As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 02-11-2011. Acessado 1119 vezes.
Título da Postagem:Por que os políticos têm câncer, vai faltar saúde para o Lula
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 02-11-2011 @ 11:47 am
[ Avise alguém sobre este texto ]

Por que os políticos têm câncer: vai faltar saúde para o Lula?

Tags: doenças, profissionais, câncer, Lula, garganta, calcanhar, Aquiles, grupos, propensão, males, característicos, políticos, chances, império, garganteador, lulismo, petismo, petista, PT, Greco, troiano, tróia, Grécia, abominações, administrativas, administração, guerreiro, luta, política, ideologia
 
E agora Lula está canceroso, e como já se diagnosticou foi muita cachaça e fumo de cigarrilha. Mas, existe outra teoria médica da somatização dos desvios de conduta, os quais geram conflitos morais internos. Ou foi uma conjunção entre cachaça, cigarrilha, falação e conflitos morais?
 
Os conflitos morais gerados entre o bem e o mal, ou entre o bom e o mau, provocam “ciclagens” mentais de cargas elétricas no jogo, do seu próprio julgamento, que leva o meliante aos processos de autocrítica interna, sub-reptícia e até inconsciente, como se houvesse um marco moral a ser seguido e que o sujeito o despreza.
 
E tal desprezo termina por acometer uma luta interna, que lhe cobra sobre sua conduta e o julga severamente, deixando o sujeito com a necessidade permanente de convencer a si mesmo de que nada fez de errado. E neste sufoco há um desgaste fibro-neural-eletroquímico que com uma acumulação de cargas energéticas negativas, posto que o meliante prossegue contumaz, em suas ações incorretas, leva-o a sofre males em seu “calcanhar de Aquiles”.
 
O “calcanhar de Aquiles” do Lula é a sua garganta e Lula é o próprio “calcanhar de Aquiles” do Lulismo / Petismo, nos criando um novo paradigma de ponto fraco. E saindo das versões de pontos fracos Greco-troianos, do guerreiro Aquiles na Batalha de Tróia, temos hoje a nova expressão: - Temos que descobrir a “garganta do Lula” do nosso inimigo. Isto é o ponto fraco do adversário ...
 
Aquiles foi abatido em plena luta com uma flechada em seu calcanhar, o que lhe invalidou para prosseguir sua luta e que o levou a ser finalmente abatido.  
 
Um guerreiro precisa de apoio estrutural para as mobilidades, torções e contorções nas lutas, no campo de batalha, e o seu calcanhar é um grandioso ponto de apoio. Assim, o ponto de apoio, das batalhas políticas, é a oratória discursiva do político. Então, seu ponto de apoio é a sua garganta.
 
No caso de Lula este ponto de apoio – garganta - é o ponto de apoio do Lulismo / Petismo ... E será que este império das abominações irá cair sem a ação do seu guerreiro “garganteador”?
 
E será que a “flechada de câncer” na garganta de Lula irá mesmo lhe impossibilitar politicamente? Ou vão colocar um dispositivo semelhante nele, que faz o cientista inglês Stephen Hawking a falar eletronicamente? Ou Lula vai padecer até seu fim?
 
Nos anos 1990, salvo engano, foi publicado num jornal brasileiro, um estudo sobre a vida e a saúde de políticos, nos EUA. Num grupo estudado de 500 políticos, e ex-políticos, o centro de pesquisas programou uma série de acompanhamentos médicos e psicológicos, em comparação a outro grupo de 500 pessoas "não-políticos". Esse como o chamado grupo de controle.

Não me lembro dos valores estatísticos dos resultados, mas lembro das relações entre profissões e doenças.
 
Os políticos tinham propensão a mais doenças, consumiam mais remédios, ficavam mais deprimidos, tinham maiores acessos de fúria, sofriam de uma psicose de perseguição, tinham tic's nervosos e suores a toda hora, alguns se queixavam de problemas mentais, sobre "consciência pesada" - conflitos internos entre o certo e o errado - possuíam um modo de conduta pouco normal, no contexto da ética - detectado através de jogos e perguntas - eram mais violentos sob pressão, recorrendo à famosa chave do "argumento de autoridade", tinham mais animosidades e os desafetos eram de extremo ódio, mostravam suportar mais as adversidades políticas, para sobreviverem, na "maré boa", sofriam de "puxassaquismo" com os superiores e tirania com os inferiores.

Dentre vários outros itens sobre doenças, eram mais propensos a ataques cardíacos, doenças no fígado e no pulmão, além de graves crises renais. E, o pior, tinham mais de 2 vezes a chance de desenvolverem câncer, do que o padrão estatístico encontrado numa população de "normais-mortais".

Após 10 anos de pesquisas a mortalidade dos políticos era bem maior do que a do grupo de controle. Isso em políticos americanos. Tinham mais envolvimentos com assassinatos e crimes. E eram vítimas de vinganças. Ou através da justiça americana, ou através de matadores contratados. Dependendo dos graus de maldades que se praticaram no exercício de cargos políticos.

Edward Kennedy com seu câncer no cérebro foi um caso clássico, que veio a público, em face da história do seu clã. Mas, muito hoje fica abafado, pelos serviços de segurança institucional das organizações políticas americanas.

Sem sombra de dúvida, que o tratamento de quimioterapia / radioterapia de Lula vai afetar o seu SNC - Sistema Nervoso Central, e assim induzindo uma "somatização" mais cruel ao seu organismo. Será que vai lhe faltar saúde?
 
Engº Lewton Burity Verri
CREA 74-1-01852-8 UFF – RJ
Copyright © 2011 - Engº Lewton Burity Verri
Contribuinte esgotado, querendo o fim do Lulismo ...



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!