As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 03-07-2012. Acessado 1566 vezes.
Título da Postagem:O rasante do Falcão Prata e a cachoeira de vidros no STF
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 05-07-2012 @ 09:47 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]

O rasante do Falcão Prata e a cachoeira de vidros no STF

- Eu juro que foi sem querer, disse o Falcão Prata, após seu rasante, com o caça Mirage 2000, sobre os telhados do STF, na Praça dos Três Poderes, durante cerimônia de troca da bandeira nacional, que destruiu a fachada do prédio do Supremo Tribunal Federal (STF) no domingo, dia 01/07/2012.
 
O avião do Falcão Prata, cujo nome do piloto a FAB não forneceu, atingiu velocidade de 1.100 km/hora, incompatível para este tipo de apresentação, neste tipo de local, justamente por poder provocar "ondas de choque", quebrando vidros e causando outros estragos. A velocidade do som ao nível do mar é de 1.225 km/h.
 
Um alarido de nervosos burocratas da justiça e de políticos tementes de reações violentas, em relação às suas estultícias, e crimes lesa-pátria, ecoou sobre o planalto central do Brasil. Vão multar a Força Aérea Brasileira e já “suspenderam” os serviços do audaz piloto.
 
Manifestantes aproveitaram o alarido e pediram aos gritos: - Lancem mísseis ... Lancem mísseis! E continuaram a bravejar por ações militares de “limpeza ideológica”: - Este é o terceiro alvo ... porra! Atirem no primeiro e no segundo alvos!
 
O reboliço foi criado e o Falcão Prata lamentava o ocorrido junto ao chefe japonês (não daqueles clássicos shoguns e samurais, mas o pacífico “pomba do sol nascente”, o Brigadeiro Juniti Saito, que só briga com seus comandados).
 
Falcão Prata disse que não tinha uma idéia de como ocorreu, pois o velocímetro de sua aviônica indicava velocidade de 1.000 km/hora. E até acha que o instrumento está “meio descalibrado” metrologicamente, pois a FAB não tem verbas para uma metrologia profunda em suas esquadrilhas.
 
Ele lembrou do Demóstenes Torres pedindo desculpas após seu grande crime de violação do decoro parlamentar, com Carlinhos Cachoeira. E ainda Falcão Prata disse que terminou por criar uma nova versão do tal “quem tem telhado de vidro, não atira pedras nos telhados de vidros dos inimigos / adversários”. Ele diz que uma nova contribuição folclórica à política da estupidez brasileira será: - Quem tem janelas de vidro NÃO atira ondas de choque nas janelas de vidro dos inimigos / adversários. E a FAB tem janelas de vidro, também?
 
E ele lembrou do LULA, que no mensalão dizia que nada sabia. E Falcão Prata completou, afirmando, que não sabia que as vidraças do STF NÃO eram blindadas.
 
Mas, nos últimos 10 anos de tanto ouvir/ver os Petistas, os juristas rábulas e os políticos, das alianças governistas, de tanto “blindarem” criminosos e bandidos, do legislativo e do executivo, ele acreditava que tudo estava realmente “blindado”, até os vidros.
 
Meio cabisbaixo ele lamuriava que se Delúbio Soares vai assumir a culpa pela chefia da quadrilha do mensalão, em lugar de José Dirceu e de Genoíno, para livrar estes dois bandidos terroristas da prisão em algum SPA Petista, como se esta “metáfora jurídico-criminal de meliantes” fosse funcionar, ele até poderia fazer isto com o cabo e o sargento que preparam a dispensação da aeronave para ele fazer as manobras aéreas sobre a Praça dos 3 Poderes.
 
Mas, Falcão Prata é um oficial honrado, estudou feito nerd americano, para se tornar piloto de CAÇA à Jato da FAB, voa em aeronaves velhas, com validade vencida, jurou diante da bandeira nacional, a qual ele saudava com sua nave trovejante, em rasantes calculados, a seguir as determinações constitucionais e militares, jamais faria isto com os cabos e sargentos que preparam o “seu” jato francês muito envelhecido. O caça, talvez, não voe mais de 3 horas seguidas sem apresentar alguma disfunção perigosa.
 
Falcão Prata ainda alega que ele estava chefiando esquadrilha e NÃO quadrilha ...
 
Tem gente confundindo acidente com incidente, ilegal falha por instrumentação velha, com a velha falha dos instrumentos legais. Ele estava chefiando esquadrilha e NÃO quadrilha.
 
O pequeno “conselho de guerra” do Falcão Prata avaliou suas ações como patrióticas, já que ele mostrou a fragilidade em que se encontram as instituições políticas e constitucionais do planalto. Algum ato terrorista pode ser desencadeado a qualquer momento, com ou sem Guarda Nacional, com ou sem Dragões da Independência. E olha que explosões terroristas espalham peças de metais e não só de vidros, e ainda produzem ONDAS DE CHOQUE com fogo e destruição quase total.
 
Independente dos conselhos dos Estados Maiores Militares, os grupos de colegas contemporâneos criam os seus pequenos “conselhos de guerra” e sabem muito bem se o Estado Maior está certo ou errado, se está arbitrário ou imparcial, se está ideologicamente afetado e corrompido.  
 
Tem político em Brasília que não vai doravante ficar em nenhum palanque cerimonial de desfiles ou manobras militares, ou que tenham militares em redor. Cuida que alguém resolve metralhar ou dinamitar os palanqueiros infernais do Petismo e de seus coligados? Quem lembra da morte de Anuar Sadat?
 
=============================
 
“Reportagem de Marco Antônio de Rezende, do Cairo
 
 
Reportagem de VEJA publicada em 14 de outubro de 1981
 
Com garbo e orgulho, a esquadrilha de cinco aviões Mirage da Força Aérea do Egito prosseguiu com suas rasantes piruetas enquanto outros aparelhos soltavam caudas de fumaça vermelha, branca e preta - as cores nacionais do Egito - no céu ensolarado do Cairo. Para os pilotos, a perfeição era essencial: embaixo, na terra, o presidente Anuar Sadat deveria estar com os olhos voltados para cima acompanhando as evoluções, satisfeito. Até as 13h02 da fatídica terça-feira da semana passada, assim foi. Mas, naquele instante, retomando as palavras de Moshe Dayan, "o mundo mudou” ... Com sua impecável farda azul-marinho de mushir - marechal e comandante-em-chefe - encharcada de sangue, Anuar Sadat estava mortalmente ferido no pescoço, peito, braço e pernas.
 
===========================
 
Então, o pânico tomou conta dos Petistas e do Lulismo, pois parece haver uma convergência de forças cercando tais bandoleiros, Cuba e Fidel Capitalista, Honduras e Zelaya, Paraguai e Lugo, Venezuela e o socialista bolivariano Chávez, Argentina e Cristina populista social, o que vem mostrando que todos os sistemas políticos e administrativos das esquerdas estão em auto-demolição, e agora no Brasil de telhados de vidros para janelas de vidros, os Petistas já dizem: - Em comemorações e desfiles, que têm militares nos protocolos, ESTOU FORA!
 
Como o sistema Petista funciona com dois pesos e duas medidas, em qualquer segmento: político, técnico, econômico, jurídico, administrativo, já começa a ocorrer uma acumulação de energias para ativar uma violenta combustão psicológica de REVANCHISMO e HIGIENE, para situar o Brasil nos patamares da civilização chilena, como Pinochet deixou o Chile ...
 
E querem punir o Falcão Prata. Vem muito ódio e energia revanchista por ai. Talvez seja melhor punir com eficiência jurídica todos os mensaleiros e corruptos do Brasil, pois estes nascem como tiririca do brejo, ao passo que piloto de caça é ouro em mina esgotada ...
 
O rasante do Falcão Prata e a cachoeira de vidros no STF terminaram sendo um sinal de início das reformas por bem ou por mal. Reformas duras, caso contrário o Brasil irá sucumbir como a pátria desamada, mal amada e esquecida pelos seus guardiões e pelos seus protetores semi-patriotas ...
 
SENTA A PÚA, FORÇA AÉREA BRASILEIRA!  
 
Abraços,
 
Lewton



Bookmark and Share

Comentários

verdade em 03-07-2012 às 01:49 pm

Parabéns. O texto é excelente. Muito bom.


Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!