As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 03-25-2008. Acessado 878 vezes.
Título da Postagem:Os militares têm bom senso. Doc. nº 21 - 2008
Titular:GTMelo
Nome de usuário:GrupoGuararapes
Última alteração em 03-25-2008 @ 02:15 pm
[ Avise alguém sobre este texto ]
Estamos Vivos! Grupo Guararapes!

Somente ignorantes da nossa história e das personalidades que a fizeram, ou canalhas da mesma laia do ex-agente do “Serviço de Inteligência Uruguaia”, Mario Neira Barreiros, podem considerar como verdadeira a imbecilidade por ele contada e transmitida no dia 28.01.2008, pelo Jornal Nacional, TV GLOBO, de que João Goulart havia sido assassinado na Argentina, em 1976, por ordem direta do Presidente Geisel ao Delegado Fleury. Quando bandido condenado por muitos crimes, por falsidade ideológica e preso em cadeia de segurança máxima tem fé de ofício pode fechar pra balanço. Num País sério e de homens de vergonha na cara bandido desse tipo não dá entrevista.

Comecemos pelo título. Dizemos que os militares têm bom senso porque, antes de qualquer decisão, comparam as vantagens e desvantagens da decisão a ser tomada. Quanto a João Goulart, lembramos que, após o Movimento de 1964, contrariando Brizola que queria resistir no Rio Grande do Sul, foi do próprio Jango a decisão de deixar o Brasil declarando que não queria uma luta fratricida para manter-se no Poder. E esta decisão de Jango facilitou a adesão do III Exército que foi o último a aderir ao Movimento de 1964. Quanto ao Presidente Geisel, em 1974, já assumiu com as guerrilhas urbana e rural derrotadas pelo Presidente Médici, tanto que, logo de inicio, iniciou a abertura política. Qual a vantagem de, em 1976, matar Jango, que vivia pacificamente em paises vizinhos? Seria uma insensatez e uma burrice sem tamanho, depois de anos de luta para liquidar a Guerrilha, assassinar quem não representava qualquer ameaça, podendo colocar em risco a abertura política iniciada. Quanto ao Presidente Geisel, lembramos que ele completou com sucesso a pacificação nacional, tanto que, logo que assumiu, o Presidente Figueiredo promoveu a Lei da Anistia, e autorizou a volta dos exilados  inclusive, de Brizola, Arrais e outros políticos radicais (pois, segundo ele, “lugar de brasileiro era no Brasil”). Agora, a maior evidencia da mentira, que julgamos que nem os próprios inimigos dos Governos Militares que conheceram o General Geisel aceitam, é aquele bandido uruguaio dizer que o Presidente Geisel deu a ordem de assassinato, pessoalmente, ao Delegado Fleury. O General Geisel nunca deixou de manter e preservar a sua autoridade e dignidade pessoal, quer como General quer como Presidente. E, ainda, outra mentira enorme, o bandido uruguaio contar que participou de um assassinato político de um ex-Presidente do Brasil, praticado na Argentina por Argentinos. Qualquer pessoa de bom senso sabe que isto não pode nunca ser verdade.  

Para o Grupo Guararapes, trata-se de mais um caso de Corrupção na busca por Indenização. E, apesar de muitos de nós, militares, termos combatido Jango em 1964, no que se trata de dinheiro, sempre nos pareceu um homem honesto, mas, o filho não parece ter seguido o exemplo do pai neste particular.

 Em síntese, o filho quer Indenização e o Povo Brasileiro vai acabar pagando. O bandido uruguaio leva uma ponta e quem sabe, é solto da cadeia por delação premiada.

Felizmente, com a graça de Deus, a Justiça Brasileira, ainda, não chegou a esse nível.




Bookmark and Share
Outas colaborações de GrupoGuararapes
Veja Mais
Perfil de GrupoGuararapes
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!