As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 09-09-2013. Acessado 491 vezes.
Título da Postagem:O que é o XIS É uma incógnita numa equação ou num sistema de equações
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 09-09-2013 @ 05:02 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Tags: Eike Batista, falência, consultoria, charlatanismo, administração, falha técnica

 O que é o XIS? É uma incógnita numa equação ou num sistema de equações

E o XIS de EIKE BATISTA?

O Xis na engenharia é um fator desconhecido e perturbador de resultados. Em todo estudo científico de causas e efeitos, ou em processos tecnológicos exatos e em atividades laborais pouco exatas atualmente, sempre se busca o Xis da questão.

E o caso de Eike Batista, o ex-bilionário Xis brasileiro, tem suas origens num Fator Xis bastante estranho, do passado de seu pai. Primeiro que batizou todas as siglas de suas empresas com uma letra Xis. Suas operações tiveram uma ajuda indecorosa de um Fator Xis governamental.

E agora lemos a notícia: "Os novos consultores do grupo EBX aconselharam Eike Batista a demitir todos os executivos do grupo. Seria uma forma de recobrar ao menos um pouco da credibilidade perdida com a crise".

Ver Link (1).

Então, o Fator Xis, "isolado" cientificamente do conjunto de Fatores Xises, são todos os executivos selecionados e recrutados para trabalharem em "empresas incógnitas" de tal grupo EBX? Que esteve se beneficiando de facilitações XISES da uma dada governança federal, em todos os aspectos? Inclusive o de "remoção" dos critérios técnico-científicos da CONCORRÊNCIA PERFEITA ou SEMI-PERFEITA?

O status de "bilionarismo" no Brasil ainda não está associado a Fatores Xises da capacidade da administração científica nacional - estatal e privada... E, sim, está associado às vantagens do "oportunismo predador", ao invés do "oportunismo visionário e instrumentalmente correto".

E leia-se "instrumentalmente correto" como sendo: o profissional certo, para o lugar certo, usando a qualificação certa, aplicando o ferramental certo (métodos e técnicas), com as informações certas, na hora certa, no evento certo, sob o modo de supervisão certo e com toda a segurança (moral, técnica, administrativa, trabalhista, ambiental, humana, econômica, financeira, social e cultural).

Novamente entendemos que o fator Xis da questão não está totalmente identificado. Há um grande naco de Fatores Xises associados não "descoberto" pelos atuais consultores do grupo EBX. Logo, assistimos uma decisão folclórica de "demitir todos os executivos do grupo", para se tornar a dar a credibilidade empresarial que se perdeu. E se perdeu por um conjunto de Fatores Xises.

Como pode um empresário, de um conglomerado bilionário admitir, em suas fileiras, executivos "meia-boca"? E se forem executivos “meia-boca”, como entraram no quadro organizacional do grupo EBX, sem ter havido um “alarme” prévio de que a situação iria descambar em contratações equivocadas? E foram equivocadas de fato? Tem como se verificar quais foram equivocadas e seus motivos / causas de origem?

E se o Fator Xis da questão não está totalmente identificado, no caso, serão os NOVOS CONSULTORES, do grupo EBX, Fatores Xises adicionais? Estarão adicionando complexidades de padrões incógnitos e desconhecidos, como Fatores Xises adicionais?

Tem como se DIMENSIONAR o porte dos custos humanos, sociais e empresariais para se propor tamanha e descomunal ação de CORTE DE PESSOAL, ou necessidade de REPOSIÇÃO? Será que haverá uma extrema perda de Know-How, já presente no conjunto de conhecimentos dos executivos que serão demitidos?

Qual foi o Fator Xis mais fortemente correlacionado à PERDA da CREDIBILIDADE do grupo EBX? De onde vieram todos estes executivos que acabaram de virar BODES EXPIATÓRIOS dos NOVOS CONSULTORES XISES adicionais?

Eike Batista é vítima ou vilão de uma circunstância administrativa, com ORIGENS em dado processo de SELEÇÃO e RECRUTAMENTO de pessoal?

Quando o processo de SELEÇÃO e RECRUTAMENTO é de alta qualificação científica, com agentes externos de consultoria em RH, ou por departamento de RH próprio, que realmente CONHEÇAM os seres humanos, suas habilidades e suas competências, poderia o elemento contratante "CONFIAR CEGAMENTE" nas virtudes humanas e pessoais dos profissionais contratados, após o "brilhante" processo de SELEÇÃO e RECRUTAMENTO?

Eike Batista tinha ou tem sólida visão do perfil de executivos necessários para o processo administrativo de suas empresas incógnitas? O grupo EBX tem ou não tem conhecimentos sobre sua missão estratégica, sobre as derivações estratégicas, impostas por Eike Batista, na diversificação de negócios, com pleno DOMÍNIO do know-how explícito e implícito no Plano Geral de Negócios?

Ou o Plano Geral de Negócios é uma incógnita Xis por excelência?

A regra mais simples de NOVAS CONSULTORIAS Xises é a de arranjar um BODE EXPIATÓRIO, em seu processo de diagnósticos, muitos são meio sub-reptícios, para não se expor suas crenças não científicas, de análise e diagnósticos, "criando a identificação" de um Fator Xis, presunçosamente "associado" a algum fracasso ou prejuízo do passado ou do presente.

No meu entendimento, com 40 anos de experiência em engenharia industrial e metalurgia, é o de que raramente diretores, executivos estrelas e conselhos de administração, sabiam qual tipo de perfil executivo seria necessário para tocar um novo, renovado ou tradicional Plano Geral de Negócios do grupo empresarial.

E nem tinham o DOMÍNIO mínimo de conhecimentos administrativos, tecnológicos e operacionais para se definir com precisão sobre o perfil mínimo de executivos habilidosos e competentes, de negócios que o grupo empresarial nunca havia tratado. E por economia, nem contrataram um especialista RENOMADO para lhes esclarecer e a reduzir seus riscos de decisões e incertezas.

Normalmente está pequena economia, da não contratação de especialista renomado de fato, como ato preventivo, acaba se virando nos grandes prejuízos incalculáveis e impagáveis. Que no caso do grupo EBX, se podem contabilizar, mediante a identificação desta falha, como falha geral de origem, da deliberação administrativa do conselho de administração. 

Assim, ficamos na dúvida sobre qual é o FATOR XIS, que ajudou a desmoronar a CREDIBILIDADE das empresas do grupo EBX. O certo é que a decisão escolhida seja um BODE EXPIATÓRIO indecoroso, para a Ficha de Serviços da empresa Xis, de NOVOS CONSULTORES de Eike Batista. E ele deve demitir todos os executivos do grupo EBX, para se ganhar mais credibilidade?

Os executivos enquadrilhados neste vultoso processo de corte de pessoal, também, podem estar afirmando que Eike Batista deve imediatamente dispensar o contrato do grupo EBX com esta empresa incógnita da nova consultoria. Chumbo trocado...

Qual decisão de Eike Batista será a mais equilibrada e justa? Quem atestará a acreditação técnica-científica da empresa incógnita, da nova consultoria, para afirmar quem está com “parte da verdade”?  

Ou o problema vem de origem, da SELEÇÃO e RECRUTAMENTO de pessoal, ou do inadequado "oportunismo visionário e instrumentalmente correto", ou "oportunismo predador"?

Se quiserem a resposta, basta mandarem e-mail para o autor deste artigo - Análise de Caso - Grupo EBX.

(1) Link: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2013/09/1338297-novos-consultores-do-ebx-aconselham-eike-batista-a-demitir-todos-os-executivos-do-grupo.shtml

Abraços,

Lewton

 




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!