As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 17-08-2015. Acessado 331 vezes.
Título da Postagem:Comportamento e harmonia empresarial para resultados melhores
Titular:Lewton Burity Verri
Nome de usuário:Lewton
Última alteração em 17-08-2015 @ 04:14 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Tags: RH, doenças e males, clima organizacional, comportamento, conduta, ética

 Comportamento e harmonia empresarial para resultados melhores

 
Tags: Recursos humanos, RH, doenças e males, clima organizacional, comportamento, conduta, ética, sociologia, empresarial, harmonia, resultados, qualidade, produtividade, economia, liderança, líderes precários, tipologia da liderança, conflitos, ressentimentos.
 
Os funcionários de uma empresa são contratados para trabalharem em instalações, operarem máquinas e equipamentos, realizarem tarefas específicas e de conteúdos técnicos, tarefas portadoras de algum tipo de risco, e que exigem certo grau de intelectualidade, escolaridade e qualificação.
 
Por mais que se façam triagens científicas pelos departamentos de RH – recursos humanos – para contratações, ainda haverá um dado padrão disfuncional e de mazelas sócio-educacionais provocando conflitos em condutas e comportamentos nas inter-relações pessoais e nas escalas das hierarquias.
 
Os contratados vêm de vários lugares urbanos, de área rural, e dos lugarejos próximos, a empresa e até de outros estados. E este agrupamento vai trabalhar junto num empreendimento cujos desdobramentos eles ainda não têm uma vaga e mínima compreensão. 
 
Muitos problemas sociais se originaram deste processo, como mistura multicultural que se aglomera em multifacetas e produzindo alguns conflitos (ou muitos deles).
 
Uma empresa é uma interação dinâmica de personalidades com perfis e caráteres distintos, sem nivelamento prévio cultural-educacional-ético-social. E ela se transforma numa espécie de teatro ambulante e temporal. 
 
Dramas e conflitos são os subprodutos das intrincadas relações humanas numa empresa.
 
Origina-se daqui uma fusão de comportamentos, vícios e disfunções. Mais a fusão de comportamentos e condutas criados pela falta de administração racional e científica em aglomerados humanos e maquinais numa empresa, e dos amontoados de decepções, na falta de planejamentos, e sem a assistência humana das autoridades administrativas e dos recursos humanos.
 
Em frente às várias crises do homem é impossível se estabelecer um padrão geral de investigação, para filtrar o que é do homem, de fato, e o que é realmente da empresa, em termos de bom ou mau clima organizacional. 
 
As várias crises do homem: 
 
(1) Consigo mesmo; 
(2) Com sua religiosidade; 
(3) Com os demais colegas = filtrar na investigação o que corresponde exclusivamente à empresa; 
(4) Com o chefe = filtrar na investigação o que corresponde exclusivamente à empresa; 
(5) Com a empresa = filtrar na investigação o que corresponde exclusivamente à empresa; 
(6) Com a comunidade; 
(7) Com o estado; 
(8) Com a família. 
 
Cerca de 3 / 8 das crises e conflitos do homem estão relacionadas à empresa e suas atividades (crises 3, 4 e 5). 
 
O que das demais crises afetam o desempenho e o comportamento das pessoas dentro das empresas? E que numa pesquisa de Clima Organizacional possam estar afetando e em quanto o desempenho e o comportamento das pessoas? 
 
As empresas com Climas Organizacionais Caóticos são aquelas que Não usam totalmente as técnicas de RH? Serão aquelas que só usam 20% das técnicas básicas? 
 
Os conflitos humanos decorrem em:
 
1. Desagregação familiar;
2. Inapetência física e mental;
3. Esgotamento pleno;
4. Alienação ao trabalho;
5. Abusos trabalhistas;
6. Choques de personalidades e culturas.
 
Os quais (conflitos humanos) antes estavam isolados nos respectivos centros de vida e de raízes dos funcionários, e que têm agora que se suportarem num regime de trabalho que pode ir se tornando sobre-humano, pela exploração abusiva de autoridades e a subserviência de subordinados.
 
Uma empresa congrega pessoas de locais, origens e condicionamentos culturais diversos, e que não possuíam quase nada em comum, a não ser os interesses desencadeados no trabalho para a vida, as esperanças e os sonhos. 
 
O aglomerado multicultural formado numa empresa começa a se manifestar por uma infinidade de disfunções, doenças e males. Doenças do trabalho, epidemias e endemias, problemas de higiene e asseio, numa diversidade cultural espantosa nunca vista. 
 
O trabalhador é afetado pelo tipo de sua moradia, pelos rudimentares meios de transportes que se utiliza ou lhe servem, alguns vivem em albergues, dormitórios, cortiços, favelas, residências impróprias, outros moram em condomínios residenciais. 
 
O salário afeta o humor e a disposição, o que lhe permitiria a aquisição de alimentos, educação, saúde, aluguel, e de alguns bens de utilidades domésticas. Ele é afetado pela família e seu modo de vida – filhos podem interferir na estabilidade emocional do trabalhador.
 
Todo o dia o pessoal tem problemas de saúde de fundo emocional e psicológico, problemas estes não detectados pelo RH omisso, numa empresa com clima caótico. 
 
Os problemas mais comuns de saúde entre empregados, são: 
 
(1) o bruxismo; 
(2) o olho treme; 
(3) o estômago dói; 
(4) o labirinto desequilibra; 
(5) a palpitação sacode; 
(6) a dor de cabeça explode; 
(7) a tonteira exaspera; 
(8) a impotência atormenta mais ainda;
(9) o vômito e a caganeira desvitalizam;
(10) a amnésia do esgotamento estressa ao limite. 
 
Estes problemas conjugados com indicadores de absenteísmo, licenças médicas e motivos, dispensas diárias e motivos, abonos e motivos, acidentes com ou sem perda de tempo, índice de férias não exercidas e motivos, índice de atrasos de entrada e motivos, podem ter medições por meio de postos de atendimentos itinerantes, segundo amostragens seguras, com exames ligeiros do estado de saúde e de queixas dos funcionários. 
 
Existem vários fatores externos que retiram dele a sua disposição e iniciativa. E que se combina com os fatores internos da empresa.  
 
E quais seriam os fatores internos, movidos por um casuísmo administrativo, que são os mais importantes, e que produzem o clima caótico de uma empresa? Segundo o IEAQ são os quatro abaixo: 
 
(1) Homem errado; 
(2) No lugar errado; 
(3) Com orientação errada; 
(4) Usando ferramentas erradas; 
 
Tal casuísmo tem favorecido o surgimento de vários tipos de líderes: 
 
(1) Líder toupeira; 
(2) Líder cavalo; 
(3) Líder cachorro; 
(4) Líder camaleão; 
(5) Líder avestruz; 
(6) Líder serpente;
(7) Líder hiena;
(8) Líder rato; 
(9) Líder raposa; enfim,
(10) O Líder lobotomizado.
 
E a liderança precária numa empresa em vista dos tipos acima provoca a disseminação energética de sentimentos e emoções capazes de escurecerem a transparência administrativa.
 
A empresa pode ser uma “casa de horrores”... Um conjunto de perspectivas vibra em cada funcionário e entre eles, em seus grupos de afinidades. Como a “casa de horrores” possui o casuísmo que favorece o surgimento dos vários tipos de líderes precários, favorece também o surgimento de uma energética de emoções que vão somatizar doenças e males individuais e coletivos.
 
A “casa de horrores” NÃO tem precisão em dirigir a meritocracia, nem a CERTEZA dos talentos mais vitais para a existência da companhia, nem ZELA pelo progresso harmônico dos resultados e da satisfação REAL. 
 
Afinal a “casa de horrores” é uma casa onde a competição entre indivíduos e grupos, por salários maiores, aos mais altos postos e aos paradisíacos bônus e mordomias, força o “caratismo pragmático das maledicências, das falsidades e das fraudes intelectuais”. Em suma, força o maquiavelismo da destruição de reputações, com sabotagens e contra informações... 
 
Então, os ressentimentos vão se avolumando e retro alimentando um combate silencioso entre “facções técnicas e operacionais” – o Clima Organizacional estará totalmente CAÓTICO. 
 
A liderança precária numa empresa termina por ocasionar as muitas doenças e males devido às práticas bizarras de liderança, comando e controle. O que comum fazem e praticam os líderes precários?
 
A inabilidade no procedimento administrativo faz o líder precário produzir o que segue, as quais são CAUSAS das doenças e males numa empresa, por exemplo, (1) Fonte:
 
1. Controle exacerbado sobre os outros e as coisas; 2. Medo; 3. Inquietude; 4. Indecisão; 5. Indiferença; 6. Fraqueza de caráter; 7. Dúvida; 8. Excesso de entusiasmo pelo pouco; 9. Ignorância; 10. Impaciência; 11. Terror; 12. Tristeza.
Tais perturbações estão na origem no nivelamento cultural-educacional-ético-social dos líderes precários e nas inter-relações entre eles e as pessoas, entre pessoas e entre equipes. Em verdade um líder precário é um VÍRUS de alta letalidade. 
 
As falhas decorrentes do processo individual das pessoas em sua educação, formação moral, escolaridade e características gregárias, são: 1. Tirania, 2. Magia e messianismo, 3. Simulador, 4. Absorto introspecto,  5. Farisaico hipócrita, 6. Agnóstico satânico e 7. Exacerbação sobre o menos ao mais - (1) Fonte.
 
Imaginemos a interação dinâmica de personalidades com perfis e caráteres distintos, sem nivelamento prévio cultural-educacional-ético-social, numa empresa que não zela pelo Clima Organizacional? Imaginemos o (1) Homem errado; (2) No lugar errado; (3) Com orientação errada; (4) Usando ferramentas erradas?
 
E quais seriam as VIRTUDES das pessoas em suas interações, condutas e comportamentos? Uma empresa em certo momento ao notar o Clima Organizacional Caótico terá que estabelecer um NOVO CLIMA em busca da consolidação das seguintes VIRTUDES - (1) Fonte:
 
1. Amor ao próximo – não fazer aos outros o que não se quer que façam conosco;
2. Compaixão às fraquezas e falhas;
3. Paz interior na liderança, irradiando segurança;
4. Firmeza de propósitos, um peso e uma medida;
5. Prestatividade ao serviço e ao trabalho;
6. Força e vitalidade nas iniciativas e nas motivações;
7. Compreensão compartilhada;
8. Tolerância ao ritmo humano e das equipes;
9. Sabedoria nas decisões, deliberações e nos atos executivos;
10. Perdão incondicional;
11. Coragem para ultrapassar limites inéditos, em novas fronteiras;
12. Alegria sincera e contagiante.
 
A missão de todas as pessoas é de promovermos a interação dinâmica de nossas personalidades, segundo nossos perfis e caráteres que embora distintos, devem ter o nivelamento prévio cultural-educacional-ético-social, numa empresa que ZELE pelo Clima Organizacional Harmônico...
 
Já que estaremos numa mesma “empresa - casa de trabalho produtivo e feliz”, produzindo bens, coisas e serviços com a ALMA DA QUALIDADE, em que poderemos fazer tudo sem falhas, sem defeitos, sem acidentes, sem omissões, sem poluição e sem degenerações humanas e sociais. Em vista de nossas esperanças, sonhos e propostas de vida.
 
(1) Fonte: BACH, Edward, Terapia Floral, Escritos Selecionados, de Edward Bach, Editora GROUND, 2ª Edição, São Paulo – SP, 1992 – Coordenação: Dina Venâncio, Silvia Branco Sarzana e Dr. Adailton Salvatore Meira.
 
Comendador Lewton Burity Verri
Engenheiro Industrial Metalurgista



Bookmark and Share
Outas colaborações de Lewton
Veja Mais
Perfil de Lewton
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!