Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 
 

Esta é uma História privada.

Você não tem os privilégios necessários para visualizá-lo.
 
 
 

 
As irmãs belonaves triunfantes
Inserido por: castrov
Em: 12-25-2007 @ 07:35 pm
 

 
Quando fui a PLYMOUT/INGLATERRA buscar as gloriosas Bosisio e Dodsworth, nunca poderia imaginar que tão curta seria a vida de um navio que ostentou em seu mastro principal uma história repleta de vitórias. Teria sido melhor deixa-la virar museu? A "DOSE VOLTS" como carinhosamente a chamavamos, tinha uma tripulação guerreira e competente que dedicava-se o mais alto grau de adestramento dos homens que a recebeu e aqueles que embarcaram após sua chegada ao Brasil. Confesso que até hoje não compreendi seu desarmamento e sua desativação do serviço ativo da marinha, apesar de achar que a probabilidade de desativação seria da F. Bosisio que passou por um grande incendio e teve seus compartimentos comprometidos desde a bravo 1 passando pelo guia de ondas e subindo para o mastro de vante onde havia dois paióis de munição (20mm de BB e BE). Mas apesar do sinistro, a guarnição comandada pelo heróico CHEMAQ (não me recordo o nome dele) conseguiu debelar o incendio com o mais alto padrão de profissionalismo e coragem de todos. O grande Comandante Leal Ferreira (um dos melhores profissionais do mar que já conheci em toda minha carreira naval) não permitiu sequer que o navio entrasse na Bahia da Guanabara pelos "queixos" puxado por um rebocador, apesar de todos os problemas que o navio sofreu devido aquele tão sério incendio que não sai da memória dos seus bravos tripulantes.
 


Última alteração em 12-25-2007 @ 07:35 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada