As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 23-01-2015. Acessado 721 vezes.
Título da Postagem:Conversando com EINSTEIN sobre o Brasil
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 23-01-2015 @ 08:44 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Tags: Einstein, frases, pensamentos, moral, gênio, lições, sabedoria, provérbios

 Conversando com EINSTEIN sobre o Brasil

Um dia em 1985 psicografei um livro ditado por Albert Einstein, que ele denominou de "O anjo e o cientista". Este livro existe na Biblioteca Nacional - http://arquivo.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA  - Título: O ANJO E O CIENTISTA - Personalidades: LEWTON BURITY VERRI - Autor(a), Registro: 34251, em 10/06/1985.

Desde aquela data, vez por outra, temos algumas conversações, principalmente sobre a vida aqui no Brasil. Vida esta que anda muito atribulada com tantas decepções, crimes, corrupção, males e crueldades. E Einstein me disse que "o meu ideal político é a democracia, para que todo o homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado". Mas, venerado nem mesmo santos de barro. Nem mesmo ídolos fúteis, tal como o imoral Inácio da Silva - o homem simples e operário que governa o país até hoje.

Um sujeito imoral que mesmo vindo da lindes sociais inferiores, ele não respeita nenhum homem trabalhador, estudante, laborioso, pagador de impostos, caridoso, fraterno, paternal e maternal, e nem as instituições republicanas da democracia brasileira. Einstein comentou que "sem cultura moral não haverá nenhuma saída para os homens". E nosso país está sem saída.

Vivemos uma Era da Estupidez, e Einstein me disse: - "Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Sobre o universo eu ainda não tenho certeza". E "o esforço para unir a sabedoria e o poder deu certo raras vezes, e somente por um tempo curto". Então imaginei que a associação de sabedoria e poder são coisas antagônicas, uma vez de rara ocorrência assinala que sábios não possuem a adaptabilidade para exercício do poder.

E um país cheio de problemas draconianos mostra que a sua democracia não se sustenta em nenhuma réstia de luz, discernimento e abnegação. Einstein comentou que "não se pode encontrar a solução de um problema, usando a mesma consciência que criou o problema. É preciso elevar sua consciência". E as consciências estão ralando a borda do chão. Somos um país com consciência rasteira. E ele complementou assim: - "Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne".

Logo entendi que a posição de sábio é biunívoca, tanto para o lado do administrador público, quanto do lado do eleitor cívico. Se não há sábio para eleger, não haverá sábio para administrar. E não há como prevenir as disfunções, num moinho cíclico de macerações provocadas pela crueldade da ignorância humana, administrativa e cívica. 

E assim os problemas são recorrentes, repetitivos, acumulativos e catastróficos - vão crescendo do tamanho de uma lagartixa, indo para o de um jacaré e chegando ao seu esgotamento progressivo ao tamanho de um dragão. Teremos perpetuados os problemas draconianos. E todo ciclo se torna repetitivo, e sem evolução, como disse Einstein: - "Fazendo a mesma coisa dia após dia, não há de se esperar resultados diferentes". E daí vem a loucura coletiva entre as sociedades já que "não há maior sinal de loucura do que fazer uma coisa repetidamente e esperar a cada vez um resultado diferente".

Claro, como podemos esperar coisas diferentes quando fazemos as mesmas coisas repetidamente? E isto mostra a falta de métodos. E outros dizem que não há tempo para inovações pelos riscos e pelas insatisfações com os fracassos. Sem tempo e sem métodos? Einstein cravou uma admoestação: - "Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de métodos". Compreendi que o fracasso em si já é o de não inovar em recursos e inteligência, devendo-se ter os riscos calculados para NÃO ERRAR DA PRIMEIRA VEZ. Isto é prevenção, que elimina a repetição de fracassos sucessivos.

Recordei dos métodos administrativos dos engenheiros japoneses. Do tempo que eles têm investem em 80% no planejamento de ações executivas e operacionais e 20% daquele tempo disponível eles colocam em prática o plano. Sem errar na primeira vez, racionalizando a SIMPLICIDADE... E Einstein concordou já que "tudo deveria ser realizado da maneira mais simples possível; nada mais simples do que isso".

Uma administração precária é uma administração: ou de tolos ou de astutos, jamais de sábios. "Tudo deveria ser realizado da maneira mais simples possível; nada mais simples do que isso" e "qualquer tolo inteligente consegue fazer coisas maiores e mais complexas. É necessário o toque do gênio e muita coragem para seguir no caminho inverso", com ou sem muita tecnologia. Segundo Einstein "tornou-se tremendamente óbvio que a nossa tecnologia ultrapassou a nossa humanidade". Tecnologia é "ferramenta" e não o processo administrativo em si.

Como as mentes públicas não inovam e nem resolvem os problemas elas ficam pequenas em sua pequenês nanométrica, e Einstein afirmou que "uma mente que se abre para uma nova ideia, jamais retornará ao seu tamanho original". A evolução vai encorpando as mentes progressistas e inovadoras. Então somos governados por mentecaptos. E vivemos num mundo desalentador. "O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim pelas que permitem a maldade".

“Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível.” Einstein.

"Deus não joga dados", com o universo, já que ele não é jogador do azar e nem é banca de cassino fraudulento e estelionatário. Com sua sabedoria Deus governa o universo, e por ele possuir estabilidade evolutiva - o universo - não vivemos num sistema caótico e entrópico, mas num sistema que aninha a vida e a permite evoluir.

Se não há sábio que vote e nem para se eleger, não haverá sábio para administrar, então o administrador público e o eleitor cívico se tornam irmanados na cruel ignorância mútua, jogando decisões e escolhas como jogos de azar, em dados viciados, que jamais modificarão os resultados. A banca vai sempre ganhar em suas intenções fraudulentas e de falsidade ideológica.

Abraços,

Lewton

Veja - FRASES DE ALBERT EINSTEIN

1.    http://frases.globo.com/albert-einstein/

2.    http://pensador.uol.com.br/autor/einstein/ 




Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!