Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
A TROCA
Inserido por: oteatino
Em: 11-19-2013 @ 07:59 pm
 

 

Na índia o pavão era considerado um animal sagrado, mas isso há muito tempo, inclusive se alguém o matasse, poderia ser punido com a morte. Gosta de viver em árvores e quando chega a noite, pula de galho em galho, até achar um lugar ao alto para passar a noite. São brigões, não gostam de companhia de outros animais, possuem vária fêmeas, elas chocam entre 08 e 10 ovos que descascam com 30 dias de choco. O Nícácio * que não era filho das macegas, tem um irmão, que como ele também era negrinho dado, só que com uma diferença, ele trabalhava no galpão e seu irmão era secretário dos patrões na casa grande. Esta história, foi safadeza dos dois gajos. O leitor sabe o que é uma pavoa? Se não sabe, vou tentar explicar. Uma pavoa é a fêmea do Pavão. A Pavoa é muito feia em relação ao seu macho, ela mais se parece com um peru ou angulista. Mas é cortejada por um macho de beleza ímpar. O Pavão, esse sim é muito lindo, bonito mesmo. Espero que não tirem conclusões precipitadas a respeito do posicionamento do Nicácio, por achar um macho lindo. Ele sempre foi muito macho sim senhor. É que nessa espécie, realmente o macho é muito bonito. Ele, tem uma cauda enorme, com penas de aproximadamente um metro de comprimento, penas de várias cores e na ponta é redonda como se fosse uma coroa. Geralmente a tardinha para conquistar a Pavoa que é feia que dói, ele costuma fazer uma grande roda com a cauda de penas lindíssimas e com uma pequena cauda sobreposta a cauda maior, ele treme a pequena contra a outra maior, fazendo um barulho com se estivesse espanando alguma coisa ou limpando uma na outra. Esse processo é de linda beleza, e na época desta história essas aves eram escassas e difíceis de encontrar, só as pessoas de grande posse, tinham essas aves como verdadeiras relíquias em seus quintais. O fato narrado, aconteceu na estância das vaidades no Passo da Cruz, município de Uruguaiana.O pai do Nicácio era capataz dessa estância e lá que ele conheceu os Pavões. Eram duas Pavoas e um Pavão. Eram tratados como verdadeiros reis, causando muito ciúmes aos animais do terreiro pelo tratamento diferenciado que recebiam. O Nicácio era peão do galpão e o seu irmão o secretário dos donos da estância, encarregado de tratar os Pavões a pão de ló.Talvez por isso ou por algum puxão de orelhas que tenha levado por causa dos bichos, ele tinha verdadeira aversão dessa aves. Era comum nas tardinhas da estância, a fazendeira reunir seus amigos ou quando não tinha ninguém de visita, reunir os empregados da casa grande para assistir ao show dos Pavões.E realmente era muito bonito. O Nicácio, como nunca foi convidado para tal espetáculo, costumava esconder-se no meio do pomar para assistir a evolução do Pavão para conquistar sua fêmea.Os Pavões tinham um cuidado especial por serem muito frágeis, morriam pela mínima coisa.Certa feita, juntaram 06 ovos para tentar uma procriação, outras tentativas não haviam surtido efeito.Não é preciso relatar o alarde que fizeram com os tais ovos e as recomendações para o cuidado que deveriam ter com o ninho que foi preparado cuidadosamente para o choco. Até um veterinário apareceu para dar orientação no trato dos bichos.Só que esse veterinário, tinha outras especialidade além da sua função, degustava bons vinhos  era bom de garfo. De veterinária, entendia muito pouco, mas era Dr, tinha autoridade no assunto, só para os patrões, para os empregados do galpão, sentiam que o dito cujo era um baita charlatão.O irmão do Nicácio, teve a ideia de sacanear os patrões. Após um ótimo e bem cevado chimarrão, resolveu fazer uma falcatrua para testar a capacidade do veterinário.Pediu a seu irmão quer era o peão do campo, sua colaboração para a execução do plano, que consistia em achar durante suas campereadas, um ninho de carão e logo que achasse tinha que trazer os ovos para uma experi~encia campeira. Iam trocar os ovos dos Pavões pelo de carão pra ver que bicho ia dar. O Carão é um bicho grande, um pouco menor que o João Grande e preto que nem picolé de piche. Para sorte dos patrões, trocaram apenas três ovos. Passado os 21 dias, começou o plantão dos patrões para verem os ovos descascar, inclusive com a presença do veterinário que veio passar uns dias na estância para ser o parteiro da Pavoa.Quando começou a descascar os ovos, todo mujndo ficou surpreso com a diferença que existia entre os filhotes, três acinzentados e três branquinhos, suas plumas pareciam ser de algodão.O veterinário, ficou em papos de aranha, não conseguia explicar o fenômeno e teve a infelicidade de dizer que os brancos eram os verdadeiros filhotes dos pavões e que os cinzas tinha alguma dúvida, numa total discriminação com o que não era branco, o que era normal naquela época. O que ficou claro, é que havia algo errado e com certeza a natureza nada tinha a ver com o resultado. O irmão do Nicácio que era o encarregado do ninho, foi questionado a respeito do problema, mas aguentou firme, dizendo que não sabia o que houve. Pra desespero do veterinário, os três branquinhos, foram mudando a penugem, ficando pretos que nem carvão.

RESULTADO: O VETERINÁRIO E OS PATRÕES, MORRERAM SEM DESCOBRIR O QUE TINHA ACONTECIDO E O PAVÃO COM TODA A SUA BELEZA FOI CONSIDERADO UM CORNO MANSO, SEGUNDO OS COMENTÁRIOS, O QUE HOUVE É QUE ENQUANTO ELE SE RODOPIAVA PARA ATRAIR AS FÊMEAS, UM CARÃO QUE FREQUENTAVA UMA SANGA PRÓXIMA, FUROU OS OLHOS DELE, TRAÇANDO UMA DA PAVAS.

ESTA HISTÓRIA, FOI TIRADA DO 2º LIVRO  ESCRITO PELO ''OTEATINO '' AS HISTÓRIAS DO NICÁCIO''

 

 

 

 

 


Última alteração em 11-19-2013 @ 07:59 pm

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada