Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
Batalha do Seival
Inserido por: Coordenador
Em: 05-01-2007 @ 11:27 am
 

 

Batalha do Seival

Batalha que, com a vitória dos Farrapos, ensejou a Proclamação da República Rio-Grandense por Antônio de Souza Netto. O embate deu-se nos campos dos Menezes,cruzando o Arroio Seival.

Destacado por Bento Gonçalves, Cel. Netto desloca-se, no início de Setembro de 1836, à região de Bagé onde encontra o Imperialista Silva Tavares, vindo do Uruguai. A Primeira Brigada de Netto, com 400 homens atravessa o arroio Seival e encontra as tropas de Silva Tavares (560 homens) sobre uma coxilha. Era a tarde de 10 de Setembro de 1836. Observam-se por minutos, e Silva Tavares desce a coxilha em desabalada carga. Netto ordena também a carga de lança e espada, sem tiros! As forças se encontram em sangrento combate. Inicialmente há uma pequena vantagem para os imperiais, mas um acontecimento muda a sorte da batalha. O cavalo de Silva Tavares, com o freio rebentado na peleia, dispara em velocidade, causando a impressão de fuga, mesmo entre seus comandados. A confusão entre eles é aproveitada pelos cavaleiros de Netto com força redobrada. Os farrapos ficam quase intactos, enquanto do outro lado há 180 mortos, 63 feridos e 100 prisioneiros.

Donos do campo, os farroupilhas comemoram vibrantemente a vitória e imediatamente cresce a idéia , que logo prosperaria, de construir a República Rio-Grandense.

 


Última alteração em 05-01-2007 @ 11:27 am

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada