As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 27-12-2011. Acessado 925 vezes.
Título da Postagem:A Lei da Palmada contra os pais e a Lei da Chibata contra políticos demagogos e
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 27-12-2011 @ 02:43 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

A Lei da Palmada contra os pais e a Lei da Chibata contra políticos demagogos e corruptos

Tags: administração, pública, demagogia, má fé, ignorância, baixa qualificação, crimes, violência, degeneração, deterioração, mortandades, apuração, investigação, cena, assassinatos, educação, falência, sistema, educacional, lei, palmada, chibata, corrupção, estado, federal, município, municipal, estadual, petismo, lulismo, criação, crianças, jovens, infraestrutura, superestrutura, governanças, governabilidade, executivo, legislativo, judiciário, pobreza, miséria, sustentabilidade, clima, paternos, paternal, perfis criminais, ipea, DATASUS, prisioneiros, cárceres, crescimento, drogas, viciados, creches, infantil, juvenil, senil, injustiça, violação, direitos, humanos, idh, evolução, civilizatória, recessiva, vegetativa, delegacias, delegado, policial, polícia   
 
Foi aprovado no dia 14/12/2011, pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei que proíbe que crianças e adolescentes sejam punidos com castigos físicos, incluindo a conhecida palmada.
 
Ao examinarmos a enquete a seguir, constataremos que tal projeto de lei tem apoio direto de somente 15% da amostra da pesquisa, com um total de respostas na ordem de 41.169, até aquela dada hora-dia, a qual não tem validade científica.
 
===========================================
 
ENQUETE MSN – HOTMAIL – 15/12/2011 ÀS 17:56
A Câmara aprovou na última quarta um projeto que proíbe os pais de aplicar castigos físicos nas crianças. Você concorda com a chamada Lei da Palmada?
1.     15 % Sim, bater nos filhos não garante que eles terão uma boa educação, 5.982 votos;
2.     47 % Não, os pais têm o direito de castigar os filhos quando eles merecem, 19.616 votos;
3.     38 % Não sei, castigar é um direito dos pais, mas muitos abusam da força, 15.571 votos;
4.     Total de respostas 41.169 - Sem validade científica.
===========================================
 
Países como o Brasil, ainda são CRIADOUROS de disfunções humanas de: malandros, tolos, ignorantes, criminosos, encarcerados, dementes, inválidos, drogados, alcoólatras, incapacitados para o trabalho, doentes, pervertidos, ociosos, covardes, injustos e corruptos.
 
Um delegado aposentado que atuou na região Sul-Fluminense, no Rio de Janeiro, em cidades do Vale do Paraíba chegou a tipificar cerca de 55 perfis criminais dos milhares de criminosos presos em suas instâncias por crimes diversos, por mais de 30 anos.
 
A estatística não nos deixa enganar uma vez que, segundo ele, mais de 90% dos prisioneiros tinham baixa escolaridade, vieram de famílias pobres e com precária base educacional e cultural, tinham tido uma criação negligenciada, tiveram iniciações de grandes amarguras na vida, foram envolvidos em delitos por força da sobrevivência e das companhias que os aliciaram.
 
O delegado listou-nos as seguintes tipificações criminais, que estão fora do Código Penal brasileiro, em grande maioria. Ele em mais de 30 anos de serviços chegou a tipificar todos os delituosos que adentraram suas delegacias, quando em serviço: 1. Alcoólatras; 2. Alcoviteiros; 3. Aproveitadores; 4. Assassinos; 5. Barrigudos; 6. Bonifrates; 7. Cachaceiros; 8. Cafetões; 9. Carrascos; 10. Castradores; 11. Charlatães; 12. Debilóides; 13. Drogados; 14. Enxeridos; 15. Esfarrapados; 16. Esquizofrênicos; 17. Estupradores; 18. Excluídos; 19. Falsários; 20. Fingidores; 21. Galhofeiros; 22. Golpistas; 23. Hipócritas; 24. Ignorantes; 25. Janotas; 26. Jogatinos; 27. Lacaios; 28. Ladrões; 29. Latrocratas; 30. Malandros de Guetos; 31. Maltrapilhos; 32. Mãos-de-Veludo; 33. Mariolas; 34. Meirinhos; 35. Mentirosos; 36. Miseráveis; 37. Moedeiros Falsos; 38. Néscios; 39. Padrecos; 40. Parasitas; 41. Pedófilos; 42. Piratas; 43. Piromaníacos; 44. Políticos; 45. Porqueiros; 46. Putos; 47. Rábulas; 48. Rufiões; 49. Santarrões; 50. Santos Não Me Toque; 51. Sodomitas; 52. Sonsos; 53. Trambiqueiros; 54. Trapaceiros; 55. Vagabundos.
Toda esta relação se sucedeu numa pequena região do sudeste do país. E com a famigerada propaganda das “boas governanças públicas” de que tudo estava melhorando para os brasileiros.
 
Para as 55 tipificações explicadas pelo velho delegado fica difícil imaginar que o processo dos sistemas educacionais e culturais do país tivesse evoluindo para uma escala de civilização empática, pacífica e solidária.
 
Ledo engano ...
 
Vejamos a estatística seguinte, onde o aumento da população provoca aumento da criminalidade, por PERDA de controle administrativo público desde a educação até a profissionalização e trabalho:
 
Aumenta o número de presos no mundo em 2007
 
País_ População %__ Nº de Presos %       
 
Brasil    19,6        142,9    
EUA       12,0        103,4    
México 14,3        119,9    
China     9,2          29,4       
Japão    2,1          63,8
 
Notas:
 
(1) Crescimento da População em %, de 1995 a 2005;
(2) Aumento do Nº de presos em %, de 1995 a 2005;
(3) CoefCorr = 0,772 e CoefPearson = 0,596, entre (1) e (2);
(4) Quando a explosão demográfica acelera, acelera o número de assassinatos;               
(5) Fonte: Prision Planet, Roy Walmsley do King's College - VEJA Nº 17 de 02/05/2007.                    
 
Os dados nos apontam que um crescimento forte no aumento populacional na infraestrutura e na superestrutura das governanças públicas, faz com que estas se ressintam do impacto demográfico.
 
Os 5 países da relação acima são significativos para esta demonstração.
A correlação entre o crescimento % “congestionado” da população com o aumento do número % de presos é de CoefCorr = 0,77, com CoefPearson = 0,60. Logo um aumento grande da taxa de natalidade, num determinado período de tempo (1995 a 2005) acusou haver uma probabilidade de ligação com o aumento do número de presos na ordem de quase 60% ...
 
No Brasil à medida que a população foi crescendo, e exercendo “pressão de necessidades” sobre os serviços públicos, estes por sua vez vieram se degenerando progressivamente, numa medida bem superior ao crescimento do caos das disfunções humanas, sociais e econômicas impostas pela deficiente capacidade de governo dos estados, municípios e das governanças federais.
 
Vejamos, então, o que a estatística da Evolução do crescimento populacional veio produzindo como influência no número de assassinatos – projeções no Brasil – nos últimos 15 anos:                                   
 
Ano (1)    Habitantes     Assassinatos   Nº 100 mil hab.
 
1996      157.100.000        38.900  24,76
1997      160.550.105        40.580  25,28
1998      163.862.607        42.260  25,79
1999      167.045.576        43.940  26,30
2000      169.800.000        45.523  26,81
2001      172.752.409        47.203  27,32
2002      175.595.730        48.883  27,84
2003      179.800.000        51.000  28,36
2004      182.415.342        52.680  28,88
2005      184.939.163        54.360  29,39
2006      188.900.000        56.481  29,90
2007      192.860.837        58.602  30,41
2008      196.040.837        60.360  30,92
2009      199.193.827        62.126  31,43
2010      202.330.865        63.901  31,95
                       Total               766.799
 
Notas: (1) A partir de 2007 os dados são estimados.
 
Fonte: Dados de Base: IPEA e DATASUS - Alm. Abr. 2007                                                   
Copyright © 2008 – IEAQ
 
Em 15 anos o delito de assassinato no país cresceu na ordem de 38.900 (1996) para 63.901 (2010), na escala de 1,643 vezes ou 64,27% ao passo que a população cresceu em 28,79%.
 
Com é óbvio quando a população cresce, o número de salas de aulas deverá crescer. O número de vagas em hospitais idem. O número de empregos, também. E assim para toda a infraestrutura: transportes, saúde, educação, cultura, agropecuária, indústria, assistência social, desenvolvimento técnico e científico e etc.
 
E o Brasil não possui planejamento de controle da natalidade e nem planejamento para fazer com que a infraestrutura e a superestrutura das governanças públicas, tenham a mesma proporcionalidade entre “aumento de necessidades e o aumento do atendimento socioeconômico com qualidade, produtividade e economia“. E não só isto, mas que os investimentos cresçam em escala superior ao da explosão demográfica ... Caso contrário o sistema governamental passa a ser acumulador de mazelas e de problemas draconianos – provocador da obstrução da evolução civilizatória.  
 
Os tipos de Evolução Civilizatória:
 
1º Recessiva = quando a explosão demográfica está acima da capacidade de organização da infraestrutura e da superestrutura nacional / estadual / municipal – acumuladora de miséria, mazelas, dor, sofrimentos e mortandades, onde tudo piora;
 
2º Vegetativa = quando há certa proporcionalidade no crescimento de ambas, conservando-se as taxas relativas e os padrões socioeconômicos, sem muitas pioras e sem muitas melhorias;
 
3º Evolutiva = quando a capacidade de organização da infraestrutura e da superestrutura nacional / estadual / municipal está bem acima da taxa da explosão demográfica, reduzindo a miséria, mazelas, dor, sofrimentos e mortandades, e melhorando as taxas relativas e os padrões socioeconômicos, onde tudo melhora.   
 
O Nº de assassinatos no país veio subindo em seu modo absoluto com o crescimento populacional e em seu modo relativo em Nº de assassinatos por 100.000 habitantes. Não há sinal de freio ou bloqueio, mostrando uma degeneração contínua, com raízes no processo educacional e cultural dos ministérios e secretarias que cuidam da educação e da cultura ... A nossa evolução civilizatória é RECESSIVA.  
 
Cremos que chegaremos a um ponto final de colapso definitivo – um esgotamento do modelo, dos conceitos pedagógicos, das práticas ditatoriais de regras para a educação, da falta de praticidade entre educação e realidade, da ausência da ciência dentro da governabilidade e etc.  
 
Durante 15 anos, de 1996 a 2010, com duplas governanças de FHC, e de LULA, o Brasil teve cerca de 767 mil assassinatos. E apenas 8% dos assassinatos são apurados no Brasil ... Para 92% dos assassinados e suas famílias não existem guardiães e defensores de suas causas e direitos ...
 
Como em cada assassinato estatisticamente 7 pessoas são abaladas de alguma forma, perdendo (o) (a): parente, pai, mãe, filho, provedor, mentor, amigo, professor, esposo, esposa, afeto, promessa, plano, sonho e esperança, num universo macabro de 767 mil assassinatos teremos um total aproximado de 5,37 milhões de pessoas atingidas.
 
Serão pessoas marcadas para o resto da vida, e estarão sujeitas as vicissitudes das doenças mentais, psicológicas, físicas, com somatização de várias doenças, entre elas uma depressão crônica, tristeza profunda, câncer por desgostos, angústia permanente, melancolia e tendência ao suicídio.
 
Como é possível um país no grau civilizatório brasileiro (que agora virou a 6ª Economia mundial) ainda ter uma justiça nos moldes do Velho Oeste Americano? É inadmissível que cerca de 700 mil assassinatos não sejam esclarecidos e que seus criminosos não tenham sido identificados, julgados e condenados?
 
Apenas cerca de 67 mil assassinatos foram esclarecidos nestes últimos 15 anos?
 
Trata-se de uma aberração frente aos Direitos Humanos.
 
O Custo médio estimado de um assassinato – no Brasil – em uma base de apuração do crime – em 24 dias operacionais pode atingir cerca de R$ 77 mil num mês de diligências e investigações.
 
Com algumas premissas básicas podemos elaborar uma planilha de custo aplicado às atividades de diligências e investigações, usando pessoal dedicado por hora, num total de 6 profissionais de uma equipe para uma atuação MENSAL. Os salários-hora numa média de R$ 24,00                           
 
Itens de Custos______________Nº Unids.____R$/Unitário______Total R$
 
1. Aluguéis – Recursos___________4__________ 200,00________800,00
2. Carga Horária Dedicada______360___________144,00_____51.840,00 (1)
3. Coleta de Testemunhos_______24___________144,00______3.456,00
4. Contratações________________2__________ 2.500,00_____5.000,00 (2)
5. Depreciação Tecnológica – Hs__12____________50,00_______600,00
6. Diligências__________________12___________100,00_____1.200,00 (3)
7. Especialistas_________________2__________1.500,00_____3.000,00 (4)
8. Insumos – Lotes_____________12____________250,00_____3.000,00
9. Investigações________________6____________500,00_____3.000,00 (3)
10. Perícia Legal Padrão__________1__________1.500,00_____1.500,00
11. Testes e Ensaios____________12____________250,00_____3.000,00 (5)
12. Veículos e Transportes________2___________400,00_______ 800,00
TOTAL_______________________________________________77.196,00
 
Notas: Estimativa média para referência, cabendo ao sistema policial e jurídico encontrar seus parâmetros mais práticos e econômicos.
 
(1) Equipe de 6 profissionais trabalhando 60 horas/cada no mês, a R$ 24,00 médios por hora;
(2) Contratação de suporte técnico-científico complementar, para aumentar o alcance da equipe;
(3) Diligências e Investigações para buscas de evidências e provas;
(4) Especialistas de suporte técnico-científico para agregar ciência investigativa;
(5) Métodos analíticos quantitativos e/ou qualitativos.                                                  
Copyright © 2008 - IEAQ 
 
Será que apurar um crime é tão caro ao ponto de não se iniciar uma diligência? Ou será que por tantos crimes simultâneos o “tecido” policial esgarçado não consegue atender as “demandas”? Ou por que são assassinados só os socialmente excluídos, para os quais não vale à pena gastar alguns reais e centavos?
 
O que produz num sistema policial, e jurídico, um leviano “deixa rolar” com os desprezíveis? As mortes por qualquer tipo de agente, ou agência, são desprezíveis?
 
A impressão que nos dá é que o sistema policial, e jurídico, está dedicado a uma faxina higiênica, sub-reptícia da não-ação, de cachorros e cachorras da cidadania, por pura inércia omissiva – violento atentado institucional dos Direitos Humanos e violação Lesa-humanidade segundo nossa constituição.
 
Malditas governanças, rainhas de nossas expiações e provações, dores, sofrimentos e mortandades por atuações de má fé, ignorância e baixa qualificação ... Principalmente nestes últimos 9 anos de governança Lulista/Petista.  
 
Estaria o sistema policial e jurídico assoberbado de verbas salariais para os figuróticos, para todo tipo de deleite e hedonismo, carros, bens e vida boa e sem verbas para a operacionalização ao combate aos crimes? 
 
No ano de 2003, se fizermos a composição estatística dos assassinatos, com acidentes e mortes por causas externas, teremos uma assombrosa visão da ausência de POLÍTICAS PÚBLICAS no Brasil e com a falta perpétua de gestores capacitados e de boa fé.  
 
Em 2003 tínhamos uma população de 179.800.000 habitantes, tivemos 51.000 assassinatos, com uma taxa de 28,36 assassinatos por 100.000 habitantes. E ao analisarmos as taxas de mortes por faixas etárias chegaremos à conclusão de que 122.000 pessoas: crianças, jovens, adultos e idosos, morreram por incapacidade administrativa das governanças públicas, principalmente da governança Petista aos pés da qual se acumulam grandiosos montículos de crânios ... Como numa catacumba satânica e numa escalada IRREVERSÍVEL.
 
Faixa de Idade Taxa de Morte (1) Taxa de Morte (2) Nº (3)  
 
Menor 1 ano        1,2          1,2          1.500   
1 a 4 ano              1,4          2,7          1.750   
5 a 9 anos            1,8          4,5          2.250   
10 a 14 anos       2,0          6,6          2.500   
15 a 19 anos       10,2        16,8        12.500
20 a 29 anos       30,7        47,5        37.500
30 a 39 anos       18,9        66,4        23.000
40 a 49 anos       13,9        80,3        17.000
50 a 59 anos       8,2          88,5        10.000
60 a 69 anos       5,3          93,9        6.500   
70 a 79 anos       2,9          96,7        3.500   
80 anos a +          3,3          100,0     4.000   
Total                 100,0                       122.000
 
Notas:
 
(1) % por faixa de idade;
(2) % acumulada por faixa de idade;
(3) Nº estimado de mortes.   
Fonte: dados de base: IPEA e DATASUS - ALM ABRIL 2007;                                                    
Copyright © 2008 – IEAQ
 
A velha lição da filosofia grega era a de “educar as crianças para não punir os homens”, mas no Brasil se faz o inverso. O país tem acumulado uma assombrosa estatística de maus tratos às crianças e aos adolescentes, se transformado num criadouro de monstros, como se criam os mosquitos da dengue, crianças tais que em breve estarão nos 55 perfis do velho delegado – com 90% das entradas nas delegacias:
 
1. Crianças abandonadas em casa para os responsáveis irem trabalhar;
 
2. Crianças deixadas pelos responsáveis como “abandono de menor ou incapaz”, jogadas em lixeiras, lagos, sobre muros de vizinhos, mortas e enterradas macabramente;
 
3. Crianças deixadas em casa de vizinhos, os quais de boa ou má vontade cuidam delas em tais horas;
 
4. Crianças colocadas em escolas infantis sem nenhuma séria qualificação administrativa para isto;
 
5. Crianças colocadas em creches de “empilhamento”, como estorvos temporários para os responsáveis trabalharem, tratadas por “amadoras (es)”;
 
6. Crianças expostas aos tarados, perambulantes, ao aliciamento de marginais e as suas próprias brincadeiras caseiras, com fogão, aparelhos elétricos, instrumentos de corte e perfuração, materiais tóxicos e venenosos, armas de fogo, ao relento e intempéries e etc;
 
7. Crianças largadas sem alimentação adequada e sem instruções lúdicas para o seu crescimento intelectual;
 
8. Crianças expostas aos piores modos de socialização e convivência coletiva, entre crianças e estas entre adultos (os cuidadores, que terminam sendo vistos como carrascos pelas crianças).
 
Logo, a nação que não educa as crianças cria monstros e delituosos em progressões inadministráveis.
 
Em 2004 o estado de São Paulo investia cerca de R$ 100,00 na educação de uma criança por mês e gastava cerca de R$ 1.000,00 para manter um prisioneiro em cárcere. Educar e cuidar de crianças custa 10 vezes mais barato do que manter presos em cárceres.   
 
É a velha lição da filosofia grega era a de “educar as crianças para não punir os homens”. Mas, se os pais não cuidam bem das crianças quem cuidará? As creches chinfrins do Brasil a fora? As professoras nas escolas de formação de base, mal pagas para educar nas letras, na matemática, na história e na geografia?   
 
Pelo velho delegado do Sul Fluminense, do Rio de Janeiro, das 10 atitudes básicas de pais zelosos quantos cumprem com amor e dedicação pelo menos as 10?
 
As 10 atitudes básicas de pais zelosos:
 
1. Efetivar o asseio e a higiene da criança;
 
2. Alimentar a criança dentro de dieta disponibilizada, nos horários e nas quantidades estabelecidas;
 
3. Realizar entretenimentos conforme material de leitura, vídeo, música, brinquedos (crianças) e jogos;
 
4. Administrar medicamentos prescritos por médicos e sob instrução formal nos horários e nas quantidades especificadas;
 
5. Atender os horários de repouso das crianças;
 
6. Proteger a criança das condições ambientais e climáticas com relação às roupas adequadas e controle de ventilação, iluminação e temperatura;
 
7. Conduzir a criança a passeios internos e externos com autorização formal, em calçadas, parques e jardins para arejamento e banhos de sol;
 
8. Assistir a criança para minimizar riscos potenciais de acidentes e de ferimentos;
 
9. Prestar pronto atendimento à criança mobilizando recursos em caso de acidentes e ferimentos e efetivar chamados de apoio e atendimento de primeiros socorros;
 
10. Manter os familiares informados da situação da criança em horários prefixados, quando houver exigência por parte dos mesmos.    
 
Para o velho delegado está havendo um esgotamento profissional por excesso de repetições de eventos desagradáveis e desgastantes entre professoras (es), instituições, métodos e sistemas. Já atingimos a Síndrome Inicial do Esgotamento de um modo de trabalho e de vida. Estamos vivendo agora o excesso de autoenganos, de decisões burras, feitas por pessoas absurdamente obtusas, pessoas presunçosas que assumiram poderes sem a preparação para o poder.
 
Estamos sendo governados pela má fé, ignorância e a baixa qualificação. Estamos sendo governados para as mortandades as quais ele tanto viu, num crescendo assustador e irreversível ...
 
Estamos entrando no vigor das tribulações da Violência, da Criminalidade e da Degeneração. E as Gerações humanas passarão a viver os mais profundos conflitos humanos: 1º Do homem com ele mesmo, 2º Dele com os irmãos, 3º Dele com os pais, 4º Dele com os familiares, 5º Dele com os vizinhos, 6º Dele com a empresa, 7º Dele com os concorrentes, 8º Dele com as instituições, 9º Dele com o Estado e 10º Dele com a religião.
 
Estes conflitos são o “combustível psicológico” para as aberrações de condutas vistas na atualidade do Brasil. Crescimento no número de drogados, viciados, prostituição, pedofilia, roubos e furtos, violações de propriedades e direitos, assassinatos e suicídios, agressões e mutilações, omissão de cumprimento de deveres, violências com requintes de perversidades, degeneração contínua na educação e na criação de crianças e jovens - aumento de todo tipo de permissividade e a banalização do bizarro e do desamor ...
 
E pais mal educados, e sem cultura, terminam RETROALIMENTANDO o processo educacional com suas precariedades e terminam “degenerando” as gerações ... Isto é uma evidência da ausência de POLÍTICAS PÚBLICAS para a criação de uma civilização para ser empática, pacífica e solidária.
 
O que uma criação deficiente provoca nas gerações? Quais tipos de causas e efeitos: ordem física, química, biológica, social, cultural e suas interações afetam as gerações? Por que os sistemas educacionais e culturais do país não conseguem fazê-lo evoluir para uma escala de civilização empática, pacífica e solidária?
 
O que realmente molda o caráter e o comportamento das pessoas? O que afeta as crianças e os jovens?
 
Uma civilização para ser empática, pacífica e solidária precisará de: 1. Quociente Emocional; 2. Automotivação; 3. Autoconhecimento; 4. Empatia; 5. Sociabilidade; 6. Lidar com o emocional dos outros.
 
Como impulsionar o QI - quociente de inteligência = aprovação escolar, intelectual e profissional e como estimular o QE - quociente emocional = aprovação social, ascensão e mobilidade? O que realmente molda o caráter e o comportamento das pessoas?
 
O que falta para a Sociologia, a Filosofia e a Pedagogia reconhecerem as 7 Variáveis Administráveis da Autoridade Paternal, de modo a reformarem o processo educacional e cultural da sociedade? As 7 Variáveis Administráveis da Autoridade Paternal transcendem a todo o esgotado processo atual de educação e formação cultural.
 
As 7 Variáveis Administráveis da Autoridade Paternal – um sistema de fatores que criará a tão sonhada civilização empática, pacífica e solidária do Brasil, reduzindo os 55 perfis tipificados da criminalidade brasileira:
 
1. Domínio do poder de persuasão amorosa – a concepção e a criação sob o amor incondicional, condicionando comportamentos mais adequados;
 
2. Domínio do poder de persuasão penitencial – o uso de castigos corretivos e de limitações de liberdades e prazeres (aqui se encaixa a “obstrução” da Lei da Palmada), condicionando comportamentos mais adequados;
 
3. Domínio do poder econômico – ação paternal sobre os interesses de posse a aquisições, condicionando comportamentos mais adequados;
 
4. Grau da estatura física – robustez corporal intimidatória dos pais e familiares invocando obediência e condicionando comportamentos mais adequados;
 
5. Grau da estatura intelectual – cabedal de dissuasão, elucidações e lições de moral, condicionando comportamentos mais adequados;
 
6. Grau do tempo dedicado – a exigüidade de tempo paternal dedicado subtrai as possibilidades de fixação do condicionamento para comportamentos mais adequados;
 
7. Grau de coesão familiar – conjunto exemplar capaz de colaborar com os 6 fatores anteriores, para fixação do condicionamento para comportamentos mais adequados.
 
Na era da sustentação da SUSTENTABILIDADE o que os pais devem dominar para o processo familiar de educação de crianças e jovens? Como reformar e reorientar o sistema educacional e cultural para ensinar as pessoas o exercício das 7 Variáveis Administráveis da Autoridade Paternal?
 
A era da sustentação da SUSTENTABILIDADE irá requerer que a Autoridade Paternal seja capaz de administrar seu lar e família, segundo 12 exigências para a sobrevivência individual e coletiva, no planeta em contínuo esgotamento. Estas exigências serão os bilhões de micro-atos de rotina necessários para contribuir com a mitigação de todos os “aquecimentos globais” provocados pelo homem, em busca do arrefecimento e da regeneração planetária, humana, produtiva, social e econômica ...   
 
As 12 exigências para a sobrevivência individual e coletiva no planeta, na era da sustentação da SUSTENTABILIDADE:
 
1. Higiene e asseio – minimização de males e doenças, redução de riscos e pragas;
 
2. Alimentação e Dietas - refeições adequadas e equilíbrio na nutrição;
 
3. Limpeza e arrumação – organização íntima e de grupo, racionalização de espaço e movimentos;
 
4. Energia e conservação – administração de consumos energéticos e conservação termo-clima;
 
5. Descartes e despejos – racionalização na formação do lixo e de sua destinação;
 
6. Economia e desperdícios – administração de consumo alimentar, racionalização de compras, fracionamento correto de quantidades, conforme o número de membros da família;
 
7. Saúde e segurança – manutenção de assistência médica e clínica, prevenção com periodicidade adequada e medicação confiável;
 
8. Conforto e cuidados – minimização de acidentes, harmonização ambiental e mental, bem estar;
 
9. Amor e dedicação – suprimento essencial da criação, doação incondicional, interdependência de afetos, atenção e carinho;
 
10. Relações sociais e de vizinhanças – socialização harmônica e holística, trocas empáticas e simpáticas, políticas da boa vizinhança;
 
11. Lazer e cultura – distração, entretenimento, esportes, cinema, museu, teatro, dança e canto, música e instrumentos, clubes e associações para leituras, poesia, competições intelectuais, esportes cognitivos (xadrez);
 
12. Crescimento humano e escolar – evolução espiritual e ligação com DEUS, orientação teológica, evolução escolar e mobilidade eficiente entre séries, lições e exercícios, grupos de estudos e monitoria, catálogo das profissões, dinamização de sonhos e esperanças, fixação da paixão pela vida lícita e amor aos próximos: pessoas, animais, vegetais e meio ambiente;
 
A Lei da Palmada é uma aberração da indigência técnica-científica dos políticos brasileiros, e que nos mostra o grau de afetação de deterioração da administração pública, de seus executivos, legisladores e juristas, e como a degeneração contínua dos processos educacionais, e culturais, atingiram a todos nós, RETROALIMENTANDO demagogias, por incapacidade de discernimentos, sobre como corrigir um sistema falido de concepção e criação de crianças e jovens, de como fazer evoluir uma nação sempre mal governada ...
 
Portanto, a contrapartida da Lei de Palmada deverá ser a Lei da Chibata contra políticos incompetentes, demagogos e corruptos ... (1.) 30 chibatadas no traseiro nu para demagogos, (2.) 70 chibatadas no traseiro e nas costas nuas para incompetentes e (3.) 100 chibatadas no traseiro e nas costas nuas, pendurados em postes para corruptos ...
 
Na China estes meliantes são fuzilados com tiro na nuca, e em praça pública ...
 
Hoje com mais de 1,3 bilhões de chineses a sua população cresceu em 9,2% de 1995 a 2005 (do Brasil foi 19,6%) e seu número de presos cresceu só 29,4% (do Brasil foi 142,9%) - existe aqui algum processo de INTIMIDAÇÃO ao crime, para tantos habitantes chineses e para tantas oportunidades para crimes e trapaças.
 
A China tem baixíssimos investimentos per capita em saúde e em educação e tem cerca de 6,0 vezes mais “brasis em população” ... Existe aqui algum processo de INTIMIDAÇÃO ao crime?
 
Até a OAB criticou a Lei da Palmada, de acordo com a notícia abaixo.
 
Engº Lewton Burity Verri
CREA 74-1-01852-8 UFF – RJ
Copyright © 2011 - Engº Lewton Burity Verri
Especialista em malhar Judas …
 
==============================
 
OAB e a Lei da Palmada
 
15 de dezembro de 2011, às 16h20min
 
 
Para OAB, Lei da Palmada sem orientação familiar é inútil
 
Para o presidente da ordem, Ophir Cavalcante, a lei só surtirá efeito se for implementada em conjunto com políticas públicas de educação familiar
 
Aprovado ontem (14) pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei que proíbe que crianças e adolescentes sejam punidos com castigos físicos, incluindo a conhecida palmada, pode ser "inócuo", na avaliação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
 
Para o presidente da ordem, Ophir Cavalcante, a lei só surtirá efeito se for implementada em conjunto com políticas públicas de educação familiar.
 
"A lei, sozinha, pode ficar sem eficácia, pois a palmada como forma de educar é algo cultural neste país, herdada do colonizador português. Temos de ter campanhas educativas e de planejamento por parte do Poder Público para informar as famílias sobre a melhor forma de ensinar as crianças. Esse é um dever do Estado que, lamentavelmente, não tem estrutura para isso. A lei pode cair no vazio", argumentou Cavalcante.
 
Conhecida como Lei da Palmada, o projeto foi aprovado por unanimidade, em caráter conclusivo (sem a necessidade de votação pelo plenário), na comissão especial criada para analisar a matéria. A proposta objetiva reforçar os mecanismos de controle da Justiça sobre casos de maus-tratos de crianças e adolescentes. O projeto segue para apreciação do Senado.
 
Na avaliação do presidente da OAB, a discussão sobre o tema já é importante por trazer à tona o debate sobre a violência contra crianças e adolescentes. "O mérito desse projeto é, na verdade, apontar um novo caminho. Talvez esse seja o maior objetivo, até por não estabelecer nenhum tipo de punição [para os agressores], apenas advertências, tratamento psicológico aos autores da violência e adesão a programas de proteção à família".
 
Curta o Administradores no Facebook e siga os nossos posts no @admnews.



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!