As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 13-03-2013. Acessado 3143 vezes.
Título da Postagem:Marte suas cidades e Fobos, a sua estranha Lua
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 13-03-2013 @ 11:14 am
[ Avise alguém sobre este texto ]

Tags: NASA, Marte, vida, extraterrestre, Fobos, Ramatis, mediunidade, cidades, luzes

MARTE SUAS CIDADES E FOBOS, A SUA ESTRANHA LUA

 

RAMATIS tinha toda razão...

 

No início dos anos 1980, as estranhas condições da lua marciana denominada Fobos, despertou a curiosidade da ciência da NASA - Agência Nacional de Aeronáutica e Espaço dos EUA (http://www.nasa.gov/).

 

E aquela foi a época quando a NASA descobriu que com as viagens das naves VOYAGER (1 e 2, em 1977) e de outras sondas espaciais, a navegação, para longas distâncias siderais, era altamente dispendiosa e demorada, para levar astronautas e trazê-los de volta.

 

Não temos ainda tecnologia de propulsão-econômica e de grande produtividade no empuxo. A navegação sideral só poderia ser realizada por ROBÔS e naves automatizadas, com pequenos veículos de exploração de superfície, a fundo perdido. Isto é, todos os equipamentos ficariam perdidos no Cosmo, ou no solo dos planetas, luas e objetos de nosso sistema solar e até no espaço exterior dele.

 

Veio a geração dos telescópios, orbitantes pela Terra ou acoplados às naves / satélites, buscando imagens nos confins do espaço e do denominado Geoprocessamento de Imagens, a ampliação de fotogramas analógicos e digitais, com hardwares e softwares capazes de tratamento dos pixels das imagens captadas: densidade, contraste, cromatismo, matiz, relevo, sombreamento, rotação tridimensional e etc. E por determinadas faixas de radiação espectral e emissiva, também, foi possível se aprofundar na constituição material dos objetos visualizados e se detectar metais, minerais, carbono, hidrocarbonetos, água e etc.

 

A NASA com isto terminou desenvolvendo a mais avançada tecnologia de investigação e análise de imagens, desde o lançamento das naves VOYAGER, no fim dos anos 1970. E com isto passou a investir cerca de 70% do seu orçamento neste tipo de tecnologia e da sua robótica periférica. Antes ela consumia cerca de 70% do orçamento em lançamento de foguetes e planejamento de exploração espacial tripulada (houve uma inversão na aplicação do orçamento: antes 70% em foguetes e 30% em imagens. E hoje 30% em foguetes e 70% em imagens * Profº Msc. Rodrigo Rodrigues - UBM Pós Graduação).

 

Antes de explorar algum lugar cósmico haveria a exploração visual e de relevo por imagens, por robótica. E esta estratégia está sendo usada para explorar o planeta Marte, por extensão a Fobos. Buzz Aldrin ex-astronauta da Apolo 11, diz que em Fobos existem cidades, e intensas atividades luminosas, de convenção NÃO natural.

 

Os russos idealizaram viagens espaciais para Fobos, mediante as intrigantes observações de várias sondas anteriores americanas. Julgaram que Fobos seja uma nave espacial marciana “camuflada”, com cobertura “rochosa” e com instalações em seu ventre e na superfície.

 

Por causa de Fobos e pelas imagens gravadas pelas sondas “veteranas”, que passaram anteriormente próximas por lá, as engenharias aeroespaciais dos EUA e da Rússia, cismaram em explorar a superfície do planeta Marte. E muita coisa estranha foi vista e registrada.

 

Nasceu o programa do Robô CURIOSITY da NASA e que se acha em ação, em Marte.

 

Toda aquela tecnologia de tratamento de imagens - Geoprocessamento - passou a ser aplicada na engenharia de satélites de controle e monitoramento da superfície da Terra. Portanto, atualmente temos a possibilidade de monitoramento da superfície do nosso planeta, com a utilização comercial de satélites para tais fins, o que se tornou muito útil para o monitoramento ambiental do planeta.

 

Tal monitoramento é empregado no controle do antropismo humano, da degradação ambiental, da contaminação de corpos d'água, na meteorologia, no clima em geral, na ocupação e uso do solo e etc. E o que ainda vai revolucionar a engenharia da construção civil e demais tecnologias ligadas ao meio ambiente...

 

Fobos, uma pequena lua de Marte, vista a 5.800 km de distância pela Mars Global Surveyor. Foto NASA/JPL/Universidade do Arizona, Fonte: www.zenite.nu.

 

Esta estranha lua de Marte vaga numa órbita improvável para seu porte, sua estrutura e velocidade.

 

Acompanhando a Tecnologia de Imagem e de Geoprocessamento:

 

1. http://www.youtube.com/watch?v=Pnt5WKo6SCY , Tempo: 5:08 - Neste visualizamos Fobos.

2. http://www.youtube.com/watch?v=2DoZHWi1_oA , Tempo: 7:19 - Neste aqui temos uma cidade em Marte?

3. http://www.youtube.com/watch?v=FeEtcG388Z4 , Tempo: 8:20 - Neste temos outra cidade?

4. http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=HB0GcThNvSM&feature=endscreen , Tempo: 5:42 - Neste temos mais outra cidade?

 

Leiam ainda: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2013/03/12/nasa-encontra-condicoes-para-a-vida-no-passado-de-marte.htm  - Nasa encontra condições para a vida no passado de Marte

 

Abraços,

 

Lewton

 

Antigo Leitor de RAMATIS

Falta-nos localizar RAMATIS, espírito que ditou o livro "A Vida no planeta Marte", para o médium Hercílio Maes. http://www.ramatis.com.br/livraria/a-vida-no-planeta-marte.php .




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!