E-mail recebido - Extremamente preocupante. | Blog Tufão | Portal Militar

Blog Tufão

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Fato Relevante

E-mail recebido - Extremamente preocupante.

Publicado em 27 de Mar de 2015


2467 Visualizações


Assunto: O "Exército Cubano de Ocupação" (CEO) na Venezuela, seu armamento e localização


Devidamente autorizado, repasso e-mail recebido.

Esta reportagem foi feita na Argentina e demonstra a preocupação do povo Argentino de ser invadido pela Venezuela

Lista de oficiais do “Exército Cubano de Ocupação” (CEO) na Venezuela, seu armamento, localização e missão repressiva

Como vemos, na Venezuela se joga a sorte de toda a Ibero-América. Como dizem os valentes manifestantes desse país, a coisa é “Agora ou nunca!”, porque a cada dia que passa será mais difícil deter este sinistro plano do comunismo para dominar nosso continente.
Na Venezuela se joga a sorte também do Brasil !
ÂncoraIntrodução:
Chegou-me de uma fonte que merece toda a minha confiança, este informe aterrador sobre as forças e o pessoal superior com que o Comando do “Exército Cubano de Ocupação” (CEO) conta na Venezuela. Sua missão é manter o controle total do país, do Exército venezuelano e o esmagamento de qualquer tentativa de mudança política, tudo isso mediante a colaboração dos traidores venezuelanos do “chavismo”.
 
Estão em permanente contato com o Serviço de Inteligência de Havana, com armamento poderoso, comunicações diretas e em clave, e com aeroporto próprio para a entrada e saída de tropas. Os oficiais superiores cubanos receberam graus do Exército venezuelano. Eles têm unidades próprias de repressão urbana que se mobilizam em poderosas motocicletas e contam até com bases de lançamento de mísseis com alcance de até 2.500 kms. operadas por pessoal iraniano.
 
Como se poderá ver, o CEO está estrategicamente situado em distintos pontos do território venezuelano. Para conhecer sua localização, convém ler o informe com um mapa da Venezuela à vista.
 
Quer dizer, o poder na Venezuela, por mais que Maduro finja ser o manda-chuva, está nas mãos do castrismo comunista e se exerce desde Cuba. Vale dizer que esse exército de ocupação não sente o menor carinho pelo país que domina, carece de patriotismo venezuelano e de solidariedade com os habitantes do país irmão, de maneira que não tem nenhum inconveniente em derramar todo sangue venezuelano que lhes pareça necessário.
 
Este é o futuro que nos espera também aos argentinos. Na Bolívia há uma situação semelhante, só que dessa só tenho vagas notícias. É possível que seja assim, posto que há poucos meses Morales teve que enfrentar uma rebelião geral dos bolivianos e, dada a proximidade com nosso país e o interesse indubitável que o comunismo tem em não permitir que a poderosa influência que conseguiu na política aqui, se perca. Chegado o caso, e em vista da destruição sistemática de nossas FFAA realizada pelo kirchnerismo nestes onze anos que estão no poder, uma invasão de forças cubanas especiais desde a Bolívia não pode ser descartada. Em Jujuy estão as forças irregulares de Milagro Sala para facilitar-lhes a passagem.
 
Como vemos, na Venezuela se joga a sorte de toda a Ibero-América. Como dizem os valentes manifestantes desse país, a coisa é “Agora ou nunca!”, porque cada dia que passa será mais difícil deter este sinistro plano do comunismo para dominar nosso continente.
 
É preciso rezar pelos heróicos venezuelanos, pedir à Padroeira da Venezuela, Nossa Senhora de Coromoto, que ajude a seus filhos. E todos os argentinos devemos nos interessar vivamente pelo drama que estão vivendo e apoiá-los por todos os nossos meios para que consigam se livrar do jugo maldito com o qual tentam dominá-los.
 
Lista dos generais, chefes de operações e comando de tropas cubanas na Venezuela:
 
ANDOLLO VALDEZ, o general cubano que deve esmagar rebeliões... na Venezuela. Desde 27.12.12, “Operação Bastião”: para isso conta com 4.500 soldados cubanos que chegaram em janeiro de 2012. Leonardo Andollo Valdez - Cubavisión.
 
JORGE ROJAS RIERA (@Jrr473), estrutura organizacional e de comando do Exército de Ocupação Cubano (ECO) na Venezuela.
 
Contingente: 
 
Oficiais: 
 
2 Generais-de-Brigada, (1 no Fuerte Tiuna, outro em Barquisimeto), 4 Coronéis, 8 Tenentes-Coronéis e 6 Capitães-de-Fragata e 25 oficiais subalternos.
 
Com a Sala Situacional independente instalada no Fuerte Tiuna (Serviço de Remonta) e conectada em WF encriptado por cabo com o Centro de Operações de Comando de Valle Picadura em Havana, sob o comando, desde Havana, do General-de-Divisão Leonardo Andollo Valdez. (Atualmente na Venezuela desde março). Viaja à Venezuela a cada 15 dias para realizar reuniões de Estado-Maior para afinamento de operações. Estas tropas entram na Venezuela e saem para Cuba para suas substituições constantemente, por uma pista de aterrissagem situada em Apure, e pela Rampa (Base aérea) 2 do aeroporto de Maracaibo.
 
Número dos contingentes: 4.500 homens de Infantaria organizados em 8 batalhões de 500 efetivos, mais um batalhão estacionado em Fuerte Tiuna. Chegados à Venezuela a partir de janeiro de 2012. Estes novos contingentes substituíram os anteriores que começaram a chegar em janeiro e agosto de 2011.
 
Generais na Chefatura do Estado-Maior:
 
Chefe: General-de-Divisão Leonardo Andollo Valdez, 60 anos, quando tenente esteve em Angola, segundo chefe do Estado-Maior das FARC em Cuba, coordenador do “Movimento Bolivariano” e Vice-diretor do Partido Comunista de Cuba. Dirige na Venezuela a “Operação Bastião”, que é o nome do Plano que os batalhões cubanos estacionados na Venezuela realizariam em caso de uma “emergência” ante mudanças políticas em 7 de outubro.
 
Chefe de Operações do Estado-Maior: 
 
General-de-Brigada Herminio Hernández Rodríguez, comissário político, assessor da Sala Situacional de Miraflores. Expert em operações urbanas, em manejo de situações em crise. Assessor do CEO e com sede na JEM (Chefatura do Estado-Maior, por suas siglas em espanhol) da II Divisão no Fuerte Tiuna. Maneja a Ordem de Operações para enfrentar (inclusive emprego das Milícias) situações de desordem civil em 11 cidades do país, sufocar o 7 de outubro e posterior ao 7-O, ou em qualquer situação que se desencadeie.
 
ALEJANDRO RONDA MARRERO “O GENERAL DOS ESPINHOS DUROS”
 
Chefe do G2 do EMO (Estado-Maior Operacional):
 
General-de-Brigada Alejandro Ronda Marrero
 
Este general (reporta diretamente o que lhe interessa ao Major-General Hugo Carvajal, atualmente a máxima autoridade da Inteligência nacional, com o cargo de Super Vice-Ministro para a investigação penal). Ronda é subalterno do Comandante Ramiro Valdez Menéndez em Cuba que, por sua vez, o segundo chefe da Inteligência Cubana das FARC.
 
Ronda Marrero, sob a chefatura do Major-General Hugo Carvajal Barrios, que se reporta diretamente ao Presidente da República, coordena, assessora e dirige desde a DIM (Divisão de Inteligência Militar)-Boleíta na Divisão Telemática, em coordenação com o SEBIN-DIE, todas as operações de inteligência e contra-inteligência militar e civil (Comando de campanha de Capriles e partidos políticos, e de militares em serviço ativo com comando de tropas, de oficiais superiores). Dirige pessoal de oficiais cubanos, iranianos e chineses. Opera desde a JEM da II divisão do Exército do Fuerte Tiuna. Tem ingerência nas Sala Situacional de Miraflores e do Exército.
 
OFICIAIS ESTACIONADOS NA VENEZUELA EXERCENDO O COMANDO DE TROPAS CUBANAS, que dependem diretamente do General-de-Divisão Julio Cesar Gandarilla, atual Chefe da CIM-Militar em Cuba (contra-inteligência cubana):
 
1. Ramiro Méndez Olayeta, 59 anos (Moscou) Infantaria do Exército (IE)
 
2. Eusebio Serrat Lennis (Moscou) Missilístico, IE
 
Coronéis: 
 
1. Rodrigo Hernández Maite
 
2. Rufino Zabeleta Corvino
 
3. Jaime Freitas Sambrano
 
4. Simón Guillermo Sénior
 
Tenentes-Coronéis:
 
1. Luis José Fernández Fernández
 
2. Armando García Rotondaro
 
3. Hermagoras Ruiz
 
4. Braulio Menéndez
 
5. Luis Carlos Castro Guiño
 
6. Federico Trompis
 
Capitão-de-Fragata: 
 
1. Federico Corsi Contra-Almirante de Infantaria da Marinha
 
2. Norberto Arango 
 
3. Luis Gerardo Vera Gonzáles
 
4. José Dionisio Bilbao Menéndez
 
25 Oficiais Subalternos de Infantaria e Inteligência
 
São oficiais experts em inteligência, contra-inteligência, sabotagem, contra-sabotagem, que são dirigidos pelo almirante Julio Cesar Gandarilla que se reportam a ele diretamente via cabo, mediante sistema encriptado. Gandarilla é o máximo Chefe da Contra-Inteligência Militar Cubana em Valle Picadura. Fazem inteligência e contra-inteligência dentro das regiões militares (Brigadas e Divisões, Batalhões e o Exército Venezuelano em geral). 
 
Portam identidade especial da DCIM (Divisão de Contra-Inteligência Militar, subscritas pelo general diretor da DCIM, F. Figueroa Chacín) venezuelana e armamento autorizado com porte de arma especial emitido pelo DARFA. Portam pistolas Carella 9 mm e mini USIS, assim como movem-se em motos de fabricação italiana, cor negra, inscritas na DIM.
 
Esses agentes móveis especiais cubanos têm 12 pontos de concentração em Caracas, sempre localizados em estações de saída e entrada do Metrô. Dois importantes no Leste: no metrô Los Dos Caminos e Unicentro El Marqués, dois no Oeste: Parque del Oeste e Capitolio e três no sudoeste: a Bandera-Roosevelt, UCV e o Valle. Também contactam e coordenam via TELF. Celulares com os 70 postos de comando localizados nas urbanizações das zonas residenciais altas de Caracas (Plano Guaraira Repano), e com os grupos de operações situados nos quatro Comandos de forças anárquicas enquadradas dentro do Plano Guaraira Repano.
 
Armas que portam e detém as tropas cubanas: 
 
AK-A 103 e AK-109 equivalente ao FAB de fabricação belga.
 
Lança-foguetes Tropv R1Vde 50 mm.
 
Obuses Kalisnef-120 contra carros.
 
Morteiros lança-granadas tipo Katiuska M30 Kamarakov.
 
Ônibus de fabricação chinesa, marca Gel com capacidade para 60 pessoas. Sistema de comunicações independentes entre comandos. Encripta dados via WF.
 
INTENDÊNCIA: 
 
Uniformes tipo “patriota” venezuelano, com insígnias e graus militares venezuelanos.
 
LOCALIZAÇÃO: 
 
Geo-estrategicamente localizados, (móveis), de maneira tal que podem mover-se e cortar avanço de unidades terrestres do Exército da Venezuela para Caracas:
 
Agua Viva, Barinas, Morón-Coro, Barquisimeto, Elorza, Puerto Cabello, El Tigre-Pariaguan, La Encrucijada-Maracay.
 
A base iraniana que está localizada em Zuata, município Monagas do estado Anzoátegui, é operada por pessoal iraniano. Engenheiros aeronáuticos têm em seus silos, já em condições operacionais, mísseis com alcance de 1.480 km do tipo Sheralabs 3, e três com alcance de 2.500 km tipo Alghadv-110.
 
Nestes momentos instalam-se igualmente em Paranaguá, do mesmo alcance, 6 novos mísseis tipo Alghadv-110 com um alcance de 2.800 km.
 
A fonte deste documento foi oculta para proteger a sua origem.

 

3 comentários


luisreb comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

28 de Mar de 2015 às 11:29

luisreb
Acho isso tudo uma tremenda viajem!!!!

 

 
JoseAcosta comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

28 de Mar de 2015 às 13:16

JoseAcosta
Desculpe de informar, so de fontes segura e eu os conheo, pode no acreditar mas a verdade dessa informao. Abraos


tzlavrog comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

06 de Abr de 2015 às 10:49

tzlavrog
Bom dia,>>>>>>Jose, creio em parte desse e-mail. No caso da ocupação por parte de Cuba de forças regulares para garantir a ditadura de Maduro, é verdade. Por quê?!>>>>>Para se manter no poder, o Chavismo fez aliança com países com o mesmo pensamento ideológico (Comunismo totalitário). Chaves quando vivo sofreu algumas tentativas de golpes promovido por militares venezuelanos insatisfeitos com o rumo do país.>>>>>>>>Por isso, Chaves aceitou a ocupação de Forças Regulares Cubanas para ter a certeza que se manteria no poder e de seu projeto de uma América do Sul bolivariana; para isso encontrou terreno fértil com governos, tipo o brasileiro e pouco depois, os do Equador e Bolívia para seguir no seu intento.>>>>>>A Bolívia não aceitou a ingerência dos militares cubanos, pelo simples motivo: ̶ , os militares bolivianos tinham informes que militares venezuelanos batiam ‘os cascos’ quando os cubanos passavam, e esses, mandavam mais que os venezuelanos. Os equatorianos não são diferentes.>>>>>>>> Vc acha que os milicos venezuelanos não sofrem perseguição e são oprimidos para ficarem calados com essa situação?!>>>>>Agora, na questão dos mísseis com supervisão iraniana, com alcance de 2.500km, eu acho uma viagem, por quê?!>>>>>>> O alcance vai exatamente até o sul dos EUA, daí é fácil imaginar, se a situação, ainda que hipotética fosse verídica, os ‘Yank’ já tinham dado um jeito de neutralizar a ameaça no quintal d’eles. E garanto uma coisa, não pediriam permissão para ONU para tal empreitada.>>>>>Eis, o ‘X’ da questão?! E no Brasil, com essa tropa de estrangeiros, mais o MST e outras organizações de malandros que temos notícias, todas financiadas com nosso dinheiro.>>>>>>Vc não acha que teremos surpresas aqui no Brasil?!>>>>>>>>> Abraços.>>>>> tzlavrog.

 

 
JoseAcosta comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

06 de Abr de 2015 às 12:31

JoseAcosta
Prezado Tzlavrog, no duvido nada em que voc acaba de comentar, mas j estou sentindo um pouco de esquerdismo junto ao Tio San, visto que a ONU totalmente dominada pelos esquerdopatas em pleno territrio apache e nada esto fazendo para mudar essa situao, espero muito estar enganado, mas j furtaram vrios misseis do exrcito argentino e ningum sabe o destino, aqui no Brasil com certeza surpresas teremos. Grande abrao.


tzlavrog comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

06 de Abr de 2015 às 15:40

tzlavrog
Boa tarde, Jose!>>>>>>O Tio San nunca foi esquerda. Obama quer ‘fazer média’ com a comunidade Latina, menos com os cubanos que fugiram de Cuba, ele já está em fim de mandato e, o próximo presidente americano com certeza não vai ‘dá mole’ para o Alcaide Fidel e Família>>>>>>A ONU nunca foi um Organismo sério, é muito de conveniência, na verdade essa proximidade da ‘família bolivariana’ com os terroristas EI, Irã e Cia., não é bem vista pela Europa, diga-se, OTAN. Também, as monarquias Árabes e a Turquia já entenderam o perigo do EI.>>>>Agora, os misseis argentinos (TOW-Anti-Tank) que foi roubado de um Esquadrão de Cavalaria Argentino; o governo fala em apena ‘um’, mas há suspeita de pelo menos quatro lotes. Na minha ingenuidade, penso: ou estão na Síria, ou com o MST. Raciocinando: onde estão os Regimentos Mecanizados do Brasil, no Sul e Centro-Oeste do Brasil. Em caso de uma intervenção das FFAA, os blindados serão postos nas ruas. Grupos munidos com esse armamento em perímetro urbano faria uma devastação em meio aos blindados, já que os mesmo têm o seu campo de ação muito restrito em área urbana. Os venezuelanos tem uma ligação muito estreita com esse terrorista do Stédile, bem podem eles, dá esse treinamento para manusear tal equipamento.>>>>>Não foi o ‘Mula’ que convocou os ‘molambos’ do MST para ‘guerra’?!>>>>Jose, espero que saiam desse ‘berço esplendido’, o mais rápido possível!


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )