As opiniões expressas neste artigo e seus comentários não representam a opinião do Portal Militar, das Forças Armadas e Auxiliares, ou de qualquer
outro órgão governamental, mas tão somente a opinião do usuário. Os comentários são moderados pelo usuário.
 
Denuncie | Colaboradores: Todos | Mais novos ] - [ Textos: Novas | Últimas ]

O autor decide se visitantes podem comentar.
 
Postada em 05-16-2008. Acessado 820 vezes.
Título da Postagem:A raposa escocesa de Miriam Leitão doc. nº. 62 - 2008
Titular:GTMelo
Nome de usuário:GrupoGuararapes
Última alteração em 05-16-2008 @ 09:40 am
[ Avise alguém sobre este texto ]
Estamos Vivos! Grupo Guararapes!

Prezada D. Miriam. Lemos, bastante comovido, a apreciação feita por V.Sa. – na sua coluna de O GLOBO, de 11 de maio último, sobre as Terras Fronteiriças, no extremo norte do país, denominadas “Raposa Serra do Sol”.

Inicialmente, gostaríamos de perguntar, em face da veemência de seu relato, se V.Sa. já esteve naquelas paragens ou simplesmente é mais uma da tribo da “Esquerda Escocesa”?

A sua afirmativa de que a Amazônia é “Terra sem Lei” se confirmaria, ainda mais, com a saída de Militares que honram a sua farda como o Gen Ex Augusto Heleno Ribeiro Pereira.

A frase choca porque a Constituição “Cidadã”, de 88, deveria estar em vigor, também, em Roraima, inclusive, na Reserva Indígena acima aludida, e creio que Sua. Exa., o Governador de Roraima, não apóia jagunços e sua afirmativa fere todo o executivo daquele Estado da Federação.

Em segundo lugar, ficamos alegres em saber que V.Sa. apóia o fato de um Militar da Ativa poder falar de assunto de sua estrita responsabilidade, em público.Viva a Liberdade de Expressão!

No entanto, é bom que seja ressaltado que não será qualquer  “tomada de decisão” – grifo nosso, de qualquer autoridade civil constituída, que deva ser cumprida, mas sim, se houver respaldo legal –, e a demarcação da Reserva Raposa Serra do Sol fere o  Inciso XI do art. 20 da C.F. de 88.

Quanto à sua alegação de que grileiros não são ameaça à Segurança Nacional, de fato não são, pois não consta da Carta da ONU nenhuma menção a terra de grileiros e sim àquelas de Povos Indígenas e, neste caso, todas as reservas Brasileiras estão incluídas.

Sabemos do cuidado que nossos indígenas têm com as terras que ocupam. É delas que eles tiram o seu sustento. É assim no Pará, no Mato Grosso, e em toda a Amazônia, pois, quando eles derrubam as árvores centenárias o fazem por falta de uma política de integração como a do Canadá, citada como exemplo por V.Sa.. Se sua afirmação de que brancos não cuidam da floresta, se referir à propriedade do Sr Quartiero, por não haver estado lá, informamos-lhe que não há floresta a derrubar, e, sim, muito arroz a ser colhido e fome a ser satisfeita dos próprios habitantes da Reserva.

Dada a sua preocupação com grileiros, desejamos lhe esclarecer que seria mais louvável, se V.Sa. começasse seu trabalho por Brasília; lá a atividade é mais lucrativa.

O Brasil é um caldeamento de raças. É miscigenado e por isso é forte. Não será a afirmação ideológica de um bando de maus brasileiros que poderá separar o sangue que corre em nossas veias por cinco séculos nas diversas vertentes que nos amalgamaram e formaram a Raça Cósmica Brasileira. Não há mais preto, branco e nem índios; há BRASILEIROS e um País a defender da cobiça estrangeira.

Quanto ao ”bom selvagem”, se V.Sa. se refere a Rousseau, ele é associado frequentemente às idéias anticapitalistas, considerado um antecessor do socialismo e comunismo, coisa retrógada. Segundo Voltaire, ninguem colocou alguma vez tanto engenho em nos querer converter em animais como Rousseau e creio que nós brasileiros, que tivemos nossos índios desfilando na Corte Francesa, tenhamos que voltar a andar de quatro.

Segundo o antropólogo Roger Barta, a obra de Rousseau não deve ser entendida como um retrocesso civilizatório,” senão um modelo que permita compreender a origem do mal".

Finalizando, sugerimos a V.Sa, que, da próxima vez que pretender resolver o problema da Amazônia, daí, da sua redação, faça um levantamento sobre as atividades do INCRA nesses 40 anos de criação e compare os serviços prestados por esses Servidores Públicos e os benefícios trazidos pelo brasileiro, prefeito eleito de um Município do Estado de Roraima, Paulo César Quartiero e seus capangas junto aos demais rizicultores do Estado.

ESTAMOS VIVOS! GRUPO GUARARAPES! PERSONALIDADE JURÍDICA sob reg. Nº 12 58 93, Cartório do 1º registro de títulos e documentos, em Fortaleza.  Somos 1.494 CIVIS – 47 da Marinha – 451 do Exército – 44 DA FAB total 2.036. In memoriam30 militares e 2 civis.

batistapinheiro30@yahoo.com.br in memoriam 30 militares e 2 civis.  Fortaleza,      13.05.2008.




Bookmark and Share
Outas colaborações de GrupoGuararapes
Veja Mais
Perfil de GrupoGuararapes
Perfil do Usuário
Junte-se a nós!
Junte-se a nós!