As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 26-10-2012. Acessado 690 vezes.
Título da Postagem:Se você não resolve os problemas, o problema será seu e de todos, um problemão
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 26-10-2012 @ 11:14 am
[ Avise alguém sobre este texto ]

Se você não resolve os problemas, o problema será seu e de todos: a vida será um problemão

Tags: JUSE, União Japonesa de Engenheiros e Cientistas, solução de problemas, problemas abertos, problemas fechados, problemas draconianos, causas próváveis, árvore de falhas, propagação e acumulação de defeitos, falhas operacionais, burocracia, qualidade, produtividade, economia, disfunções, omissões, tratamento estatístico, Zero Defeito, IDH, GINI
 
Segundo a JUSE - União Japonesa de Engenheiros e Cientistas existem muitas CAUSAS PROVÁVEIS para um PROBLEMA. Este é uma DISFUNÇÃO da administração ou de operações DESCUIDADAS e sem controle efetivo, que resultam em omissões, falhas, defeitos, acidentes, catástrofes, explosões, incêndios, improdutividade, dispêndios de dinheiro, poluição, afetação nos seres humanos, doenças, crimes, danos ambientais e tudo que é tipo de perdas incálculáveis, dentre elas a mortandade ...
 
Existem duas espécies de problemas:
 
1. Problemas fechados - que desaparecem com uma solução científica definitiva e
 
2. Problemas abertos - que apesar de terem soluções científicas temporais, eles possuem um certo prazo de validade, em que sua solução adquire uma "transitoriedade", até que os fatores de suas causas, antes bloqueados, venham a modificar sua conjuntura e parâmetros ...
 
E nem todos os problemas precisam de investimentos financeiros para as suas soluções. Há os problemas que são solucionados com o raciocínio estatístico e o seu bloqueio com procedimentos padronizados, e de fáceis, rápidos, econômicos e simples contextos de assimilação e difusão integrada.
 
Para solução dos problemas - sem investimentos - existe o conceito dos "3MU" que possuem uma técnica mental de raciocínio, para identificá-los, e classificá-los como Muda, Mura ou Muri (em japonês), sendo eles eliminados, para se maximizar os ganhos de tempo e movimento, economia e poupança, de recursos materiais e humanos, minimizar riscos de acidentes, incêndios e explosões, ajustar ritmo e sincronismo entre setores e atividades e etc.
 
Nas empresas deve haver uma massificação de Educação e Treinamento (E&T), em Administração Científica da Qualidade, para resolver os problemas fechados e sem necessidades de grandes investimentos, para reduzir perdas em geral e maximizar ganhos, numa boa relação de "custos x benefícios". Vamos reduzindo diversas intererências de fatores "secundários e terciários" que corroboram com a perpetuação dos problemas "draconianos". E por seguinte, iremos minimizando a escala dos problemas draconianos, voltando a colocá-los como pequenos "problemas largatixas", até os eliminarmos após ações conscientes de controle administrativo...
 
Os Problemas ainda possuem a SÍNDROME DA ACUMULAÇÃO E DA PROPAGAÇÃO, repercutindo em vários lugares e nos lugares seguintes à sua fonte de ocorrência. Se acumulam de um departamento para outro, ou de um processo para outro, ou de determinados procedimentos para os seguintes. E se espalham em propagações multisetoriais e locais, atingindo tudo e todos, na sua “passagem” catastrófica.
 
Como já vimos os problemas "acontecem" dentro de PROCESSOS tipificávies e irão produzir REPERCUSSÕES mais calamitosas e draconianas por mais tempo que se deixá-los PROPAGAREM. Se a administração e a operação deixarem o problema transcorrer, estarão PROTELANDO seu BLOQUEIO e onerando a empresa ou a sociedade (Serviços Públicos, por exemplo) - não só produzindo as DISFUNÇÕES, como também, ATRASANDO a evolução TECNOLÓGICA e/ou CIVILIZATÓRIA.
 
Como a Engenharia e a Tecnologia "administram" suas atividades por meio do CONCEITO de PROCESSO temos as representações de sua ESTRUTURA e composição de FATORES ou CAUSAS, no formato de Espinha de Peixe (segundo Ishikawa), ou espinha dorsal. Possuem uma coluna dada, central, com várias ramificações...
 
Portanto, para tal configuração de PROCESSOS existem dezenas de CAUSAS PROVÁVEIS para a ocorrência de PROBLEMAS e suas DISFUNÇÕES: omissões, falhas, defeitos, acidentes, catástrofes, explosões, incêndios, improdutividade, dispêndios de dinheiro, poluição, afetação nos seres humanos, doenças, crimes, danos ambientais e tudo que é tipo de perdas incálculáveis, dentre elas a mortandade...
 
As CAUSAS PROVÁVEIS mais frequentes que os japoneses identificaram estão relacionadas aos fatores: Máquina, Matéria prima, Mão de obra, Meio ambiente e Medida.
 
As CAUSAS PROVÁVEIS mais frequentes atingem o total de 66 causas ou fatores que podem produzir PROBLEMAS ou DISFUNÇÕES:
 
1. Máquina - 12 fatores;
 
2. Matéria Prima - 10 fatores;
 
3. Mão de Obra - 12 fatores;
 
4. Método - 10 fatores;
 
5. Meio Ambiente - 12 fatores e
 
6. Medida - 10 fatores.
 
Total: 66 fatores que podem se combinar e produzir uma CATÁSTROFE ou simplesmente PROBLEMAS / DISFUNÇÕES.
 
NOTAS:
 
1. SEM CONTROLE EFETIVO, ISTO É, MANTENDO VIGILÂNCIA NESTE CONJUNTO FUGIDIO DE FATORES, NÃO HAVERÁ SEGURANÇA NA ENGENHARIA E NEM DA TECNOLOGIA (E NEM NOS SERVIÇOS PRIVADOS E PÚBLICOS) - "ORAI E VIGIAI".
 
2. AS PROMESSAS DOS GOVERNANTES NUNCA "FUNCIONAM", POIS NÃO SABEM FAZER O CONTROLE EFETIVO DOS CONJUNTOS DE FATORES DE SEUS PROCESSOS ADMINISTRATIVOS E NEM SABEM SOLUCIONAR AS DISFUNÇÕES DECORRENTES ...
 
3. ALÉM DAS INDICAÇÕES ADMINISTRATIVAS NÃO SE BASEAREM EM QUALIFICAÇÃO OBJETIVA, PARA A FUNÇÃO INDICADA.
 
Se os PROBLEMAS continuam a ocorrer é sinal de que não foram BLOQUEADOS (solucionados) e a sua CAUSA PROVÁVEL não foi ainda ISOLADA. Então, os problemas vão ACUMULANDO e PROPAGANDO. Vão do tamanho da LAGARTIXA até virarem DRAGÕES (problemas draconianos) - ficando humanamente INSOLÚVEIS, se não houver qualificação da administração privada ou pública - para a ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA DA QUALIDADE.
 
Sem esta visão a administração privada e pública no Brasil vira mero EXERCÍCIO INÓCUO de funções, não só produzindo as DISFUNÇÕES, como também ATRASANDO a evolução TECNOLÓGICA e/ou CIVILIZATÓRIA.
 
No Brasil os governos, principalmente, com suas nomeações políticas de cupinchas e desqualificados para ministros, secretários, assessores e as eleições de gente de má fé, desqualificadas e ignorantes, para presidente, governadores e prefeitos termina nos colocando no exagero da estupidez administrativa ACUMULATIVA e PROPAGANTE, nos levando ao RECESSO PERPÉTUO ...
 
O Brasil está entre as 10 MAIORES ECONOMIAS do planeta, não por capacidade administrativa, mas por dimensão estapafúrdia e o porte de suas riquezas naturais. E está atrasado em tudo, e bem atrás da 70ª posição em quase todos os RANKINGs tecnológicos, educacionais, sociais, humanos e civilizatórios.
 
Seria normal para o país estar entre as 10 MAIORES ECONOMIAS do planeta e estar entre os 10 mais em tudo que é RANKING. O que não ocorre com o Brasil - aí está a evidência da incompetência administrativa dos governos brasileiros: Federal, Estaduais e Municipais. E só pedindo VERBAS para isso e aquilo. Para cada R$ 7,00 a R$ 10,00 arrecadados pelos governos, no Brasil, apenas R$ 1,00 vira benefício para o IDH - Índice de Desenvolvimento Humano.
 
Se você não resolve os problemas, o problema será seu e de todos, e a vida será um problemão, teremos muitas perdas e prejuízos: humanos, sociais, materiais, econômicos, ambientais, de tempo civilizatório e muitas disfunções e mazelas acumulativas e propagantes.
 
Abraços,
 
Lewton



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!