Olá Visitante! Junte-se a nós! ou Entre para inserir uma História Militar.
[ Anuncie Já | Fórum | Blogs | Bate-Papo | Ajuda | Proposta ]
 
Página PrincipalPortal Militar Escute hinos e canções militares na Rádio do PortalHinos Fórum do Portal MilitarFórum Blogs Hospedados no PortalBlogs Converse no chat com militaresBate-Papo Videos do YoutubeVideo ArtigosArtigos AgendaAgenda Hotel de TrânsitoHotel Deixe um mensagem para todos do portal.!Fonoclama EntrarEntrar! Junte-se a nós!Junte-se a nós!
  Ir para Página Principal do Portal Militar
 
   
 
[ Todos as Histórias | Todos os Colaboradores | Os últimos 20 Colaboradores ativos ]

[ Dúvidas | Política de Publicação | Busca avançada ]

Usuários Colaboradores podem enviar Histórias Militares ou relacionadas, além de poder comentar as Histórias enviadas por outros usuários!
© Todos os direitos reservados aos seus autores. Esta material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização de seus autores. As opiniões expressas ou insinuadas nesta revista pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do Portal Militar.com.br ou de quaisquer outros órgãos ou departamentos do governo brasileiro.
 

 
O Guararapes Ano 2003 out a dez No 39 (2 de 2)
Inserido por: ClaudioBento
Em: 07-03-2006 @ 11:23 pm
 

 

Leia a parte 1/2

continuação....

PUBLICAÇÕES RECEBIDAS

Livros: Policia Militar do Ceara 1889-1939, do acadêmico Ten Cel PMCE João Xavier de Holanda; A defesa social do século XXI ,do acadêmico da PMDF Cel João Coelho Vitola; Dever Secreto , do Cel R1 Juvêncio Saldanha Lemos; Sob a luz de meteoro Canudos x República, do acadêmico Cel Davis Ribeiro de Sena. Memórias do Cel Cecil Wall Barbosa de Carvalho, herói da FEB mandado editar pela família tendo ao final artigo do Presidente da AHIMTB, Cel Bento, feito em nome da AHIMTB, por ocasião do falecimento do Cel Cecil

Continua na página 17 Continuação de O GUARARAPES n o 39 out/dez 2003 página 17

Revistas: Da Academia Paranaense de Letras nº 77, 2003, com discurso de posse do acadêmico General Raimundo Negrão Torres em 3 abril 2003. Noticia Bibliográfica e Histórica nº 188-199.O nº 188 traz colaborações do acadêmico emérito Arno Wheling e do acadêmico Cel João Ribeiro Filho. Revista da ADESG - Caxias do Sul 2002. Boina Verde nº 202 e Jornal do Exército nº 514, 516 e 517enviados pelo dedicado sócio correspondente Sargento Ajudante Antônio Eleutério Sucena do Carmo e mais a Revista Segurança e Defesa. Revista Verde Oliva Caxias 200 anos, n o 178 .Destaca a AHIMTB como integrante do Marketing Cultural do Exército, o que muito a estimula e encheu de orgulho seus integrantes por este justo reconhecimento.

Informativos: Do IHGB Paraibano nº 123,124,128 e 129. Do IHGB Santa Catarina nº 60 a 66. Informativo IEV nº 145 a 150. O nº 147 traz artigo do Cel Claudio Moreira Bento: "Uma controvérsia: sob massacre dos índios Puris em Resende" que ele nega e uma homenagem a José Gabriel Calmon da Costa Pinto, grande amigo da AHIMTB. Informativo do IHGB nº 172/179. Boletim do IHGB de Sorocaba nº100 e 101. O nº 100 edição especial dá varias notícias do dinâmico presidente do Instituto Adilson Cesar e correspondente da AHIMTB e do 1 BPE, dá a notícia de posse do Gen Domingos Ventura Pinto Junior. O nº 101 refere a trabalhos do Cel Bento em defesa da memória do General Bento Manoel Ribeiro e a sua visão da minisérie A Casa das Sete Mulheres (p.8).Informativo da Academia Paulista de História nº 98,102/110. O nº102 evoca Helio Damante, amigo da AHIMTB. O nº 103 focaliza artigo do acadêmico emérito General Carlos de Meira Mattos: "Amazônia o grande desafio geopolítico. O nº 106 traz artigo do dinâmico correspondente da AHIMTB Adilson César sobre Sorocaba: Bandeirantes e tropeiros. O nº 107 traz artigo do acadêmico emérito General Meira Mattos: Rio Branco e as Forças Armadas. Informativo o Clarim do CML n¤ 54/58 editados pelo acadêmico Cel Rui Duarte, sendo o nº 57 alusivo ao bicentenário de Duque de Caxias. Este informativo da Família Militar não divulga a AHIMTB. Boletim Informativo da ANVFEB nº 45/47. O nº 45 evoca a memória de falecido acadêmico emérito General Plínio Pitaluga e registra a posse Gen Domingos Ventura Filho na AHIMTB. Informativo Cultural do Sv Doc Marinha nº120.Informativo Lança Partida nº33/35 sendo que o nº 33 divulga na capa sessão da AHIMTB em 26 nov 2002, de lançamento do livro pela AHIMTB 6ª Brigada de Infantaria Blindada. Jornal Clarinadas da Tabatinguera da AORPM nº 145/152 trazendo interessantes matérias assinadas pelos acadêmicos coronéis PM Edilberto de Oliveira Mello e Hermes B Cruz presidente e vice da AORP. O nº 147, divulga artigo Os três Generais da PMSP e entre eles o General Miguel Costa patrono de cadeira na AHIMTB e que é focalizado em série pelo acadêmico Cel Edilberto, como o verdadeiro comandante da Grande Marcha , a Coluna Miguel Costa/Prestes.

DIVERSOS

O acadêmico emérito General Arnaldo Serafim enviou noticias das Continua na página 18 Continuação de O GUARARAPES n o 39 out/dez 2003 página 18

comemorações do 4º aniversário da sua Delegacia Marechal José Pessoa que foram registradas em sua pasta.

-AHIMTB recebeu carta do professor Paulo Henrique da Rocha Corrêa grande estimulador da AHIMTB, com vários artigos de sua lavra sobre "Fome, Sucroquímica, Carboquímica e Oceanografia:; Porque termo e não hidrolétricas; Ecologia sem prejuízos nem crueldades; As ligações do Brasil como Pacifico: A guerra é a negação da inteligência humana.

-Do acadêmico Cel Nilton Freixinho a AHIMTB recebeu carta em 23 julho de 2003 de estimulo como sempre , a causa defendida pela AHIMTB na qual anexa sua valiosa conferencia no IGHMB sobre o tema Uma experiência no difícil ofício de historiador.

E ao falar sobre Duque de Caxias referiu : Historicamente a projeção de Caxias vai além e muito alem do círculo restrito das instituições militares, na fase critica da construção do Estado- nação brasileira. Ficam claras as razões pelas quais a geração da década de 30, fixou-se no nome de Luiz Alves de Lima e Silva, como Patrono do Exército, entre outras personalidades de relevo da História Militar do Brasil. Caxias e seus contemporâneos responsáveis pelo governo do Estado, viveram uma fase histórica em que as lideranças do centro buscavam a garantia da Unidade Política da América Portuguesa, face a fatores desagregadores das mais diversas origens...Para os que atualmente exercem funções na estrutura do poder do Estado e para os militares do serviço ativo é uma oportunidade de buscar nas ações e atitudes de Caxias, inspiração norteadora no prosseguimento do Estado- nação brasileiro. O Brasil é um pais em construção. Eis uma circunstancia que o historiador deve sempre considerar." E a seguir faz considerações sobre o seu livro O sertão arcaico do nordeste do Brasil no qual faz uma reeleitura de Canudos, Padre Cícero, Floro Bartolomeu e de diversos cangaceiros.. Obra sobre a qual juntou artigo de Antônio Olinto, sob título. Na linha de Euclides da Cunha.

- Carta do acadêmico Vet FEB José Conrado de Souza de 15/09/2003 dando conta que em Comodato transferiu para o CMPA a biblioteca General Antônio Carlos de Andrade.

- Manifestações recebidas do incentivo sobre o livro Caxias e a Unidade Nacional.

Do acadêmico Osório Santana Figueiredo:

"Impressionei-me. Que livro! É uma obra para ficar no tempo e no espaço. Para os estudiosos de História, mormente para os biógrafos de nossos vultos militares, será uma mão cheia. Uma fonte fertilíssima. Nota-se que é obra que exigiu muito folêgo e muito tempo, para reduzir uma montanha de dados preciosos e minuciosos, sobre a vida de grande homem, o grande soldado, o grande brasileiro que foi o Predestinado da Pátria... As ilustrações, uma obra a parte e uma verdadeira exposição histórica, um manancial de cenários e visões...um documentário fotográfico que não existe igual na historiografia militar terrestre brasileira...”

Continua na página 19 Continuação de O GUARARAPES n o 39 out/dez 2003 página 19

- O acadêmico Gen Ex Jonas de Morais Correia Neto. Em carta assim se manifestou sobre o livro Caxias e Unidade Nacional a seu autor Cel Bento.

"Muito alentado e de interessante concepção é o seu livro sobre Caxias. Feito sem dúvida, de persistente iniciativa é sério esforço de um dedicado pesquisador e profundo conhecedor da vida de nosso Patrono. Há nele uma bonita dedicatória..."

- O Cel Gay Cardoso Galvão em artigo na Revista Enfoque de Campo Grande - MT divulgou e detalhou o livro Caxias e a Unidade Nacional

Caxias o Patrono da Anistia

Vale aqui lembrar em meio a tantos SILÊNCIOS e DEFORMAÇÕES de Caxias, na Mídia, em 2003, que o falecido historiador e grande jornalista Barbosa Lima Sobrinho em artigo, Caxias o Patrono da Anistia no Jornal do Brasil de 22 mai 1988 escreveu:

:" Se tivesse que eleger um Patrono da Anistia ficaria indeciso entre Rui Barbosa e o Duque de Caxias.

Rui Barbosa com seus trabalhos jurídicos e sua atuação como advogado. O Duque de Caxias pelos exemplos que nos legou. E acabaria optando pelo militar que, antes das batalhas, fazia da promessa de anistia um elemento de pacificação.”

Momentos de Saudades dos confrades que partiram

- Completou seu centenário em 24 set 2003, o saudoso patrono de cadeira na AHIMTB, General Jonas de Morais Correia Filho. Nasceu em Paranaiba- PI e viveu no Rio de Janeiro, sua cidade adotiva, vida cultural e profissional brilhante. Historiador militar deixou valiosa obra. O Cel Bento presidente da AHIMTB orgulha-se de haver sido por ele recebido nos IGHMB e IHGB. Foi o Diretor de Revista do Clube Militar em seu cinqüentenário. Presidiu superiormente o IGHMB. Foi constituinte de 1945 e nas atividades históricas fazia uso das suas qualidades de político conciliador para liderar seus confrades da área cultural militar. Foi o autor da letra da 1ª Canção da Arma de Engenharia, com música de autoria de sua primeira esposa, a mãe do acadêmico Gen Jonas de Morais Correia Neto, que ocupa cadeira de que é o patrono. Seu desaparecimento deixou uma lacuna difícil de ser preenchida na Cultura Militar Terrestre do Brasil, como líder, orientador e escritor das atividades de História Militar

- Faleceu no exterior onde fora participar de um Simpósio de História Militar o saudoso acadêmico Comandante- de- Mar- e- Guerra (FN) Dino Willy Cozza. Ele assistiu sessão da AHIMTB no 1º BPE, quando participou da Mesa Diretora e recebeu exemplar do livro Caxias e a Unidade Nacional que ajudara a patrocinar e foi mencionado que a abordagem sobre a namorada de Caxias, em Montevidéu Angela Furriol abordada no livro citado, se devia a pesquisa por ele feita e publicada na RIHGB. Ele inaugurou a cadeira Corpo de Fuzileiros Navais na qual será substituído pelo novo acadêmico CMG Quintão, do CFN..

Foi uma grande perda para a Cultura Militar e para seus amigos e admiradores.Continua na página 20 Continuação de O GUARARAPES n o 39 out/dez 2003 página 20

Faleceu o General Humberto Peregrino, aos 92 anos, depois de brilhante atividade cultural militar iniciada como tenente. Foi um dos pioneiros nas atividades com Blindados no Brasil. Nasceu em Natal- RN. Marca sua vida a sua superior atividade de Diretor da BIBLIEX de que é também o historiador, onde estimulou o surgimento de novos escritores militares no Exército e voltou o editorial em beneficio da atividade militar e assuntos relacionado com Exército. Patrono em vida de cadeira na AHIMTB, assistiu no Arquivo Histórico do Exército a inauguração de sua cadeira pelo acadêmico Cel Paulo Dartagnam Marque do Amorim. Foi uma grande perda para a Cultura Militar Terrestre do Brasil e para sua terra, a cidade de Natal que tanto amava.

De todos os confrades citados falecidos a AHIMTB guarda detalhado registro de suas vidas e obras.

Inauguração de busto de Caxias no Colégio Militar pela AHIMTB, focalizando a, direita, o Cel Bento presidente da AHIMTB e, a esquerda, O General Arnaldo Serafim ,2 o vice presidente da AHIMTB.

Solicitamos aos leitores que na medida de suas possibilidades e interesse cultural e profissional militar, reproduzam em xerox, o presente GUARARAPES 39 e enviem reproduções a quem possa se interessar pelo assunto e que não tenha sido atingido pela INDIFERENÇA, provocada por uma vitoriosa batalha política adversa de SILÊNCIO, alternado por DEFORMAÇÃO, da figura do grande cidadão e brasileiro, cujo século XIX, pode se dizer tenha sido o Século do Duque de Caxias, por sua ação militar incansável em defesa da INDEPENDÊNCIA do Brasil na Bahia; por sua ação providencial. como comandante da Policia Militar na Corte, de 1831 /37,na Regência, proporcionando SEGURANÇA ao Governo Central e, por sua ação de PACIFICADOR de nossa lutas Internas no MA,SP,MG e RGS, salvando a UNIDADE do Brasil e a preservação da SOBERANIA e INTEGRIDADE do Brasil nas guerras contra Oribe e Rosas e a do Paraguai

AHIMTB- MISSÃO HISTÓRICA CÍVICA BEM CUMPRIDA !

 


Última alteração em 07-06-2006 @ 10:54 am

[ Envie esta História para um amigo! ]

 
Comentar
Comentar
Veja mais
Veja mais
Perfil do usuário colaborador
Perfil do usuário colaborador
Envie uma Mensagem Privada
Envie uma Mensagem Privada