OAB defende fim da Justiça Militar | Blog Liberdade | Portal Militar

Blog Liberdade

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Justia Militar

OAB defende fim da Justiça Militar

Publicado em 04 de Abr de 2013


1340 Visualizações


 


 


OAB defende fim da Justiça Militar


 


Fonte: http://odia.ig.com.br/portal/economia/oab-defende-fim-da-justi%C3%A7a-militar-1.568156


Posição ganha força após CNJ propor estudo sobre gastos da CorteRio -  A Justiça Militar pode ser extinta no Brasil e os processos que julga, analisados pelos tribunais federais. A posição é do presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, para quem “o país não precisa” da corte militar. “A Justiça Federal tem capacidade para julgar militares, que são cidadãos comuns”, defende.


Foto: Divulgação


General Cerqueira, do STM:Procuramos julgar com celeridade”


A polêmica aberta na semana em que a Justiça Militar completa 205 anos , começou no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que criou grupo de trabalho para “avaliar a real necessidade” da corte. O presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, sugeriu mudanças e criticou a baixa produtividade do Superior Tribunal Militar (STM), que tem orçamento de R$ 322 milhões anuais. Segundo Wellington Saraiva, do CNJ, o estudo pode levar ao menos a “um novo modelo de atuação da corte”.


Julgamos de soldado a general”


Após cerimônia comemorativa da Justiça Militar, ontem em Brasília, o presidente do Superior Tribunal Militar, general Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, rebateu as críticas sobre a produtividade da Corte, que em 2012, julgou 1081 processos.


Procuramos julgar os processos com celeridade, mas todos hão de convir que o julgamento penal é difícil. São feitos um a um, diferentemente do que acontece na área cível, administrativa, onde há a possibilidade de se julgar em bloco, com uma decisão monocrática”, disse. “Na Justiça Militar julgamos cada caso, de soldado a general”, completou o presidente do STM.




5 comentários


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 9:22

Avassalador

Sou totalmente FAVORÁVEL a extinção da justiça militar, pois a justiça Federal é competente para julgar crimes militares, entendo também que general não tem conhecimento e competência para julgar; acredito parcialmente nas declarações do presidente do STM onde ele diz: “Julgamos de soldado a general”



 

 
FRANCISCO FERREIRA DE OLIVEIRA

04 de Abr de 2013 às 10:09

FRANCISCO FERREIRA DE OLIVEIRA


Sou totalmente favorvel a extino do STM, na qual no tem serventia para nao, jamais tive conhecimento dentro da Justia Militar de Oficiais Generais condenados por esta corte, eles jugam pelo corporativismo, se existem Praa e Oficial dentro de um processo, eles fazem de tudo para obsolver o oficial e o praa ferro.

O amigo meu servia em Campo Grande, quando o mesmo descobriu falcatrua do General em desvios de recursos pblicos, o militar foi punido, por descobrir a espertesa do General, esse caso deveria ser apurado atravs de IPM, no daria nada, porque quem responsvel pelo IPM, simplesmente Oficial, jamais prejudicaria um general. Diante do fato, s posso dizer, que ainda vivemos numa ditadura camuflada dentro dos quartis.

Como pode, um General de qualquer arma, ser nomeado para o STM, na qual nunca engressou numa faculdade de Direiro, mostra claramento o desconhecimento juridico, o julgamentro deles, so somente pela aparncia e no pelo conhecimento, prejudicando claramente pessoas inocente.

 

 
hlcunha comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 15:20

hlcunha
Julgar o Soldado pode at ser, mas o General... ruim, hein...

 

 
rjraposa comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 16:05

rjraposa
Sim, ajustia militar julga de soldado a general, mas no condena general....


PAULO CEZAR

04 de Abr de 2013 às 10:27

PAULO CEZAR
ATÉ PARECE QUE O STM JULGA GENERAL NO BRASIL. COMO É QUE ESTÁ A SITUAÇÃO DO GEN ENZO CMT DO EXERCITO EM RELAÇÃO À DENÚNCIA FEITA CONTRA ELE QUANDO COMANDAVA O IME/RJ.


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 12:22

Avassalador
Sobre a Justiça Militar acho que precisamos de uma enquete conforme sugestão abaixo descrita:

Sobre a Justiça Militar o que você acha:

( ) É necessária e eficiente;

( ) Julga com imparcialidade;

( ) Deve acabar, pois só condena praça;

( ) Deve acabar e ineficiente;

( ) Sou indiferente.

 

 
hlcunha comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 15:21

hlcunha
Opo 3.


Jorge Souza

04 de Abr de 2013 às 15:08

Jorge Souza
Julga sim de Soldado a General mais o compativismo fala mais alto, é só vê que não tem nenhum praça que compôe a bancada que julga, só tem oficial e o juiz ou juiza frequenta os clubes de oficiais e em alguns caso tem eles os oficiais como amigos.
Tem que acabar mesmo ou então ajudar julgando os casos dos civis que estão parados ou muito lento.


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

04 de Abr de 2013 às 17:33

Avassalador

Pois é senhores, os tempos mudaram, a mentalidade dos militares graduados também evoluiu, e muito, vejam que muitos militares graduados possuem curso superior, muitos soldados e marinheiros também, estão em cursos de graduação, e ate doutorado, portanto e por questão de justiça, no STM, obrigatoriamente deveria existir acentos para militares graduados, isso visando equilibrar a balança, equilíbrio que os generais jamais iriam permitir, portanto,porem,entretanto, e por questão de justiça, eles estão passando pelo nosso crivo, e juntos diremos não ao imperialismo dos generais.

Pela extinção do STM, já!

 

 
Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

05 de Abr de 2013 às 7:21

Avassalador
Poltica e estratgia militar, inteligncia e contra inteligncia, assuntos que sempre foram restritos e discutidos somente entre oficias generais, hoje assunto tambm discutido entre graduados. Os tempos mudaram s no v quem no enxerga.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )