PROTÓGENES VERDADEIRO SATIAGRAHA 1ª.Part | Blog Marmosilva-Rio | Portal Militar

Blog Marmosilva-Rio

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

PROTÓGENES VERDADEIRO SATIAGRAHA 1ª.Part

Publicado em 25 de Mar de 2009

1191 Visualizações



SATIAGRAHA QUER DIZER: FIRMEZA NA VERDADE!

O Delegado Protógenes Queiroz é o verdadeiro Satiagraha. Capacidade de resistir silenciosamente em busca da verdade, mas que agora, no momento certo ele quebra o silêncio. Vejam a manchete do Jornal O DIA de hoje. Na minha visão de um simples blogueiro na transição do governo militar para o civil, surge por parte do governo civil neoliberal muita corrupção e um mar de lama que nos atinge em cheio e mancha todas as camadas da sociedade brasileira.
Concordo com o meu amigo DANDOLO quando ele saiu em defesa do delegado protógenes. Precisamos repensar tudo que aconteceu, acontece e acontecerá dentro e fora do nosso país. Como limparemos essa sujeirada? É o grande cerne da questão que desafia a nossa capacidade de ser Satiagraha.
Satiagraha = firmeza da verdade. Termo criado por Mahatma Gandhi na campanha pela independência da índia , operação, Satiagraha, significado ... Em sânscrito, Satya significa Verdade, e agraha pode significar firmeza, persistência ou resistência. Assim, Satiagraha pode ser firmeza na verdade.
A Operação Satiagraha foi deflagrada pela Polícia Federal em 8 de julho de 2008 contra uma quadrilha que praticava crimes financeiros. As investigações iniciais começaram ainda em 2004, após a Operação Chacal, que indiciou o banqueiro Daniel Dantas, e algumas pessoas que trabalhavam para ele, por espionagem.
A última fase de investigações da operação durou dois anos e, no dia em que foi deflagrada, prendeu Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, e o investidor Naji Nahas, acusado de ser o responsável pela quebra da bolsa do Rio em 1989.
Segundo a Polícia Federal, as informações que deram origem à ação foram passadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para a Procuradoria da República em São Paulo. Esse material, junto com dados de outras operações da Polícia Federal, mostrou a existência de uma grande organização criminosa que, de acordo com a PF, era comandada por Dantas e especializada em desvio de verbas públicas.
Na apuração, a PF descobriu a existência de um segundo grupo, que agia junto com o primeiro e era formado por empresários e doleiros do mercado financeiro. Por meio de fraudes e informações privilegiadas, o dinheiro obtido em negócios escusos era lavado. Protógenes e de Sanctis passam a ser acusados
Seis dias após a prisão de Daniel Dantas, o delegado Protógenes Queiroz, que comandou a operação, deixou o caso sob suspeita de ter feito uma investigação irregular (em novembro, como mostrou a Folha de S.Paulo, ficou provado que o delegado foi forçado a deixar o caso por seus superiores) e de ter grampeado até o Supremo Tribunal Federal. Mais tarde, ficou demonstrado que Protógenes contou com a ajuda de pelo menos 80 agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), então comandada por Paulo Lacerda, ex-chefe da PF, que incumbiu Protógenes de chefiar a Satiagraha.A saída do delegado do caso foi acompanhada de meses de investigação interna na Polícia Federal, que estouraram com a Operação Gepeto, no início de novembro, que cumpriu mandados de busca e apreensão em três locais onde Protógenes Queiroz guardava documentos.
Também virou alvo de ataques o juiz Fausto de Sanctis, responsável pelo caso, que tramita na 6 Vara Federal Criminal de São Paulo. Acusado pela defesa de Dantas de julgar o caso com predisposição a condenar Dantas, ele foi mantido no caso por decisão do Conselho Nacional de Justiça, que o considerou isento para se manifestar. Em 18 de novembro, De Sanctis recusou a promoção para desembargador para poder continuar na 6 Vara, cuidando da Satiagraha.
PF volta à carga contra Dantas
Nesse período a investigação passou para as mãos do delegado Ricardo Saadi. Apesar de criticar os erros de Protógenes Queiroz, ele chegou a conclusões parecidas sobre as atividades de Daniel Dantas, como mostrou o Jornal Nacional.

ENTREVISTA DO DELEGADO!
Protógenes abre o jogo sobre a corrupçãp de Fernando Henrique Cardoso, "o sociólogo"
Enviado por http://blogdomello.Visite o Portal Militar
01-Jan-2009
O
delegado Protógenes Queiroz deu uma longa entrevista à revista Caros
Amigos que está nas bancas agora. Nela, o delegado fala de sua
carreira, da Satiagraha, mas também do passado do seu passado e do de
outras personalidades de nossa história, como o ex-presidente Fernando
Henrique Cardoso, que estaria envolvido em um caso escabroso de
corrupção.
Abaixo, reproduzo trecho da revista que trata desse caso de FHC, mas
você deve ir a uma banca de jornal e comprar seu exemplar, porque a
entrevista é longa, há denúncias contra um neto de Jorge "Essa Raça"
Bornhausem, Paulo Maluf, Pitta etc., além de outros artigos que valem a
leitura.
MYLTON SEVERIANO - Fim da ditadura.
PROTÓGENES - E transição para o regime civil. José Sarney pega o país em frangalhos, devendo até a alma, sem
dinheiro para financiar as contas públicas, muito menos honrar compromissos, a famigerada
dívida com o FMI. Havia
até o "decrete-se a moratória". Era o papo nosso, da esquerda, dos estudantes, "não vamos pagar, já levaram tudo". E o
Sarney, o que faz? Bota a mão na manivela
e nossos títulos da dívida externa valiam, no mercado internacional, no
máximo 20% do valor de face, era negociado na bolsa de Nova York. No paralelo valiam 1%. O que significa? Não
passa pela bolsa. Comprei, quero me livrar, então 1% do valor de face, título de um país "à beira de uma convulsão social,
ninguém sabe o que vai acontecer com aquele país, um conjunto de raças da pior espécie": essa, a visão
primeiromundista,
o que representávamos para os banqueiros.
Escória. E aqui estávamos, discutindo a reconstrução
do país. Vamos dialogar, botar os partidos para funcionar, eleições, e o Sarney
tendo que dar uma solução. Fecha a
manivela
e toca a jogar título no mercado de Nova York. Cada título que valia 10%, 15%, mandava dinheiro aqui para
dentro. Seis anos depois, o mercado financeiro internacional detectou que no Brasil haveria desordem, até guerra civil,
e eles não iam receber o que tinham colocado aqui com a compra dos papéis podres, queriam receber mesmo os 15%.
E fazem uma regrinha de três e colocam para o Banco Central: "Você vai instituir uma norma, os títulos da dívida
externa
brasileira adquiridos no mercado financeiro
internacional, no nacional poderão ser convertidos junto ao Banco
Central pelo valor de face desde que esse dinheiro seja investido em empresas brasileiras." Bacana, não? Se
funcionasse
como ficou estabelecido, nosso país seria
uma potência, não? Ainda que uma norma perfeita, acho um
critério não normal, não é? Não é moralmente ético eu comprar um título por 15% e ter um lucro de 100%, em tão
pouco
tempo. Mas enquanto regra de mercado financeiro
tenho de admitir que sou devedor. Se vendi a 15%, na bolsa,
assumi o risco de, no futuro,
o lucro ser maior para o credor. Tenho que pagar. Foi assim que foi feito? Não. Será que
o grupo Votorantim recebeu algum dinheiro
convertido? Alguma outra empresa nacional do porte recebeu? Não. O que
o sistema montou?
Uma grande operação em determinado
período para sangrar as reservas do país, e ainda tinha as
cartas de intenção,
que diziam "se você não me pagar posso explorar o subsolo de 50 mil quilômetros
da Amazônia".
WAGNER NABUCO - Era a fiança?
PROTÓGENES - Sim. Então me deparo com um banco,
o Paribas, hoje BNP-Paribas que se uniu ao National de Paris.

Hoje! o País continua devendo até a alma, só que deve aos brasileiros uma explicação moral, ética e cívica, pois estamos ainda mais pobres do que antes com o regime militar, basta observarmos o crescimento econômico que nem chega perto do crescimento do regime militar, nós não conseguimos apontar sequer uma grande obra em 25 anos de governo civil, a única coisa que cresce assustadoramente é a corrupção e o rombo dos cofres públicos por vários esquemas como esse do banqueiro Daniel Dantas.

No próximo blog postarei a continuação. Parte. 02.

Atenciosamente! MARMOSILVA-RIO


2 comentários


Dandolo comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

25 de Mar de 2009 às

Dandolo
Voto em Protógenes para Presidente da República de olhos fechados, e HH ou General Heleno para vice.

Esses 3 iriam moralizar essa nação.


CABOVELHO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

25 de Mar de 2009 às

CABOVELHO
MARMOSILVA-RIO....MUITÍSSIMO OBRIGADO POE PUBLICAR ESTA MATÉRIA....A VERDADE VIRÁ A TONA!.....ESTES BADERNEIROS DOARAM NOSSO PAÍS.....FHC NUM PAÍS SÉRIO SERIA FUZILADO!!!!! ( DOACãO DA VALE DO RIO DOCE) UM DOS CASOS...
..............................................CABOVELHO...........

Este Blogueiro NÃO permite que VISITANTES comentem nesta postagem.
Junte-se a nós ou Entre para comentar!