O "Bolsa Terrorismo" | Blog do Oficial da Reserva da Marinha | Portal Militar

Blog do Oficial da Reserva da Marinha

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

O "Bolsa Terrorismo"

Publicado em 19 de Jun de 2007

2035 Visualizações


Lamarca traiu e assassinou, para implantar uma ditadura comunista no Brasil. Mas seu legado de infâmia virou herança financeira.
Em 1969, o capitão Carlos Lamarca traiu seus companheiros de farda, roubou armas e munição do quartel onde servia, desertou do Exército e, a soldo de uma potência estrangeira, matou inocentes a sangue-frio com o objetivo de implantar no Brasil uma ditadura comunista. Matou inclusive a coronhadas um tenente.
Foi morto em combate por militares que cumpriam o dever de detê-lo. Quase quarenta anos depois, o terrorista acaba de ser transubstanciado em mártir nacional pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, formada para examinar os casos de cidadãos torturados ou mortos pelo regime militar quando se achavam sob a custódia do estado brasileiro. Lamarca foi promovido postumamente a coronel e premiado com os rendimentos de general-de-brigada. Com isso, seus familiares receberão a pensão correspondente: 12.152 reais por mês. Além disso, a viúva e seus dois filhos embolsarão cada um indenização de 100.000 reais.

Há duas afrontas nesse fato. A primeira delas é ao Exército, uma instituição que tem na disciplina hierárquica e na lealdade dois de seus pilares. Como pode um desertor, assassino de um tenente, Alberto Mendes Júnior morto a coronhadas por Lamarca , conseguir tal benefício? É lamentável! Espero que esse processo não vá até o final. Os generais do alto-comando estão indignados, disse o general-de-exército Luiz Cesário da Silveira Filho, comandante militar do Leste. Também é um espanto Lamarca ter pulado patentes no que diz respeito ao soldo, indo de capitão a general-de-brigada. Em geral, a família de um militar morto na ativa, não importa por que motivo, passa a receber a pensão correspondente a um posto acima. Lamarca não morreu na ativa ele abandonou o Exército. O privilégio concedido pela Comissão de Anistia significa premiar a deserção e a traição.

A segunda afronta é à lógica. Caberia à Comissão de Anistia indenizar quem foi morto e torturado sob a custódia do estado. O princípio, aqui, é que os regimes políticos passam, mas o estado brasileiro sempre será responsável pelos malfeitos cometidos em suas dependências. Lamarca, porém, não estava sob a guarda estatal quando foi morto. Encontrava-se em situação de combate, por sua própria conta e risco. A indenização dada a seus familiares, portanto, é incongruente. Equivale à instituição de um programa Bolsa Terrorismo. O caso de Lamarca junta-se a outros absurdos cometidos pelas comissões de anistia, cujos integrantes parecem ser movidos pela ideologia de esquerda, e não pelas razões do direito, como deveria ser. Recentemente, foi conferida a Lucas Pamplona Amorim uma indenização de 20.000 reais. Em 1975, sua mãe estava grávida quando foi levada ao DOI-Codi e obrigada a escutar os gritos de seu marido sendo torturado. Lucas ganhou o benefício porque sofreu conseqüências neuropsíquicas do tipo estresse, que a ele se transmitiram pela circulação materno-fetal.

2 comentários


01 de Set. de 2007 às


Nada a estranhar quanto às deliberações desta "Comissão"(junta de comissários), cujo chefe é ex-militante de um movimento que perdeu a guerra, e agora transvestido de democrata dirigente,sorrateiramente, embasados em leis de moralidade bastante discutida, vem tecendo a revanche! Lamarca, usando uniforme de nosso Exército, traiu, desertou, roubou e matou. Lamarca não esteve aprisionado, não sofreu torturas! Não foi, e não é herói! Foi simplesmente um traidor, um canalha, quanto tão canalhas as decisões deste comissariado! Mas, e agora, o que fazemnossos políticos? Quase todos emergentes daquela corja de apátridas, que comprados por dinheiro ou por ideologias estrangeiras antes traíam, e que São ou que roubamagora mandam! E mandam e desmandam! E em nome da "democracia", desta democracia que só interessa a eles. E,em nome da democracia, roubam, desviam subornam!


Agnelo comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

09 de Set. de 2007 às

Agnelo
Devemos nos lembrar que a anistia veio para trazer a paz, houve erros e enganos dos dois lados envolvidos, na turbulência da "guerra fria" em que nos brasileiros fomos ludibriados, pelos interesses da URSS e dos EUA. Lembremo-nos também do episódio do "Rio Centro", em que os sobreviventes que iam "detonar" centenas de brasileiros, foram condecorados e promovidos. Portanto apelo mais uma vez para que as pessoas envolvidas neste engodo, que nos levou a uma guerra fraticida e nefasta, preocupemo-nos com o Brasil, com nossos problemas internos relacionados as nossas culturas. A anistia veio para os dois lados, porque ambos foram enganados por ideologias estrangeiras, que em nada viriam a contribuir para o nosso progresso.


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )