Greve geral , parem o Brasil de Dilma | Blog Abaixo a Ditadura | Portal Militar

Blog Abaixo a Ditadura

Perfil do rjraposa
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Notcia

Greve geral , parem o Brasil de Dilma

Publicado em 16 de Ago. de 2012


1746 Visualizações


Os noticiarios nos meios de comunicação, mostram classes de funcionarios publicos, em greve, o feitiço contra os feitiçeiros, petistas e  Lulistas, recebem hoje o mesmo remedio que eles faziam quando eram oposição, só com a vantagem que eles recebiam o que pediam, hoje eles utilizam a maquina administrativa contra o trabalhador , descontando salário o impondo a justiça que é injusta contra quem busca justiça social, enquanto o governo que tem corruptos em seu bastidor, deviando fabulas de dinheiro publico, o governo tenta dar esmolas e ainda quer dividir em suaves pretações de migalhas, que antes de 1 ano será carcumido pela inflação, emprestimo para o FMI, perdão de dividas a varios paises, mensalão, bolça mizeravel a desocupados que só fazem filhos para quem trabalha pagar, liberação de verbas para serem desviadas por gangues comandadas por Zé Dircel da vida, e toda corja do PT, que quer se perpetuar no poder.PARA BRASIL, não deem mole a esses corruptos que hoje tem apoio infelismente da justiça do pais, PAREM, nos somos os patrões , não vamos permitir que eles ( PT e governo), criem uma ditadura, Aos militares tem vergonha na cara e lutem tambem , busquem o seus direitos, seja da forma que for, não recuem , PAREM o BRASIL. ADSUMUS

4 comentários


SIDINEI

16 de Ago. de 2012 às 21:28

SIDINEI
TENHO VISTO NESTE PORTAL UMA INFINIDADE DE INFORMAÇÃO,
MAS PARECE ESTAR EM PEDAÇOS
E POR ISTO SERIA NESCESSÁRIO UM BLOG QUE JUNTASSE AS PRINCIPAIS INFORMAÇÕES,
QUE PUDESSEM TER UMA ATENÇÃO SOBRE ELA E MUDASSE DE POSIÇÃO,
PARA SEMPRE ESTAR NA PRIMEIRA PÁGINA E NÃO COMO ACONTECE AQUI QUE AO POSTAR A POSTAGEM VAI OCUPANDO UM SEGUNDO PLANO ATE DESAPARECER.
SERIA COMO A PLACA DE ENTRADA OU TAPETE BEM VINDO.
ONDE AS PRINCIPAIS INFORMAÇÕES ESTIVESSE SEMPRE NA CAPA.
ENTÃO VAI ESTA SERIA UMA INFORMAÇÃO PARA A CAPA.

http://www.youtube.com/watch?v=CWRxojjeRvM&feature=share

 

 
rjraposa comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

16 de Ago. de 2012 às 22:31

rjraposa
Concordo com vc, deveria existir fato relevante com uma durao maior na pagina principal, vamos falar com o coordenador e ver o que acontece.


 

 
SIDINEI

26 de Ago. de 2012 às 21:38

SIDINEI
EU JA VI ESTA, J FALAMOS SOBRE ISTO EM ALGUMAS OCASIES E EVIDENTE EST E ME IMPRESSIONA QUE O QUE TINHA VISTO DENTRO DOS QUARTIS ERA VERDADE.
PERCEBIA QUE TINHA MUITOS QUE S SE INTERESSAVAM PELO SEU PRPRIO NARIZ, E VIA QUE ESTAVAMOS ESCORREGANDO LADEIRA ABAIXO SEM PODER FAZER NADA.
ENTO COMO NO TINHA CONHECIMENTO SOBRE POLTICA FUI DEIXANDO COMO ESTAVA EMBORA NO CONCORDANDO COM O QUE VIA.
HOJE A VISO DE POLTICA QUE TENHO MAIS ABRANGENTE SEI IDENTIFICAR UMA PESSOA QUE DESEJA O BEM DO PAIS DO QUE S QUER SE DAR BEM.
E UMA DAS COISAS QUE PENSO TEM A VER COM O QUE QUE TA ABAIXO:

http://www.youtube.com/watch?v=X6XVkOxvNJA&feature=related

TESE DE MESTRADO NA USP por um PSICLOGO

'O HOMEM TORNA-SE TUDO OU NADA, CONFORME A EDUCAO QUE RECEBE'

'Fingi ser gari por 1 ms e vivi como um ser invisvel'

Psiclogo varreu as ruas da USP para concluir sua tese de mestrado da 'invisibilidade pblica'. Ele comprovou que, em geral, as pessoas
enxergam apenas a funo social do outro. Quem no est bem posicionado sob esse critrio, vira mera sombra social.

Plnio Delphino, Dirio de So Paulo.
O psiclogo social Fernando Braga da Costa vestiu uniforme e trabalhou um ms como gari, varrendo ruas da Universidade de So Paulo.
Ali,constatou que, ao olhar da maioria, os trabalhadores braais so 'seres invisveis, sem nome'.
Em sua tese de mestrado, pela USP, conseguiu comprovar a existncia da 'invisibilidade pblica', ou seja, uma percepo humana totalmente prejudicada e condicionada diviso social do trabalho, onde enxerga-se somente a funo e no a pessoa. Braga trabalhava apenas meio perodo como gari, no recebia o salrio de R$ 400 como os colegas de vassoura, mas garante que teve a maior lio
de sua vida:

'Descobri que um simples bom dia, que nunca recebi como gari, pode
significar um sopro de vida, um sinal da prpria existncia', explica o
pesquisador.

O psiclogo sentiu na pele o que ser tratado como um objeto e no como um ser humano.
'Professores que me abraavam nos corredores da USP passavam por mim, no me reconheciam por causa do uniforme. s vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelho', diz.
No primeiro dia de trabalho paramos pro caf. Eles colocaram uma garrafa trmica sobre uma plataforma de concreto. S que no tinha caneca. Havia um clima estranho no ar, eu era um sujeito vindo de outra classe, varrendo rua com eles. Os garis mal conversavam comigo, algunsse aproximavam para ensinar o servio.
Um deles foi at o lato de lixo pegou duas latinhas de refrigerante cortou as latinhas pela metade e serviu o caf ali, na latinha suja e grudenta. E como a gente estava num grupo grande, esperei que eles se servissem primeiro.
Eu nunca apreciei o sabor do caf. Mas, intuitivamente, senti que deveria tom-lo, e claro, no livre de sensaes ruins. Afinal, o cara tirou as latinhas de refrigerante de dentro de uma lixeira, que tem sujeira, tem formiga, tem barata, tem de tudo. No momento em que empunhei a caneca improvisada, parece que todo mundo parou para assistir cena, como se perguntasse:
'E a, o jovem rico vai se sujeitar a beber nessa caneca?' E eu bebi.
Imediatamente a ansiedade parece que evaporou. Eles passaram a conversar comigo, a contar piada, brincar.

O que voc sentiu na pele, trabalhando como gari?
Uma vez, um dos garis me convidou pra almoar no bandejo central.
A eu entrei no Instituto de Psicologia para pegar dinheiro, passei pelo
andar trreo, subi escada, passei pelo segundo andar, passei na biblioteca, desci a escada, passei em frente ao centro acadmico, passei em frente a lanchonete, tinha muita gente conhecida. Eu fiz todo esse trajeto e ningum em absoluto me viu.
Eu tive uma sensao muito ruim. O meu corpo tremia como se eu no o dominasse, uma angustia, e a tampa da cabea era como se ardesse, como se eu tivesse sido sugado. Fui almoar, no senti o gosto da comida e voltei para o trabalho atordoado.
E depois de um ms trabalhando como gari? Isso mudou?
Fui me habituando a isso, assim como eles vo se habituando tambm a situaes pouco saudveis. Ento, quando eu via um professor se aproximando - professor meu - at parava de varrer, porque ele ia passar por mim, podia trocar uma idia, mas o pessoal passava como se tivesse passando por um poste, uma rvore, um orelho.
E quando voc volta para casa, para seu mundo real?
Eu choro. muito triste, porque, a partir do instante em que voc est
inserido nessa condio psicossocial, no se esquece jamais.
Acredito que essa experincia me deixou curado da minha doena burguesa.
Esses homens hoje so meus amigos. Conheo a famlia deles, freqento a casa deles nas periferias. Mudei. Nunca deixo de cumprimentar um trabalhador.
Fao questo de o trabalhador saber que eu sei que ele existe.
Eles so tratados pior do que um animal domstico, que sempre chamado pelo
nome. So tratados como se fossem uma 'COISA'.
*Ser IGNORADO uma das piores sensaes que existem na vida!
Respeito: passe adiante!

--





ACIL MOREIRA NEVES

16 de Ago. de 2012 às 21:27

ACIL MOREIRA NEVES
Gostei muito do seu artigo e só está faltando nós militares das FFAA. Vamos sair dos Quartéis e juntarmos aos demais guerreiros. ADSUMUS SEMPRE.


Cap Manoel Florncio - Nathan

17 de Ago. de 2012 às 16:53

Cap Manoel Florncio - Nathan
Não sou a favor das greves do funcionalismo público. Além de prejudicar a população, essas greves não têm razão de ser. Existem classes de funcionários públicos que recebem fora da realidade nacional. Não acho justo num país como o Brasil um agente da polícia federal ganhar mais que o seu similar da Scotland Yard, inglesa.
A verdade é que tiveram aumentos muito acima da inflação no Lula e agora querem o mesmo tratamento. É inviável. Tanto que o governo só dará aumentos diferenciados aos professores e aos militares, classes que estão defasadas no serviço público.
Salário médio de policial da Scotland Yard: 30 mil Libras anuais. Agente da PF, subsídios médios mensais: 9 mil Reais. 13 salários X 9 mil:
117 mil reais.
1 Libta = 3 Reais . 3 X 30 mil Libras = 90 mil reais.
Conclusão: Média do policial da Yard: 90 mil Reais anuais. Média do agente da PF: 117 mil reais anuais !
E vamos botar a mão no porco!

 

 
pccmil comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

06 de Set. de 2012 às 23:26

pccmil
Prezado amigo ns militares no estamos recebendo aumento e sim uma reposio muito abaixo de nossas perdas que ocorrem desde do governo Collor,com a criao do MD perdemos nosso poder de reclamao,pois nossos CMTs so covardes e temem o pijama.Na minha humilde viso nossa arma a unio, nosso objetivo a parada de portos,aeroportos e estradas,temos que fazer com que a sociedade conhea nosso valor enquanto guardi da ptria.


pccmil comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

06 de Set. de 2012 às 23:27

pccmil
Concordo.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )