As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 31-07-2014. Acessado 1027 vezes.
Título da Postagem:Conhecimentos, sua portabilidade, mobilidade e comercialização
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 31-07-2014 @ 12:31 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Tags: Conhecimentos, portabilidade, mobilidade, comercialização, sistemas, know-how

Conhecimentos, sua portabilidade, mobilidade e comercialização

O mais novo bem patrimonial, no atual advento da Sociedade da Informação, é o CONHECIMENTO, o qual assume uma conotação abstrata, no seu sentido físico de existência. Isto porque está na cabeça dos técnicos e cientistas que o geraram e que foram “financiados” pela empresa – na produção de marcas e patentes, na produção de mercadorias ou na otimização de processos tecnológicos.

Um software, por exemplo, passa a ser preocupação de um administrador, os manuais de trabalho, os manuais operacionais, os artigos técnicos, as monografias e etc, derivados da “produção intelectual” dos empregados da empresa.

O Conhecimento em seu caráter acumulativo pode tornar-se um “pólipo” por um processo irracional de geração, controle e aplicação não coerente nas atividades humanas e materiais. Ele deve ser avaliado em seu potencial de produção de riqueza, catalogado em sua prioridade de importância para a sociedade, e para a empresa geradora, e conduzido para projetos de investimentos de sua aplicação no mundo real, para benefício institucional e socioeconômico. Então, o Conhecimento deve ter sua geração, controle e aplicação extremamente racionalizados, para maximizar seu aproveitamento por seus beneficiários.

A acessibilidade ao Conhecimento deve ser controlada e diluída em escalas de sigilo, guarnecendo seus locais de arquivamento e utilização, como segredo ou talismã, até que possa ser comercializado e difundido.

Nas últimas décadas o Conhecimento sofreu uma acelerada velocidade de difusão e comercialização pelo fato da OBSOLESCÊNCIA – envelhecimento induzido ou natural – de sua aplicação, em meio a acirrada competição no mercado mundial, onde rapidamente se transforma o Conhecimento em artefatos, objetos e bens para uso humano – conforto e segurança – ou para uso empresarial – obtenção de renda e acumulação de capital – após sua proteção como propriedade industrial, patente, marca ou registro autoral.

A Revolução do Conhecimento começou no início dos anos 1980, com a chegada dos computadores pessoais, a abertura de mercados e a globalização dos negócios.

Agora especialistas consideram que as "redes de computadores", a biotecnologia, a engenharia genética e a descoberta de energias alternativas, podem contribuir com o crescimento do que se chama Revolução do Conhecimento.

Na verdade a sociedade com as "redes de computadores" passa a se denominar a sociedade da informação. Esta sociedade é a culminação de diversas ondas evolucionárias:

As Ondas da Evolução

Onda Características Época

1ª Agrícola - Família e Terra há + /- 3000 anos;

2ª Industrial - Capital e (Hardware) Trabalho há + /- 200 anos;

3ª Informática - Idéias e (Software) Criatividade há +/ - 60 anos;

4ª Produtividade - Qualidade (Humanware) Total há +/ - 30 anos;

5ª Ambientalismo dedicado - Meio Ambiente (Environmentware) há +/ - 20 anos;

6ª Intuição - Holismo (Spiritualware) Futuro;

A informação e a Comunicação se intensificam no decorrer destas Ondas, de modo que o trabalhador deve vir a chamar-se de o "Trabalhador do Conhecimento".

Evolução do Trabalhador dentro das ondas deu-se de maneira que "todo aquele que tivesse apenas a Força Bruta para vender, nada tinha a vender que valesse a pena comprar", pois foram criadas a Máquina a Vapor e o Motor Elétrico. Logo passou a "todo aquele que tivesse apenas uma inteligência adaptada para procedimentos mentais repetitivos, nada tinha a vender que valesse a pena comprar".

Como golpe mortal na empregabilidade do pessoal de baixa alfabetização, e de qualificação precária, vieram a Informatização e a Automação, e que desta forma "todo aquele que tivesse uma inteligência para solução de problemas e capacidade inventiva realmente teria algo que valesse a pena comprar".

Vem a época da parceria Homem + Inteligência Artificial, muito embora haja contestações sobre a realidade de se colocar a prova a inteligência artificial, a menos como sistemas especialistas mais exóticos do que os embrionários atuais ...

O que se deve fazer a vista de todos nós é que estas ondas reduziram e EXPLORAÇÃO do trabalho em termos de alienação, esgotamentos físicos e mentais da massa trabalhadora, tendo entretanto "forçado" os estados em suas obrigações com educação, aculturação e qualificação da cidadania para o novo trabalho e as novas ondas ... Coisa nunca feita nos momentos mais críticos da industrialização!

Estamos todos perplexos com a velocidade das mudanças, as quais vêm forçando os governos a efetivar o Planejamento do Desenvolvimento Econômico Social inseparável do Educacional. A informação passou a ser matéria prima valiosa na sociedade educada para usá-la de modo proveitoso, incrementando seu domínio e sua difusão.

Mas, um fenômeno vem ocorrendo como contraponto da dita sociedade da informação;

(1) As empresas não conseguem se definir quanto ao modelo de Sistema de Informações (SI) que lhe será mais útil e produtivo,

(2) Os sistemas concebidos sofrem obsolescência de dois a três anos após implantação, em média,

(3) A tecnologia da informação (TI) pressiona com inovações na infra-estrutura atual do SI, sem contrapartes producentes,

(4) Os softwares com linguagens mais "naturais" vêm demovendo as "velhas sintaxes" e

(5) O Processo de Educação e Treinamento do pessoal não se orienta para o novo paradigma, de Excelência, para as empresas.

Na verdade poucas empresas sabem lidar com a Informação, ainda hoje após os anos iniciais de 1980.

Evolução do paradigma - Empresas de Excelência (Paradigma ANTIGO e Paradigma NOVO).

ANTIGO. Economia de escala base para lógica de aperfeiçoamento e NOVO. Economia de tempo com base para lógica de aperfeiçoamento;

ANTIGO. A Qualidade envolve substitutibilidades e NOVO. A Qualidade é uma "Religião";

ANTIGO. Realizadores são separados dos pensadores e NOVO. Os realizadores também devem ser pensadores;

ANTIGO. Bens são coisas e NOVO. Bens são pessoas;

ANTIGO. O lucro é uma meta comercial primária e NOVO. Satisfação do cliente é uma meta comercial primária;

ANTIGO. Organização hierárquica e NOVO. Rede organizada de resolução de problemas;

ANTIGO. A meta é agradar o chefe e NOVO. A meta é agradar o cliente interno e externo;

ANTIGO. Medir para julgar resultados operacionais e NOVO. Medir para ajudar as pessoas a fazer aperfeiçoamentos operacionais;

Qualquer que seja o SI, e sua Base de Dados, o pessoal deve ser capaz de estabelecer uma Manipulação de Dados:

1. Comparar e refazer toda uma série de dados,

2. Analisar as possibilidades possíveis de se extrair leis de semelhança ou diferenças entre todos os infinitos termos de comparação imagináveis,

3. Esgotar uma série infinita de tarefas e funções,

4. Elaborar estruturas explicativas dos fenômenos,

5. Recriar, reconstituir e

6. Traduzir cientificamente as causas e os efeitos dos eventos.

Atualmente temos menos tempo para aprender e menos tempo para reagir, devido ao fato de que as ondas evolucionárias têm forçado a aceleração da velocidade de comercialização de produtos, objetos e idéias e da velocidade de difusão, dos mesmos, no mercado.

O TRABALHADOR DO FUTURO, frisando bem a mensagem => Irá EFETIVAR EFICIENTES MANIPULAÇÕES DE INFORMAÇÕES OU DADOS com o uso da MATEMÁTICA e da ESTATÍSTICA.

1. Comparar e refazer séries de dados;

2. Selecionar e compor Leis;

3. Elaborar estruturas explicativas dos Fenômenos ou Leis;

4. Recriar ou criar objetos;

5. Deduzir relações de causa e efeitos;

6. Cruzar informações e Leis;

7. Acessar as mais variadas informações;

As escolas, as universidades e as empresas devem preparar o cidadão (o trabalhador do futuro) de modo a desenvolver o homem inventivo, que fará parte da 5ª e da 6ª Ondas.

As Ondas Evolucionárias, aquelas que prevalecerão para além do século 21 serão as 5ª e 6ª ONDAS - A Intuição e o homem inventivo ... As suas Medidas de Produtividade serão relações entre: Inteligência, Imaginação e Ferramentas;

E a 4ª ONDA permanecerá em sua égide da QUALIDADE TOTAL, em busca da perfeição moral e material e que será a consolidação sistêmica do conhecimento, criando espaço para a consolidação do homem inventivo, o qual deverá ser capaz de dominar:

(1) A fenomenologia dos fatos,

(2) As variáveis e atributos dos fatos,

(3) As relações de causas e efeitos entre fatos, causalidade e probabilidade,

(4) Os SI superando os problemas de tempo de acesso, de processamento, de espaço, para armazenamento de dados e de aprendizagem,

(5) A "lógica universal" reunindo todas as "técnicas mentais" para solução de problemas específicos e a técnica para desbloqueio de paradigmas,

(6) O "navegador", entidade eletrônica, para cruzamento de dados e firmar relacionamentos com uma combinação "invejável" de intuição, racionalismo e equilíbrio.

A EDUCAÇÃO NO FUTURO será orientada para análise, à lógica, à criatividade intelectual, o comportamento, a dinâmica de grupo e a capacidade de criar sinergismo no processo decisório participativo, com três metas básicas:

1ª PRODUTOS SEM DEFEITOS;

2ª SERVIÇOS PERFEITOS e

3ª TOTAL CONFIABILIDADE em tudo para um mundo feliz ou o paraíso terreno sem dores e sofrimentos.

No Brasil devemos acrescentar, como agravante, o seu atual índice de analfabetismo, de analfabetismo funcional, além da degradação progressiva da educação formal, tecnológica e científica e que 100% do pessoal escolarizado já deveriam ter, atualmente, pelo menos, em média, 10 anos de estudos, no mínimo.

Será difícil para o Brasil acompanhar as Novas Ondas evolucionárias e os Momentos de Aplicabilidade Urgente de Conhecimentos...

O ideal filosófico de que a educação é o meio de levar o ser humano à busca da perfeição não pode ser ignorado. Na sociedade moderna o ensino tem alto valor econômico agregado, bem como a qualificação do pessoal.

O trabalhador do futuro gastará mais tempo:

(1) Lendo e analisando informações;

(2) Planejando o futuro e

(3) Criando soluções originais.

E analfabetos das letras, da matemática, da estatística e os analfabetos funcionais não estarão capacitados para o futuro.

Nos EUA, na década de 1970 foi feito um estudo de projeção do tempo gasto pelas pessoas, em porcentagem do tempo gasto com tarefas no dia-a-dia:

A % do tempo e tipo de ATIVIDADE

(a) Em 87% do tempo = Repetindo rotinas físicas ou procedimentos mentais repetitivos;

(b) Em 13% do tempo = Trabalhos intelectuais;

(c) Em 7% = Lendo e analisando;

(d) Em 4% = Planejando o futuro;

(e) Em 2% = Criando soluções originais.

Nos EUA o novo ethos político, na sociedade da informação, revela que os americanos caminham para Nação Digital, a qual já apresenta condições coletivas para dominar o futuro:

(1) Alto nível de acesso às modernas tecnologias da informação; correio eletrônico, "lap top", telefone celular, o "tablet" e o computador pessoal.

(2) Acesso as "vastas bibliotecas", enciclopédias, dados estatísticos, notícias, pesquisas científicas, cadastros de patentes, cadastros gerais, etc, em nível de comunicação global.

(3) Alto domínio do uso e do processamento de dados ou informações.

(4) Taxas, tarifas ou preços reduzidos para (1), (2) e (3).

E uma Pesquisa na IBM nos EUA, mais interessada em examinar as condições humanas, de utilização de informações e pesquisas de dados, constatou que nas empresas a partição do tempo das pessoas, tinha a seguinte distribuição:

Tempo gasto em atividades de informações e pesquisa de dados:

Função na Empresa - % do tempo

1. Alta Gerência - 80;

2. Gerência Média - 80;

3. Gerência de Produção e Engenharia - 60;

4. Alta Administração - 100;

5. Trabalhadores / Realizadores - 10;

A empresa digital surge neste momento evolucionário onde fica patente que o processamento e o uso coerente das informações é mais relevante do que o seu simples armazenamento.

Não adianta armazenar a informação se a mesma não for "processada" para o aprimoramento do conhecimento e seu aprendizado. Alguns SI, no mundo, são meros Cemitérios de Dados e as informações armazenadas, em suas Bases de Dados, são pouco úteis e pouco utilizados.

Informação é Poder Organizado, por isso é preciso que se formule um SI coerente. E sendo Poder Organizado a informação deve possuir sempre uma maior porcentagem de conteúdo relacionado ao conhecimento: útil, verdadeiro e objeto de construção da sabedoria. Existe informação INÓCUA. Existe informação do tipo "dar a notícia". Existe informação mal dissertada e mal transmitida - comunicação precária. Existe informação lenta e tardia. Existe informação como contra-informação. E quais filtros seriam necessários para fazer a triagem de massa com vistas a encorpar mini-bibliotecas, e comporem grandes bibliotecas?

Todas as bibliotecas reunidas possuem a Energia Potencial para a solução dos problemas do mundo. Mas, seus livros, com suas informações, estão inertes e sem mobilidade. Processá-las todas também não seria algo viável porque é preciso se "Ter uma Missão, várias Metas e uma diversidade de Objetivos".

O ato de processar a informação, dando-lhe mobilidade e uso adequado, requer critério e método para tornar esta ação eficaz. Por isso muito SI faliu antes de entrar em operação.

A informação como instrumento de controle e aprendizado, deve ser processada por meios de comunicação infalíveis e invioláveis, contribuindo com as decisões ou a sua utilização por um comando (descentralizado), competente e consistente, sujeito a indicações, nítidas de desvios relativos às ações aplicadas, de um controle capaz de avaliar a intensidade destes desvios para regulagem ou ajuste da conduta futura do sistema - da organização e sua missão.

Deve haver registro para recuperação da informação das decisões do comando para estudo global do comportamento do sistema, ou processo, sob controle, para aumento do aprendizado e acúmulo do conhecimento. Assim se dará o acúmulo do conhecimento especialista de dada ciência, incrementando aprimoramentos operacionais.

=> No mundo atual, é quase impossível se ter todas as informações sobre todos os aspectos da vida.

=> É fundamental se ter acesso às informações que são essenciais para melhor nos posicionarmos nos contextos do mercado e do mundo.

HOJE E NO FUTURO

=> Aprender o essencial + conhecimentos Gerais + conhecimentos específicos + acessar, tratar e analisar dados / informações e deduzir.

Desta forma o Conhecimento tem uma característica de associação com o tempo-local-urgência de sua aplicação. O que adianta existir geração de Conhecimentos, se não houver biblioteca? O que adianta existirem bibliotecas, se não houver leitores? O que adianta existirem leitores, se não houver objetividade de aprendizado e aplicabilidade do conhecimento? Quais questões serão solucionadas, se não houver aprendizado e aplicabilidade IMEDIATA do conhecimento?

Em nossa experiência industrial já fomos impactados por 3 Momentos de Aplicabilidade Urgente de Conhecimentos:

a. Dentro de 1 (uma) hora - a portabilidade teria que estar armazenada em nosso cérebro, nossa biblioteca mental, com auxílio de alguns manuais de emergências, instrumentos, ferramentas, metodologias e equipes de assistência, em prontidão.

b. Desta base de tempo para 1 (um) dia, ou 24 horas - já se tendo possibilidades de acessar processadores de dados, computação de massa, bibliotecas de volumes, auxílio de muitos manuais, instrumentos, ferramentas, metodologias mais complexas e equipes de assistência convocável.

c. Desta base de tempo para 5 (cinco) dias úteis, com possibilidades de se agregar fins de semanas e feriados, ampliando o acesso a processadores de dados,  computação de massa, biblioteca de manuais, instrumentos, ferramentas, metodologias extremamente complexas e equipes de assistência convocáveis nacional e/ou internacional.

Estes 3 Momentos de Aplicabilidade Urgente de Conhecimentos são 'o horizonte da engenharia e da tecnologia de curtíssimo prazo' - OU VAI OU RACHA, em combate aos problemas imprevistos e aos problemas crônicos.

Existem os outros tempos conhecidos, tais como: 'curto, médio e longo prazo' dos procedimentos administrativos: das rotinas operacionais, dos eventos táticos e dos eventos estratégicos - os quais terão suas respectivas bibliotecas e mentes 'processadoras' (e mais todo o contexto de infraestrutura necessária).

Nosso país é uma nação com elevada deficiência educacional em muitos aspectos.

O brasileiro lê anualmente, em média, 2 livros, ao passo que nos países desenvolvidos esta média anual oscila entre 8 a 10 livros. Aqui ou se come ou se lê.

Um total de 80% dos trabalhadores recebe cerca de R$ 724,00 ou menos por mês, O salário médio da massa mal atinge R$ 1.500,00. O investimento nas empresas, em educação e treinamento, é em média de 0,5% a 1% do faturamento com as vendas (EUA e Europa - 3 a 5% e Japão - 5 a 7%).

=> Como melhorar a qualidade profissional ?

=> Quais habilidades ele deve aprender?

=> Em quais profissões deve ser treinado?

=> Como adaptar toda a estrutura de ensino às demandas emergentes?

=> Como o RH das empresas deve orientar a alta administração?

=> Como o Brasil irá competir no mercado global?

Na sociedade da informação a vantagem competitiva virá do pessoal (através das pessoas), pois numa produtividade Base 100, temos que 40% correspondem ao pessoal.

A mudança na velocidade de Comercialização criou necessidades.

1ª A busca do homem por dispositivos, esquemas e sistemas para gerar, condensar e analisar o volume de informações em crescimento exponencial;

2ª A Assimilação, ou filtragem do Volume de informações para reagir imediatamente;

3ª Atuação através de reações racionais e equilibradas.

Como a educação deve ser conduzida para a busca da perfeição, de modo científico, ela visa em última instância, um mundo feliz ou o paraíso terreno - Produtos Perfeitos e Serviços Perfeitos (na qualidade perfeita e holística, ambientalmente corretos). No futuro o conhecimento será gerado pela Ciência para uso coletivo IMEDIATO.

Os SI - Especialistas serão criados independentemente da existência dos profissionais especialistas. Em cada ramo da ciência, submetido a SI - Especialista.

O cidadão hoje leigo, por não dominar a terminologia, os conceitos e os fenômenos, de tal ramo, poderá "aprender", rapidamente, o conhecimento que lhe interessa, no momento, e usá-lo com discernimento e entendimento. Ele terá, à "mão", uma multidisciplinaridade a qual usará, proveitosamente, na solução dos seus problemas, dos da sociedade e do mundo.

O homem passará a ser manipulador de dados (no bom sentido) e deixará de ser "cemitério de informações especialistas", recebendo uma formação básica mais rápida, uma vez que lhe deverá ser oferecido o aprendizado da educação do futuro.

A educação e a Revolução do Conhecimento trarão para a humanidade, maior segurança, conforto material e espiritual, se tratados adequadamente pelos governos.

"Neste sentido o Ser Humano será o parceiro superior das máquinas".

A tecnologia é a ferramenta para construção de produtos, objetos ou coisas. É um meio para o crescimento material da humanidade. Ela não é o fim através do qual se atinge a prosperidade. Mas, o meio que sustenta o desenvolvimento humano.

A tecnologia é a parceira inferior do Ser Humano, devendo ser tratada, unicamente, como instrumento de apoio ao crescimento dos seres humanos.

Administrador: - O Conhecimento é o patrimônio base de todo patrimônio!

SI - Sistema de Informações.




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!