As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 16-11-2011. Acessado 859 vezes.
Título da Postagem:Ética no Trabalho, o profissional padrão que o Brasil precisará
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 16-11-2011 @ 05:32 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

Ética no Trabalho: o profissional padrão que o Brasil precisará ...

Tags: Ética, trabalho, profissional, padrão, comportamento, hábitos, conduta, dedicação, educação, básica, programa, 5S, Japão, japonês, os 10 D’s, administração, recursos, humanos, engenharia, industrial, empregabilidade, disciplina, autodisciplina, carreira, promoções, emprego, atitudes, treinamento, asseio, higiene, moral, deontologia, obrigações, deveres, tratado, instruções, negligência, irresponsabilidades, responsabilidades, empresariais, empresa, seleção, recrutamento, organização, normas, regulamento, obediência, acatamento, cumprimento, ambientes, excelência, multicultural, convergência, conhecimentos, modos, disfunções, perniciosas, onerosas, prejuízos, erro, omissão, falha, ato falho   
 
Apresento aos meus amigos, colegas e aos jovens profissionais do Brasil, parte da minha experiência social-profissional, como engenheiro industrial, por 35 anos, na tentativa de sensibilizá-los para uma vida de trabalho se não feliz, pelo menos sem criar inimigos e inimizades ... E tendo um emprego / trabalho pelo tempo que a gente quiser.
 
Como conviver numa empresa multicultural, sem desgastes por condutas vexatórias e repreensões inusitadas, por atos negligentes, ofensivos e decorrentes de uma precária educação de base? Como ser um profissional bem conceituado e bem relacionado na empresa? Como aumentar a minha “empregabilidade”? Como criar meu ambiente profissional sem conflitos e sem “inimigos”? 
 
Estima-se que 90% das demissões nas empresas, fora das condições críticas de crise e reestruturação, são efetivadas por COMPORTAMENTO INADEQUADO.
 
Tecnicamente, sob conhecimentos e capacitação, às demissões se restringem à falta de APLICAÇÃO PROFISSIONAL.
 
Por COMPORTAMENTO INADEQUADO entende-se: o fofoqueiro, o mentiroso, o dissimulado, o sabotador, o criador de casos banais, o assediador, o preguiçoso, o relapso, o causador de intrigas, o maldoso, o egoísta .... Etc.
 
Por falta de APLICAÇÃO PROFISSIONAL entende-se: o negligente, o desorganizado, o ignorante, o protelador, o não cooperante, o omisso, o desatento .... Etc.
 
Apesar dos atuais e rigorosos critérios de seleção e recrutamento das empresas, conseguirem extrair o supra-sumo da qualificação adequada às suas operações, em frações pequenas de 5% a 10% dos contingentes de candidatos, quase 100% deles são demitidos algum tempo depois ou em longo prazo, por problemas comportamentais, cujos sinais presentes nos candidatos recrutados não foram previamente identificados. 
 
Uma empresa é a convergência da multicultura de uma localidade, de uma região, de um país ou de uma corporação empresarial nacional ou internacional. E se torna o SOMATÓRIO de funções e disfunções pessoais e coletivas das personalidades aglomeradas em torno de objetivos comuns de trabalho e vida. 
 
Uma empresa é a convergência do conhecimento e da cooperação. É a convergência da multicultura e das personalidades, tanto na velha e antiga rede da realidade diuturna, quanto da rede virtual das 24 horas, da simultaneidade, da exposição de intimidades, demonstração de gostos, crenças e valores, sem parcimônias, na velocidade dos bytes, dos pixels e dos sons.       
 
O clima na empresa deve ser de cordialidade, harmonia e integração – estamos na época dos sistemas autônomos e das equipes autodirigidas (em células ou clusters) – relacionamentos interpessoais massivos, na época das redes sociais, empresariais, da exposição sistemática de nosso comportamento.
 
Estamos numa época de grandes conflitos morais, crises institucionais, da degeneração comportamental generalizada, da corrupção de princípios, da subversão de valores ... E na época da Crise da Ética!
 
Este tópico sobre ética deve fazer parte dos Programas 5S, no segmento da AUTO-DISCIPLINA, como praticado no Japão, que não vemos, e nem vimos, nestes últimos 20 anos florescerem nas instituições de Recursos Humanos das empresas brasileiras – são poucas as iniciativas relevantes.
 
Tem empresa brasileira que seu conjunto corporativo opera simplesmente à margem dos mínimos princípios éticos de competitividade, cooperação e participação política nos resultados de produção e economia do país. Talvez nestas, a Ética no Trabalho não irá ter apoio sério e nem irá ter os profissionais-padrão que o Brasil precisará ...
 
Vão aqui algumas instruções sobre a adoção simples da ética mínima, como uma obviedade que nos impressiona, pelo simplismo recusado por administradores de pessoas, e organizações, “desligados” da sobrevivência humana, no trabalho individual e coletivo.  
 
Ressalto de antemão que as instruções listadas a seguir foram contribuições de dezenas de engenheiros e técnicos industriais, da vivência pessoal e coletiva deles, e de outros profissionais especializados em Comportamentos e Atitudes no Trabalho.
 
(A)    Atitudes Éticas no Local de Trabalho:
 
a.1- Seja honesto: o óbvio ululante, de pouca prática em muitas empresas;
a.2- Cumpra sempre com suas palavras, não prometa em vão, uma promessa “constrói” expectativas;
a.3- Só prometa o possível, segundo o raciocínio de custos e benefícios e as restrições presentes;
a.4- Não cobice o lugar dos outros, mesmo que se ache o tal, o critério das promoções é o caminho certo;
a.5- Seja humilde, tolerante e flexível, mas não seja subserviente e medroso;
a.6- Evite criticar os colegas, as paredes têm ouvidos e a crítica pode ser injusta;
a.7- Seja sempre pontual em tudo, como um britânico;
a.8- Respeite a privacidade alheia, não seja bisbilhoteiro e nem abelhudo;
a.9- Ofereça ajuda aos colegas nos “apertos”, para carregar pianos são preciso pelo menos 3 pessoas, o aperto pode ser um “piano”;
a.10- Não aceite “agrados” de clientes ou fornecedores, é visto como suborno ou facilitações recíprocas;
a.11- Seja convicto em suas propostas mesmo que contra a maioria, lembre-se que pode existir a unanimidade burra e deixar quebrar a empresa.
 
(B)   Atitudes Éticas ao Telefone:
 
b.1- Atenda aos primeiros toques, agilidade e atenção, alguém quer comunicar algo sério;
b.2- Seja cordial e retorne os recados. E deixe recados claros, se não entendeu peça para que seja repetido;
b.3- Avise aos colegas que “fulano” ligou, pode ser uma emergência, um novo negócio ou uma comunicação importante;
b.4- Trate todos por “senhor” ou “senhora”, nada de “meu”, “mano”, “cara”, “meu bem” e etc;
b.5- Não se demore nas ligações, que são empresariais;
b.6- Fale somente assuntos de serviço ou trabalho, nada de dispersões locutivas e coisinhas sociais irrelevantes;
b.7- Não discuta com ninguém e nem fale alto, você pode estar falando com o chefe geral e nem sabe ainda, antes de perguntar, com quem está falando;
b.8- Não deixe a pessoa esperando na linha, cria irritação e má impressão;
b.9- Se cair a linha quem ligou – ligará, mas fique atento, para a religação, ou comente com quem a ligação se destinava.
 
(C)   Atitudes Éticas na Internet e ao E-mail:
 
c.1- Não “navegue” em horário de trabalho, para assuntos particulares, mesmo que a sua supervisão esteja num congresso;
c.2- Planeje suas pesquisas para “navegar” mais racionalmente, anote num bloco ou agenda os itens a serem pesquisados, priorizados de antemão;
c.3- Não fique “navegando” por muito tempo, acate o regime de seu trabalho e a descrição ocupacional que deve ser cumprida no horário de serviço;
c.4- Responda a todos os e-mails o mais breve que puder, um e-mail não respondido pode ser uma pendência que liberaria uma tomada de decisão importante;
c.5- Não use palavras chulas, de baixa cultura ou íntimas. Seja cordial, com palavras de bom porte cultural, gera boa impressão;
c.6- Escreva em Português correto e claro, na norma culta correta da língua;
c.7- Organize seus arquivos e pastas, agrupando por temáticas mais freqüentes e arquivando e-mails por afinidade às temáticas. Crie temáticas novas, quando necessário.
 
(D)   Atitudes éticas com o seu Chefe:
 
d.1- Saiba como trabalhar com o seu chefe – sem ser “puxa-saco”, trabalhe com maturidade profissional e não abuse do tempo e da paciência dele;
d.2- Conheça o passado e o currículo dele, ele pode ter sido um dos salvadores da empresa no passado, ou um criativo e talentoso profissional que você desconhece;
d.3- Seja cordato e cordial com ele;
d.4- Não discuta, mas seja firme em suas convicções, com argumentos sólidos;
d.5- Respeite a hierarquia – não atropele a ordem e a disposição das autoridades, fale sempre os problemas ao chefe imediato;
d.6- Cuidado com os “assédios”, mostre dignidade e seriedade ;
d.7- Procure saber o que se espera de você na função, peça orientações e sugestões;
d.8- Quais são as metas e os métodos? Se as avaliações são baseadas em cumprimento de metas procure saber quais os métodos ideais para alcançá-las;
d.9- Leia as normas, as instruções e as regras expedidas. E obedeça-as.
 
(E)    Atitudes Éticas em suas Reuniões:
 
e.1- Não se atrase nunca, é a velha questão da pontualidade britânica;
e.2- Saiba da agenda de antemão, não tire uma de besta perguntando o assunto da mesma;
e.3- Estude o assunto antes de ir, seja técnico e objetivo, não seja palpiteiro e nem pitaqueiro;
e.4- Sente num lugar de acordo com sua função – a cabeceira é do chefe, os demais lugares são dos veteranos com mais convivência com ele, então veja qual cadeira vai sobrar;
e.5- Não comente coisas fora do tema da reunião, provoca desvios de atenção e burburinhos irritantes ao líder da reunião;
e.6- Discorde de argumentos “fracos”, com dados, fatos e gráficos, mostre seu conhecimento potencial sem arrogância;
e.7- Participe da reunião emitindo suas opiniões, sempre pense bem para não dizer besteiras;
e.8- Leve relatórios, informações e gráficos, leve seu notebook, links importantes, documentos, artigos e textos relevantes e saiba manuseá-los;
e.9- Preste atenção quando estiverem falando, você tem dois ouvidos e uma boca, e fique atento para safar-se de perguntas-teste, sobre sua atenção e compreensão;
e.10- Peça licença para sair e justifique-a, e que seja muito relevante, só saia se não puder pedir um prazo para cuidar de um imprevisto ou emergência circunstancial.
 
(F)    Atitudes Éticas enfrentando as Conspirações:
 
f.1- Afaste-se dos “maledicentes”, da turma de sabotadores de reputações ou criadores de falsas competências, que não duram muito tempo;
f.2- Evite “profecias” corporativas – Quem vai cair? A empresa vai “fechar”, o CEO está com doença séria, Warren Buffet vai comprar a empresa, a consultoria descobriu um rombo, o chefe financeiro cometeu uma fraude ... Etc;
f.3- Respeite a confidencialidade dos assuntos que lhe foram confiados, pergunte o sigilo do tema se não puder compreender sua condição sigilosa;
f.4- Nas mudanças corporativas colabore sem ser “muito crítico”, seja mais técnico e menos político, responda com objetividade sem passeios ideológicos ou vilipêndios pessoais.
 
(G)   Atitude Ética se você se interessou por Alguém?
 
g.1- Conheça a política da empresa para isso – namoro interno “será” proibido?
g.2- Lembre-se “não cobiçar a mulher do próximo”;
g.3- Seja discreto; evite sinais, apelidos, bilhetinhos, sem “patrulha” e ... Etc.
 
(H)   Atitudes Éticas no Social:
 
h.1- Vá às festas patrocinadas pela empresa – com alegria cordial, procure sair no maior número possível de fotos, faça seus álbuns com mais colegas que puder e beba com prudência;
h.2- Saiba da política para levar a família ao seu local de trabalho e as festas, cuide dos seus filhos e parentes e observe a educação e a segurança deles;
h.3- Mostre fotos de sua família aos colegas e ao chefe, deixe algumas em sua mesa, em porta retratos discretos;
h.4- Deixe os problemas, de casa, em casa, e os tente resolver em casa;
h.5- Seja freqüentador do grêmio, do clube ou da associação de funcionários, tenha um esporte ou hobby favorito para praticá-lo lá;
h.6- Participe dos serviços voluntários dentro e fora da empresa, mas não seja um hipócrita social, seja socialmente útil e samaritano cooperante;
h.7- Só indique amigos para a empresa se forem realmente “bons”, se não ambos podem ir para a rua. Indicações mal feitas mostram falta de discernimento e de noção com a seriedade da empresa;
h.8- Evite o nepotismo, não vá contratar seus parentes, e nem favorecer as empresas e as prestadoras de serviços deles.
 
(I)      Atitudes Éticas no Refeitório:
 
i.1- Faça a higiene das mãos, antes da refeições;
i.2- Respeite as filas e as placas indicativas;
i.3- Não “encha” o prato exageradamente, pode mostrar gulodice e falta de senso alimentar;
i.4- Coma tudo que puser no prato, o desperdício é um crime moralmente “inafiançável”, ainda mais num mundo onde mais da metade da humanidade tem restrições alimentares;
i.5- Fique à vontade para escolher seu lugar, sente não só próximo aos colegas conhecidos, sente onde tem alguns desconhecidos, também – sua rede social aumenta;
i.6- Se tiver “convidado” sirva-o 1º, de modo educado e cortês;
i.7- Respeite o intervalo das refeições – demore o necessário para a sua alimentação, mas não descumpra o horário delas;
i.8- Use os talheres adequadamente, saiba usar o garfo, a faca e a colher, sem barulheira e/ou empunhadura incorreta;
i.9- Siga as instruções para o “descarte” dos resíduos, papéis e copos, “limpeza” de pratos e bandejas;
i.10- Agradeça ao pessoal do refeitório, afinal todos gostam do sentimento participativo, cada qual com seu trabalho e talento.
 
(J)    Atitudes Éticas em sua Aparência:
 
j.1- Tenha um bom asseio e higiene pessoal, tome pelo menos um banho por dia;
j.2- Use roupas e uniformes limpos, não precisam ser de “grife”;
j.3- Preste atenção no seu hálito, um mau hálito é prejudicial às reuniões e conversas e cria a imagem do “bafo de onça”;
j.4- Os cabelos devem estar bem aparados e limpos – mesmo no estilo moderno;
j.5- Minimize os odores do seu corpo, use desodorante, loção após banho ou outros recursos que combatam os odores corporais, não seja o funcionário “gambá do mês”;
j.6- Se deixar a barba, e bigode, apare-os;
j.7- Não fique com barba por fazer, denota desleixo consigo mesmo;
j.8- Corte as unhas e as mantenha limpas;
j.9- Capriche no visual, mas não precisa de ter um Estilista Pessoal;
j.10- Se tiver de uniforme respeite-o dentro e fora da empresa – é a imagem e o logotipo dela;
j.11- Seja cívico e cidadão, conheça seus deveres e direitos na empresa e fora dela.
 
(K)   Atitudes Éticas com seus Apetrechos individuais:
 
k.1- “Adote” uma pasta para não levar objetos nas mãos – livros e blocos, não use mochilas, nem sacolas ou similares;
k.2- Tenha sempre uma boa calculadora, como regra nunca faça cálculos de cabeça, para se exibir, muita gente já perdeu emprego por cálculos errados de modo tolo;
k.3- No bolso superior, pelo menos, tenha uma boa caneta e uma lapiseira para anotações parciais de cálculos, suas explicações esquemáticas e seus croquis;
k.4- Tenha uma “agenda de atividades”, pode ser no seu celular ou em seu notebook, e programe sua rotina, registre suas observações e até anomalias que vier a constatar. Informe as anomalias imediatamente a quem for pertinente.
 
(L)    Atitudes Éticas com a Segurança:
 
l.1- Estude as normas de segurança e proteção individual e coletiva, freqüente a CIPA e fique atento às reuniões de início e fim de turno ou de dia operacional;
l.2- Use corretamente os equipamentos de proteção individual – EPI’s e exija o uso correto dos equipamentos de proteção coletiva – EPC’s;
l.3- Não cometa atos inseguros, não se arrisque – lembre-se da sua família, e procure identificar e ajudar a corrigir as condições inseguras das instalações, pisos e passagens;
l.4- Cuide de si e dos seus colegas, com o senso raciocinado de segurança.
 
(M)    Atitudes Éticas ao Escrever seus Trabalhos e Relatórios:
 
m.1- Utilize papéis/formulários da empresa, distribua os seus estudos e pesquisas como se recomenda na empresa;
m.2- Escreva com um Português correto e com argumentos/explicações claras, use esquemas, croquis, tabelas, gráficos para esclarecê-las;
m.3- Cite os autores anteriores que contribuíram com o mesmo assunto, na empresa a história de solução de problemas possui várias contribuições de veteranos e ex-empregados, seja justo com eles;
m-4- Baseie-se em informações e dados confiáveis – fundamentação técnica, use fontes certificadas, bibliografia e literatura oficiais, mesmo aquelas geradas pela empresa;
m.5- Mostre suas observações com tabelas e gráficos, cientificamente, não “chute”, seja exato e matemático, se usar a estatística use com amostragens suficientes;
m.6- Faça uma análise crítica dos problemas encontrados sem arbitrariedades, não se apaixone pela sua criatividade ou engenhosidade, não distorça as observações reais para satisfazerem suas teorias. Cuidado com pré-concepções.
 
(N)   Atitudes Éticas com os Clientes / Fornecedores:
 
n.1- Não faça comentários depreciando a sua empresa, ela lhe garante o pão de cada dia;
n.2- Siga uma agenda prévia para atendê-lo – notifique o chefe e aos convocáveis, e tenha boa antecedência nas convocações, dando-lhes tempo para coleta de dados e informações;
n.3- Debata só o assunto acertado, o que se espera da reunião: fixe metas, prazos e métodos;
n.4- Evite mostrar dados confidenciais, segredos industriais e operacionais, despesas, custos e resultados da competitividade;
n.5- Só decida sobre o que lhe competir – fora disso relate ao chefe, não assuma nada que não seja de sua alçada e de acordo com sua perícia e conhecimentos;
n.6- Faça uma ata - todos devem assinar, estabelecendo as participações, as deliberações, as sugestões e as responsabilidades;
n.7- Distribua a ata ao chefe e aos convocados, o mais cedo possível após a reunião, e colete opiniões técnicas adicionais sobre os assuntos;
n.8- Dê retorno das providências ao Cliente / Fornecedor, o mais cedo possível após a reunião, com anuência de seu chefe, a menos em rotina formalmente delegada.
 
(O)   Atitudes Éticas FORA DA EMPRESA – Representando-a:
 
o.1- Seja o PROFISSIONAL-PADRÃO, um profissional exemplar nos seminários, congressos, encontros profissionais, grupos de estudos empresariais, normativos e técnicos-científicos;
o.2- Sua conduta já estará nivelada para a EXCELÊNCIA, segundo a prática persistente das instruções deste artigo.
 
(P)    Atitudes que não se pode tomar, na empresa ou fora dela – Jamais faça!
 
1. Chegar alcoolizado ou bêbado;
2. Brigar e agredir fisicamente;
3. Brincadeiras de “mau gosto”;
4. Cometer riscos e arriscar os outros;
5. Subtrair objetos da empresa;
6. Dizer calúnias e fazer difamações;
7. Danificar o patrimônio.
 
Os 10 D’s – As disfunções humanas perniciosas da sobrevivência
 
Estas instruções em sua implementação através de Educação & Treinamento são capazes de mitigar conflitos entre empregados e empregadores e entre empregados em si. Elas são medidas preventivas contra: desordens, desajustes, destruições, desentendimentos, desvios de objetivos e de funções, difamações, desrespeitos, depreciações, desenganos e demissões, os quais são os 10 D’s perniciosos à boa sobrevivência pessoal e coletiva numa empresa.
 
Estes 10 D’s são ocorrências que se analisadas, com uma perspectiva contábil, iremos constatar que suas manifestações nas empresas provocam prejuízos significativos, tanto diretamente em suas ocorrências como indiretamente, afetando a qualidade, a produtividade e a economia empresarial ...
 
Seja o PROFISSIONAL-PADRÃO: UM PROFISSIONAL EXEMPLAR.
 
LEIA E APLIQUE EM SI ESTAS INSTRUÇÕES DE SOBREVIVÊNCIA PROFISSIONAL e tenha a chance de manter seu atual emprego, se você gostar e precisar dele, por mais tempo do que alguns colegas menos éticos e pouco disciplinados ...
 
Engº Lewton Burity Verri
CREA 74-1-01852-8 UFF – RJ
Copyright © 2011 - Engº Lewton Burity Verri
Diretor Científico do IEAQ
Instituto de Estudos Avançados da Qualidade
 
Nota: Ressaltamos de antemão que as instruções listadas acima foram contribuições de dezenas de engenheiros e técnicos industriais, da vivência pessoal e coletiva deles, e de outros profissionais especializados em Comportamentos e Atitudes no Trabalho, de cujas referências ficam impossibilitadas de serem efetuadas, em face de tratar-se de um simples artigo.



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!