As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 04-14-2007. Acessado 551 vezes.
Título da Postagem:transporte aeromédico
Titular:José Ananias Duarte Frota
Nome de usuário:CelDuarteFrota
Última alteração em 04-14-2007 @ 10:25 am
[ Avise alguém sobre este texto ]

 Transporte aeromédico

 

A razão de ser do transporte aeromédico não é outro senão a rapidez e a facilidade com que possibilita o acesso da equipe de socorristas às vítimas de variados matizes, diminuindo o tempo para o início do atendimento pré-hospitalar e, em conseqüência, o tempo para o tratamento definitivo por parte da equipe médica hospitalar. É de domínio público que o tempo é fator crucial no atendimento pré-hospitalar, pois a fragilidade do arcabouço humano, nas ocorrências, torna-se evidente. Não há corpo que resista por muito tempo a uma parada respiratória, um ataque cardíaco ou um trauma causado por abalroamente automobilístico. Os profissionais da área de saúde sabem que esse muito tempo na realidade representa um lapso de poucos minutos. Por isso, o atendimento temporário do pré-hospitalar trabalha contra os ponteiros do relógio, cuja marcha inexorável cumpre seu papel, levando stress maior ao teatro de operações.

O Conselho Federal de Medicina, através do Parecer nº 14/2000, referenciado na Resolução nº 1.596/2000, é taxativo quanto à capacitação mínima dos profissionais que atuarão nesta modalidade de transporte, exigindo competência no atendimento de emergências em nível pré-hospitalar. Além de nortear a necessária integração do serviço de transporte aeromédico ao sistema de atendimento pré-hospitalar local, exige a presença do médico nas duas modalidades de transporte, a saber: resgate e transporte inter-hospitalar.

Diante do exposto, surgem, naturalmente, duas perguntas: Existe um sistema de atendimento pré-hospitalar no Estado do Ceará? Que órgão seria responsável por oferecer esse serviço de necessidade vital para a sociedade?

Podemos afirmar que o sistema existe, pois há uma célula de coordenação em emergência pré-hospitalar na estrutura da Secretaria de Saúde do Estado e que executa profícuo trabalho em parceria com o Corpo de Bombeiros. Quanto à outra questão, a Constituição do Estado é clara ao afirmar, em seu Art. 90, que cabe ao Corpo de Bombeiros o exercício do socorro médico de emergência pré-hospitalar, atribuindo, sem dúvidas, essa missão à nossa Corporação.

Há um engano primário por parte daqueles que se aventuram em atribuir essa missão a outrem demonstrando uma maneira atabalhoada e míope de observar a realidade, além de ser descabida e ilegal.

 

 

Jose Ananias Duarte Frota- Cel BM, 2004

Comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceara




Bookmark and Share
Outas colaborações de CelDuarteFrota
Veja Mais
Perfil de CelDuarteFrota
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!