Reajuste de salários FA trava reforma da Previdência | Blog Liberdade | Portal Militar

Blog Liberdade

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Fato Relevante

Reajuste de salários FA trava reforma da Previdência

Publicado em 01 de Mar de 2019


2585 Visualizações


Espero que os generais não aceitem argumentos pífios,inaceitáveis, isso na tentativa de negar reajuste salarial aos militares das FA, para tanto é só mandar trazerem a mesa os salários de servidores das demais carreiras de estado e fazer as comparações, inclusive considerando as cargas horárias e penduricalhos. 

SERÁ QUE ACHAM QUE MILITARES DAS FA SÃO ESCRAVOS, INFERIORES? O QUE JUSTIFICA SALÁRIO BEM MENOR QUE SERVIDORES DAS DEMAIS CARREIRAS ? 

 ACEITAR ARGUMENTOS É SE AUTO INFERIORIZAR

        ***Leiam***

Fonte: https://www.metropoles.com     https://www.metropoles.com/brasil/economia-br/reajuste-de-salarios-dos-militares-trava-reforma-da-previdencia

Reajuste de salários dos militares trava reforma da Previdência

Categoria argumenta que há defasagem na remuneração entre 31% e 62% em relação às demais carreiras de Estado

Rafaela Felicciano/Metrópoles

28/02/2019 7:27 . atualizado em 28/02/2019 9:16

O aumento de salários para os militares das Forças Armadas e das gratificações para quem tem especializações é o ponto que trava o envio ao Congresso do projeto de lei que modifica as regras de aposentadoria da categoria. Deputados, por sua vez, condicionam a tramitação da reforma da Previdência ao envio do projeto dos militares.

Entre as pautas que devem estar na reforma dos militares, estão o aumento do tempo de contribuição de 30 anos para 35 anos e o reajuste da alíquota previdenciária dos atuais 7,5% para 10,5%.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, até considera que os vencimentos da caserna estão defasados, mas integrantes da sua equipe e lideranças da Câmara advertem que o reajuste contaminaria a discussão da Nova Previdência, forma como o governo Bolsonaro batizou a reforma enviada na semana passada. O risco é de o aumento salarial reforçar a polêmica em torno das regras do regime de seguridade dos militares.

Conforme apurou a reportagem, o Ministério da Defesa entende que, se o aumento não for incluído agora, não será dado após aprovação da proposta. O prazo estipulado pelo governo para o encaminhamento do projeto de lei ao Congresso era 20 de março. Mas o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou na semana passada que enviaria antes.

Os militares temem que o reajuste em um texto separado fique parado e não seja aprovado depois da reforma. Segundo as Forças Armadas, desde o governo Fernando Henrique Cardoso, os salários dos militares vêm sendo achatados.

O embaraço em torno do tema é tão grande que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, segurou a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) até que a proposição com as mudanças nas regras dos militares chegue ao Congresso.

Diferença
O reajuste dos militares não será linear, e sim um conjunto de medidas que vai indiretamente aumentar os salários. Pelos dados, há uma diferença entre a inflação acumulada desde 1995 e os reajustes concedidos no mesmo período que chega a 88%, o que não significa que eles pedem uma correção linear no mesmo índice.

Eles argumentam também que há uma defasagem salarial muito grande em relação às demais carreiras de Estado, entre 31% e 62%. Um militar de uma alta patente das Forças Armadas recebe salário similar ao inicial de uma carreira da elite do funcionalismo, como auditor da Receita Federal.

Em 2001, os militares perderam benefícios como auxílio moradia, a concessão de um posto acima na inatividade, pensão da filha, entre outros. Pelo cálculo dos militares, houve queda de 44% no poder aquisitivo da categoria de lá para cá.

9 comentários


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

01 de Mar de 2019 às 18:32

Avassalador
Será que os generais vão continuar a concordar, quando percebemos que um Capitão de Fragata tem salário menor que um policial civil do Distrito Federal em início de carreira?


Trovao

02 de Mar de 2019 às 11:02

Trovao
Isso não pode acontecer ou acerta nosso salário ou não tem previdencia


tropa comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

02 de Mar de 2019 às 14:53

tropa
Eu votei no Bolsonaro, mas não se iludam, a pressão em cima dele é muito grande, e é difícil sair alguma tipo de compensação agora pelo fato de termos recebido uma parcela em janeiro e pelo que falou o presidente da Câmara, Ridrigo Mais. "Dá a impressão de que estamos tirando alguma coisa de alguém e dando para os militares". Apesar dele reconhecer que nossos salários estão defasados. Para baixo!


Jorge De Oliveira

02 de Mar de 2019 às 19:13

Jorge De Oliveira
Qual seria o salário desses integrantes, com certeza maior que de um general 4 estrelas. Obvio que se for para discussão a posterior ficaremos mais uma vez "engavetado". Os nossos generais não podem e não devem aceitar tal proposição. Seria mais um recuo salarial mais um engodo é um despropósito tal argumento. Ou deixam tudo como tá ou revisem o salário( já basta a perda da MP 2215) e reponham nossas perdas salariais. Talvez aChen que somos servidores ineficientes ou incapazes, só que quando necessitam recorrem a nós militares. BRASIL ACIMA DE TUDO É DEUS ACIMA DE TODOS


Luiz Carlos

02 de Mar de 2019 às 21:40

Luiz Carlos
Com gente como o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também conhecido nas planilhas da Odebrecht como Botafogo, aconselharia o seguinte procedimento : 1) Envia-se em forma de Projeto de Lei o texto com as mudanças no Sistema de Proteção dos Militares, de onde vai derivar todas as mudanças na legislação militar. Enquanto o PL vai tramitando, prepara-se uma nova e bem elaborada LRM de acordo com aquilo que os militares desejam. 2) No dia em que o PL for votado e transformado em lei, envia-se a nova LRM em forma de Medida Provisória com o cancelamento da MP 2215. Xeque-Mate.


Marcos Ferreira De Melo

03 de Mar de 2019 às 9:58

Marcos Ferreira De Melo
Bom dia sr. Avassalador, o período de campanha eleitoral já passou e com ele as promessas de campanha do atual presidente de corrigir as distorções MP do Mal, aquela Medida Provisória do FHC. Por outro lado, é bom ir não se esquecendo que existem as PEC Nº 245,249,e 352 todas referentes as correções das perdas salariais dos integrantes das Forças Armadas Brasileiras. Por incrível que pareça, estamos com a faca e o queijo como diz o jargão popular e não ficamos com a melhor parte!


Amiel Balistra

05 de Mar de 2019 às 16:00

Amiel Balistra
A quem possa interessar. STJ- RE 414014/DF julgado em 20/10/2009. Adicional de Inatividade. Supressão de direito adquirido.MP 2.131/2001, atual MP 2.215-10/2001: "...........................evidenciou-se que a reestruturação do que percebido pelos militares desaguara em extensão imprópria, alcançando situação devidamente constituída, pouco importando que tivesse ocorrido até mesmo acréscimo pecuniário, dado que este seria decorrente da outorga ao pessoal em atividade, não implicando compensação a ponto de afastar do cenário jurídico o aludido adicional". (Parte do Relatório do STJ que concedeu ao recorrente continuar percebendo o Adicional de Inatividade).


Cláudio Eugênio Rodrigues Pi

07 de Mar de 2019 às 11:18

Cláudio Eugênio Rodrigues Pi
Se é verdade não sei, mas assistam o vídeo até o fim e tirem suas conclusões, porque se for mentira tem que este rapaz tem que ser processado pelos parlamentares e outros envolvidos que ele está acusando, mas se for verdade só muda este país se o povo derrubar este sistema de governo e fazer uma Faxina Geral. https://youtu.be/TJzKAT5tpLI


Mariano

11 de Mar de 2019 às 0:19

Mariano
A euforia era grande em 2001....vejo essa mesma euforia estampada agora.....não quero ser pessimista, mas está com a cara de mais uma SACANAGEM para cima das FORÇAS ARMADAS!!!!!!!!!!!!!!!!!


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )