O descrédito nos três Poderes angustia a Nação | Blog Intervenção Cívica Militar | Portal Militar

Blog Intervenção Cívica Militar

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Exrcito

O descrédito nos três Poderes angustia a Nação

Publicado em 29 de Jul de 2017


857 Visualizações


 

     Resultado de imagem para cumprir o 142 cf

 

Neste vídeo Bolsonaro mostra o que deve ser feito com o Congresso Nacional.

Acesse,  você vai se surpreender com a atitude...

 

https://www.facebook.com/coebolsonaro2018/videos/1350669134981976/ 

 

 

O descrédito nos três Poderes angustia a Nação!

 

 

 

 

É decepcionante constatar que as crises na política, na economia e no âmbito social que infernizam o país, decorrem da crise moral, grande chaga que enodoa a conjuntura nacional em forma de corrupção generalizada, envolvendo quase todas as expressões do Poder Nacional, onde governantes, políticos, empresários, funcionários públicos e privados, donos de poderosas empreiteiras e banqueiros, todos despidos de honestidade, caráter, vergonha e patriotismo, participaram do esquema concebido e liderado pela linha podre do PT, para saquear pelo roubo as finanças da Petrobrás, e pela incompetência administrativa arrasar a Administração Pública.

Como pretender que o Brasil, hoje, envolvido no pior momento de sua história recente, mereça a respeitabilidade internacional, quando exporta para o mundo uma imagem deletéria, onde indecorosas faltas de vergonha, ética, honestidade e integridade são os atributos marcantes da moralidade e honorabilidade reinantes no país?

Nada podendo fazer para mudar os fatos, resta conservar-me honesto. Usando o direito de cidadania, traduzirei meu inconformismo e a minha revolta, escrevendo como forma de protesto, pessoal, isolado e insuficiente para produzir qualquer efeito útil, mas, expressivo e significativo para a consciência de um velho soldado já octogenário, mas, que, como integrante de um DOI/CODI, numa já longínqua década, com arma na mão e Deus e a Pátria no coração, lutou e ajudou a evitar que no Brasil fosse implantando o Comunismo, intenção daqueles mesmos que apoiavam os terroristas e após anistiados chegaram ao Poder, onde saquearam as finanças nacionais pelo roubo e  desorganizaram a Administração Pública pela incompetência.

Hoje, já próximo ao fim da minha rota, aproveito para agradecer ao Exército e aos instrutores da minha época de cadete, pelos ensinamentos e exemplos que me transmitiram e legaram, fazendo acreditar no império das Leis, Regulamentos, Códigos e Normas; a respeitar o direito de cidadania dos brasileiros, e, com ênfase, cultuar os valores morais pilares da nacionalidade, os quais até num pretérito recente, eram as vigas de sustentação do caráter nacional, apontando, aos que governavam, legislavam, chefiavam, administravam, ensinavam e julgavam, os vetores indicativos e balizadores das rotas do patriotismo, da honestidade, da honra e de todos os demais valores nobres, atualmente esquecidos pela maioria dos que governam.

Deploravelmente o Brasil perdeu o rumo e, à deriva, expõe ao mundo as suas mazelas. É inacreditável que uma Pátria exuberante pela sua natureza e protegida das grandes catástrofes pela bondade divina, submeta os seus filhos a tantos sofrimentos e necessidades, resultantes da incúria, do despreparo, da desonestidade e da falta de consciência e caráter daqueles que, eleitos para governar, administrar e legislar, em conluio com empresários e funcionários de Estatais, salafrários e coniventes com o crime, nos anos de Governos do PT introduziram no Brasil práticas condenáveis que exauriram as finanças da nossa maior Estatal e, através de um gerenciamento incompetente, deterioraram a Administração Pública.

Urge lancetar e extirpar da vida pública nacional a falta de brio e de vergonha dominantes no meio político e que corroem as entranhas da Pátria, afetando a energia dos seus filhos que, em vez de demonstrarem um apoio maciço e decidido à Operação Lava-Jato, exigindo nas ruas, como em 2013, que condenados cumpram as penas impostas imediatamente, aguardando na prisão o julgamento dos recursos impetrados e devolvendo ao erário o valor surrupiado, ao contrário, beneficiados pela morosidade inconcebível da Justiça, soltos concorrerão a novos mandatos, e impunes, zombando dos sérios, caso eleitos praticarão novas sinecuras.

É necessário que todos os eleitores inconformados com a conjuntura atual retornem às ruas e praças, afirmando num grito uníssono, sem conotação partidária, a sua revolta e o seu inconformismo com o quadro de degradação moral da Pátria. É imperioso varrer pelo voto todos os culpados que, por omissão ou cumplicidade, geraram o lixo fétido e degradante da corrupção, já entranhada nas vísceras da Nação.

O Presidente Temer e os membros do Congresso Nacional não devem esquecer, que nem tudo por ser legal é moral! È importante recordar que a negociata da troca de votos, pela liberação de emendas parlamentares, prática adotada por José Sarney, quando Presidente da chamada Nova República e que se tornou conhecida como “é dando que se recebe”, provocou à época imenso desgaste para o Congresso Nacional, transformado em Mercado, onde o voto parlamentar era vendido como é negociado produtos em feiras.

 É preciso relacionar os nomes dos que hoje, indignos dos mandatos, negociam os votos e as consciências, para expurgá-los nas eleições em 2018!

Aos Ministros do STF, afirmo que a auréola da seriedade e de respeitabilidade da Corte sofreu arranhões, por atos praticados e decisões tomadas que salpicaram lama na toga que deveria ser sempre impoluta e provocaram dúvidas na tão proclamada imparcialidade dos seus membros. A atuação do Ministro Ricardo Lewandowsky, à época Presidente do Supremo, no julgamento do Impeachment, concordando descaradamente com o fatiamento de um Artigo da Constituição para beneficiar a Presidente Dilma, escandalizou as pessoas sérias. Muito pior, entretanto, foi o mutismo da Corte ante o absurdo praticado.  Calando, tornou-se conivente com a leviandade praticada. Face ao desplante do silêncio que acusa e desgasta, restou aos brasileiros a amargura de saber que, no Brasil, nem a Suprema Corte é merecedora de confiabilidade e credibilidade total!

Tendo o Presidente Temer herdado dos petistas o caos reinante na Pátria e me parecendo ter sido vítima de uma trama urdida por Joesley Batista, com a conivência do Dr. Janot e da Globo, para, através de uma delação premiada, derrubá-lo do Governo, pois não citam na referida delação, nem o Apedeuta Lula, nem a incompetente Dilma, nos governos dos quais os irmãos Batista fizeram fortuna, aparentemente dolosa, e considerando que, apesar de erros comportamentais do Presidente Temer, pessoa a quem faço restrição por considerar que convive bem com corruptos, pois se cercou do que moralmente há de pior no PMDB, considerando que o seu afastamento do Poder abrirá chances para retorno da camarilha petista, julgo conveniente que continue na Presidência até 2018, pois ruim com ele, bem pior seria com o Apedeuta e seus sequazes, cuja maioria expressiva é constituída de pilantras e gatunos.

A pretendida Reforma da Previdência, menina dos olhos do Presidente Temer e do Ministro Meirelles, é um engodo que o Governo pretende aplicar nos brasileiros, como forma de acalmar o Mercado e o Setor Financeiro que exigem mais recursos para banqueiros e empreiteiros sugá-los. Por que o Ministro Meirelles nada fez, para que os Bancos e Empreiteiras liquidem o débito na casa de TRILHÂO que têm para com a Previdência? Qual a razão de não demonstrarem na mídia o resultado de uma auditoria com cálculos atuariais comprobatórios de ser a Previdência deficitária? Pelas recentes atitudes políticas tomadas, o Governo Temer não tem credibilidade para merecer dos brasileiros confiabilidade sem provas. Triste sina de um País espoliado, cujo povo vive angustiado, face ao descrédito e falta de confiança nos três Poderes da República!

 

 

São Luís, 26 de julho de 2017.
 
 
_________________________________
Márcio Matos Viana Pereira
 
 Obs: O autor é Cel Ref EB.

 

 

 


Leia também:

Quando a Farda é Segunda Pele (5972)

Este Blogueiro NÃO permite que VISITANTES comentem nesta postagem.
Junte-se a nós ou Entre para comentar!