As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 05-05-2014. Acessado 725 vezes.
Título da Postagem:O charlatanismo gerencial de Dilma e a destruição da plataforma energética
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 05-05-2014 @ 02:30 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Tags: charlatanismo, petismo, Dilma, Lobão, Energia, Petróleo, administração, PT, Br

 O charlatanismo gerencial de Dilma e a destruição da plataforma energética do país

Não há suficiência - técnica e terminológica - para o entendimento de Dilma e muito menos de Lobão e seus asseclas (dezenas de aspones – assessores de porra nenhuma). Esses vagabundos "fazem torniquetes" nos colegiados de técnicos, engenheiros, cientistas e administradores, "concursados" do sistema nacional de energia elétrica, para sacar suas respostas estúpidas, e distorcidas ideologicamente, para "encaixarem-se" no plano de sustentação do petismo e do PMDB (amaldiçoado seja o Sarney).

Dilma é leiga. Dilma não sabe o que é "curto circuito", nem o que é "diferença de potencial", nem o que são "catodo e anodo". Dilma não sabe qual é o Material de base dos "componentes isolantes", nem sobre "perdas de transmissão", nem sobre o que é "dissipação de calor", nem sobre a velocidade da "fruição elétrica nos cabos elétricos", não sabe o que é quilowatt-hora e nem como se calcula.

Como pode dona Dilma ter sido porta voz de um "colegiado" tecnológico de engenheiros elétricos, que provavelmente lhe abasteceu com "ligeiras" informações sobre as operações de sistemas de geração de eletricidade e de transmissão de energia?

Isto foi fraude! Isso é o "criminoso exercício ilegal de profissão".

Eu como engenheiro não posso "dar ouvidos" a uma "impostora e embusteira" sem graduação em engenharia, violando as regras dos conselhos regionais de engenharia, arquitetura e agronomia, numa contravenção pública e explícita, sujeita a prisão. O petismo e sua embusteira Dilma Rousseff entraram em mais uma transgressão institucional.

Dilma e Lobão passavam horas desaparecidos para se instruírem junto a um "colegiado de engenheiros" que sofreu o permanente "abuso do argumento de autoridade e assédios morais", praticados pelos políticos "pára-quedistas" nas carreiras tecnológicas e administrativas das estatais.

Os colegiados de engenheiros e cientistas da energia sempre foram obrigados a "passar know-how" ao Edison Lobão - outro embusteiro dentro do campo tecnológico (Minas e Energia - cupincha do Sarney) do governo petista, em menos tempo possível ao maior entendimento possível dos usurpadores de know-how (Dilma e Lobão) para que se pudessem arranjar desculpas a cada "apagão" que surgisse.

Como porta-vozes de detalhamentos técnicos e científicos, de exclusivo domínio de engenheiros elétricos seniores, Dilma e Lobão, na maior picaretagem se esvaiam da vaidade mortífera de imbecis explicando as perdas de transmissão, em cada apagão e no apagão geral da luz de lamparina do conhecimento dos indicados petistas e peemedebistas. 

Não há como leigos na vitrine da imprensa e babando os microfones, com o cuspe da ignomínia, fazerem uma "varredura" completa no conjunto de causas prováveis de uma pane, falha, acidente ou anomalia.

Mesmo se utilizando de um método racional (e este requer alta matemática, estatística e análises de dados científicos) - que no caso pode ser o método da Árvore de falhas - para rastrear a causa fundamental, os peritos podem cometer erros, imaginemos o que se pode vazar de um cérebro vazio de saber, de um político indicado, e cheio de má fé?

Existem normas nacionais e internacionais de procedimentos técnicos que utilizam rigorosas práticas para se "chegar" na causa fundamental de um conjunto de causas prováveis de uma pane, falha, acidente ou anomalia.

Embusteiros como Dilma e Lobão estão longe de terem noções sobre isto...

Na fase da administração lulista / dilmista, sempre irão atribuir as consequências dos apagões a “raiozinhos relampejantes”, aos "famigerados hackers" e a ventos do tipo "tesoura" que derrubam aviões.

O petismo nestes 12 anos faz sua bandidagem sindical sobre o "estado tecnológico da engenharia".

Dilma, como foi a única "autoridade" a indicar os dirigentes administrativos e técnicos, da área de energia, esbarrou na temeridade de interferir na lógica da formação e perpetuação do conhecimento de gestão. E, assim, interferir nos mecanismos "normais" de obtenção de resultados relacionados à capacitação técnica e a habilidade de gerir e solucionar problemas do setor.

Dilma e Lobão estão "matando" a superestrutura brasileira que sustenta o know-how na produção de energia elétrica, como se veio fazendo na Petrobrás... E inviabilizando a operacionalidade da infra-estrutura.

O posicionamento de Dilma para assumir as "respostas sobre seus apagões de todo tipo" tem o cunho de exercer seu poder de impedir revelações, investigações ou fiscalizações nas atividades dos sistemas de energia, que aparentemente tratou-as com o seu falso "perfil de técnica", quando foi ministra das minas e energia e conselheira da Petrobrás. E com gigantesca arrogância de uma charlatã se pôs a dizer que os problemas energéticos estavam solucionados e o assunto estava encerrado...

No meio destes bandidos da destruição brasileira, qual engenheiro sênior iria contradizer gente sem escrúpulos?

As alegações de ter havido grandes investimentos na energia são fraudulentas, sob o aspecto de que havendo inversão de capital os problemas estariam equacionados. Esse é o pensamento clássico dos políticos bandidos do Brasil. Eles acreditam que ao citarem os valores astronômicos das verbas investidas, no sistema elétrico, haverá consolo e segurança sobre a confiabilidade da administração governista e sua capacidade gestora.

Aí é que pegou...

Hoje sabemos que mais de 30% a 60% dessas verbas são "do superfaturamento, das comissões e dos direcionamentos licitatórios", terminam comprando materiais de 5ª qualidade e injetam fragilidades operacionais, demoram a incorporar o know-how dos fabricantes dos equipamentos e cometem a interferência criminal no fluxo de carreiras, dos critérios de mérito e de aprendizagem.

Como engenheiro eu repudio a presença da charlatã Dilma Rousseff, como presidenta e como ex-fazedora de curtos circuitos na infra-estrutura da energia do país.

Repudio, e conclamo a sociedade a manifestar-se contra o fato de que estaremos sendo enganados com "mentiras adaptativas e de metamorfose conceitual" sobre as causas e consequências dos apagões brasileiros - "o apagão do lulismo".

Tentamos por muitos anos a denunciar esta calamidade em que vários engenheiros brasileiros vinham sendo preteridos, desde 2005, e, também denunciando, a degeneração progressiva da capacidade tecnológica do Brasil e a perpétua desqualificação das equipes de governos desde José Sarney...

Prendam a Dilma. Dilma é pajé em engenharia, pajé em administração, pajé em aconselhamentos... Agora vejam o que é a Dilma presidenta!

Abraços,

Lewton




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!