As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 18-05-2012. Acessado 1061 vezes.
Título da Postagem:Censura da Internet virá como ocorre na China, e EUA já controlam o terrorismo
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 18-05-2012 @ 01:07 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

Censura da Internet virá como ocorre na China? Ou os EUA estão controlando o terrorismo através do Google?

Tags: Censura, internet, controle social, controle político, violação, correspondências, Google, terrorismo, terroristas, manifestos, manifestações, ciberativismo, hacker, China, EUA, Brasil, brasileiro, conspirações, corrupção, regime, ideologia, administração, falsidade ideológica, reação, reacionário, buscador, pesquisas, perfil de usuário, filtro, léxico, filologia, semântica, gráfico, conhecimento, forma-pensamento 
 
Quem está desenvolvendo mecanismo diretamente nos provedores para controle da Internet e Censura é a China. O modelo de buscas do Google, "Web 3.0 - buscador do Google pensará como o usuário", é um modo de construir formas-pensamento-conhecimento para identificar e legitimar transgressores terroristas.
 
No artigo de Eber Freitas, www.administradores.com.br , publicado: em 17 de maio de 2012, às 12h15min, o artigo - Web 3.0: buscador do Google pensará como o usuário, está implícito o objetivo do "novo" modelo de buscador do Google a ser aplicado nos EUA.
 
Porém o comentário, e único (posição em 18/05/2012 às 11h22), dentro da página do referido artigo acima, http://www.administradores.com.br/informe-se/tecnologia/web-3-0-buscador-do-google-pensara-como-o-usuario/55279/  "Me - escreveu: Isso é algo ruim. Cada vez mais estão limitando a internet. E agora isso? Um filtro inteligente de pesquisa? Acho que não é gráfico de conhecimento e sim de restrição" é de uma percepção sutil e de alto tirocínio ... A ferramenta do Google é mesmo um "gráfico de restrição"!
 
A China está caminhando para este tipo de controle, montado nos moldes do atual buscador Google (e que pode até estar violando patentes e propriedade intelectual de segundos e terceiros), com palavras e seus significados correlatos diretos, origens com formatação de perfis clássicos de formas-pensamento-conhecimento e intensificação de ocorrências de consultas / emails e comentários com afetações ligadas as contrariedades políticas, conspirações e manifestos reacionários ao regime.
 
A coisa é estranha mesmo ... Se nos EUA estão em "busca" de conspirações terroristas, na China estão em busca de conspiradores contra o regime comunista-capital. A China tenta bloquear oposições políticas, que deságüem em revolução para outro regime. Lá o que se evita é a formação de um levante sanguinário e irreversível, já pelo esgotamento da ditadura legislativa e judiciária do controle social e político de mais de 1,3 bilhões de chineses ...
 
A façanha chinesa contra conspirações políticas e agora a cautela americana contra o terrorismo irão despertar a sanha de regimes não muito modelados no estado democrático de direito. E o Brasil não ficará a ver bits e bytes censurados ... Vai censurar, também.
 
Quem montará uma oposição capaz de reagir contra a ditadura do Partido Comunista Chinês? E no Brasil contra a LATROCRACIA que se instalou nos organismos nacionais? Há RISCOS onde alguns perderão e outros ganharão. Na realidade é que os riscos que assustam as pessoas e os riscos que causam suas mortes são muito diferentes. E atualmente a única ferramenta mundial e local para as "manifestações virtuais" é a INTERNET.
 
Em ditaduras, e em regimes democraticamente disfuncionais, antes dos riscos atingirem os limites da eliminação física das pessoas ele começa na eliminação de seus bens e patrimônios, nas restrições de ir e vir, nas detenções para intimidações, na danificação de empreendimentos, no bloqueio de proventos, na perda de empregos e na imolação de afetos e familiares.
 
Em verdade o histórico das REVOLUÇÕES nos traz toda uma "relação de maldades" praticadas por TIRANOS que forjaram suas próprias revoluções. E que alguns a título de eliminarem "Tiranos do Turno" fizeram sua contra-revolução sempre na simples troca de pessoas – as maldades sempre continuaram as mesmas. E os RISCOS também, em que praticamente um substituiu o outro sem um ideário de EVOLUÇÃO e PROGRESSO.
 
A América Latina está infestada desses históricos e, recentemente, na Europa, com a queda do Comunismo, muitos "Candidatos Tiranos", mostraram extrema capacidade para holocaustos apocalípticos nos restolhos territoriais das ex-repúblicas socialistas soviéticas.
 
Uma oposição aguerrida contra ditaduras, e em regimes democraticamente disfuncionais, precisará vencer os RISCOS de fazer sua justiça presumida, como os tensos debates e confrontos que ocorreram na China, por exemplo, em 1989, no Massacre dos estudantes da Praça da Paz Celestial.
 
No Brasil antes e após a Revolução de 1964, estivemos assistindo o mal excretado pelos pseudotransformistas da nação brasileira, tais como Dirceu, Maria do Rosário, Franklin Martins, Tarso Genro, Paulo Vannuchi, Genuíno, Dilma, Lula, e muitos dessa estirpe, se INFILTRAVAM como células cancerosas, mas ainda estava muito longe de exercer poder de escala.
 
A China vive um dilema draconiano. Ou satisfaz seus 1,3 bilhões de habitantes com uma vida de bem estar, bom trabalho, lazer e desfrutes capitalistas ou vai ter que colocar seus 10 milhões de militares a massacrarem o povo chinês, como fez com os inquietos estudantes na Praça Celestial em 1989.
 
Cerca de 10 milhões de militares não são páreo para 1,3 bilhões de chineses enfurecidos ...
 
E no Brasil? Acompanhamos todo tipo de fingimento, de magnanimidade e do altruísmo, falsa demonstração de conhecimentos administrativos e científicos, exibição de máscaras ideológicas já caídas e fossilizadas, pela tentativa frustrada de vários e antigos TIRANOS, como se a história tivesse parado, ou devesse ficar parada, para eles viverem a mortandade e a heresia, de suas idéias não-renovadas.
 
Ainda vemos, e ouvimos, os resquícios e os recalques de muitos falsos ressentidos com a Revolução de 1964. Na época já eram protótipos de "monstrinhos", cujos perfis foram muito bem analisados pelos Generais de 1964.
 
E hoje os monstros avançam nos cofres e no patrimônio público, quadrilhas de 40 ou mais ladrões e 40 quadrilhas de cada intenções, fornecedores corruptos, agentes públicos corruptos, tratando o bem público como moeda particular de troca e de enriquecimento ilícito de marginais. Exploração de Prestígio e Tráfico de Influências.
 
O nosso grande RISCO é a "degenerescência moral progressiva" que já vem mortificando e envergonhando o Brasil. A ignorância não governa e nem preside, de um simples lar a uma nação continental. E é por isso que o pessoal de boa escolaridade detesta o regime Petista, e que Lula o Chefe-mor, se não tinha qualificação para porteiro de fábrica no ABC Paulista não poderia ter para Presidente da República.
 
Mas boa parcela do povo brasileiro, principalmente a de maior escolaridade, acredita que a atual governança do PT seja um outro tipo de RISCO, o RISCO da anarquia institucional, predador e perdulário, que não dará conta da Defesa, Saúde, Educação, Segurança, Infraestrutura, Cultura, Tecnologia e etc.
 
Mas não controlamos esses riscos. Os Riscos que controlamos são uma fonte muito menor de indignação do que os que estão fora do nosso controle, e a governança do PT está fora de nosso controle, haja vista a falta de OPOSIÇÃO e, portanto, uma fonte de maior INDIGNAÇÃO.
 
Quanto maior for nossa capacidade de exercer o controle menos medo temos dos riscos, mas no Brasil se tivéssemos uma JUSTIÇA eficaz poderíamos exercer controle sobre a governança do PT no dignificado ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO , sem medos e fobias.
 
O ESTADO DE DIREITO no Brasil funciona apenas para os ricos, políticos corruptos, causas de bandoleiros e sem uma produtividade na velocidade dos desarranjos - os crimes crescem em progressão geométrica e a Justiça os pune em progressão ZEROMÉTRICA. E agora escancarada pelos episódios que a obriga se posicionar de modo filosófico e jurídico corretos, ela opta a descambar para o lado da absorção da pressão política, tal como se sabe no STJ - Superior Tribunal de Justiça que arquivou 137 processos contra marginais políticos. A surpresa é que eram 137 e nenhum marginal foi condenado - por falta de provas.
 
A nossa segurança, a dos nossos amigos e de nossas famílias, tem que estar dentro dos limites de nosso controle, e isso só seria possível num ESTADO DE DIREITO justo, sincero em seu juramento, de baixo custo e previsível. Como ficará nossa segurança nos apagões: "cerebrais", elétricos, aéreos, hospitalares, escolares, repressão ao crime e etc. Não são elementos de INDIGNAÇÃO?
 
Os engenheiros sabem que uma REVOLUÇÃO TEM UMA FÓRMULA, numa janela do tempo social.
 
Nas revoluções as INDIGNAÇÕES foram tantas, e as motivações que deram movimento às quebras institucionais superaram os limites do medo e das acomodações. Lembramos disso na Revolução 1964.
 
Há uma equação para o RISCO. Ela é uma equação simples RISCO = PERIGO + INDIGNAÇÃO (segundo Peter Sandman, Consultor de Riscos nos EUA). E para essa equação as manipulações mais comuns são: fazer aumentar a indignação ou fazer diminuir a indignação. E o PERIGO vem a ser um FATOR de IMINÊNCIA que desencadeie as PERDAS já conhecidas da vida humana, de seus bens e patrimônios, de ir e vir, da liberdade nas detenções para intimidações, dos empreendimentos, de proventos, de empregos e da vida de afetos e familiares.
 
1. Quando o PERIGO é pequeno a INDIGNAÇÃO é pequena a REAÇÃO é insignificante;
 
2. Quando o PERIGO é grande e a INDIGNAÇÃO é pequena a REAÇÃO é insuficiente;
 
3. Quando o PERIGO é pequeno e a INDIGNAÇÃO é grande a REAÇÃO é exacerbada.
 
4. Quando o PERIGO é grande e a INDIGNAÇÃO é grande a REAÇÃO é uma REVOLUÇÃO.
 
Mas no Brasil todas as mais profundas questões morais de ética patriótica viraram as banalizações mais comuns nos Estados: 1. violência urbana, 2. Corrupção política e 3. Incapacidade administrativa. E isso condicionou uma morbidez social de aceitar o abominável, o dramático, o terror e o ultraje.
 
O que o PT e os políticos fazem com o Brasil é algo inominável e imputável. E se diz que estamos num Estado de Direito, e Democrático.
 
Inspirar a INDIGNAÇÃO é a regra comum, mas como fazer crescer a INDIGNAÇÃO num ambiente que banalizou tudo? E que a oposição se fragmentou? Como vamos REAGIR com base em nossas INDIGNAÇÕES?
 
Qual INDIGNAÇÃO que a governança Petista nos impõe, com seus gestos e atos administrativos, que seria capaz de se tornar o "calcanhar de Aquiles" desses miseráveis? Aquela INDIGNAÇÃO que chegue ao limiar de uma REVOLUÇÃO?
 
Para a formação militar seriam indignações relacionadas à falta de honra, falta de patriotismo e a falta de responsabilidade administrativa, corrupção e impunidade.
 
Para a formação sindical-anarquista seriam as desigualdades ocupacionais, as atividades suportadas por altos conhecimentos e a falta de facilidades de distribuir riquezas, que não produziu, a bel-prazer e fora da LEI.
 
Para a formação político-partidária seriam a falta de posições de poder para numerários vitalícios, sem compromissos com a produtividade e que perpetuasse o nefasto parasito em uma segura rede de malandragens e corrupção.
 
Para a formação do excluído, pela escola da vida na rua, seriam falta de salário-mínimo, cachaça, sexo e filhos de montão, que o digam os sociólogos de plantão.
 
E hoje vemos o que se pode acontecer com uma nação sem escolaridade suficiente, em suas bases, para entender esses RISCOS, PERIGOS e comedir as INDIGNAÇÕES, e eleger espertos e bufões.
 
Hoje os eleitores OPOSITORES de qualquer regime e ideologia administrativa e democrática - têm um poder de rede infinitamente superior aos de todas a épocas anteriores da república brasileira. Existe hoje uma janela no tempo social aberta para avaliações de RISCOS.
 
São as Comunidades na INTERNET e provavelmente terão aglomerações de debates e formação de opiniões multiculturais, enquetes e pesquisas coletivas, para DIMENSIONAR INDIGNAÇÕES. E este atual regime político irá pensar em CENSURAR A INTERNET - é o único CANHÃO capaz de fazer demolir as suas falsidades ideológicas ...
 
Mas numa pesquisa sobre a atuação de Comunidades na INTERNET, relacionadas a críticas e mobilizações sobre a POLITICALHA CORRUPTA, INEPTA E LESA PÁTRIA, que governa o Brasil, os cientistas políticos concluíram que há uma grave indigência política que acomete boa parte dos brasileiros, que passa horas e horas, em troca de e-mails, recriminando e incriminando o sistema político-partidário brasileiro, depositário da malandragem, da maracutaia, das conspirações e de atitudes "matadoras", sem no entanto arregimentar uma militância informada, conceitualmente nivelada para ações "matadoras", simetricamente ao tratamento que os políticos dão aos cidadãos.
 
Uma Militância Científica se propõe a atuar como OPOSIÇÃO, ou SITUAÇÃO, dependendo das predileções ideológicas e idólatras, com as quais os cidadãos querem atuar politicamente, sobre os eventos nacionais, sejam positivos ou negativos.
 
Os cientistas políticos indicaram um conjunto de pressupostos de mobilização consciente e eficaz, a saber:
 
(a) As comunidades sobre política se permitem a um processo de críticas a governos e a políticos, sem consolidar uma linha de ação para uma meta ou objetivo:
 
1. Interpelação coletiva, 2. Constituição de Carta Documento para providências, 3. Enquetes sobre eventos perniciosos e o modo de atuação coletiva, para intimação, 4. Abertura de processos coletivos contra crimes, corrupção ou atitudes aéticas, 5. Consulta a técnicos e cientistas para propostas de medidas e contramedidas e 6. Exigências de explicação por mídia e de alcance nacional sobre projetos, lobistas e transgressões às leis aplicáveis aos atos administrativos, legislativos e judiciários.
 
(b) Desenvolvimento de debates moderados, com críticas cooperativas, para formulação de propostas e ações.
 
(c) Criar uma fonte fiscalizadora das práticas e dos procedimentos de governos e de políticos, para exigir resultados e controles.
 
(d) Criar um Pensamento Político para essa nova era da Complexidade e do Caos, onde o planeta começa a sucumbir.
 
Os chamados CIBERATIVISMOS não se consolidaram no Brasil, ainda, ficando à mercê de moderadores tacanhos, acanhados e medrosos, que deveriam ser corajosos agentes motrizes de mobilizações, em escalas diversas de estimulações e até movimentos externos de intimidação contra os malandros e corruptos que governam o país.
 
O CIBERATIVISMO deveria ser capaz de promover o sepultamento político de marginais, estereotipar a Justiça de bandoleiros, separando o joio do trigo, impor o respeito e a parcimônia com os cofres públicos, o desenvolvimento da natureza humana em atividades privadas num Estado Enxuto, com Ordem e Progresso, engrandecer a honra da pátria e seus valores, destacar o mérito do conhecimento e da educação, que são os fermentos de um País Potência e o Gigante não repousará mais em berço esplêndido e sim ajudará a mover o mundo com a grandeza de sua capacidade.
 
Portanto, tomara que o "Web 3.0 - buscador do Google pensará como o usuário" não chegue tão cedo ao Brasil, para que haja tempo de uma virada nacional para a ORDEM E PROGRESSO.



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!