Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
Goliath
Inserido por: Piero
Em: 11-01-2006 @ 10:27 pm
 

 
Curriculum 
Vitae

 

 

 

Autor: * Dr.Dal Piero

Foi na cabeça-de-ponte de Anzio que os alemães puseram em prática um novo elemento bélico. Tratava-se de um pequeno tanque, de reduzidíssimas dimensões, não tripulado, destinado a introduzir cargas explosivas nas linhas inimigas. O objetivo principal do pequeno blindado, chamado Goliath, consistia em limpar o terreno de alambrados e fortificações menores que dificultariam o posterior avanço da infantaria. O veiculo era comandado, das posições alemãs, por meio de um longo cabo, através do qual se enviavam aos controles do Goliath os impulsos elétricos que o faziam avançar, deter-se, mudar de direção e, por fim, detonar a sua carga explosiva. O avanço do Goliath, sobre o terreno, não era fácil de deter, como se poderia supor, pois, dadas as escabrosidades do solo, o pequeno veiculo, habilmente dirigido, se ocultava e reaparecia diversas vezes. Desta maneira, um condutor sagaz podia aproximar o seu veiculo até as linhas inimigas, sem que os soldados pudessem alvejá-lo.

O Goliath foi também utilizado na explosão de depósitos de munições que, no caso de Anzio, se encontravam na superfície e ao alcance de um pequeno veiculo habilmente dirigido. O Goliath era, na realidade, um diminuto tanque com lagartas, auto-explosivo ou mina autopropulsada, segundo os técnicos militares. As lagartas tinham rodas tensoras traseiras, quatro roldanas de apoio e roda motriz dianteira. A caixa era blindada. A blindagem frontal tinha 30 mm de espessura e 22 mm nas laterais. Era impulsionado por um motor elétrico, alimentado por acumuladores. Podia desenvolver uma velocidade de 35 km por hora. O cabo através do qual recebia os impulsos elétricos se desenrolava à medida que o veiculo avançava para o alvo. Tinha 1,60 m de comprimento por 1,20 m de largura. A carga explosiva variava segundo o objetivo, porém, oscilava entre 100 e 120 kg de TNT. O comando do detonador era acionado pelo cabo de controle, também.

 


Última alteração em 11-01-2006 @ 10:27 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada