As Verdades Sobre a Aposentadoria dos Militares das FFAA | Blog Paranaense | Portal Militar

Blog Paranaense

Quem sou eu? Clique e conheça meu Perfil
Acompanhe os Blogs da sua conta no google, yahoo e outros. Você pode escolher receber por email informação de novas postagens nos blogs. Fique Ligado.

Brasil

As Verdades Sobre a Aposentadoria dos Militares das FFAA

Publicado em 18 de Dez. de 2016


1847 Visualizações


Os valores exemplificados estão desatualizados.

AS VERDADES SOBRE A APOSENTADORIA DOS MILITARES

 
AS VERDADES SOBRE A APOSENTADORIA DOS MILITARES


O inicio da história.
Antigo Sistema chamado de Montepio Militar: " Nos primórdios das Forças Armadas no Brasil, os militares, enquanto vivessem, recolhiam contribuições voluntárias, quer tivessem filhas ou não, para beneficiar a viúva e as filhas.

Em 1960, (presidente na época Janio Quadros e depois João Goulart)  o Governo resolve incorporar ao Tesouro os fabulosos recursos do Montepio Militar (que era propriedade privada dos militares) e, a título de compensação, assume o compromisso de pagar a pensão militar em substituição ao Montepio Militar. Saliente-se aqui, que o Governo fez excelente negócio: incorporou uma fortuna ao Tesouro e comprometeu-se em desembolsar suaves prestações, ao longo dos anos, no pagamento de pensões.

Pagavam contribuições militares que deixavam para suas esposas e filhas os valores de 20 vezes a contribuição no caso de falecimento normal, 25 vezes no caso de falecimento em serviço e 30 vezes no caso de morte em campanha (guerra).


Com a constituição de 1988, outro golpe é aplicado em cima dos militares. É oferecido pelo governo, o pagamento da pensão integral na graduação ou posto do militar no momento de sua morte. Essa proposta resolvia os problemas das necessidades das famílias dos militares falecidos, mas, em sua estrutura escondia um grande aumento das contribuições dos militares.

Em 29 de dezembro de 2000, nova alteração e mais um golpe. A contribuição aumenta mais (pensão para a esposa 7,5%, pensão para a filha 1,5% e fundo de saúde 2,7% dos vencimentos totais, e a obrigação de continuar esse recolhimento na inatividade (os militares são os únicos funcionários federais nessa situação). Esses fatos fazem com que os militares recolham as contribuições, em média, por mais de cinqüenta (50) anos.

A pergunta é. Os recursos que o governo resolve incorporar ao Tesouro os fabulosos recursos do Montepio Militar. Que valor teria hoje? 
A que se destinou?

 
Isto não é divulgado nos Jormais e Televisão.

A população do País ainda enxerga em cada militar um privilegiado.


Vejamos um exemplo na prática: um Coronel, após mais de 50 anos de contribuição, (isso acontece em todos os postos ou graduações) contribui com R$ 960,00 mensais e ao falecer deixa uma pensão de R$ 8.000,00.

Se essa retribuição fosse feita pelo critério anterior, ou seja, de 20 vezes o valor da contribuição, esse valor subiria para R$ 19.200,00. Um valor 120% maior.

Agora vamos pensar nas aposentadorias milionárias recebidas por terroristas, os quais lutavam em favor de um Socialismo, tal qual a que existiu na antiga União Soviética e ainda existe em Cuba.

Na nova reforma em estudo, novas perdas, com certeza, virão. Desse rápido estudo fica claro que o Governo, para resolver seus problemas de caixa, aplica seguidos planos em cima dos militares. Nessa seqüência é fácil prever, num futuro próximo, que vão continuar a enfraquecer todos os militares e pensionistas e os seus dependentes.

Os militares não têm sindicatos para defender os seus interesses e não fazem greves. São cidadãos brasileiros, disciplinados e patriotas.

Estão a serviço da nação para garantir a Lei e a Ordem, que infelizmente a mídia maldosamente tenta denegrir.
 

4 comentários


pixuleco comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

18 de Dez. de 2016 às 18:07

pixuleco
Brilhante defesa. Pelo menos aqui nesse Portal temos que nos defender. Eu fiz comentário em nossa defesa em vários blogs e sites. As pessoas tem que ser informadas a nosso respeito senão, daqui a pouco, a população se revoltará contra nós. Quem cala consente.

 

 
paranaense comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

18 de Dez. de 2016 às 20:02

paranaense
Meu caro pixuleco! Concordo plenamente, com os meus sinceros agradecimentos. Fraternal abraço!


MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Dez. de 2016 às 0:30

MARMOSILVA-RIO
Prezado Amigo. Paranaense! Boa Noite! Hoje, recepcionei mais um afilhado que conduzi até o Colégio Naval e que fui receber de regresso de viagem de ouro. Por que, mencionei este fato? Ser militar não é ter profissão, mas ter vocação, não é apenas um dogma, mas um sacerdócio, não basta ser técnico, é preciso praticar o que aprendeu, com êxito e disciplina. Não basta ser bom , tem que ser o melhor sempre. Não se escolhe por parcialidade, mas promoção por honra ao mérito. Sem mais, ser militar é assinar um atestado de óbito antecipado , a fim de defender essa nação de todos os seus meliantes, algozes, bandidos, ladrões e apátridas. Somos acima de tudo. Patriotas, e com orgulho de ser brasileiro. Muito Obrigado, meu amigo paranaense, mas seu debate foi preciso.

 

 
paranaense comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Dez. de 2016 às 1:40

paranaense
Meu grande amigo MARMOSILVA-RIO! Parabéns ao afilhado. Hoje fiz este post meio às pressas. Existem coisas nas nossas vidas que passam do limite do tolerável. Republiquei o assunto com a intenção de defender os nossos interesses. Não consegui ficar calado. Fraternal abraço!


Avassalador comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Dez. de 2016 às 8:10

Avassalador
Grandes revoluções aconteceram após 1960 e com elas vieram as mudanças e os novos desafios a serem encarados e enfrentados, hoje a realidade é extremamente diferente, vejo sim que alguns jornais e jornalistas são tendenciosos, entretanto e diante da realidade e desafios, é possível tirar proveito de publicações tendenciosas sobre a previdência dos militares e olhar para dentro de si, para promover mudanças e assim participar e contribuir. Cansei, isso diante de mudanças prejudiciais aos militares, advindas do conluio entre a alta cúpula militar e o governo, como no caso da MP 2215-10. Acredito que as mudanças na carreira e previdência dos militares podem acontecerem, entretanto com a participação e ouvindo as boas falas dos militares em geral e demais membros da Família militar, SER IGNORANTE NÃO CONTRIBUI EM NADA. QUAL A NOVIDADE QUE VOCÊ(S) TEM?

 

 
MARMOSILVA-RIO comentou. Clique aqui para ver seu perfil.

19 de Dez. de 2016 às 9:08

MARMOSILVA-RIO
Bom Dia! Meu Amigo. Avassalador. Não temos novidades, busco reunir os militares inativos aqui do portal militar em cada estado, todos os anos, sem sucesso, para juntos criarmos uma forte associação com militares devidamente politizados e ativistas, visando ter voz política e social, junto ao estado democrático de direito. O Estatuto dos Militares não foi recepcionado pela CF/88, portanto, durante muitos anos fomos suprimido do exercício pleno e irrestrito de nossa cidadania. Sobretudo, pelo fato de saber, que até poucos tempos não votávamos e não poderíamos nos candidatar a cargos políticos. Uma novidade seria conseguir em 2017 reunir todos os militares e blogueiros do portal militar, em cada estado, e juntos articular, organizar, concatenar ideias e objetivos visando restituir o que nos foi retirado e sequestrado , por conta do aviltamento salarial, imposto aos militares das FFAA. Ser ignorante é continuar na zona de conforto e não buscar a união de forças, mentes e objetivos proativos. Se mais, um forte abraço e meus sinceros parabéns pela bela crítica construtiva, debate e critica eleva a moral e liberta um povo. Somos cidadãos antes de sermos militares.


Gilberto

21 de Dez. de 2016 às 11:08

Gilberto
A FARSA: O DÉFICIT NO REGIME DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS. // Synésio Scofano Fernandes - 07/07/2016: 1. Esse déficit não existe porque não existe regime de previdência social dos militares das Forças Armadas. 2. Como disse o Ministro da Defesa, na Câmara dos Deputados, em 2003, na Comissão Especial da Reforma da Previdência: ?Portanto, não há regime previdenciário dos militares e, logicamente, não há o que referir a equilíbrio atuarial do regime previdenciário dos militares federais, porque ele não existe e por essa razão, quase ontológica, porque não existe, não pode ser predicado e, consequentemente, não pode ser contributivo, nem de repartição. A REMUNERAÇÃO DOS MILITARES NA INATIVIDADE, OS REFORMADOS E OS DA RESERVA, É TOTAL E INTEGRALMENTE CUSTEADA PELO TESOURO NACIONAL?. Siba mais... http://www.ternuma.com.br/index.php/art/3052-o-deficit-no-regime-de-previdencia-social-dos-militares-das-forcas-armadas-synesio-scofano-fernandes-07-07-2016


DEIXE SEU COMENTÁRIO


O blogueiro não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor. O blogueiro fará a moderação antes de publicar o comentário.

Aceito receber emails do Portal Militar. Emails de confirmação, avisos, notícias e lembretes. ( Obrigatório )