Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
SU-152 Canhão Russo
Inserido por: Piero
Em: 11-01-2006 @ 10:55 pm
 

 
Curriculum 
Vitae

 

 

 

Autor: * Dr.Dal Piero

Na grande batalha pela liberação definitiva de Leningrado, o Exército Vermelho empregou uma enorme massa de peças de artilharia. Mais de 5 000 canhões de todos os tipos, incluindo peças autopropulsadas e lança-foguetes desfecharam sobre as linhas germânicas um verdadeiro dilúvio de fogo. Somente no transcurso da primeira jornada de luta, mais de 500 000 projéteis foram disparados contra os redutos inimigos. Esse emprego maciço da artilharia constituiu uma das principais características das operações russas. O comando soviético apelava a essa tática pelas seguintes razões:

1o. a infantaria não pode vencer a resistência inimiga com êxito, e sem sofrer baixas excessivas, senão quando o sistema de fogo do adversário for neutralizado por uma concentração de fogo de artilharia poderoso, dirigido em profundidade sobre a posição a conquistar. A combinação dos fogos de artilharia localizada em posições fixas, com a dos canhões autopropulsados e baterias móveis, é o que permite a neutralização do inimigo, obtendo também grande efeito a desmoralização sobre as tropas adversárias;

2o. todo ataque de tanques, por mais poderoso que seja, deve ser apoiado eficazmente pelo fogo de artilharia, se é que se deseja evitar que os nossos blindados se transformem numa presa fácil para as armas antitanques do adversário. A máxima a seguir é a seguinte: "Quanto mais tanques se empregar, mais artilharia deve-se empenhar";

3o. deve-se constituir reservas de artilharia, principalmente de peças autopropulsadas, com o fim de cobrir os flancos das forças que atacam, contra os possíveis e inesperados contragolpes do inimigo. Para por em prática estes princípios, os russos outorgaram prioridade máxima à fabricação da artilharia, tanto em peças clássicas como em canhões autopropulsados. Enquanto na Primeira Guerra Mundial, de 1914-18, os russos construíram um total de 12 000 canhões, no decorrer da última contenda fabricaram, somente no período de 1942 a 1945, 360 000 peças de artilharia. Quatro fabricas sozinhas fabricaram mais de 230 000.

 


Última alteração em 11-01-2006 @ 10:55 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada