As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 07-06-2012. Acessado 1229 vezes.
Título da Postagem:Brasileiros concordam com o uso da tortura para obtenção de provas criminais
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 07-06-2012 @ 02:22 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

Quase metade dos brasileiros concorda com uso de tortura para obter provas na Justiça

O Povo julga que torturar para os fins da VERDADE é válido no objetivo de abreviar os processos, seus custos e repercussões jurídicas ... (NDA).

http://www.administradores.com.br/informe-se/cotidiano/quase-metade-dos-brasileiros-concorda-com-uso-de-tortura-para-obter-provas-na-justica/55903/

06 de junho de 2012, às 07h59min

Quase metade dos brasileiros concorda com uso de tortura para obter provas na Justiça

Pesquisa do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) mostra que quase metade dos brasileiros concorda com o uso de tortura para obtenção de provas nos tribunais. O levantamento, feito em 2010 e divulgado ontem (5), utilizou a frase "os tribunais podem aceitar provas obtidas através de tortura" e obteve discordância de 52,5% dos entrevistados, contra 71,2% em 1999.

Para a coordenadora da pesquisa, professora Nancy Cardia, o desapontamento da população com a eficiência da Justiça e das polícias em esclarecer crimes mais graves pode explicar o aumento da aceitação do uso de tortura para obtenção de provas.

"Existe uma frustração com o desempenho do nosso sistema de Justiça. Ao longo desse período, de 1999 a 2010, houve um crescimento brutal da população prisional, mas não necessariamente estão nas prisões as pessoas que cometeram os crimes que produzem mais medo na população", disse.

A pesquisa aponta que, para a maioria dos entrevistados, a polícia deve "interrogar sem violência". No entanto, aproximadamente um terço dos pesquisados concorda que a polícia, para obter informações sobre crimes, submeta suspeitos a meios extralegais como: "ameaçar com palavras", "bater", "dar choques ou queimar com ponta de cigarro", "ameaçar membros da família" e "deixar sem água ou comida".

Para a coordenadora da pesquisa, o desapontamento da população com a eficiência da Justiça e das polícias em esclarecer crimes mais graves pode explicar o aumento da aceitação do uso de tortura para obtenção de provas (Imagem: Thinkstock)

O uso de algum tipo de violência é mais aceito para suspeitos de delitos como estupro (43,2%), tráfico de drogas (38,8%), sequestro (36,2%), uso de drogas (32,3%) e roubos (32,1%). Estes suspeitos poderiam receber um pior tratamento durante a investigação policial, na opinião dos pesquisados. O levantamento mostra que quanto mais jovem o entrevistado, maior parece ser a tendência em apoiar o uso de práticas de tortura.

De modo geral, os entrevistados continuam desaprovando o uso de força pela polícia. Porém caiu, no período de 1999 a 2010, os que "discordam totalmente" que a polícia pode: "invadir uma casa" (de 78,4% em 1999 para 63,8% em 2010), "atirar em um suspeito" (de 87,9% para 68,6%), "agredir um suspeito" (de 88,7%, para 67,9%) e "atirar em suspeito armado" (de 45,4% para 38%).

Para a maioria dos entrevistados, a prisão é percebida como pouco ou nada eficiente tanto para punir (60,7%) ou reabilitar (65,7%) os infratores, como também para dissuadir (60,9%) e controlar (63%) possíveis criminosos.

Os entrevistados também foram ouvidos sobre as penas que seriam mais adequadas para os crimes graves – identificados pelas pessoas pesquisadas como os que atentam contra vida, terrorismo, corrupção, estupro e tráfico de drogas.

O maior consenso identificado foi sobre o uso da pena de prisão perpétua para alguém condenado por terrorismo (35,9%), a pena de prisão com trabalhos forçados para políticos corruptos (28,3%) e a pena de morte aplicada a estupradores (39,5%). A opção de pena de prisão é mencionada por 32% dos entrevistados para os sequestradores, maridos que matam a mulher (30,5%), jovens que matam (37,2%) e traficantes de drogas (28,8%).

Curta o Administradores no Facebook e siga os nossos posts no @admnews.
 
=====================
A prática da tortura no regime Lulista / Petista ...
 
Por Lewton Burity Verri

Os titulares do ministério da justiça e da secretaria de direitos humanos deveriam ser exonerados sumariamente ... A tortura sobre os jovens delinquentes chega próxima da "mutilação". Esta atual governança socialista / comunista, que se apega aos casos de tortura, em comunistas, terroristas e guerrilheiros, do regime militar de 1964 /1985, não olha para os brasileiros "excluídos" da assistência do estado ...

Batem da tecla do "justiçamento" dos torturadores da revolução militar e se omitem numa ação urgente para bloquear a irresponsabilidade, com jovens, de torturas na égide de sua própria "administração".

Denúncias junto a ONU foram feitas, uma vez que nem a própria justiça brasileira se interessa em solucionar o caso - se faz de cega, surda e muda.

A tortura no Brasil está em ritmo crescente, já que crescentes estão os crimes praticados por jovens, entre 14 e 25 anos. E como alardeiam estamos vivendo numa democracia, sob estado de direito.

Não há nenhuma atuação de Dilma, para evitar o fato. Minimizar nem se fala já que esta atitude tende a admitir uma fração "insignificante" de tortura sobre os jovens.

Dilma em seus discursos e conversas fala de sua coragem e valentia em ter enfrentado a tortura no regime militar, e como senhora de causa, nada faz para proteger efetivamente a juventude do país.

Esta faixa etária de nossa juventude é a que sofre mais as influências das drogas, da cooptação criminal por falta de alternativas, tem baixo índice de empregabilidade e está incluída no paz - “programa atenção zero” do estado petista.

=== segue o artigo denunciante e os 10 links das respectivas notícias sobre o assunto ...

Por Jamil Chade, estadao.com.br, atualizado: 24/6/2011 0:13

ONU põe Brasil sob suspeita de tortura e visitará cadeias e unidades para jovens

A organização das nações unidas (ONU) fará a maior inspeção internacional já realizada nas prisões brasileiras para avaliar sérias denúncias sobre o uso da tortura no país.

Segundo informações reveladas ao estado com exclusividade, a missão recebeu evidências de ONGs e especialistas apontando para violações aos direitos humanos em centros de detenção provisória, prisões e nas unidades que cuidam de jovens infratores em vários estados.

Não é a primeira vez que a tortura no Brasil vira alvo de investigação na ONU (veja abaixo) e a missão promete ser dura com as autoridades. Os locais de visita estão sendo mantidos em sigilo para que o grupo de inspetores faça checagem de surpresa nos locais considerados críticos, impedindo que as autoridades 'preparem' as prisões e 'limpem' eventuais problemas. Também será a primeira vez que a tortura será investigada em unidades para jovens - como a antiga FEBEM.

Para poder surpreender as autoridades, a viagem que ocorrerá no início do segundo semestre tem agenda não divulgada.  A ministra de direitos humanos, Maria do Rosário, só foi informada de que a missão ocorrerá e será liderada pelo subcomitê de prevenção da tortura da ONU. Mas não recebeu nem a lista das cidades que serão inspecionadas nem quais instituições serão visitadas. Caberá ao governo somente dar acesso irrestrito aos investigadores.

No total, o grupo contará com cinco especialistas internacionais.  Para garantir a confidencialidade das discussões, o documento não será publicado sem que exista autorização do governo.  

A brasileira Maria Margarida Pressburger, que integra o subcomitê, não fará parte da análise. Ela espera que os inspetores encontrem uma situação alarmante. 'Existem locais no Brasil em que a tortura se aproxima da mutilação.'

1. http://www.estadao.com.br/noti...

2. http://veja.abril.com.br/blog/...

3. http://jc3.uol.com.br/blogs/bl...

4. http://quemtorturou.wordpress....

5. https://conteudoclippingmp.pla...

6. http://forum.antinovaordemmund...

7. http://tudoeespanto.blogspot.c...

8. http://oglobo.globo.com/pais/n...

9. http://www.pastoraloperaria.or...

10. http://www.gamalivre.com.br/20...

==== O REVANCHISMO DA COMISSÃO DA VERDADE

O Povo julga que torturar para os fins da VERDADE é válido no objetivo de abreviar os processos, seus custos e repercussões jurídicas ...

Quais tipos de revanchismos estes jovens irão "cobrar" da sociedade? Serão mais graves do que os praticados por Dilma e seus comparsas, da guerrilha e do terrorismo de suas juventudes - 1964 a 1985?

==== Brasil tem mais de 150 mil inquéritos de homicídios sem solução -

Por Priscila Trindade, estadao.com.br, atualizado: 10/5/2011 10:54

São Paulo - dos inquéritos sobre homicídios instaurados na justiça brasileira até 31 de dezembro de 2007, 151.819 ainda estão sem solução. O levantamento foi divulgado ontem, 9, pelo conselho nacional do ministério público, que fez o balanço com base nos dados enviados até 30 de abril deste ano. O levantamento revela que o rio de janeiro tem 60.000 inquéritos sem conclusão, seguido de minas gerais, com 20.000 inquéritos, e espírito santo, com 13.610. Esses estados têm os maiores índices do país de inquéritos sem conclusão. Em outros estados, porém, o número de procedimentos em aberto diminuiu. O distrito federal tinha 1.192 inquéritos em dezembro do ano passado e hoje está com 640 a serem concluídos, o que representa uma redução de 46%. O Paraná tem 7.352 procedimentos hoje, contra 9.287 em dezembro do ano passado, uma redução de cerca de 20% no volume de inquéritos. Segundo o conselho nacional do ministério público, o prazo para conclusão dos inquéritos é até julho de 2011, para os estados com até quatro mil procedimentos, e até dezembro de 2011, para os demais. Os dados foram extraídos do “inqueritômetro”, sistema que será atualizado mensalmente e permitirá a impressão dos gráficos e comparação da taxa de homicídios entre os estados. O levantamento conta com informações repassadas até 30 de abril deste ano ao conselho nacional do ministério público.




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!