As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 11-04-2012. Acessado 1090 vezes.
Título da Postagem:Por que os brasileiros não ficam INDIGNADOS com a corrupção galopante
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 11-04-2012 @ 12:38 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

Por que os brasileiros não ficam INDIGNADOS com a corrupção galopante?

E com os momentos de Trapaças na Administração dos Serviços Públicos e Políticos no Brasil?
 
Nos últimos 10 anos a governança petista ROUBOU dos cofres públicos cerca de R$ 720 bilhões em desvios de verbas, objetivos e de funções: “A Revista VEJA publicou na edição 2.240 desta semana os números da corrupção no Brasil. São alarmantes e tenho a todo instante falado sobre isso por onde vou. Foram mais de 720 BILHOES DE REAIS nos últimos 10 anos e, 85 BILHÕES apenas no ano passado roubados pela prática inescrupulosa da corrupção. Vale a pena ler mas temos realmente que nos indignar. Entre nessa luta. Fale, Denuncie. Vamos combater essa doença que acaba com o país”.
 
O que significam 2,3% do PIB brasileiro, todo ano, dos últimos 10 anos da governança de Lula e Dilma – do PT. E R$ 720 bilhões equivalem a 50% de toda a riqueza gerada no Brasil em 2002, quando o petismo venceu as eleições de out/2002, para a presidência da república.
 
Imaginem que nos últimos 10 anos o petismo ROUBOU 50% das riquezas geradas por todos os trabalhadores do país, no ano após a sua posse, em 2002/2003! Ou de 2003 a 2011 o total de PIBs anuais acumulados foi de aproximadamente de R$ 23.631,10 bilhões, sendo que R$ 720 bilhões afanados em corrupção significam cerca de 3,05% da riqueza gerada de 2003 a 2011 pelos trabalhadores do país.
 
O Brasil subiu no Ranking do aumento de milionários nestes últimos 10 anos, o que mostra que além dos desvios por corrupção, nada foi aplicado na produção e em serviços ... Boa parte deste dinheiro foi para os paraísos fiscais e lazer hedonista e hediondo de bandidos e bandoleiros.
 
O orçamento da Saúde para 2012 estabelecido foi de R$ 92,1 bilhões. Sem falar no orçamento da Educação, os cofres públicos foram ROUBADOS em cerca de 7,8 vezes equivalentes ao atual orçamento da Saúde do povo brasileiro. Se tivessem dobrado o orçamento, mesmo assim o dinheiro (a verba) teria dado para as melhorias dos serviços de saúde nos últimos 4 anos.
 

O Petismo está ROUBANDO os trabalhadores?

A corrupção das governanças petistas e de aliados atingiu 3,05% de toda a riqueza gerada pelos trabalhadores do Brasil, de 2003 a 2011. É por isso que o Brasil subiu no Ranking do aumento de milionários nestes últimos 10 anos.
 
 
O Brasil é fecundo em violações e transgressões de leis e de princípios. E as violações são de uma escala inimaginável, de como pode alguém, em sã consciência, cometer tão graves delitos, numa oportunidade rara para o exercício nobre do poder.
 
O Brasil é fecundo em violações e transgressões de leis e de princípios. E a internet é uma grande depositária dessa fecundidade escabrosa.
 
As violações são de uma escala inimaginável, de como pode alguém, em sã consciência, cometer tão graves delitos, numa oportunidade rara para o exercício nobre do poder.
 
Estudamos a influência da colonização portuguesa, começando em tratar a colônia como um reduto de prisioneiros e criminosos portugueses. Houve uma fixação cultural do que pode ser mais ignóbil e asqueroso para um brasileiro, em plena luz da tecnologia da informação, dos seus registros em dados, fatos e fotos - predador trapaceiro, na era digital, com todas as digitais nos arquivos cibernéticos - sigilo fiscal, sigilo bancário, vídeos "sorria você está sendo filmado", sigilo telefônico, cartões de crédito, artigos de jornais, artigos acadêmicos e etc.
 
Após vários meses buscando, por palavras-chave, identificamos uma lista de trapaças muito comuns, praticadas pelos políticos brasileiros, em todos os poderes e níveis de "autoridades públicas e até de juristas".
 
Uma trapaça é um evento de corrupção sempre motivado por incontrolável desejo de controle e posse da coisa pública, é a apropriação indébita de verbas ou dinheiro dos cofres públicos, são desvios dessas verbas, roubos propriamente ditos.
 
Isso é doença ou falha de caráter? É uma tentação intransponível ou uma aventura sedutora? Isso é cultura regionalizada, fixada pelos colonizadores e o seu "modus operandi", desde o advento das capitanias hereditárias.
 
Notamos uma forte tendência para arranjos que possam perpetuar a indolência, a preguiça, a incompetência, a parentela e o provedor inesgotável. Arranjos que possibilitem a vida de fartura, segurança econômica e de saúde.
 
Começaram explorando os índios e depois conterrâneos e mercenários de todos os ventos e direções. Hoje exploram um povo inculto em todas as esferas de exclusões e analfabetismo.
 
E eles se multiplicam, todos querem ir para o serviço público num país de raras oportunidades onde a conspiração, e a malandragem, valem mais do que o estudo incessante e a escolaridade teimosa, daqueles que acreditam que só com ética e conhecimentos constroem um país. Escolaridade essa extraída a duras penas do sacrifício individual e fora de uma escala nacional de visão e promoção do progresso.
 
O serviço político/público é estável, tem garantia de boa aposentadoria, não precisa estudar intensamente (talvez um pouco), basta bajular e ser simpático, não tem competição acirrada e não tem ameaça da "mão invisível do mercado", nem prestação de contas dos resultados, tem boas férias, vários salários e mordomias (mesmo sem os aumentos, desde FHC, para o pessoal de baixo escalão e executantes). Tem os políticos tradicionais e chefes de capitanias hereditárias, que ficam por décadas nesse potentado do mal.
 
E esses parasitas são usurpadores de toda espécie de oportunidades, de idéias, criações e métodos alheios. Já que não estão capacitados "tomam" de quem não se “pendurou nas têtas da nação”.
 
Por não existir um dono fiscalizador, rigoroso e justo, a coisa pública se transforma numa usina de saciedades vis – "eles querem um permanente banquete, sem pagar entrada, nem limpar apetrechos e nem destrinchar os alimentos. Depois de comerem, iguais animais, se refestelam em folgas ou sestas reparadoras - ganham jetons para freqüentar o banquete". Um séqüito de vampiros a sugar o trabalho dos "insistentes construtores" da riqueza nacional, que ainda não desistiram de construir o Brasil país "no" futuro.
 
A praga maldita consome quase 40% do PIB, sem nenhuma troca producente.
 
Essa lesão moral se condicionou nos degredados do império português aqui no Brasil, sendo transmitida por ondas e mais ondas de criminosos, gerações por gerações - pai para filho, tio para sobrinho, avô para neto e assim vai ...
 
Pela distância na navegação à vela de Portugal para o Brasil, as malandragens ficavam "mocosiadas", restritas entre o delituoso e o provável delator, que se beneficiavam, ambos dos seus atos iníquos - um pelo delito e o outro pelo silêncio "remunerado". E o subalterno do rei, aqui na colônia, virava o sub-rei, na sua vaidade maléfica, liberava toda a sua falta de moralidade em tudo, desde a sedução das escravas aos golpes contra os impostos do império.
 
Nem cartas de "Caminhas" eram enviadas ao rei, para relatar a promiscuidade tenebrosa que assolava a colônia. Muitos tinham "pensão" do reino para seus delitos e explorações. Um "caminha" desavisado seria sumariamente eliminado – até a marinha portuguesa chegar aqui com sua justiça, o pobre justo teria sido imolado.
 
E hoje milhões de justos são imolados na incompetência administrativa dos políticos e similares brasileiros, que guardam as práticas ilícitas dos vestígios hereditários.
 
Se a sentença cristã de paz na terra aos homens de boa vontade, é algo evidente, nos países desenvolvidos (Finlândia, Suécia, Noruega, Dinamarca, por ex.), aqui no Brasil só há paz para a iniqüidade.
 
E parece que isso prossegue agora, infindável e insaciavelmente, numa volúpia sem correção e nem justiça. Como a justiça pode lidar com isso?
 
O Brasil precisa, também, de uma higienização moral para ficar livre desses males que inibem sua honra e progresso.
 
Leiam abaixo:
 
Momentos de trapaças em atividades nos serviços públicos / políticos no Brasil.
 
Listão do diabo - instruções aos seus discípulos - faça trapaças nos momentos de (da):
 
Ordem momentos para trapaças
 
1 abertura de empresas;
2 acordos para emitir pareceres técnicos ou jurídicos;
3 aplicação do senso crítico de justiça e eqüidade;
4 aprovações de contas públicas e de governos;
5 aprovações para motoristas de veículos e obtenção da carteira de habilitação;
6 aumentar impostos para cobrir gastos descontrolados;
7 autorização de licenças de operação de empresas;
8 autorização para funcionamento de cursos técnicos e de nível superior;
9 autorização para funcionamentos de estabelecimentos educacionais;
10 balanços de contas públicas;
11 cálculos de custos e valores de projetos e obras públicas;
12 candidatura a cargos eletivos do executivo, do legislativo e indicações do judiciário;
13 concepção de leis – com aplicação socialmente onerosa e retroativa;
14 concepção e de votação de leis para benefícios da sociedade;
15 concessão de certificados de filantropia;
16 concessão de empréstimos para empreendimentos inconsistentes;
17 concessão de estações de rádio e televisão;
18 concessão de serviços públicos a terceiros;
19 concursos públicos para os 3 poderes, para os estados e os municípios;
20 contratação de notórios especialistas;
21 controle nos postos de fiscalização rodoviária, ferroviária e em serviços aduaneiros;
22 credenciamento de profissionais de qualificação duvidosa;
23 criação de cargos públicos com bons salários, condição intocável, temporalidade semivitalícia e mordomias;
24 criação de CPI e de elaboração de relatórios respectivos;
25 criação de secretarias, ministérios, comissões e conselhos para perpetuar poderes e grupos;
26 cumprimento do dever constitucional, moral e cívico;
27 defesa moral e ética de envolvidos em crimes e delitos;
28 divulgação de resultados e de indicadores de governos;
29 documentações e certificações de terceiros para prestação de serviços às instituições públicas;
30 efetuar o orçamento da união, dos estados e dos municípios;
31 elaboração de projetos de leis;
32 emissão de certificados ambientais;
33 estudos e pesquisas para fundamentação de argumentos para leis, projetos e obras;
34 exercício parlamentar de corruptos, gazeteiros e improdutivos;
35 faturamento de compras e empenhos;
36 fechamento de empresas;
37 fiscalização da situação tributária e fiscal de empresas;
38 fiscalização de obras;
39 fiscalização e defesa do meio ambiente;
40 fundamentação de valores e custas para precatórios;
41 gastos públicos e discriminação de despesas;
42 julgamento de processos com venda de sentenças;
43 liberação de alvarás;
44 liberação de FGTS e na concessão de aposentadorias;
45 liberação de habeas corpus;
46 liberação de verbas públicas;
47 licitações públicas e tomadas de preços;
48 liquidação de massas falidas;
49 litígios e multas trabalhistas para extorquir empresas produtivas;
50 multas ambientais;
51 multas de trânsito;
52 multas fiscais e tributárias;
53 nomeação de pessoal para cargos públicos: nepotismo, nepotismo cruzado e fisiologismo;
54 nomeação de políticos para cargos estratégicos, de soberania nacional e de respeito ao povo;
55 obtenção de empréstimos em bancos de desenvolvimento e fomento;
56 pagamento de fornecedores e de terceirizados;
57 pagamento de precatórios;
58 permissão de políticos suspeitos, sob investigação, para campanhas eleitorais;
59 posse de dossiês escabrosos para elucidação de práticas políticas criminosas;
60 prestação de contas de campanhas políticas;
61 proibição de atividades que oneram interesses políticos e corporativos;
62 projetos de políticas públicas;
63 projetos e elaboração de obras;
64 prometer ajuda as empresas ícones, sob crise de falência;
65 promover encontros políticos em seminários e congressos com grupos de lobistas;
66 proposições de projetos usando idéias e propriedades intelectuais alheias;
67 recebimento de dívidas dos devedores do poder público;
68 repasse de verbas para atividades determinadas por lei;
69 repasse de verbas para atividades não cobertas por lei;
70 seleção de prestadores de serviços aos poderes públicos;
71 uso do dinheiro público e da influência de autoridades;
72 usufruto da impunidade parlamentar;
73 votação de leis para benefício de minorias abastadas ou corporativas;
74 votações de projetos de lei de interesse difuso – sem Beneficiário-destinatário.
 
No Brasil os predadores governam saudáveis e incólumes - num fausto banquete de criminosos.
 
Engº Lewton Burity Verri
CREA 74-1-01852-8 - UFF - RJ
Copyright (c) 2005 e 2012 - Engº Lewton Burity Verri
 
Curta o site administradores no facebook e siga os nossos posts no @admnews .



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!