9 de jullho - Intervenção Militar - Fim de Jogo | Blog do Serviço Nacional de Informações | Portal Militar

Blog do Serviço Nacional de Informações

Perfil do golbery
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Histria

9 de jullho - Intervenção Militar - Fim de Jogo

Publicado em 07 de Jul de 2017


1891 Visualizações


07-07-2017   -   9 DE JULHO, INTERVENÇÃO MILITAR, FIM DE JOGO

 

TEXTO EXTRAÍDO DE www.globalizacao.net/informativo.asp


             Como comentado aqui exaustivamente já há anos, chegamos ao fim da linha. O momento da intervenção militar é agora. Para o dia 9 de julho estão programadas manifestações civis em prol da intervenção militar.


          Povo na rua para outra coisa, como dito não adianta:


          Vão pedir para o Senado cassar Aécio?


          Vão pedir para o STF por Dirceu de volta na cadeia?


          Vão pedir para Fachin devolver para Moro o que ele tirou?


          Vão pedir para Gilmar Mendes condenar Dilma e Temer no TSE?


          Vão pedir para a Câmara aprovar a instauração do processo contra Temer?


          Vão pedir para Temer destinar recursos e homens para a "Lava jato" da Polícia Federal?


          O que vão pedir? Para quem?


          Nada há a ser feito. Movimentos que forem às ruas para pedir "impeachment" são perda de tempo, diversionismo petista.


          Pedir intervenção também não adianta, ela tem de ser exigida. O comando militar diz que as instituições funcionam. É mentira. Nada funciona, mas não é de hoje, o que tem hoje é que todos vêem que não funciona, até os idiotas.


          Absolutamente nada indica que a situação reverterá, pelo contrário, a indicação é que a situação vai piorar exponencialmente.


          Fachin redistribuiu os processos contra Lula que estavam com Moro. Aí vem a Polícia Federal com lorota dizendo que se reduziu o trabalho em Curitiba. O dinheiro para as operações existe, ele está no orçamento, que contemplou déficit público primário de R$ 170 bilhões. O caos, inclusive na Polícia Rodoviária Federal, está sendo imposto para todos, para salvar os políticos. A criminalidade comum vai aumentar por falta de polícia. Pessoas pagarão com a vida para que políticos sejam salvos da cadeia.


          O que se objetiva com isso também é atrapalhar o andamento da investigação, passando para outras pessoas os inquéritos, para que se perca o fio da meada. A medida logicamente é inconstitucional, pois fere a moralidade administrativa e a impessoalidade, mas discutir essas coisas é besteira, a hora de falar acabou. Agora é a hora de agir.


          Este cenário favorece a decretação da prisão preventiva de Lula e de quem quer que seja mais que esteja para ser preso, pois não haverá mais entrave à organização criminosa.


          Como já comentado, há solução para os problemas, a intervenção não será em vão. Para início de conversa, com a deposição da PGR em Brasília, o MPF de Curitiba poderá ser alçado ao poder máximo e comandar daí em diante as operações. Com a deposição do STF, juízes da "Lava jato" poderão ser alçados ao STF temporariamente, para dar andamento às operações. Com o fechamento do Congresso Nacional, os políticos perdem automaticamente o foro. Com a deposição do presidente, acaba a interferência política na Polícia Federal, como agora acontece. Isto tudo no tocante à "Lava jato". Com relação aos demais problemas, já comentamos antes o que pode ser feito em linhas gerais. Será preciso ainda exintguir os partidos politicos e proibir os atuais políticos de voltar à vida pública para sempre, o mesmo valendo para até a terceira geração.


          O sucateamento brutal da Polícia Federal acontecerá de agora em diante com as Forças Armadas, mas num nível muito mais radical, para matar no ninho qualquer foco de resistência. Com polícias e Forças Armadas na mais precária situação e organizações criminosas poderosas, seja na política, seja na marginalidade comum, mais adiante o contingente armado não dará conta de resolver o caos.


          Nós estamos aqui há anos falando sobre isso e assinando em baixo e mostrando a cara, nós vamos para a cadeia, vamos para o inferno por tudo isso, nós pegamos pesado aqui desde sempre porque já sabemos com o que estamos lidando, já sabemos qual é o fim, mas é um preço módico a pagar para que algo infinitamente pior não ocorra, o comunismo bolivariano, repetindo-se o que ocorre na Venezuela. Está na hora do resto do que resta acordar e assumir suas responsabilidades.

 

          Dia 9 de julho, início da marcha civil pela intervenção militar.