CRIME CONTRA A NAÇÃO O HOSPITAL DOS SENADORES | Blog Grifão | Portal Militar

Blog Grifão

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Fato Relevante

CRIME CONTRA A NAÇÃO O HOSPITAL DOS SENADORES

Publicado em 18 de Set. de 2011


2247 Visualizações


 A denúncia abaixo foi inserida no GRUPO GUARARAPES, e senhores(as) deliciem-se com isso, com essas vantagens dos senadores brasileiros, e não reclamem se seus filhos e familiares não gozam dessas benesses, vantagens, pois tudo isso é feito com vosso consentimento e SILÊNCIO:


 















 







Nihil

nihil :deixou o e-mail em branco! nihil :não deixou URL do site... 

Comentário [0]

Sob Sarney, Senado dribla corte de R$ 150 mi anuais



9/18/2011







Em 2009, sitiado por uma crise que o levou 11 vezes ao Conselho de Ética, José Sarney (PMDB-AP) prometera “reformar” a administração do Senado. Cavalgando o compromisso, Sarney acionou sua infantaria (Lula inclusive), driblou as acusações (de atos secretos à contratação de apaniguados) e salvou o mandato.



Decorridos dois anos, ficou pronta, em maio passado, a última versão da prometida reforma das engrenagens viciadas do Senado. Preparou o texto o senador Ricardo Ferraço, alma independente do PMDB do Espírito Santo. A coisa foi aprovada em subcomissão presidida por Eduardo Suplicy (PT-SP).



Na versão Ferraço, a reforma prevê o corte de algo como R$ 150 milhões nas despesas anuais do Senado. A lâmina atinge inclusive os gabinetes dos senadores. Para entrar em vigor, a reforma precisa ser aprovada em dois foros. Primeiro, na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Depois, no plenário do Senado.



Chama-se Eunício Oliveira (PMDB-CE, à direita)) o presidente da CCJ. Recebeu o projeto das mãos de Ferraço. Comprometeu-se a levá-lo a voto na comissão. Lorota. Decorridos quase cinco meses, Eunício, um senador das cavalariças de Sarney, mantém na gaveta a proposta que atenua os pendores perdulários do Senado.



Sarney e os outros 79 senadores, inclusive os que defenderam seu afastamento da Presidência em 2009 –Pedro Simon, por exemplo— guardam obsequioso silêncio. O atualíssimo debate sobre a urgência de reforçar as arcas da saúde pública acrescenta ao silêncio do Senado um adjetivo: “É ensurdecedor”, diz Ferraço.



Aprovado por unanimidade na subcomissão da CCJ, o texto de Ferraço (foto à esquerda) fixa prazo de 360 dias para o Senado redimensionar o hospital que mantém em suas dependências. Enquanto eleitores pobres enfrentam as filas no SUS e fenecem de espera, senadores, ex-senadores e servidores do Senado usufruem de uma anomalia.



Distribuído em 2.500 m², funciona no Senado um hospital com equipamentos sofisticados e cerca de cem profissionais da área de saúde. Entre eles, 48 médicos, sete odontólogos, 13 psicólogos, três fisioterapeutas, um farmacêntico, 23 técnicos em enfermagem e dois radiologistas.



No hospital do Senado, os salários começam em R$ 13,8 mil e terminam em R$ 20,9 mil. É o sonho de qualquer servidor público do SUS. No dizer de Ferraço, as instalações hospitalares do Senado constituem um “tapa na cara da sociedade brasileira.”



Por quê? Senadores, ex-senadores, funcionários do Senado e respectivos familiars dispõem de planos de saúde providos pelo Tesouro. Coisa fina. No caso dos senadores –atuais e antigos— o Senado cobre integralmente as despesas médicas, inclusive no exterior, sem exigir um mísero centavo de contribuição.



“Qual é o sentido de manter no Senado um hospital com capacidade para atender uma cidade de porte médio?”, pergunta Ferraço. Ele mesmo responde: “Nenhum sentido.” Até recentemente, o hospital do Senado funcionava inclusive nos fins de semana. Só em horas extras, o contribuinte desembolsava R$ 3,5 milhões ao ano. Tudo isso para atender a uma média de três pacientes por fim de semana.



O projeto de reforma que aguarda pela boa vontade de Eunício Oliveira vai muito além das despesas hospitalares. Sugere a redução das funções comissionadas do Senado de 2.072 para 1.129. Economia de R$ 28 milhões por ano. Propõe a poda dos cargos com direito a comissão de 1.538 para 1.220. Corte de R$ 62 milhões por ano.



Advoga o enxugamento das secretarias do Senado de 38 para meia dúzia. Cancelamento de despesas de R$ 10 milhões por ano. A lâmina desce à gordura dos gabinetes dos 81 senadores. Hoje, cada senador dispõe de 12 “cargos de livre provimento”. Gente contratada sem concurso.



Em sua sacrossanta generosidade, a direção do Senado autoriza os senadores a “desdobrar” as contratações. Assim, em vez de contratar um assessor com salário de R$ 12 mil, contratam-se seis com vencimentos de R$ 2 mil cada um.



Da mágica resulta que cada senador emprega –em Brasília e nos Estados— até 79 assessores. Com a reforma, os cargos de gabinete caem de 12 para sete. Desmembrando-se os contracheques, iriam à folha até 55 auxiliares, não mais 79.



Por que diabos o projeto ainda não votado? Confrontado com a pergunta do repórter, Ferraço solta uma gargalhada. Depois, declara: “Sinceramente, não sei. Está pronto. Mas, no Senado, as coisas só andam se há vontade política.”



Ferraço recorda que o contribuinte gastou R$ 500 mil para pôr o projeto de reforma em pé. O dinheiro desceu à caixa registradora da Fundação Getúlio Vargas em duas parcelas de R$ 250 mil.



O primeiro desembolso pagou uma proposta de reforma elaborada pela FGV em 2009, ano em que Sarney ardeu em crise. Desfigurado em debates internos, resultou em nada. Em 2010, nomeou-se uma comissão para acertar os desacertos.



Presidida por Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e relatada por Tasso Jereissati (PSDB-CE), a comissão encomendou novo estudo à FGV. Mais R$ 250 mil. Tasso perdeu o mandato de senador e nada foi votado.



Constituída em fevereiro de 2011, a comissão que teve Ferraço como relator serviu-se do material herdado de Tasso como matéria prima para a nova proposta. De novo, o tetrapresidente Sarney e sua infantaria respondem com golpes de gaveta. Até quando?









 

2 comentários


JPAngelo comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Set. de 2011 às 16:08

JPAngelo
Quero parabenizar pela excelente materia, mas antes é bom lembrar que nos não temos direito de reclamar nada, pois estamos a mer4c~e de uma pequena cupula composta por maus carter que só pensam em defender a sua ou o seu, Afinal onde andam aqueles mahcões que vivem falando de militares, da didatrura, até, mesmo dos governos militares, porque não saem a rua e moralizam essa cambada de ladrão. Não conheço nenhum mmilitare que tenha ido para a reserva e possua qualquer coisa além de uma casa, quando não na maioria das vezes vai pagar um alugel. a familia (filhos) são obrigados a estudar em colegio publico ou passam fome! os moralistas são os que nestão no poder. continuemos a defende-los e arcamos com as consequencias, principalmente com o enrequecimento dos atuais politicos e suas mordomias. (VAMOS MANTER ACESA A CHAMA DA COMISSÃO DA VERDADE E AGUARDAR O AMANHÃ PARA VER AS CONSEQUENCIAS QUE NOS RESTARÁ).

 

 
EJoseA comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Set. de 2011 às 16:43

EJoseA
Senhor JPangelo: Seu comentrio, pertinente, agradeo.

Sei que sou repetitivo, mas confio quem parte do povo, uns 10 a 12% so pessoas corajosas, obstinadas em defender o Bem Comum, uma outra parte talvez uns 20% mais, formam a minoria silenciosa, e todos esses que realmente do sustentao nossa sociedade, esses somados.

Tive momentos de crise, onde minha vida valia nem um fio de cabelo, e pessoas simples auxiliaram. Um negro, por exemplo, doou generosamente o sangue para que eu sobrevivesse; outros momentos em que no tinha nem um teto que me abrigasse, perseguido por antigos aliados de direita, onde sempre estive, a direita moderada.

As FFAA so constitudas por pessoas de bem e tambm por pessoas de m formao, ruins, egostas que buscam o bem particular. Confio nos bons, nos que buscam o Bem Comum, o bem de todos sem exceo e penso que triunfaremos, que o mal ser perseguido e abatido. Tambm espero que um futuro governo no busque s trocar as moscas, o que fatalmente ocorrer se acontecer via eleies, mas que privilegie a sociedade como um todo, que institua a Justia Justa Igual Para Todos. Mesmos pesos e mesmas medidas. Mas para isso necessrio que o futuro Pastor de as devidas honras e respeito pelas FFAA.

 

 
salvearainha comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Set. de 2011 às 18:18

salvearainha
DEUS SOBERANO e o BEM SEMPRE prevalecer sobre o MAU. Foi assim e assim ser para toda a eternidade em nome de JESUS.


SGTVALEEB comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Set. de 2011 às 19:27

SGTVALEEB
1 - Já é hora de Editarmos novamente o Ato Institucional n.º 1 (AI-1), que permite a cassação de mandatos e a suspensão de direitos políticos. Marcar eleições indiretas em dois dias para Presidência e vice-presidência da República com mandato válido até 31 de janeiro de 2015(Resto do mandato da Dilma). Criar novamente o SNI (Serviço Nacional de Informação), comandado pelo General Heleno;

2 - Decretar o Ato Institucional n.º 2, que retoma as cassações, extingue os partidos políticos, impõe eleições indiretas para presidente e atribui a este o poder de decretar estado de sítio sem consulta prévia do Congresso, intervir nos estados, fechar o senado, câmaras, prefeituras, demitir funcionários comissionado e emitir atos complementares e decretos-lei;

3 - Decretar o Ato Institucional n.º 3, que institui eleições indiretas para governador e a nomeação de prefeitos;

4 - Ato Institucional n.º 4 obrigar o Congresso a votar o Projeto de Constituição, reajuste de servidores públicos federal, militares, elevar o mínimo para R$ 1.000,00 (conquistar o apoio do povo);

5 - Promulgar a Lei de Segurança e alerta Nacional; dois dias depois, o General Heleno assumiria a Presidência do Brasil com o objetivo de passar essa pôrra a limpo!

6 - Ato Institucional nº 5, autorizando o presidente da República, mais uma vez, a colocar em recesso o Congresso e as Assembléias Legislativas estaduais; dá plenos poderes para cassar mandatos eletivos, suspender direitos políticos, demitir ou aposentar juízes e funcionários. Suspende o habeas corpus e autoriza julgamento em tribunais de "crimes políticos", e confisca bens de políticos corruptos;

E AI QUEM SE HABILITA A ENTRAR PRA HISTORIA???

 

 
ira1156 comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

20 de Set. de 2011 às 0:27

ira1156
Para que isso acontea no basta o Heleno; ser necessrio ressuscitar o Castelo; o Mdice; o Costa e Silva; o Geisel e, principalmente, o Figueiredo. Alm do Newton (no pode faltar e est vivinho e forte). Ou, se tiver, "cpias" dessas "feras" eu estou junto. De resto, ninguem tem coragem pra nada hoje em dia e os Generais (para rimar) so melancia.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )