Dilma perderá habilitação exercer funções públicas no STF. | Blog Liberdade | Portal Militar

Blog Liberdade

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Brasil

Dilma perderá habilitação exercer funções públicas no STF.

Publicado em 31 de Ago. de 2016


1263 Visualizações


 

 

Senado aprova impeachment, Dilma perde mandato e Temer assume

Presidente afastada perdeu mandato por 61 votos favoráveis e 20 contrários.
Senadores rejeitaram pena de inabilitação da petista para funções públicas.

 

DECISÃO ALIVIOU PARA DILMA E JULGAMENTO FRACIONADO MANTEVE HABILITAÇÃO PARA

FUNÇÕES PÚBLICAS, ISSO DEVE SER DERRUBADA NO STF.

No SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL poderá ser derrubado o item 2 do julgamento que manteve a habilitação da presidente para exercer cargos públicos, decisão é inconstitucional, isso por ferir preceitos do artigo 52 da nossa Lei Maior. A Ex presidente DILMA deve sim ser inabilitada por 8 anos para o exercício de função pública, isso sem prejuízo das demais sansões judiciais cabíveis. CUMPRA-SE A LEI MAIOR. 

3 comentários


MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

01 de Set. de 2016 às 0:13

MARMOSILVA-RIO
Boa Noite! Meu Amigo... Erga omnes! A lei vale para todos, tal como valeu para o Ex. Pres.. Color de Mello.

 

 
Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

02 de Set. de 2016 às 9:24

Avassalador
No caso, IMPEACHMENT, não tem como modificar os preceitos preconizados no artigo 52 da nossa Lei Maior. Dilma é sim indigna para assumir funções públicas, isso por um período de 8 anos; a punibilidade em lide, serve para que no período supra citado ela possa se ressocializar.


MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

02 de Set. de 2016 às 11:07

MARMOSILVA-RIO
Prezado Amigo. Bom Dia! Gostaria de dizer que foi aberto um precedente perigoso, e que ameaça a segurança nacional do país, visto , que pode gerar jurisprudência a fim de tipificar o relaxamento em meia sentença em casos tipificados semelhantemente. Indúbio pro réu, serve para atos específicos e que não fere a CF/88. Por que, não indúbio pro societ? a partir do exposto, se não for corrigido, o Brasil virará uma republiqueta, e jamais se condenará um agente público em seus atos administrativo por irresponsabilidade fiscal ou administrativa. Estamos definitivamente entregando às raposas à guarda do nosso galinheiro cheio de galinhas, e depois, desejar que todas galinhas estejam salvaguardadas ao final do mandato! Sem mais, espero que Deus tenha misericórdia desta nação. Sobretudo, porque, não vejo qualquer possibilidade de saída política para o caos social em que o país vive nos dia atuais. Somente uma intervenção militar, com o STM, julgando a pedido do povo. a destituição de todos do STF, todos os políticos indiciados pelo próprio STF e demais ações de lesa pátria, criar um conselho nacional de justiça e usar a literalmente o Art 142 da CF/88. Um forte abraço e tenha um ótimo fim de semana. Fique com Deus e segue nessa sua força.


Amiel Ballistra

05 de Set. de 2016 às 22:17

Amiel Ballistra
Situação complicada. Entretanto, considerando os escândalos que já foram arquivados, tendo como exemplo aqueles denunciados no Governo do FHC, não me sinto surpreendido com esta decisão do Congresso. Se é obrigação do Legislativo fiscalizar o Executivo, a culpa maior caberia aos deputados e senadores. Não creio que as FFAA tenham capacidade e disposição para assumir a direção. Ficaram 20 anos no poder, com um AI-5, e deixaram o barco a deriva.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )