão suas residências, seus bens e seus automóveis.

Maldição ao sistema político nacional - é como túmulos caiados, como disse Jesus: bonitos por fora, mas podres por dentro. Ou como a árvore que dá maus frutos - deve ser "cortada fora".

Como é duro viver numa terra sem lei, tal qual o Brasil. Nos assustamos pelo modo de como já se banalizou a corrupção, a ladroagem pública de quadrilheiros e crápulas a título dos poderes e domínio dos poderes públicos.

Nenhuma instituição da lei age para o bem público, ou por covardia, ou por “lavo minhas mãos” ou “esse anarquismo é bom para nós”, ou sabe-se lá o que. O povo paga para não ter justiça. Esses juízes ganham mais de R$ 20 mil por mês?

Os empresários e os empregadores são quem carregam, executiva e economicamente, esse país - 40% do PIB, e não estão tolerando em carregar o séqüito Petista (com ou sem Lula), mais caro do que o de muitos impérios do primeiro mundo, com néscios e espertalhões a vilipendiar a riqueza nacional e a maltratarem a sociedade com lesões demoníacas.

Nisso alguns trabalhadores e empregados reconhecem que a “mão que lhes dá o bife” não está no planalto e sim aqui próximo, na escala de ajudar o próximo.
 
E eles vêm seus patrões sofrendo para lhes manter sustentáveis. Se o empresário e o empregador não crescem eles, também, não crescerão, faça o governo o que fizer, mesmo com o PAC empacado, que quase 60% deles não sabem  nem o que é. Muitos dizem que o Petismo (com ou sem Lula) não mudou a sua vida, mas sim o patrão deles. E os que não mudaram de vida não têm patrões, nem R$ 112 de bolsa família.

As aglomerações sociais ficam cheias de vovôs, alguns que mal se colocam em pé, juram que com a 5ª série deles fariam melhor que o Lula fez, pois concluíram que o princípio moral deles é superior e não têm amigos comunistas, guerrilheiros e ladrões. Eu até acho que o tal princípio moral vem falhando há 25 anos. No fundo creio que só ele (o princípio moral) seria suficiente para um presidente da república.

Meu avô não sabe se expressar, mas diz que certo santo padrinho lá do nordeste, faz milagres sim, mas com "notas promissórias" para os políticos que deveriam dar melhores condições de vida aos rezadores nos oratórios. Fala-se em abismos onde haverá choro e ranger de dentes. E eu retruco ao vovô, mas isso já acontece aqui.

Queriam fazer um cálculo de desconto de um artigo pirateado. Juro que só compraremos produtos pirateados: desempregados nós já estamos, mesmo que se recolhessem impostos seriam corrompidos, os sacoleiros são como nós, sem pátria, dignidade e cidadania, jamais teríamos um DVD portátil. Nem saúde pública decente existe – não é só fazer um postinho de saúde fuleiro, feito aos milhões de reais, pouco melhor do que minha casa! Os produtos piratas nos trazem entretenimentos e aliviam nossa tensão social no morro. Mas, nem calcular 15 por cento se sabia com facilidade. Acho que uns 5 caras tatearam a calculadora "chinesa".

Acho que nem Lula calcularia dentro do roteiro da escola. Lula era um pobre coitado, hoje ele é um rico espertalhão, ganhando tempo com promessas para desfrutar das maravilhas do poder.

Vocês ainda verão o “1 Dia Depois” da saída dos Petistas (com ou sem Lula) e seus “cumpanheiros” das instituições onde estão: arquivos queimados, hard disks – HD’s inutilizados, computadores sumidos, dossiês pró "sobrevivência", quarentenas bem remuneradas, segredos trocados (no sentido que se quiser entender), movimentações financeiras suspeitas e as maiores desgraças morais serão encontradas nos arquivos da revolução. E com quase 40 ministérios a tudo isso multiplicado vai ser um rombo incalculável do erário público, com ou sem calculadoras "chinesas".
 
Agora nosso “trocadinho” evapora no grande feito dos Petistas (com ou sem Lula), com a volta da INFLAÇÃO ...
 
Cabral e seus indicados administradores não vão resolver o problema de violência no Rio de Janeiro, só pelo jeito como estão enfrentando a criminalidade com as UPP’s. Tem delegacia que faz “cera” para não serem feitos BO’s – Boletins de Ocorrência. E, quem do serviço público, der dica para as reportagens sobre violência e crimes, estará “condenado”.
 
Vem ai a Copa de 2014, e as Olimpíadas de 2016, se vier mesmo, e elas poderão ser a “fartura” da criminalidade carioca. E ninguém vai conseguir “pacificar” criminosos e traficantes. Há um grave erro conceitual na aplicação do modelo das UPP’s ...
 
E a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, se vierem mesmo, elas poderão ser a “fartura” da política das quadrilhas do governo, não muito diferentes das milícias dos morros. Elas têm grandes afinidades entre si ...  

O autor como relator social, voluntário e cuidador.
 
Engº Lewton Burity Verri
Diretor Científico do IEAQ
Escritor e professor
CREA 74-1-01852-8 UFF - RJ
Copyright © 2009 – Original – © 2011 – Revisado - Engº Lewton Burity Verri



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!