Médicos criam blog para denunciar o programa "Mais Médicos" | Blog ABMIGAER em defesa das Forças Armadas | Portal Militar

Blog ABMIGAER em defesa das Forças Armadas

Perfil do ABMIGAER
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Brasil

Médicos criam blog para denunciar o programa "Mais Médicos"

Publicado em 24 de Jan. de 2014


2074 Visualizações


 E o dito Programa Mais Médicos de repente sumiu do noticiário da grande imprensa. Na mesma medida em que diminui a cobertura jornalística aumentam os casos de péssima prática médica por parte dos cubanos importados pelo governo do PT/Foro de São Paulo.

Entretanto, a abençoada tecnologia mais uma vez obriga os jornalistas normalmente obsequiosos em relação ao governo do PT de sair do casulo vermelho em que estão metidos desde que o Apedeuta recebeu a faixa presidencial das mãos de FHC.
Foi preciso que alguns médicos decidissem por a mão na massa, ou melhor, nos computadores, criando dois blogs que estão causando o maior furor na web, pois metem o dedo na ferida. Como profissionais da medicina, evidentemente, dominam o metier. Denotam realmente um conhecimento que arrisco, embora leigo, que está além da média. Por isso revelam e comprovam o descalabro desse programa (Mais Médicos) que, segundo consta será o maior cabo eleitoral na tentativa de reeleger a Dilma. Agora com essas denúncias, o programa Mais Médicos cai de graça no colo dos marqueteiros da oposição. Para o governo do PT, é umA desgraça; para a oposição ouro puro!
As denúncias contidas em dois blogs criados por esses médicos está tendo um impacto tão grande que o site UOL realizou uma entrevista com um dos criadores do blog Cubanadas.
Transcrevo o texto introdutório e parte da entrevista fornecendo ao final o link para leitura completa. Recomendo também que conheçam os dois blogs: O Mais Médicos? e Cubanadas na Saúde do Brasil. Verão que o conteúdo desses blog põe no bolso todos os jornalões e as grandes redes de televisão já que fornecem pautas quentíssimas, fartamente documentadas! Os chefes de reportagem dos jornais e TVs devem dar uma olhadinha nisso.
 
Leiam a entrevista que foi publicada no site UOL empresa que pertence ao grupo Folha de S. Paulo:
 
 
Facsímile de postagem no blog Mais Médicos? Iguais a esta há dezenas de postagens semelhantes levando a crer que os cubanos podem ser no máximo auxiliares de saúde, mas não médicos. Há erros médicos grosseiros denunciados nesses blogs.
 
Duas páginas na web entraram para a barra de favoritos daqueles que são contrários ao Mais Médicos, anunciado em julho do ano passado pelo governo de Dilma Rousseff. Ambas mostram falhas de médicos estrangeiros participantes do programa, como receitas prescritas com dosagens consideradas incorretas ou erros de português. A primeira é um Tumblr que leva o mesmo nome do Mais Médicos e a segunda, que já existia antes do programa, é o blog Perito.med, que criou um espaço voltado apenas para o que chamam de erros e bizarrices do programa:Cubanadas.
 
 
 
Os criadores do Tumblr permanecem anônimos. Mas vários posts da página são reproduzidos do Cubanadas, fundado por dois médicos - o anestesista Héltron Xavier, formado pela UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), e o infectologista Francisco Cardoso, formado pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) - que trabalham como peritos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em Natal e São Paulo, respectivamente.
 
Cardoso, de 33 anos, é quem administra e alimenta com mais frequência as notas publicadas, segundo ele, só após confirmação. Na entrevista a seguir, ele explica o que o motiva a continuar sua batalha contra o programa:
 
 
 
O blog foi criado para falar sobre o programa Mais Médicos?
 
Francisco Cardoso – O blog Perito.med existe desde 2010 e foi criado por nós, peritos do INSS, com a intenção de defender e valorizar a categoria e denunciar erros e má gestão. Seria a voz da categoria, mas se tornou um blog técnico sobre medicina, pois a maioria dos concorrentes aborda o tema superficialmente. Depois, acabou virando um espaço de defesa da medicina especialmente em relação ao Estado. Nenhum governo tratou o tema como se deve, mas o atual se aprimorou na arte de destruir a classe médica.
 
 
 
Por que "Cubanadas"?
 
Cardoso – Antes mesmo do anúncio do Mais Médicos, sabíamos da intenção do governo de trazer médicos de fora. Na primeira semana de atendimento dos estrangeiros já chegaram relatos de erros. Eram prescrições bizarras. Começamos a publicar em uma página do site à parte e a audiência explodiu.  Pedíamos o material e o primeiro a chegar foi o caso de um médico argentino que atendia no Rio Grande do Sul e que receitou uma dose errada de antibiótico. Ele veio de Buenos Aires, onde era um radiologista, para ganhar mais aqui, claro.
 
 
 
Todos os médicos não podem atuar como clínicos?
 
Cardoso – Sim, mas existe um bom senso entre a classe. Se um profissional passa 20 anos vendo raios-X, é claro que será difícil atuar como clínico, por exemplo. Demos a nota sobre o caso e nossa audiência, que era de 6.000 a 8.000 visitas, pulou para 200 mil por dia. Muitos veículos fizeram reportagem usando essa nota.  Daí, médicos começaram a nos enviar material, mas também encontramos notas em redes sociais, por exemplo.
 
 
 
Vocês checam as informações?
 
Cardoso – Checamos tudo! Se não encontramos nada que comprove, não publicamos.  Mas voltando a sua pergunta, a nova página foi chamada de Cubanadas porque a maioria dos médicos do programa veio de Cuba. Juntamos cubanos com pataquadas.
 
 
 
Mas mostram os erros dos brasileiros também?
 
Cardoso – Sim, o site foi criado para isso. Inclusive fomos duramente criticados por colegas que diziam que não deveríamos tornar isso público. Mas a boa medicina não pode encobrir a má prática. Temos mais casos de brasileiros no site, porque a página existe há três anos. O Mais Médicos tem apenas alguns meses, mas em porcentagem, o programa tem mais casos de erros.
 
 
 
O que vocês criticam no programa?
 
Cardoso – Criticamos o método. Na verdade, o governo nem checa se esses estrangeiros são médicos. Eles também não têm tempo de preparo e isso resulta em erros. São erros tão grosseiros que colocam em dúvida se são médicos de fato. Quando é demais, acaba vertendo para o escracho. Eu mesmo tentei me inscrever diversas vezes no programa, mas nunca conseguia finalizar por problemas no site. Só acontecia isso com brasileiros.
 
 
 
Os estrangeiros deveriam fazer o Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos)?
 
Cardoso – Sim, deveriam. Dizem que o exame é difícil. Mas é uma prova fácil. Difícil é passar na residência da USP (Universidade de São Paulo) ou na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).  Eles precisam ter proficiência em Português também. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, sempre compara o sistema de saúde do Brasil com o da Inglaterra, mas lá o médico que vem de fora tem de falar inglês.
 
 
 
Não acha que a população era simpática aos médicos locais até o incidente em Fortaleza, quando vaiaram os profissionais cubanos?
 
Cardoso – Aquilo foi uma armadilha! Criaram uma situação para gerar comoção. Nunca foi intenção dos brasileiros ofender os cubanos. Eles são vítimas, suas famílias estão presas em Cuba. Eles não podem dar um passo em falso aqui. Nosso desejo é que eles fiquem com todo o dinheiro que recebem.
 
 
 
Você diz que foi uma armadilha...
 
Cardoso – O sindicato médico da região organizou uma manifestação durante uma aula dos estrangeiros. Ele incitou médicos brasileiros jovens, recém-formados e inexperientes contra os cubanos. Isso foi agravado pela presença de membros do governo e virou uma briga de torcidas.  Jogaram um médico cubano negro na frente de duas médicas brasileiras brancas e estava pronta a foto. Isso passou para a sociedade uma imagem de intolerância que o governo queria.  A presidente pediu desculpas para este médico depois, mas não pede desculpas para os brasileiros. Inclusive os que estão sendo demitidos para que os estrangeiros entrem em seus lugares. Se eu encontrasse um médico cubano levaria para minha casa e o deixaria se libertar. Não, eu o levaria para a embaixada dos Estados Unidos, como fizeram os médicos de um programa parecido na Venezuela. Clique AQUI para ler TUDO
 
http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2014/01/15/criador-de-blog-que-traz-erros-do-mais-medicos-diz-que-programa-e-midiatico.htm

1 comentários


Francisco

24 de Jan. de 2014 às 13:05

Francisco
Aproveito o assunto e gostaria de relatar um caso ocorrido na família. Ainda não existia esse programa mas médicos estrangeiros já costumavam atender em cidades próximas a fronteira norte do país. Se algum deles fez o REVALIDA é uma incognita.Já fazem alguns anos, minha espôsa começou a ter problemas para respirar com uma congestão nasal forte e quase ininterrupta. Achávamos que era devido ao clima quente e úmido da região. Como tínhamos difilculdade de marcação para um especialista no hospital a tínhamos direito resolvemos procurar uma clínica particular com preço que fosse possível pagar com meu salário. Fomos recebidos por um senhor com sotaque espanhol. Após algumas perguntas no "portinhol" eu fiquei meio desconfiado mas como já estava lá, esperei o resultado. Finalmente ele disse que tinha que fazer uma raspagem do osso do nariz através de cirurgia para desobstruir a passagem do ar. Saímos de lá com uma "pulga" atrás da orelha, melhor dizer, com um "coelho" atrás da orelha. Fomos direto para a clínica masi cara de lá e falamos com o especialista brasileiro. Após ouvir nossa estória dos sintomas, examinar, ele disse que o problema todo era devido ao uso excessivo de VICK, que realmente era costume de minha espôsa. Passou umas gotas de uso diário, que na primeira aplicação os sintomas desapareceram e até hoje não voltaram. Ficamos nos perguntando o que teria acontecido se tivéssemos feito aquela cirurgia ?Isso foi em Porto Velho, faz uns dez anos. Lembrei agora, depois dessa revoada de médicos estrangeiros chegando. Na Bolívia há uma faculdade de medicina onde muitos brasileiros que são reprovados por aqui, ou nem fazem concurso, pagam e se "graduam" de forma mais econômica. Tenho certeza que há alguns competentes entre esses que estão chegando, assim como há brasileiros não muito hábeis, mas como tudo no Brasil, não dá para confiar na fiscalização.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )