As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 10-23-2006. Acessado 453 vezes.
Título da Postagem:A Origem da Coisa
Titular:Dr. Nivaldo Cordeiro
Nome de usuário:NivaldoCordeiro
Última alteração em 10-23-2006 @ 08:32 am
[ Avise alguém sobre este texto ]
Curriculum 
Vitae

 

 

 

Autor: * Dr.Nivaldo Cordeiro

22/10/2006

 

Aviso: se você, leitor, é socialista ou estatista ou ateu  em qualquer grau, não leia as linhas abaixo. Vai se aborrecer.

 

Todo mundo se pergunta como é que Lula e seu partido, a dar crédito às pesquisas de opinião, irão ganhar as eleições depois da sucessão de escândalos, roubalheiras, malas de dinheiro, dólares na cueca, mansão de orgias, assassinatos inexplicados, todo o elenco de tipificações do Código Penal infringido, pelo menos aqueles mais nefandos, que veio a público em tempo para o eleitor “saber” e meditar. O brasileiro virou canalha e vota em canalha, num “brasileiro igualzinho a você ? Eu não visto a carapuça e penso que a metade decente desse País também não. A questão é se perguntar porque uma grossa maioria virou uma banda podre, cuja moralidade desceu mais baixo do que a dos seus representantes, dando-lhes a dignidade de governantes, com o poder de definir os destino maiores da Nação. Tentarei responder aqui.

 

Não creio que argumentos de ordem técnica de comunicação possam explicar alguma coisa. As informações fluíram durante meses em todos os meios de comunicação e não “pegaram” em Lula. Todo mundo sabe que a turma de Lula rouba. O efeito foi inverso, parecendo que a votação do segundo turno será consagradora, ainda maior do que aquela verificada no primeiro turno. O eleitorado não enxerga um sem-vergonha no Planalto, mas um herói, um self-made-man que do nada saiu e – muito importante – não se esqueceu dos seus. Sua votação no Nordeste é paradigmática, mas o Barbudo está sendo bem votado em todo canto. Seu carisma é nacional.

 

[Não deixa de ser curioso que, nesse Brasil qualhado de farsantes eu deva participar na próxima semana de um colóquio patrocinado pelo Instituto Liberal e pelo Liberty Fund cujo tema é “Fundamentos morais de uma sociedade livre”. Bem a calhar e quisera que nosso colóquio fosse reproduzido no horário nobre da TV. Mas o povão não quer saber desses temas áridos de velhos desocupados, quer mais é sua bolsa-esmola qualquer, garantindo o seu “mensalinho”.]

 

O que explica o fenômeno, então? Na verdade, a literatura que dá fundamento ao Colóquio, por incrível que possa parecer, e é o que há de melhor no Ocidente e no Mundo (se se desconsiderar autores como Ortega, Julian Marias, Zubiri, Leo Strauss, Eric Voegelin e todos os autores cristãos), explica em parte a nossa miséria moral. Esses autores citados não são lidos por aqui. Os moralistas indicados sim, e são todos filhos ou do Idealismo filosófico, ou do Empirismo inglês, ou do Positivismo que imperou entre meados do século XIX e meados do século XX. Toda a questão é saber porque alguém deve se comportar de uma maneira tal e qual considerada adequada e porque o sistema jurídico deve sancionar tal visão de mundo. Esses autores são filhos do mesmo movimento intelectual que deu origem a Rousseau, Marx e Gramsci, os principais profetas do caos moral oriundo do relativismo moral. O Direto Natural fundado unicamente na Razão é uma falsificação perigosa que deu a brecha para o Mal crescer e fortalecer-se. O mesmo pode ser dito sobre a redução da metafísica à Razão, como o fez Kant. A conseqüência foi Nietzsche e a decretação da morte de Deus. Nietzsche é o grande profeta da modernidade, o seu coroamento também.

 

O ponto é: o socialismo é irmão gêmeo do liberalismo ateu e de suas fontes filosóficas. E qual é o ponto principal do socialismo, além do ateísmo confesso? A abolição da maldição divina que está no Gêneses, de que o Homem deve comer o pão com o suor do seu próprio rosto. Escrito de outro modo: “Não roubarás!” Cristo não foi crucificado ao acaso entre dois ladrões, seu gesto simbólico sancionou esse mandamento que vem do Pai. O ladrão arrependido vai ao Paraíso e o que não se arrependeu foi condenado à danação eterna.

 

E o que é o socialismo? É a aceitação teórica e prática do roubo estatal como substituto das virtudes privadas. Rasga o mandamento divino, que fundamenta o verdadeiro Direito Natural. É um projeto para corrigir a Criação a partir do roubo e do vício não pode nascer nenhuma virtude. Onde imperou o socialismo adveio o caos, a guerra, a destruição, a regressão civilizacional. Socialismo é roubo institucionalizado. Ora, se podem meter a mão no meu rendimento, na minha conta corrente, na aquisição dos meus bens, pode-se qualquer coisa. Se os deserdados da sorte supostamente são vítimas dos melhor aquinhoados e o Estado se propõe a corrigir tal distorção, então roubar passa a ser lícito, uma ação direta de reparação de uma suposta injustiça social. Esse é o fruto da Razão tornada substituta de Deus. Daí porque movimentos como o MST ganham a simpatia da população e das autoridades constituídas, rasgando-se o sistema legal vigente enquanto outro está em gestação. O argumento de aceitação foi ensinado na escola, quando crianças e jovens. Lições de Rousseau, Marx e Gramsci.

 

O problema é que os partidários do socialismo querem mais. São o Mal em ação, a personificação da Besta. Querem tudo, a alma, os bens, a liberdade de todos nós. Por isso que Gramsci foi tão maléfico para a humanidade, pois ensinou seus partidários a agir de forma homeopática sobre o Estado, a ponto de moldá-lo no longo prazo. Daí vermos absurdos do tipo proibição do fumo do tabaco e a liberalização das drogas ditas “pesadas”. Autorização do aborto e da eutanásia enquanto se libera a pesquisa de embriões, dessacralizando-se a Vida. De menoridade penal que abriga perigosos delinqüentes. De proteção sistemática aos que atentam contra a propriedade privada no suposto de que estão em busca de direitos. A legislação trabalhista brasileira será talvez o monstrengo jurídico mais radical nessa matéria. É um milagre da sobrevivência que nosso mercado de trabalho ainda funcione.

 

Mas o ponto central é mesmo o sistema tributário. Entra ano e sai ano, em todos os países do Ocidente que me vêm à memória, e no Brasil, a maldição tributária só cresce, bancando a boa vida dos burocratas, dos fornecedores do governo, da classe política, dos clientes e dos cabos eleitorais. O sistema de Previdência Social brasileiro é um exemplo dessa irracionalidade, que condena a juventude produtiva a pagar a conta de milhões de seres que não fizeram por merecer o que recebem e foram precocemente acobertados com rendimentos mais das vezes maior do que aqueles que trabalham e pagam impostos. Um roubo financiando outro roubo. Um escândalo.

 

As virtudes, nessas circunstâncias, são resumidas em uma só: bom pagador do Fisco. E o pecado em um único: a sonegação fiscal. Lula o quer tornar um crime inafiançável e em breve teremos a produção de novos Tiradentes. O problema é que essa falsificação irracional não pode durar. É contra a Natureza, é contra o Direito Natural. Quem não trabalha não pode estar em melhores condições do que aquele que trabalha. Seria a restauração da escravidão. Quem não assalta e não toma terra não pode ser menos próspero do que sicários assaltantes, ser menos livre, não poder usufruir dos bens legitimamente adquiridos. Mas é esse o mundo em que estamos metidos e precisamos corrigi-lo.

 

A eleição de Lula é filha desse descenso que começou no Iluminismo e tem seu apogeu nas diversas formas socialistas de Estado. Seu primeiro crime foi assassinar Deus e pôr em seu lugar a Razão. Seu segundo crime foi ferir de morte o direito de propriedade. Morte: é todo o resumo do dicionário socialista.  Por isso preferem sempre o golpe de Estado, que chamam de revolução, às eleições livres, mas não deixam de disputá-las se a ocasião se apresentar. Os liberais ateus estão redondamente enganados na sua pregação, até porque supõem em seus sistemas morais a boa fé das pessoas. Santa ignorância! Os agentes do socialismo agem sempre de má fé. Hitler, Lênin, Stalin, Mao, Fidel: todos mentiram e ficaram longos anos no poder. Patrocinaram o maior sistema de rapina da história.

 

Quem são os culpados? Aqueles que se calaram quando essa corja emitia cada lei, cada decreto, cada portaria de governo, cada tunga apelidada de reforma tributária, cada ordem de endividamento público, cada ação jurídica que escravizou os verdadeiros trabalhadores aos vadios feitos governantes e sua clientela. Lula é filho da vadiagem, que até foi descriminalizada. Deixou de ser vício para ser virtude do coitadismo socialista. A omissão dos maiorais da Nação, nos momentos decisivos, é que deu forma positiva a essa idéia maluca que nasceu com os ateus do século XVIII. Como falou o personagem do memorável filme “V de Vingança”: “Os culpados estão diante do espelho, somos nós mesmos”.(Ver http://www.nivaldocordeiro.org/vdevingancatodos.html)

 

Nivaldo Cordeiro

www.nivaldocordeiro.org




Bookmark and Share
Outas colaborações de NivaldoCordeiro
Veja Mais
Perfil de NivaldoCordeiro
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!