Rio -  Estudo exclusivo  com dados do Boletim Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento revela que servidores do INPI, da Fiocruz e da CVM têm a hora de serviço mais bem paga entre as repartições que têm sede no Rio, mas perdem para o pessoal do fisco, da advocacia que defende o governo e do serviço secreto da Abin. Levantamento mostra que quem atende ao público tem o pior salário e expõe a queda da remuneração dos militares na hierarquia da hora de serviço paga pela União.


Foto: Arte: O Dia
Clique na imagem para ver o infográfico competo | Arte: O Dia


O ranking foi classificado de acordo com a hora de trabalho do servidor em topo de carreira. E revela detalhes curiosos, como 3º e 1º sargentos das Forças Armadas abaixo de Visitador Sanitário de Combate às Endemias.


O secretário-geral da Condsef, Josemilton Costa, argumentou que o abismo nos valores da hora do serviço foi evidenciado no governo Fernando Henrique Cardoso, quando o ex-presidente concedeu reajustes para a elite do funcionalismo, deixando de fora os servidores que lidam diretamente com a população.


Costa explicou que o governo Lula, apesar dos reajustes concedidos em sua gestão, não corrigiu o problema e apontou que as carreiras de base podem sofrer colapso em cinco anos: “Quem está em início de carreira vai pular para outras mais atrativas”.