Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
M-7 Canhão autopropulsado americano
Inserido por: Piero
Em: 08-29-2006 @ 04:49 pm
 

 
Curriculum 
Vitae

 

 

 

Autor: * Dr.Dal Piero

 

M-7
CANHÃO AUTOPROPULSADO AMERICANO

Os canhões de assalto são peças de acompanhamento com blindagem de grande espessura, mas, apesar disso, providos de boa mobilidade. No tocante à velocidade não estão em condições de inferioridade ante os tanques operativos, apesar da grande blindagem, porque na sua construção se renunciou à torre giratória. O aspecto corresponde ao dos tanques médios e pesados. A vulnerabilidade é relativamente pequena, em conseqüência do seu vantajoso perfil achatado e por não ter torre giratória. Isto constitui mais uma vantagem, pois o delicado mecanismo de giro da torre seria facilmente vulnerável. Em contrapartida, precisamente, os canhões de assalto apresentam um inconveniente devido à falta da torre. Consiste na impossibilidade de fazer fogo num setor de 360°, o que o expõe ao ataque dos destruidores de tanques. Por esse fato, esse tipo de arma quase sempre vai acompanhada por tropas de assalto e antitanques. Acontece então uma dupla ação de proteção: os homens protegem o blindado e este faz o mesmo com os homens. A figura inconfundível do canhão autopropulsado americano M-7 tornou-o famoso nas areias da África. E embora o seu chassi não seja outro senão o mesmo do tanque "Lee", a super-estrutura (canhão e base) converteu-se numa silhueta sumamente conhecida, e de grande eficiência prática. Os técnicos criticaram sua altura e ainda suas poucas possibilidades frente a um blindado inimigo; contudo, o M.-7, desafiando a opinião dos peritos, enfrentou carros blindados e até atuou como caça-tanques. A explicação de suas possibilidades ante veículos formidavelmente blindados repousa nos 15,5 centímetros de seu canhão, que o tornavam temível. Semelhante calibre supria com vantagens todas as suas deficiências, reais ou calculadas.

Sobre o seu lado direito, possuía um posto circular, descoberto, que ao mesmo tempo que ninho de metralhadora era também o lugar preferido do comandante da unidade. Cumpre destacar que, no projeto original, este devia dirigir as operações, da parte posterior, à esquerda, onde se encontram os aparelhos de pontaria. Como apoio artilheiro à infantaria, o M-7 cumpriu os mais valiosos serviços.

 


Última alteração em 08-29-2006 @ 04:49 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada