Portal Militar

Blog

Perfil do ORDEM
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Planalto vai começar a discutir reajuste

Publicado em 25 de Mar de 2008

2597 Visualizações


25/03/2008 - 13h24
Planalto vai começar a discutir reajuste salarial dos militares, diz Jobim
Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília

O ministro Nelson Jobim (Defesa) sinalizou hoje que nos próximos dias deve ser anunciado o valor do aumento para os militares. Jobim disse que pretende se reunir ainda nesta terça-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro Paulo Bernardo (Planejamento) para definir os percentuais e números.

No entanto, Jobim não deu pistas sobre o tamanho do aumento. "Nada com pressa, tudo com tempo", afirmou Jobim, após cerimônia no Ministério da Defesa, na qual homenageou o ex-ministro da pasta e vice-presidente José Alencar, expondo sua foto na galeria de retratos.

De acordo com Jobim, os técnicos dos ministérios da Defesa e do Planejamento analisam os números para que ainda na tarde de hoje ele, Bernardo e Lula possam examinar as alternativas para a concessão de reajuste.

Em janeiro, foram suspensas as negociações sobre reajustes salariais para os militares. Na ocasião, Bernardo afirmou que militares e civis não teriam reajustes até que o governo federal conseguisse equilibrar o Orçamento, uma vez que acabaria a cobrança da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

Apesar da informação de Bernardo, em janeiro, o Comando do Exército chegou a divulgar uma nota informando que estavam mantidos os entendimentos para a concessão de reajustes para as Forças Armadas --Exército, Marinha e Aeronáutica. A nota não fazia menção a percentuais nem números.

11 comentários


25 de Mar de 2008 às

sem pressa meus amigos..., o natal ta chegando....


25 de Mar de 2008 às

Foro de São Paulo

Demétrio Magnoli, sociólogo, doutor em Geografia Humana pela USP, escreveu dois artigos elucidativos sobre o Foro de São Paulo, que o Estadão publicou no fim de semana.

http://www.estado.com.br/suplementos/ali/2008/03/23/ali-1.93.19.20080323.10.1.xml

A
empresária Ana Prudente observou que o autor apenas não estabeleceu a conexão entre o Foro e o “Diálogo Interamericano” – cujos detalhes estão no livro "O COMPLÔ para aniquilar as Forças Armadas e as nações da Ibero-América".




O que o DI pratica?

Entre os "itens estratégicos" do Diálogo Interamericano para enfraquecer a soberania dos paises sul-americanos estavam:

1 - Desestruturização das Forças Armadas começando por fomentar denúncias prejudiciais ao catolicismo, já que militares históricamente sempre foram muito católicas.

2 - Fomentação do tráfico de armas e drogas.

3 - Controle dos meios de comunicação e judiciário.

4 - Desarmamento da população civil.

5 - Fronteiras sem controle rígido.

6 - Incentivo a divisões racistas, classistas etc...

7 - E muitos outros itens, tudo o que já está praticamente implantado hoje não só no Brasil mas também em muitos países vizinhos.

Visite o Portal Militar


25 de Mar de 2008 às

Acaba de terminar a reunião! 27% agora para todos, mais 2 parcelas de 13%, 2009/10
Vantagens pessoal da ativa: aux moradia 5% e Ativ mil 5%.


25 de Mar de 2008 às

Sem pressa, mas a barriga e o bolso vazios.


25 de Mar de 2008 às

Defasagem salarial em relação ao salário mínimo, que é o principal regulador do aumento dos preços de produtos e serviços.
Mar 2001 / Mar 2008
Salário Mínimo R$ 180,00 > R$ 408,90 = 127,16%
Soldo base de Suboficial R$1.890,00 > R$ 2.583,00 = 36,66%

Em Março de 2001 o Suboficial recebia de soldo base 10,5(salários mínimos). Atualmente recebe 6,31(salários). Mantendo a equiparação, o Suboficial deveria estar recebendo hoje um soldo base de R$ 4.293,32


A Famíla Militar agoniza e clama por justiça, queremos um tratamento de IGUALDADE com as demais carreiras do funcionalismo.

Qualquer que seja o índice de reajuste a ser concedido, devemos manter o FOCO, dia 30/03, em copacabana-RJ, pela ISONOMIA, com os demais poderes.


 comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

25 de Mar de 2008 às

É PORQUE A FAMÍLIA DELES DEVEM ESTÁ BEM SUPRIDINHAS, WHISKADAS, ENFILEZADAS, NÃO PRECISAM DE PRESSA NEM DELA DEPENDEM.....ISTO É UMA VERGONHA.....DE TANTO MALTRATAR MILHARES E MILHARES DE FAMÍLIAS QUE ESTÃO ESPERANDO ESTA MIGALHA, ELE VÃO PADECENDO COM O CASTIGO DAS DOENÇAS RUINS (CÂNCER E ETC....) VIDE O NOSSO EX.


25 de Mar de 2008 às

Morram comandantes SATÂNICOS da pior doença que exista e que cause o maior sofrimento possíveis, seus miseráveis do inferno.

MORRAM........


25 de Mar de 2008 às

Forças Armadas a Pão e Água
Opção preferencial pelos bancos



A opção preferencial pelos bancos, adotada pelo governo Lula, deixa diversos setores da sociedade à míngua. A saúde, a educação, a previdência, os transportes, os esportes, a cultura, todos os setores da vida nacional sofrem cortes orçamentários surpreendentes para manter um superávit primário ainda mais elevado do que aquele determinado pelas organizações especulativas internacionais que, em última análise, se constituem na mais alta autoridade reconhecida pelo governo brasileiro.

Este é o principal problema que nos acossa desde a criação do Plano Real. É chamada de “ortodoxia” econômica e pauta-se pela busca de paridade entre o valor da moeda nacional e o dólar estadunidense, pela manutenção de elevadas taxas de juros, por metas de inflação a serem cumpridas e pela busca de uma redução no chamado “risco-país”. O mesmo tipo de receituário foi implementado, com as mesmas conseqüências desastrosas, entre outras nações-satélites dos EUA, na Argentina e no México.

De fato, Lula não inventou rigorosamente nada de novo em termos de política econômica ou mesmo social. Trata-se da tal “Herança Maldita” da qual o povo brasileiro, ao votar em Lula, desejava livrar-se. O petista frustrou a todos: agudizou a dependência econômica, indo mais longe do que a determinação prévia da organização imperialista no arrocho em juros e impostos ao povo brasileiro em economia e, nas políticas sociais, levou ao paroxismo a propaganda de auxílios compensatórios (fome-zero, bolsa-isso, bolsa-aquilo) que, atendem ainda menos do que no governo anterior, porque mais alardeadas do que efetivadas, além de desviar recursos da criação de oportunidades laborativas na direção destas políticas chamadas de compensatórias a um povo que preferiria ter emprego e dignidade, não esmolas...

Enquanto a grande maioria do povo brasileiro se empobrece mais e mais, nunca antes neste país as atividades especulativas haviam rendido tanto. O fosso que separa ricos de pobres no Brasil aprofunda-se ainda mais, a educação vem se deteriorando monstruosamente e o atendimento sanitário chega a níveis comparáveis aos de finais do século XIX, ampliando as desigualdades sociais e, consequentemente, a violência contra a pessoa e o patrimônio.


Reaparelhamento da FAB ou novo avião presidencial?



Ano passado a maior polêmica em torno da compra do Aerolula girou em torno do alto valor (algo como US$ 56 milhões) e o fato de não ter sido feito no Brasil, como se não dispuséssemos da tecnologia necessária, como se o centro de excelência aeronáutica de São José dos Campos não existisse ou os trabalhadores brasileiros não precisassem de incentivo a empregos.

Pouco se falou na necessidade vital do reaparelhamento da Força Aérea Brasileira para que cumpra competentemente seus deveres constitucionais.

Como exemplo, entre outros vários e similares, cito meramente a frota de aviões “Mirrage”, comprados da França em meados da década de 70 do século passado e hoje em processo de desativação por obsolescência. O governo Lula, diante do dilema entre reaparelhar a FAB com novos caças para a proteção do nosso espaço aéreo ou a aquisição de um avião de luxo para as constantes viagens presidenciais nem refletiu muito: comprou o Aerolula através de um consórcio germano-estadunidense e deixou a FAB à míngua de novas tecnologias.


O papel das Forças Armadas



Por determinação estadunidense, no ano passado foram enviadas tropas brasileiras ao Haiti a que Lula agregou partidas de futebol cobrindo o país de ridículo e disseminando ainda mais pelo mundo a idéia do “país do samba e do futebol”.

Soldados brasileiros ocupando uma Nação soberana a mando de uma outra já seria suficientemente mal. O fato de as tropas estarem com salários aviltados, alimentação inadequada e armamento arcaico agrava o problema.

Há problema de segurança policial no Pará? Enviem-se tropas do Exército que, sem os recursos necessários a se manter no local, ficam pouquíssimo tempo e em contingente diminuto.

Há problemas políticos determinando a manutenção de um ministro incompetente à frente da Saúde? Mandam-se tropas da Marinha e Aeronáutia para o Rio de Janeiro e que se montem hospitais de campanha.

Há problemas de segurança pública no Espírito Santo e a polícia do Estado já não consegue controlar a situação? Enviam-se tropas do Exército.

Falta segurança em algumas rodovias, degradas pelo tempo e pela ausência de investimento? Usam-se as tropas do Exército Brasileiro para recuperação de estradas de rodagem.

Com exceção dos casos paraense e capixaba, que são discutíveis, esta competência seria da Polícia Federal, não das Forças Armadas, todas as outras intervenções ferem a Constituição Federal – que o PT não assinou em 1988, mas Lula jurou defender, na condição de Presidente da República! – que, em seu artigo 142 reza textualmente:



“As Forças Armadas, constituídas pelo Exército, pela Marinha e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constituídos e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”



Em que rubrica exatamente se incluem atendimento médico para cumprir finalidades políticas ou a recuperação de estradas de rodagem?


E o salário ó...



Itamar Franco e FHC deixaram os militares sem reajuste por 10 longos anos. A degradação salarial é pavorosa!

Após muito protesto e muita pressão do pessoal da reserva e das esposas dos militares a insatisfação da tropa fez-se ouvir. Diante da reivindicação de 45% de reajuste, meramente a título de recomposição salarial, o governo, através do então ministro da defesa, José Viegas, comprometeu-se a conceder um reajuste de 33% em duas parcelas: 10% em outubro do ano passado e 23% em março deste ano.

Todos os preços seguem subindo, particularmente depois que encontraram o artifício diabólico de computar alguns aumentos “acima da inflação”, como eletricidade, telefone, transportes, alimentação, medicamentos, etc. Todos itens majorados em patamares “acima da inflação”...

Os 10% prometidos para outubro acabaram saindo em novembro e os 23% prometidos para março são categoricamente desmentidos pelo governo: “esta despesa não foi incluída no Orçamento da União”. Isto é um problema muito sério. Se o que estava incluso no Orçamento acaba “contingenciado”, ou seja, cortado por vezes em até 60% para engordar o superávit primário, o que nem mesmo entrou no Orçamento tem chances pífias de ser levado em conta.

Um governo que faz tanto uso das Forças Armadas precisa pensar melhor em como trata a tropa. Obediência e hierarquia são tão constitucionais quanto a defesa da Pátria. O governo descumpre a sua parte, remunera mal seus militares e não deve se surpreender com a movimentação que vem por aí. Já anunciado para o próximo dia 19, 357º aniversário do Exército, uma série de protestos de familiares e militares reformados além de não ser improvável a inserção de observações sobre o descaso do Executivo para com as Forças Armadas na Ordem do Dia dos quartéis pelo país afora.



EB00 comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

25 de Mar de 2008 às

EB00

Boa noite!

Estou cansado de promessas o unico que aparentemente vi cobrando alguma coisa foi o dep. Bolsonaro, mas parece que já se esqueceu de nós, e quando cobra fala de dos inumeros oficiais que estão deixando a força e um pequeno comentário dos praças, pois é se os oficiais estão nessa situação, imagina nós praças, esta na hora de ter alguem nosso lá, só preciso saber o nome desse iluminado e é claro suas ideias para que direciono os votos de minha família nas próximas eleições.


Obrigado............


25 de Mar de 2008 às



TÂNIA MONTEIRO - Agencia Estado


BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que poderá discutir ainda nesta terça-feira, 25, o reajuste dos militares com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele não quis falar em índices, mas estudos já encaminhados ao Planejamento prevêem aumentos escalonados em até duas vezes e variam de 27,62%, para patentes mais altas, a 37,04%, para os cargos menos favorecidos. Uma nova proposta também está em estudo para beneficiar especialmente os recrutas, que recebem em média R$ 207: eles passariam a receber os R$ 415 correspondentes ao salário mínimo.


As negociações em torno do aumento dos militares estavam paradas há mais de dois meses. No final do ano passado, Jobim chegou a admitir que o reajuste poderia chegar a 37% e comparou o salário de um militar ao de outras categorias, para mostrar as disparidades existentes. Para o aumento previsto no estudo inicial, o impacto no orçamento seria de R$ 5 bilhões neste ano e R$ 8,5 bilhões em 2009. A primeira parcela do reajuste, conforme desejo dos militares, seria imediata e a segunda, em setembro.


A folha de pagamento de pessoal consome hoje cerca de R$ 33 bilhões e o Ministério do Planejamento, ao discutir o aumento dos militares, sempre lembra o elevado número de pessoas a serem beneficiadas. São 609 mil servidores, dos quais 342 mil estão na ativa e 266 mil estão na reserva ou são pensionistas. O Planejamento defende a concessão de reajustes diferenciados para a ativa e a reserva, mas as Forças Armadas rejeitam a idéia.


26 de Mar de 2008 às

Ao empalador


Guarde suas estacas para vc


É por isso que nossa classe está assim desacreditada e desprestigiada!


Cabra da Peste é outra coisa, e não aberrações


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )
Últimos Posts Anterior<< Denunciar