Mestre de Lancha Indenização por Danos Morais | Blog Liberdade | Portal Militar

Blog Liberdade

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Direito Militar

Mestre de Lancha Indenização por Danos Morais

Publicado em 13 de Dez. de 2017


1075 Visualizações


E OS MILITARES DA MB CURSADOS EM ARMAMENTOS ONDE A BORDO EXERCEM ATIVIDADES EM AMBIENTES(PAIOIS) EXTREMAMENTE CONFINADOS E PERIGOSOS ? COM CERTEZA NÃO TEM DIREITO ALGUM PELO EXERCÍCIO DA ATIVIDADE POR SEREM CONSIDERADOS ESPECIAIS. kkkkkkkkkkkkkkkk. TEMOS É MESMO QUE IRONIZAR PARA NÃO CHORAR.

 

LEIAM: 

Fonte: http://portal.trf1.jus.br       http://portal.trf1.jus.br/portaltrf1/comunicacao-social/imprensa/noticias/decisao-mestre-de-lancha-que-transportava-ddt-tem-direito-a-indenizacao-por-danos-morais.htm

 

DECISÃO: Mestre de Lancha que transportava DDT tem direito à indenização por danos morais

12/12/17 18:20

Crédito: Imagem da webDECISÃO: Mestre de Lancha que transportava DDT tem direito à indenização por danos morais

A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) determinou que fosse indenizado o Mestre de Lancha que transportava Dicloro-Difenil-Tricloretano (DDT), um pesticida, a serviço da Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (Sucam), posteriormente sucedida pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Para a Turma, o funcionário demonstrou ter tido contato direto com o produto tóxico e por isso fazia juz à indenização por danos morais.

O caso chegou ao TRF1 quando os autores da ação inicial, que pretendia a indenização por danos morais a cinco pessoas por contaminação pelo DDT, apresentaram recurso contra a sentença que julgou improcedentes os pedidos de indenização do Mestre de Lancha e da viúva de um ex-Guarda de Endemia, além de fixar o valor da indenização em R$ 5 mil a cada um dos autores cujos pedidos foram julgados procedentes e que exerceram a função de Guarda de Endemias. Para os apelantes, a indenização a ser paga pela Funasa deveria ser aumentada para R$ 3 mil por ano de contato desprotegido com o pesticida.

Segundo o relator do caso no Tribunal, desembargador federal Daniel Paes Ribeiro, a majoração do valor a ser pago à título de danos morais era necessária, estando também em sintonia com entendimentos anteriores do TRF1, em casos semelhantes, em que foi considerado razoável o valor de R$ 3 mil por ano de contato com o DDT. Além disso, para o magistrado, o Mestre de Lancha não poderia ter tido o pedido julgado improcedente, pois o cargo que exercia não o afastava do contato com o pesticida e este ainda exercia a atividade de borrifar o produto tóxico.

Já em relação à viúva do Guarda de Endemias, o desembargador federal destacou que ela não comprovou ter tido contato efetivo com o DDT, não sendo suficiente, para tanto, a condição dela como cônjuge do servidor falecido. Ele destacou ainda, no voto, que a viúva sequer quis ser submetida aos exames toxicológicos realizados pelo grupo de trabalho instituído pela Funasa.

A decisão da Turma, que acompanhou o voto do relator, foi unânime.

Processo nº: 0019613-87.2013.4.01.3200/AM
Data de julgamento: 18/09/2017 
Data de publicação: 29/09/2017

AL

Assessoria de Comunicação Social 
Tribunal Regional Federal da 1ª Região

Esta notícia foi visualizada 117 vezes.

1 comentários


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

13 de Dez. de 2017 às 10:39

Avassalador
Isso faz lembrar do General que foi designado para comandar as tropas durante Intervenção Federal em decorrência do Crime Organizado no RJ. O General reclamou dos poucos PMs para trabalhar; esqueceu que o serviço dos PMs é 3/1, 1 dia como PM, 3 dias em casa, caso haja alteração na escala por necessidade de serviço tem que pagar horas extras.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )