Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
Luís de Araújo Correia Lima - Patrono da Reserva
Inserido por: X-men
Em: 09-09-2013 @ 06:33 pm
 

 

  Luís de Araújo Correia Lima (Porto Alegre, 4 de novembro de 1891 — Curitiba, 5 de setembro de 1930) foi um militar brasileiro. Idealizador dos Centros de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) do Exército Brasileiro, ele é reconhecido como o Patrono da Reserva.

 
Descendente de família de militares, Correia Lima nasceu em Porto Alegre, a 4 de novembro de 1891, filho mais velho do general-de-divisão Gonçalo Correia Lima e de Ana Correia Lima. Em 26 de setembro de 1907, sentou praça, como soldado, no extinto 17º Batalhão de Infantaria, sediado em Porto Alegre, onde prestou concurso para a Escola Militar. Aluno aplicado, permanentemente figurou entre os primeiros classificados nos cursos das Escolas Militares que freqüentou:
 
Escola Militar de Porto Alegre - Curso Fundamental
Escola Militar do Realengo - Curso de Artilharia
Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e Escola de Estado–Maior
Em 1916, contraiu matrimônio com dona Marina de Sousa e Melo, advindo dessa união, cinco filhos, dos quais os dois mais velhos seguiram a carreira militar.
 
Em sua carreira militar destacam-se:
 
As atividades de vigilância do litoral e da costa brasileia, na região de Rio Grande, durante a Primeira Grande Guerra (com o 17º Grupo de Artilharia);
Foi instrutor da Escola Militar do Realengo, durante a missão indígena;
Combateu os revoltosos de 1924, com o 1º Grupo de Artilharia Pesada;
Idealizou os Centros de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) sendo o primeiro comandante do primeiro CPOR brasileiro, no Rio de Janeiro.
Patrono da Reserva
As leituras e estudos sobre os acontecimentos da Primeira Guerra Mundial, especialmente quanto aos mecanismo de recrutamento e recompletamento de claros nas fileiras dos exércitos europeus, se constituíram na fonte de inspiração para criação, no Brasil, dos CPOR, que se tornaram o ideal de sua vida, pelo qual trabalhou desde jovem, ainda como tenente.
 
Teve de lutar contra inércia e a incompreensão, que existiam não somente no meio civil, mas também no meio militar, onde colocavam em dúvida a sua honestidade de seu propósito e, até mesmo, o acusavam de querer reorganizar a extinta Guarda Nacional.
 
Mas seus ideais se impuseram e, em 22 de abril de 1927, foi criado o primeiro Centro de Preparação de Oficiais da Reserva brasileiro, o do Rio de Janeiro, comandado pelo próprio Correia Lima, então capitão. O CPOR do Rio começou a funcionar efetivamente no ano seguinte, servindo de modelo para a criação de outros CPOR em outras capitais, bem como dos futuros Núcleos de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR).
 
Correia Lima não viu sua obra completada. Servia como major, promovido por merecimento, em Curitiba, comandando o 1º Grupo do 9º Regimento de Artilharia Montada, quando irrompeu a Revolução de 1930. Foi atacado, de surpresa, em seu quartel, e assassinado no dia 5 de setembro de 1930. No dia 13 de outubro de 1930 foi promovido post-mortem a tenente-coronel, por ato de bravura.
 
Homenagens
 
 
Os ideais e o esforço de Correia Lima para formar os alicerces da reserva militar brasileira fizeram com que fosse declarado o "Patrono da Reserva".
A medalha "Correia Lima" premia os alunos dos CPOR e NPOR que terminam o curso em primeiro lugar e sem ter qualquer punição disciplinar.
Uma herma em sua homenagem se ergue na Avenida Pedro II, obra executada no Arsenal de Guerra.
 


Última alteração em 09-09-2013 @ 06:33 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada