O Alerta Profético de Joaquim Barbosa Sacode a Nação! | Blog Marmosilva-Rio | Portal Militar

Blog Marmosilva-Rio

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Brasil

O Alerta Profético de Joaquim Barbosa Sacode a Nação!

Publicado em 04 de Dez. de 2015


2629 Visualizações


 

O ALERTA PROFÉTICO DE JOAQUIM BARBOSA SACODE A NAÇÃO!

 

Gostaria de cumprimentar os meus pares das casernas, amigos, dependentes e pensionistas de militares e simpatizantes e patriotas das Forças Armadas.  A história e os fatos estão nos dando à oportunidade de libertar o Brasil e provocar a primeira revolução civil e cívica desta nação e promover à verdadeira e genuína democracia.

A sanha reformadora a que se referiu i ilustríssimo e ex. ministro e presidente da suprema corte deste país, quando em exercício e prestando um excelente serviço à nação brasileira presidindo o STF, nos deixou um legado de advertência profético e que se cumpre com precisão cirúrgica. As instituições brasileiras estão flageladas, marginalizadas e aparelhadas por um jogo de poder, aonde só importa o projeto de poder pelo poder. Um vale tudo sem escrúpulos, ética, moral e dignidade da pessoa humana.

O caos e a anarquia já foram estabelecidos, com ou sem impeachment, nada vai mudar em curto prazo do que já está feito de concreto. A síndrome de Getúlio Vargas ressurgiu , quando ele próprio determinou por incompetência dos ministérios de chegar a uma conclusão em favor do povo e da nação determinou que os ministros militares mantivessem a ordem pública, para entrar com um pedido de licença ou por conta dos revoltos daria cabo da própria vida e foi o que aconteceu.

Deixando a seguinte carta-testamento: Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam, não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi o povo e principalmente os humildes.

   Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. Os lucros das empresas estrangeiras alcançaram até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio à crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se vê em queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, quer continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida. Quando ele fecha a sua carta afirmando: Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.

O getulismo ainda está presente no lulismo, quando se apresenta dizendo, é o lula de novo com a força do povo, pegou emprestado o marketing de Getúlio Vargas, para se tornar o maior algoz do povo brasileiro, mas assim como na Vargas o povo continua cego. Por que, nos tempos de Getúlio ele mesmo afirma em 9 de agosto de 1954, que por revolta das UDN no congresso Nacional, Afonso Arinos de Melo Franco, exigiu a renúncia de Getúlio. Não tardou para as classes médias e até alguns comunistas aderissem ao “Fora Getúlio”! ’’. Ele mesmo reuniu-se em emergência no palácio do catete, para buscar a melhor saída para a crise: Com o seguinte dilema. Renúncia? Licença? (Impeachment)?

A gora, a atual presidente se reúne com os mesmo objetivos, buscando alianças ministeriais, governamentais, empresariais e de mídia, para buscar uma saída para a crise, só que ela não tem um Tancredo neves como ministro da justiça que recebeu uma caneta da marca Parker que acabara de assinar à carta a nação com sua despedida trágica de seu suicídio, porque, Tancredo Neves também foi vitimado pelos algozes da nação. Em dossiê Getúlio Vargas, o autor Daniel Rodrigues Aurélio reúne de modo exímio, todos esses dados políticos e biográficos que contribuíram para a mitificação de Getúlio Vargas, tido, por um lado, como estadista arguto e corajoso, militar viril e o benevolente pai dos pobres; por outro, considerado um ditador violento e personalista, populista e simpatizante do fascismo. Mas será eu as imagens, opiniões e adjetivos difundidos por getulistas e antigetulistas fazem justiça ao que foi, de verdade, o homem Getúlio e a Era Vargas?

Dar cabo da própria vida é um ato de coragem e justiça ou covardia e injustiça? Isso são os brasileiros que deverão responder, porque, quem está cometendo suicídio a cada dia é o povo brasileiro, o populismo está governando essa nação a mais de duas décadas e a história se repete e pune todos àqueles que não a reconhecem ou desrespeitam suas verdades. Trechos retirados do livro Dossiê de Getúlio Vargas de Daniel Rodrigues Aurélio. Achei muito relevante fazer uma correlação com o real, em seus textos e contextos.

O Presidente mais importante da história deste país, não foi capaz de dar ao brasileiro a coragem e atitude de um vencedor que jamais desiste precisa o suicídio não é a melhor escolha. Após mais de cinco décadas, desde a sua morte, o legado da era Vargas confunde bem a cabeça de historiadores, biógrafos, economistas, sociólogos e políticos. Seria esse legado benéfico ou maléfico: Ou as duas coisas?

O presidente Fernando Henrique Cardoso de 1995-2000 anunciava o fim da era Vargas, fazendo as mesmas coisas, já o seu sucessor petista, Luís Inácio Lula da Silva, prefere associar sua imagem à do Getúlio Vargas, fato inegável quando disse lula de novo com a força do povo! Um apelo popular/populista apelativo e oportunista, pois da mesma forma que Getúlio usa a Petrobrás como âncora de argumento, o Lula usa foto referência com pose idêntica a de Getúlio Vargas em ato público realizado um ano antes da fundação da Petrobrás em 3 de outubro de 1953. “O PETRÓLEO É NOSSO”! ’’, exclamava o slogan nacionalista.

Hoje! Certamente o slogan é outro. O petróleo é da corrupção e a Petrobrás é do PT! E de mais quem, podemos imaginar? Certamente esse artigo fará você refletir e rever conceitos, porque, o que disse o ministro Joaquim Barbosa nas entrelinhas, é o que a história registrou e vem registrando, mas infelizmente o povo brasileiro tem horror à leitura e a sua própria história, pois, acha melhor acreditar em tudo o que a mídia oferece.

O Impeachment é Golpe, esse é o slogan petista, mas foi um presidente da UNE ao comando e articulação do PT, que saiu às ruas do Brasil com a cara pintada de verde e amarelo pedindo o Impeachment do ex. presidente Fernando Collor de Mello, hoje, como senador da república, pinta a cara de vermelho e tira a tinta com óleo de peroba ao se rebelar contra o que ele um dia defendeu. Se impeachment é golpe, o que é ditadura para esse país? O nosso povo merece respeito, agora isso precisa ser exigido, porque, as palavras convencem ardilosamente, mas é o exemplo que arrasta, precisamos de um líder e do povo nas ruas, para exigirmos respeito, o poder está em nossas mãos, basta emanar dentro de cada cidadão um senso e desejo de se fazer justiça, nossos filhos e netos nos agradecerão um dia. A mãe do PAC e filhinha do Brasil nos traiu deixando uma conta de 120 Bilhões para pagarmos em no mínimo 10 anos. Sem mais, um forte abraço e fiquem com Deus. O Brasil espera que cada um cumpra com o seu dever de cidadão brasileiro. Acorda Brasil, acorda militares do Portal Militar, acorda cidadão brasileiro e VAMOS PRAS RUAS! Com palavras de ordem de Fora Dilma e fora PT. Isso é democracia e não autocracia!

 

https://www.youtube.com/watch?v=_sZRjcB5RrE

https://www.youtube.com/watch?v=OyOG6cQNu8U

https://www.youtube.com/wtch?v=9xE7Sg2qCF8

 

Att. MARMOSILVA-RIO

 

bbbVote na Enquete

O Nosso povo merece respeito

2 comentários


Antnio

04 de Dez. de 2015 às 18:11

Antnio
Nesses tempos de inverno no Nordeste um pensamento me levou a lembrança do episódio da Guerra de Canudos foi um dos mais sangrentos da nossa História e a famosa profecia de ANTONIO CONSELHEIRO que certa vez disse que o sertão vai virar mar. Porém, revelou, através da arguta observação do escritor Euclides da Cunha, a existência de dois "Brasis", um do litoral e outro do sertão. O litoral representava a idéia de modernidade e progresso, no dizer da época a civilização; o sertão representava o atraso, o conservadorismo. Cansado de tanto peregrinar pelos sertões e então sendo um “fora da lei”, ANTONIO CONSELHEIRO foi um verdadeiro revolucionário brasileiro nascido em Quixeramobim[ce] ele decide se fixar num pequeno arraial chamado CANUDOS no interior da BAHIA. Nasce ali uma experiência extraordinária: em Bello Monte (como a rebatizou Antônio Conselheiro, apesar de encontrar-se num vale cercado de colinas), os desabrigados do sertão e as vítimas da seca eram recebidos de braços abertos pelo peregrino. Era uma comunidade onde todos tinham acesso à terra e ao trabalho sem sofrer as agruras dos capatazes das fazendas tradicionais. Um "lugar santo”, segundo os seus adeptos. A chamada Guerra de Canudos, revolução de Canudos ou insurreição de Canudos, foi o confronto entre um movimento popular de fundo sócio-religioso e o Exército da República, que durou de 1896 a 1897. O episódio foi fruto de uma série de fatores como a grave crise econômica e social em que encontrava a região à época, historicamente caracterizada pela presença de latifúndios improdutivos, situação essa agravada pela ocorrência de secas cíclicas, de desemprego crônico; pela crença numa salvação milagrosa que pouparia os humildes habitantes do sertão dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social. Nesses tempos de inverno no Nordeste um pensamento me levou a lembrança do episódio da Guerra de Canudos foi um dos mais sangrentos da nossa História e a famosa profecia de ANTONIO CONSELHEIRO que certa vez disse que o sertão vai virar mar. Porém, revelou, através da arguta observação do escritor Euclides da Cunha, a existência de dois "Brasis", um do litoral e outro do sertão. O litoral representava a idéia de modernidade e progresso, no dizer da época a civilização; o sertão representava o atraso, o conservadorismo. Cansado de tanto peregrinar pelos sertões e então sendo um “fora da lei”, ANTONIO CONSELHEIRO foi um verdadeiro revolucionário brasileiro nascido em Quixeramobim[ce] ele decide se fixar num pequeno arraial chamado CANUDOS no interior da BAHIA. Nasce ali uma experiência extraordinária: em Bello Monte (como a rebatizou Antônio Conselheiro, apesar de encontrar-se num vale cercado de colinas), os desabrigados do sertão e as vítimas da seca eram recebidos de braços abertos pelo peregrino. Era uma comunidade onde todos tinham acesso à terra e ao trabalho sem sofrer as agruras dos capatazes das fazendas tradicionais. Um "lugar santo”, segundo os seus adeptos. A chamada Guerra de Canudos, revolução de Canudos ou insurreição de Canudos, foi o confronto entre um movimento popular de fundo sócio-religioso e o Exército da República, que durou de 1896 a 1897. O episódio foi fruto de uma série de fatores como a grave crise econômica e social em que encontrava a região à época, historicamente caracterizada pela presença de latifúndios improdutivos, situação essa agravada pela ocorrência de secas cíclicas, de desemprego crônico; pela crença numa salvação milagrosa que pouparia os humildes habitantes do sertão dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social. Nesses tempos de inverno no Nordeste um pensamento me levou a lembrança do episódio da Guerra de Canudos foi um dos mais sangrentos da nossa História e a famosa profecia de ANTONIO CONSELHEIRO que certa vez disse que o sertão vai virar mar. Porém, revelou, através da arguta observação do escritor Euclides da Cunha, a existência de dois "Brasis", um do litoral e outro do sertão. O litoral representava a idéia de modernidade e progresso, no dizer da época a civilização; o sertão representava o atraso, o conservadorismo. Cansado de tanto peregrinar pelos sertões e então sendo um “fora da lei”, ANTONIO CONSELHEIRO foi um verdadeiro revolucionário brasileiro nascido em Quixeramobim[ce] ele decide se fixar num pequeno arraial chamado CANUDOS no interior da BAHIA. Nasce ali uma experiência extraordinária: em Bello Monte (como a rebatizou Antônio Conselheiro, apesar de encontrar-se num vale cercado de colinas), os desabrigados do sertão e as vítimas da seca eram recebidos de braços abertos pelo peregrino. Era uma comunidade onde todos tinham acesso à terra e ao trabalho sem sofrer as agruras dos capatazes das fazendas tradicionais. Um "lugar santo”, segundo os seus adeptos. A chamada Guerra de Canudos, revolução de Canudos ou insurreição de Canudos, foi o confronto entre um movimento popular de fundo sócio-religioso e o Exército da República, que durou de 1896 a 1897. O episódio foi fruto de uma série de fatores como a grave crise econômica e social em que encontrava a região à época, historicamente caracterizada pela presença de latifúndios improdutivos, situação essa agravada pela ocorrência de secas cíclicas, de desemprego crônico; pela crença numa salvação milagrosa que pouparia os humildes habitantes do sertão dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social. Antônio Vicente Mendes Maciel

 

 
MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

05 de Dez. de 2015 às 1:12

MARMOSILVA-RIO
Bom Dia! Meu Amigo. Gostaria de agradecer a sua participao no debate em comentar o meu blog, mas aproveito para dizer que canudos trata de duas realidades que se renova ao longo dos sculos. Sobretudo, porque, seus representantes so os prprios filhos da terra que como filhos desnaturados, nada fazem pelo povo do serto e do nordeste. A corrupo um cncer em fase terminal de um pas entregue a UTI. Como tudo neste momento crise e excasses, devemos perguntar o que fazer sem UTIs e sem mdicos, o pacincia ir morrer, essa a tica do drama brasileiro. Att. MARMOSILVA-RIO


Marcos

04 de Dez. de 2015 às 19:32

Marcos
Nós militares estamos acuados. Nossos chefes e lideres militares estão oprimidos. As autoridades do país com a imagem manchada pela corrupção e hipocrisia. Não sobram nomes a quem o povo possa recorrer. Pior de tudo, como doentes mentais, todos esses corruptos políticos estão com a consciência tranquila. Precisamos resistir.

 

 
MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

05 de Dez. de 2015 às 1:21

MARMOSILVA-RIO
Bom Dia! Meu Amigo. Gostaria de agradecer a sua participao no debate, quando comenta o meu blog de forma clara e objetiva. Sobretudo, devo fazer coro com o seu comentrio afirmando que a multiplicidade de situaes regionais e municipais, trazida com a globalizao e o populismo fascista , instala uma enorme variedades de quadros de vida, cuja ralidade preside o cotidiano das pessoas e deve ser a base par para uma vida civilizada em comum. Assim a possibilidade das pessoas de exercer a sua cidadania plena depende de solues a serem buscadas localmente, desde que, dentro da nao, seja instituda organizaes sociais democrticas, patriotas e acima de tudo manifestantes em defesa do bem e no do Mal. Att. MARMOSILVA-RIO


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )